quinta-feira, abril 28, 2022

Covers de Rossi e Valdick cantam em Olinda

 



O Raízes Comedoria da Terra presenteia sua mamãe com o show tributos! Reginaldo e Waldick Soriano cover! Sábado Dia 07 a partir das 16:30 show tributos! Com o cover oficial do Reginaldo, Vagi Rossi e Waldick Soriano cover! No restaurante Raízes Comedoria da Terra! Rua Lígia Gomes 33 bairro de Ouro Preto, em Olinda. A reserva de mesa é pelo telefone 986800624

Afonjah e Flaira Ferro lançam clipe ‘Frevo Caboclo’

 

Quem escutar a música “Frevo Caboclo” vai sentir a imensidão de possibilidades que a música pernambucana é capaz de fazer, ao entrar pelos ouvidos e sacudir todo o corpo, com sua efervescência. Esta mistura musical, que coloca o Frevo e Maracatu Rural, dois dos importantes ritmos patrimônios culturais do Brasil, em um único acorde musical, é ideia do produtor e compositor Afonso Oliveira, com coautoria do músico e cantor Afonjah, ambos pernambucanos.

Assim como a sonoridade musical exalta a beleza dos patrimônios, a letra da música busca ser um manifesto às condições sub-humanas do trabalho laboral que vivem as mulheres e homens da Zona da Mata Norte. “Este projeto tem como proposta fazer reverência à luta das canavieiras e canavieiros da Zona da Mata Norte. Desde a época da escravidão, levantam-se cedo, antes do sol raiar, deixam suas famílias para trás, para enriquecer a classe dominante da monocultura. São eles, o doutor da Usina, como é chamado pelos trabalhadores, que exploram sua mão de obra, com serviço precarizado, e que não reverte essa riqueza nem para os que trabalham, nem para os municípios onde estão instaladas as usinas.” destaca Afonso Oliveira.

A gravação do clipe foi realizada no Distrito de Upatininga, Zona Rural da cidade de Aliança, na Zona da Mata Norte. O local, que abriga cerca de cinco mil famílias, é praticamente intocável pelo tempo. É lá que está a Orquestra 15 de novembro (Zezé Correia), formada por jovens negros, músicos, filhos de agricultores e cortadores de cana de açúcar, que também estão no projeto musical. Há, ainda, dentro do musical “Frevo Caboclo”, a participação especial do Maracatu Rural Estrela de Ouro de Aliança, que é Ponto de Cultura, e que traz toda a beleza e sonoridade do seu terno.

“A canção ficou perfeita nas vozes de Afonjah e Flaira Ferro. Para mim, duas gerações diferentes, mas que se encontram e mostram a força de suas trajetórias. Flaira, uma das vozes mais importantes do nosso Frevo, é uma artista da nova música. Já Afonjah é um dos ícones da música preta pernambucana”, crava Oliveira. Além da participação especial dos artistas, Afonso Oliveira, que já dividiu a direção com Marcelo Pedroso no filme Maracatu Atômico Kaosnavial (2012) e no clipe Rainha do Congo (2019), desta vez convidou o fotógrafo alemão-pernambucano, Hans von Manteuffel, para fazer a fotografia.

A música “Frevo Caboclo” pretende, também, ser um instrumento para conclamar mais atenção da sociedade e do poder público para valorização da classe artistas culturais do Maracatu Rural. “Observamos que, apesar das condições análogas a escravidão que as mulheres e homens cortadores de cana passam no dia a dia, ainda assim, no Carnaval, eles brincam e novamente são explorados. Porém, desta vez, o poder público é o responsável. Tiram, da mulher e do homem preto, o direito de remunerá-los com cachês que merecem. O caboclo de lança, por exemplo, símbolo do nosso carnaval, não é valorizado como trabalhador rural, nem como artista. É muito doloroso ter que assistir a tudo isso em pleno século XXI. Um Estado, que age com burguesia e pensa como os senhores dos engenhos dos séculos passados” conclui Afonso Oliveira.

