Sabores da Tia Val

Sabores da Tia Val
Encomendas pelo Direct do lnstagram

quarta-feira, junho 23, 2021

BRK Ambiental assume compromisso para apoiar os refugiados que vivem no país

 

A BRK Ambiental reforça o seu compromisso com temas sociais no país e anuncia a adesão ao Fórum de Empresas com Refugiados, iniciativa da Rede Brasil do Pacto Global da ONU e da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), e ao projeto Tent Partnership for Refugee, ação que mobiliza empresas para apoiar a causa humanitária em todo o mundo.

Com a participação nos projetos, a BRK Ambiental integra um grupo de grandes companhias mundiais que estão comprometidas em proporcionar aos refugiados ambientes de integração mais solidários e humanizados. A proposta é garantir a sobrevivência dessas pessoas através da capacitação e ajudá-las na inserção no mercado de trabalho, para que possam participar economicamente e socialmente nos países em que vivem.

“A adesão a programas de apoio aos refugiados é uma iniciativa que está alinhada à nossa estratégia ESG, que prioriza as questões ambientais, sociais e corporativas. A missão da companhia é trabalhar diariamente para garantir o desenvolvimento das comunidades, com ações transformadoras que vão além da garantia de saneamento de qualidade”, avalia Carlos Almiro, Head de Sustentabilidade e Gestão de Riscos da BRK Ambiental.

Atualmente, a BRK Ambiental é responsável pelo projeto Reinventar, programa em parceria com a Foxtime que oferece formação integral técnica para mulheres refugiadas ou que vivem em situação de vulnerabilidade. A proposta é que as participantes possam atuar como encanadoras ou instaladoras hidráulicas após a conclusão da formação, e com isso terem uma renda própria. Na primeira edição, realizada em Recife em 2020, a BRK Ambiental promoveu a formação de 25 mulheres, 3 delas brasileiras em situação de vulnerabilidade e 22 refugiadas venezuelanas.

Das participantes, dez venezuelanas já foram contratadas para atuar nas operações da BRK Ambiental, entre elas Yelitza Flores, que tem 51 anos e é refugiada. “Eu dormia em papelão, pedia na rua e, quando eu não conseguia nada, tinha que revistar o lixo para ver o que conseguia. Agora, tenho um bom emprego, estou muito feliz e agradecida pois o Brasil me abriu os braços e as portas”, comenta Flores.

“Foi gratificante para nós ter a possibilidade de abrir essa seleção para essas venezuelanas, pessoas que sofreram tanto com a vinda para o Brasil. Elas puderam participar desse momento onde a empresa está valorizando as mulheres e o saneamento está em expansão no Brasil”, reforça Renata Samuel, gerente de operações da BRK Ambiental da RMR. Agora, a companhia se prepara para a segunda edição do projeto, que acontecerá em Maceió.

Nenhum comentário:

Postar um comentário