O artista, Valdi Afonjah diz que a música "Frevo Caboclo" bebe nas fontes de suas origens identitárias e musicais. "O frevo e o passo são minha essência. E, estar nesta empreitada, me conecta a essa essência e aos meus ancestrais, que há muitos anos saíram da Mata Norte e Mata Sul e se encontraram em Recife. Tudo tem uma representação que aquece meu coração" conta, emocionado. Sobre a parceria musical com Flaira Ferro, ele diz que é uma simbiose cultural. "Flaira tem uma energia profunda e, ao mesmo tempo, uma leveza que encanta as pessoas e faz a música pulsar a todo momento e se transformar. É realmente uma explosão de alegria e cores. Adianto que o público com certeza vai sentir essa vibração" diz. Flaira Ferro destaca a importância de fazer parceria musical com Afonso Oliveira e Valdi Afonjah. "Foi maravilhoso participar dessa música. Afonso e Afonjah são pessoas muito engajadas com as questões das políticas públicas voltadas para cultura autoral de Pernambuco. Isso fortalece a cultura popular", enfatiza.

Letra - “Frevo Caboclo”

Quando Caboclo pegar a sombrinha
Canavial vai todo arrepiar
É vida quente não tem alforria
Maracatu Rural pra libertar

Nosso milagre é quase todo dia
Acordo vivo e morto eu vou voltar
É bem ligeiro o frevo tá fervendo
E o Carnaval vai logo passar

Cadê? Cadê?
Cadê Mateus, Cadê Catirina
Foi pra Angola, foi pra Zanzibar
Cadê? Cadê?
Foi pra Angola, foi pra Zanzibar

Se você for um dia a Upatininga
Vai entender o som que vem de lá
É tanta cana, Santana, caiana
É malunguinho pra todo lugar

Curica, Capa Bode, Revoltosa
Zezé Correia eu quero frevar
Deixa a enxada bem atrás da porta
Na quarta-feira cinza eu vou virar

Cadê? Cadê?
Cadê Mateus, Cadê Catirina
Foi pra Angola, foi pra Zanzibar
Cadê? Cadê?
Foi pra Angola, foi pra Zanzibar

Com lnformações do jornalista Salatiel Cicero

Bens patrimoniais históricos e culturais ganham cartilha educativa

 

Quando se pensa em Pernambuco, não conseguimos associar diretamente o município de Jaboatão dos Guararapes a este estado tão fértil culturalmente e emblemática. Ela não só é uma cidade com progressivo crescimento comercial e desenvolvimento urbano, mas configura-se o 2° maior PIB do estado com uma soma de cerca R$ 13 217 350 000,00 reais (Dados do IBGE/2019) em virtude do seu parque industrial e da proximidade com o Porto de Suape e o Recife. Contudo, suas riquezas vão além dos bem de produção produzidos no município e que passam pelas suas vias em direção a tantas localidades, afinal, a cidade considerada Berço da Pátria também apresenta um riquíssimo patrimônio tombado nível federal e estadual. “Jaboatão é a segunda maior cidade do Estado de Pernambuco em população, que conta, atualmente, segundo o senso de 2020, com 706.867 habitantes e com um IDH de 0,717, ocupando o quinto lugar no ranking estadual”, comenta a pesquisadora Dora Dimenstein, residente na localidade há mais de 20 anos.

De acordo recente estudo realizado por ela nos últimos meses, o município foi fundado como um povoado a partir de 4 de Maio de 1593 tem muitas histórias, personalidades e patrimônio cultural, arquitetônico e histórico que precisa ser contado. A cidade de Jaboatão que foi constituída e foi se desenvolvendo com o passar do tempo a partir das ações de Bento Luiz Figueira, terceiro proprietário de um engenho chamado “São João Batista”, passou a ser vila e depois cidade. E, em meio a seus 258,694 km² de área geográfica, está um universo ainda desconhecido do grande público. “Cidade com belas praias e uma história linda, Jaboatão é dona de um passado que orgulha toda a nação e detentora de um rico patrimônio material e imaterial permite, em toda a sua ambiência histórica com a presença de valores culturais para as gerações atuais e futuras. É preciso resgatar a autoestima e o sentimento de pertença de toda sua população no perfil cultural e turístico do estado”, destaca Dimenstein, que faz sua contribuição neste sentido.

De fato, Jaboatão tem tudo para e um pouco mais como referencia de cidadãos que fizeram da cidade seu local de residência entre os quis estão vários personagens importantes para a história como Frei Jaboatão, Gervásio Pires, Barão de Lucena, Padre Chromácio Leão, Paulo Freire, Amélia Brandão, Benedito da Cunha Melo e muitos outros. Por isso, a pesquisadora desenvolveu a Cartilha de Educação Patrimonial dos Bens Edificados Tombados da cidade para contribuir para a educação patrimonial, que foi criada por meio da sua ADCE Produções Culturais, a partir de projeto contemplado pela Lei Aldir Blanc 2, de Jaboatão/2021, graças a Prefeitura de Jaboatão. “Esta é uma contribuição que visa proporcionar um panorama de importantes edificações existentes em Jaboatão dos Guararapes que são tombadas e, desta forma, estão protegidas por leis para serem preservados, conservados e utilizados. Entretanto, não são de conhecimento geral”, completa a produtora cultural.

Neste compilado estão o Povoado de Muribeca dos Guararapes onde foram erguidos engenhos importantes como Santo André e Novo da Muribeca à época, com constituição de prédios históricos e um casario colonial na forma não só na forma de engenhos como ainda de casarios e igrejas, que foram alçados pelo homem em plena colina às margens do Rio Jaboatão, onde começou este povoado. A Capela de Nossa Senhora do Loreto integra também a Cartilha de Educação Patrimonial dos Bens Edificados Tombados, propriedade que integra a Ordem dos Beneditinos e que é a única com alpendres nas laterais, que passou pelo processo de tombamento nº. 40/86 do Decreto Estadual de Homologação nº. 15.632 de 9 de março de 1992. Há ainda o Engenho Suassuna, fundado pelos irmãos Diogo Soares e Fernão Soares, cristãos-novos, em 1573, que está há muito desativado e que foi tombado a nível estadual através do Processo administrativo nº 3382/12 – Fundarpe. “Jaboatão é um dos mais importantes locais históricos do Brasil e, mais do que preservado, precisa ser destravado e apreciado tal e qual é como gracioso patrimônio pernambucano”, enfatiza.

Tudo isso poder se melhor conhecido através da Cartilha de Educação Patrimonial que está disponibilizada pela plataforma online Mirada Janela Cultural (https://www.miradajanela.com/2022/04/cartilha-de-educacao-patrimonial-dora.html) e ainda conferir uma aula dinâmica sobre os bens edificados tombados na cidade do Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, acessível em Canal do Youtube (https://youtu.be/9w-xrbs2AwM) com tradução em libras, que pode ainda ser transformada em uma atividade a ser vista e levada para salas de aula de qualquer localidade.

Com informações da jornalista lvelise Buarque

'Em Busca de Judith' aborda o silenciamento feminino e a crueldade do sistema manicomial

 

Afinal, o que é a loucura? Essa pergunta dá o tom do espetáculo “Em Busca de Judith”, que faz sua temporada de estreia no Itaú Cultural, entre os dias 5 e 15 de maio, com sessões de quinta a sábado, às 20h, e, aos domingos, às 19h. Os ingressos são gratuitos e podem ser reservados direto pelo site do Itaú Cultural.

Para quem não estiver em São Paulo no período, é possível entrar em contato com a obra de outra maneira. Será exibida online a peça-filme que serviu de base para a montagem presencial, filmada em pavilhões da antiga Colônia Juliano Moreira, no Rio de Janeiro. No online, Em Busca de Judith integra o Palco Virtual Ancestralidades, e poderá ser assistido no Youtube do Itaú Cultural: www.youtube/itaucultural.

O espetáculo estreia no Mês da Luta Antimanicomial. A data celebra a mudança na forma de lidar com a saúde mental. Chamado de Reforma Psiquiátrica, o movimento iniciado na década de 1970 foi responsável por deslocar dos hospitais para a comunidade os tratamentos para os transtornos mentais, criando dispositivos que são fundamentais para a assistência e a luta contra os estigmas, como os CAPS e as residências terapêuticas.

Idealizado por Jéssica Barbosa e Pedro Sá Moraes, o trabalho resgata uma história familiar muito importante para a atriz. Até os 32 anos, a artista acreditava que a sua avó paterna, Judith, havia morrido em um acidente de carro, quando seu pai ainda era um bebê. No entanto, a realidade era bem diferente.

Na verdade, a matriarca foi internada compulsoriamente por seu marido em um hospital psiquiátrico, aos 28 anos. Ela passou 13 anos na instituição, até sua morte, aos 42. Quando Jéssica descobriu esse fato, sentiu que era sua missão descortinar essa história. Afinal, era injusto mais uma jovem mulher preta, mãe de cinco filhos, ter sua voz silenciada de uma maneira tão brutal. “Meu avô nunca se casou com ela no papel. Na verdade, ele a traiu e se casou com uma mulher branca. Desconfiamos que ela enfrentou uma depressão pós-parto, mas não havia esse diagnóstico nos anos 40”, comenta Jéssica.

O desenvolvimento da peça começou em 2018, quando Jéssica e Pedro ingressaram na residência artística do Museu Bispo do Rosário, chamado de Programa Casa B. A dupla pesquisou o universo da saúde mental, a história de Judith e sua interface com a arte durante três anos.

Nesse período, trocaram experiências com os artistas residentes do Ateliê Gaia, além de acessar vários materiais de pesquisa e contar com o apoio da curadora pedagógica do Museu Bispo do Rosário Diana Kolker, orientadora durante a construção desse trabalho.

Enquanto construía a dramaturgia, a atriz debruçou-se sobre livros como “Holocausto brasileiro” (2013), da jornalista Daniela Arbex, sobre o Hospital Colônia de Barbacena; e “Mulheres e Loucura: Narrativas de Resistência” (2020), de Melissa de Oliveira Pereira. Além disso, promoveu debates em seu canal do YouTube com o psicólogo Lucas Veiga, com a psicóloga e doula Luiza Ferreira e com a própria Diana Kolker.

“Precisamos racializar a história da luta antimanicomial, especialmente no caso das mulheres, que sempre escutam que estão ficando loucas. E pensarmos sobre saúde mental em uma época em que estamos generalizadamente doentes, com insônia, bruxismo, burnout e depressão, é fundamental. Afinal, o que é a loucura”, completa?

Espetáculo como ebó

Segundo Jéssica, “Em Busca de Judith” é muito mais do que um espetáculo teatral. A conexão espiritual – e até ancestral – dela foi tão grande, ao longo do processo, que é quase como um ebó, ritual de oferenda aos Orixás para equilibrar diferentes aspectos da vida e até desfazer nós.

Outro aspecto importante da montagem é a música. Com trilha sonora ao vivo executada por Alysson Bruno (percussão e voz) e Muato (voz, baixo, guitarra e violão), a peça também é embalada pela potente voz de Jéssica Barbosa, que interpreta canções carregadas de afeto e emoção. A direção musical é de Pedro Sá Moraes.

“As canções são momentos de reflexão, de respiro. Ao mesmo tempo, essa musicalidade conversa com a pesquisa de doutorado do Pedro, que investiga o quanto a música traz um ritmo para a fala – e como se constrói um tipo de espetáculo em que o texto é atravessado pelas canções”, comenta a idealizadora. Há também muitas referências a elementos relacionados à estética negra, como a capoeira e a própria dança executada em cena.

"Nossa historiografia pessoal se dá no coletivo. Por isso, tem muita coisa do coletivo que se dá pela busca pessoal. O quintal é o mundo. Se houve X pessoas internadas no manicômio Y, todos temos responsabilidade sobre isso”, acrescenta.

Para os espectadores mergulharem nessa realidade dos hospitais psiquiátricos, serão projetados trechos da peça-filme durante o espetáculo presencial. É a chance de conhecer os escombros da Colônia Juliano Moreira e dar um significado para aquilo.

Sinopse

Até os 32 anos, Jéssica Barbosa acreditava que Judith Alves Macedo, sua avó paterna, havia falecido em um acidente de carro. A história que lhe era contada desde a infância ganhou uma reviravolta quando a atriz se deparou com uma fotografia num livro e ouviu um relato familiar, gatilhos que dispararam nela a busca pela história real de Judith.

A mulher negra, mãe de cinco filhos, fora internada compulsoriamente em um hospital psiquiátrico, onde permaneceu até a sua morte, em 1958. É sobre as buscas e descobertas dessa história, permeada pelo silenciamento das vozes femininas e questões que atravessam o sistema manicomial que trata “Em Busca de Judith”, espetáculo idealizado por Jéssica e Pedro Sá Moraes, que também assina a direção.

FICHA TÉCNICA
Idealização e dramaturgia: Jéssica Barbosa e Pedro Sá Moraes
Atriz: Jéssica Barbosa
Músicos/performers: Alysson Bruno e Muato
Direção e direção musical: Pedro Sá Moraes
Supervisão de direção e criação da iluminação: Fabiano de Freitas Dadado
Direção de movimento e preparação corporal: Leandro Vieira
Figurino: Cris Rose
Cenografia: Ana Rita Bueno
Produção: Corpo Rastreado
Assessoria de Imprensa: Canal Aberto - Márcia Marques

SERVIÇO

Presencial

Em Busca de Judith
De 5 a 15 de maio, de quinta a sábado, às 20h, e, aos domingos, às 19h
Duração: 70 minutos Classificação: 12 anos

Local: Itaú Cultural – Av. Paulista, 149 – Bela Vista
Ingresso: grátis, (os ingressos devem ser reservados pela INTI (acesso pelo site www.itaucultural.org.br).

Formato peça-filme no Palco Virtual Ancestralidades

Em Busca de Judith

A programação do Palco Virtual Ancestralidades faz link com a plataforma Ancestralidades https://www.ancestralidades.org.br, lançada em novembro de 2021 pelo Itaú Cultural e a Fundação Tide Setubal. Neste ambiente digital, voltado às heranças culturais do Brasil, o público poderá conferir texto reflexivo sobre o espetáculo.

De 1º de maio, a partir das 19h, até às 23h59 do dia 29 de maio, sob demanda
Duração: 60 minutos Classificação: 12 anos

Local: Youtube do Itaú Cultural www.youtube/itaucultural

Ingresso: grátis

Temporada do espetáculo “Deslenhar” continua nesse fim de semana no Recife

 

O Teatro Miçanga voltou aos palcos com o espetáculo “Deslenhar”, em apresentações gratuitas no Recife e em Camaragibe, no último fim de semana. O espetáculo segue temporada até o dia 18 de junho e acontece em espaços alternativos com encerramento no Teatro Marco Camarotti, em Santo Amaro, zona central do Recife. O grupo ainda oferecerá, no mesmo teatro, uma oficina gratuita ao final do projeto, no dia 18 de junho, das 13h às 19h. Para participar, o interessado precisa enviar uma solicitação de inscrição para o e-mail teatromicanga@gmail.com, a partir do dia 4 de junho. A oficina artística é aberta para todas as pessoas e vai abordar a improvisação e uso da literatura em cena. O espetáculo tem 45 minutos de duração e possui classificação livre.

Vale ressaltar que as apresentações acontecem dentro de todos os protocolos sanitários estabelecidos pelo Governo de Pernambuco, e que a temporada possui o incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura - Funcultura PE.

O espetáculo “Deslenhar” estreou em 2018, e é uma peça inspirada no conto "A Fogueira", do escritor moçambicano Mia Couto. Utilizando-se da poesia, música, dança e humor, o espetáculo conta a história da vida de Dona Eterninha e de Seu Perpétuo, personagens que dividem amores, alegrias e tristezas, bem como o confronto com a iminência da morte.

A história tem início quando seu Perpétuo percebe a dura necessidade de cavar a cova de sua esposa, ainda viva. A contação se desdobra, com delicadeza, sobre a vida dos personagens. “Na história de Seu Perpétuo, somos transportados para um tempo em que ele era jovem e observamos um homem que, diante de uma vida difícil, inventa histórias e diverte os filhos. É um espetáculo que nos lembra da preciosidade do tempo e de cada momento que vivemos”, revela a diretora e também atriz, Amanda Pegado.

Todo o grupo, formado por Amanda Pegado, André Alencar, Fernando Rybka e Geraldo Monteiro, atua e assina a dramaturgia, direção, iluminação e sonoplastia do espetáculo. O figurino é assinado por Maria Agrelli e a produção é do Coletivo Enlace, de Bárbara Souza e de Camila Mendes.

Teatro Miçanga - Criado em agosto de 2016, a investigação do grupo se pautou na utilização da literatura não-dramática, no ator-narrador e na ocupação de espaços alternativos. Deslenhar é o primeiro espetáculo do grupo, que teve a sua estreia em abril de 2018, fez três temporadas, participou de quatro festivais e foi contemplado com a ocupação do Centro Cultural Banco do Nordeste, em Fortaleza. O segundo trabalho do grupo, “Tão de Perto”, é um espetáculo virtual, nascido durante a pandemia, que estreou na plataforma Zoom, em janeiro de 2021.




PROGRAMAÇÃO

ABRIL

30/04 - 19h30 - Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo - Rua Passarela, 18-A, Chão De Estrelas – Recife/PE




MAIO

07/05 - 19h30 - Casarão Das Artes - Rua Travessa Tiradentes, 122– Recife/PE

14/05 - 19h30 - Centro de Capoeira São Salomão - Rua Amaro Gomes Poroca, 267 – Várzea – Recife/PE

20/05 - 19h30 - Compaz Ariano Suassuna - Av. Gen. San Martin, 1208– Recife/PE

27/05 - 19h30 - Compaz Eduardo Campos - Av. Aníbal Benévolo, S/N – Alto Santa Terezinha – Recife/PE




JUNHO

*Essas apresentações contam com intérprete de Libras

04/06 - 19h30 - Compaz Miguel Arraes - Av. Caxangá, 653 – Recife/PE

18/06 - 20h - Teatro Marco Camarotti - Rua Treze De Maio, 455 – Recife/PE




FICHA TÉCNICA

Elenco: Amanda Pegado, André Alencar e Fernando Rybka

Atriz intérprete de Libras: Patrícia Albuquerque

Dramaturgia, encenação, iluminação e sonoplastia Teatro Miçanga

Figurino: Maria Agrelli

Produção: Coletivo Enlace (Bárbara Souza e Camila Mendes)

Produções locais: Geraldo Cosmo, Vilma Carijós, Michel Gomes e Izabel Cordeiro

Paixão de Cristo em Paulista estreia hoje e homenageia Pimentel

 


quarta-feira, abril 27, 2022

Feira de Plantas Ferreira Costa

 

Para quem procura levar mais vida para o seu lar, uma solução simples é encher a casa de plantas. E, pensando nisso, até o dia 08 de maio, acontece a Feira de Plantas da Atmosfera no estacionamento do Home Center Ferreira Costa. O horário de funcionamento da Feira será das 08h às 21h, de segunda a sábado, e das 09h às 18h, aos domingos.

O evento trará mais de 500 espécies de plantas a preços populares, a partir de R$7, e também pretende ser uma vitrine para os pequenos produtores. No momento da compra, o cliente recebe orientações de cuidados específicas da espécie escolhida.

Quem estiver visitando a feira também pode aproveitar para conhecer o setor de jardinagem da Ferreira Costa, onde encontrará diversos produtos para cultivar e ornamentar suas plantinhas, como: adubos, jarros, cachepôs, ferramentas para plantio e muitas outras coisas.

quarta-feira, abril 20, 2022

Ninguém solta a mão da Tainá

Update: A mãe da Tainá lutou muito, mas se foi na madrugada desta segunda (25). 
Nossos sentimentos para familia e amigos.

Humantoche Produções apresenta o espetáculo "João e Maria" no Recife

 

Um clássico infantil para encantar crianças e adultos recifenses neste fim de semana: a trupe Humantoche Produções apresenta o musical "João e Maria" no teatro Barreto Júnior (zona sul do Recife) nos dia 23 e 24 de abril (sábado e domingo). Com novas canções e o toque regional de atores pernambucanos, o espetáculo promete surpeender a plateia com efeitos especiais em 4D, em especial neve. A apresentação ocorre Às 16h 30, portões abertos às 16h e ingressos a partir das 15h no local - é possível comprar antes pela internet no link encurtador.com.br/agrLR.


"Pensamos em muita interação para envolver a platéia", destaca Ricardo Silva, diretor do espetáculo. "Os espectadores contarão com músicas interativas, cenários móveis, figurinos lúdicos e a sensação de estar dentro da história em uma das cenas apresentadas em 4D. Vai ser incrível", garante. Numa aldeia repleta de animais e paisagens naturais encantadoras vive uma família muito feliz: mamãe Margarida e papai João com seus dois filhos, João e Maria, amáveis e espertos porém também muito teimosos!

Um dia os jovens desviam do caminho da escola e a partir de então entram numa aventura que muda suas vidas e traz grandes lições! O espetáculo é baseado na história "Hänsel und Gretel", um conto de fadas de tradição oral que foi coletado pelos irmãos Grimm no ano de 1812 e até hoje faz sucesso.

As entradas custam R$ 50 (inteira) ou R$ 25 (meia - para estudantes, idosos, portadores de necessidades especiais e acompanhantes, professores e crianças de 02 a 12 anos). Há ainda a opção ingresso social por R$ 25 + 1kg de alimento não perecível que será doado a instituição de caridade. Vendas na bilheteria do Barreto Junior a partir das 15h do dia da apresentação ou sympla encurtador.com.br/agrLR.

SERVIÇO:

JOÃO E MARIA, um doce musical!
23 e 24 de Abril 16h30
Teatro Barreto Júnior
Duração: aprox. 50min
informações: 81 9.98032724




Direção e produção geral: Ricardo Silva

Texto e músicas: Ricardo Silva

Técnicos de som, luz, cenografia e contra-regra: Jean Philipe, Elaine Gilles.

Elenco: Gyselle Brasiliano, Raul Elvis, Luciano Lucas, Ely Sabino, Marilia Santana, Joelma Alves, Rico Rioly e Alessandra Toia.

Goiana instala iluminação led em Ponta de Pedras

 

A prefeitura de Goiana fez a instalação de 30 pontos de luz com iluminação de LED no calçadão de Ponta de Pedras, como parte do projeto de reforma da localidade. A medida garante uma melhor iluminação e mais segurança para que as pessoas usufruam do espaço público com mais proteção.

Segundo o prefeito Eduardo Honório, esse tipo de investimento em iluminação de LED só traz benefícios. "Deixa o calçadão mais iluminado, mais bonito e ainda conseguimos mais economia para o município por consumir menos energia", salienta.

A ideia é que esse tipo de luminária com a nova iluminação em LED possa ser montado em outras regiões de Goiana. Para a secretária de Obras do município, Isabella Soares, responsável pelo trabalho de reforma e instalação, essa é mais uma ação de planejamento urbano que contempla uma melhor qualidade de vida com sustentabilidade devido à eficiência com o uso da energia. "A gente consegue integrar segurança pública com a valorização da paisagem urbana beneficiando diretamente a nossa população", disse.

lmprensa Goiana PE

As plantas e os benefícios para casa e a saúde

 

Depois de vivenciarmos os momentos mais trágicos da pandemia, de epidemia de gripe, de estarmos acompanhando uma guerra televisionada, queremos ter boas energias, buscar bons fluidos para nossas vidas, alguma renovação. Nossa casa pode ser o primeiro passo. 

As plantas podem nos ajudar nessa caminhada, deixando nosso lar verde e bonito. Além de trazerem alegria e cor, existem espécies que espalham bons fluidos.

Os tão queridos cactos, por exemplo, tão resistentes ao calor e intempéries, simbolizam proteção. A planta possui tal significado porque purifica os ambientes, já que armazena água em seu caule. Vale colocar os vasos nas janelas.

As suculentas também têm um ótimo papel dentro do ambiente doméstico.Segundo as empresárias Luíza e Dani Meira da @fridasuculentas as plantas podem  nos ajudar....

  • Ajudam na concentração:
  • Estudos descobriram que a concentração e a atenção e as capacidades cerebrais melhoram com a presença de plantas.
  • Purificam o ar : as suculentas, como as sansevierias e o aloe vera, são excelentes para limpar o ar e remover toxinas.
  • Ajudam a respirar: durante o processo de fotossíntese, as plantas libertam oxigênio, no entanto, à noite, a maioria das plantas respira como os seres humanos, libertando dióxido de carbono. As suculentas e algumas outras plantas continuam a produzir oxigênio a noite toda.
  • Vale investir nessas espécies, tão fáceis de se adaptarem aos lares nordestinos!

quinta-feira, abril 14, 2022

Tudo o que você precisa saber para se livrar das infiltrações

 

Com o início do outono que, no Nordeste, se caracteriza pela menor frequência de chuvas, quem trabalha com impermeabilização e pequenos reparos afirma que essa é a melhor época para que esses serviços sejam concluídos com sucesso. Infiltrações, goteiras e umidade nos cômodos aparecem com frequência quando não existe uma manutenção preventiva e podem causar estragos na pintura, nos móveis e no piso. As áreas externas, como telhados e muros, também devem receber atenção, principalmente após as chuvas mais intensas.

A dica do Home Center Ferreira Costa é verificar periodicamente se há telhas quebradas ou mal encaixadas no telhado, além de manter as calhas sempre limpas e impermeabilizar lajes, tudo realizado com material adequado para essas áreas.

Quando já existe a infiltração, é essencial identificar a origem do problema, como um revestimento mal feito, vedação inadequada de portas ou janelas, tubulação com vazamento, entre outras.

Na hora de realizar a recuperação, conte com a ajuda de um profissional para realização de um tratamento adequado. O processo inclui impermeabilização externa e interna, sendo que esta última pode ser feita com materiais como a manta asfáltica que, como o nome indica, é feita de asfalto, impermeável.

Muitas vezes, adiar o conserto dessas áreas resulta no surgimento de um outro vilão das residências, o mofo. Lugares úmidos, quentes e com pouca luminosidade são perfeitos para o desenvolvimento deste fungo, que pode causar sérios problemas à saúde.

Após tratada a causa do problema, a remoção do mofo é simples. A Ferreira Costa recomenda a limpeza com água sanitária, com cuidado para não manchar as paredes, e o uso de tintas antimofo, que possuem ação fungicida e bactericida e ajudam a conservar as superfícies.

Aproveite as ofertas com descontos a partir de 35% em produtos selecionados do Home Center Ferreira Costa e proteja seu lar. Acesse www.ferreiracosta.com ou confira nas lojas.

quarta-feira, abril 13, 2022

SP: Lado a Lado lança documentário sobre sua mentoria para impulsionar pequenos negócios de gastronomia no Bom Retiro

 

Bairro multicultural e polo gastronômico de SP, o Bom Retiro foi foco do Lado a Lado, um Programa de mapeamento e mentoria de iniciativas socioculturais que visa transformar e desenvolver pequenos negócios e comunidades. E o resultado desse trabalho, que aconteceu ao longo de 2021, pode ser conferido em um documentário que será lançado no dia 25 de abril, às 19h30, na Oficina Cultural Oswald de Andrade. O evento contará com um coquetel oferecido pelos restaurantes das pessoas que participaram do Programa.

O média-metragem tem uma versão com Libras, legenda descritiva e audiodescrição. Ele também será disponibilizado em DVD para escolas, bibliotecas públicas e secretarias estaduais e municipais de Cultura e ficará disponível no canal do YouTube do Programa Lado a Lado durante todo o mês de maio.

O Lado a Lado foi realizado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Ticket.

Com a missão de contribuir para a valorização e a profissionalização da Cultura no país, o Programa escolheu o Bom Retiro para receber a sua primeira edição – ao lado do município de Porto Feliz (SP). Isso porque a região abriga uma enorme diversidade de estabelecimentos gastronômicos comandados por imigrantes de diversas origens, como coreanos, bolivianos, judeus, gregos, colombianos e árabes. Além disso, possui a proporção mais alta de equipamentos culturais por habitante na cidade.

“Acreditamos que as pessoas já têm, dentro de si, a capacidade de se desenvolver. Às vezes, o que falta é só uma ferramenta específica, um outro olhar ou ter tempo mesmo para pensar de forma estratégica nos negócios e sonhos de quem empreende”, comenta Flávia Paschoalin, idealizadora do Lado a Lado, sobre a importância dessa mentoria.

O documentário cria um panorama do trabalho feito pelo Lado a Lado com os pequenos empreendedores da região. Tudo começou com o mapeamento dos restaurantes e outros estabelecimentos que trabalham com a venda de alimentos e bebidas no bairro. Foram identificados mais de 50 negócios, e 25 deles responderam uma pesquisa quantitativa que forneceu mais informações sobre o perfil gastronômico da região.

A pesquisa identificou que a maior parte dos estabelecimentos funciona na Rua Três Rios; 68% dos negócios são liderados por mulheres; 88% têm, em média, quatro colaboradores; e a maioria dos empreendimentos funciona na região há mais de 5 anos (48% deles têm mais de 10 anos). Assista ao vídeo do mapeamento Lado a Lado para conhecer outras descobertas da ação.

Em seguida, a equipe do Lado a Lado selecionou seis pequenos negócios de gastronomia para participar do Programa ao longo de 2021, que contou com oficinas coletivas e mentorias individuais.

Como o Programa aconteceu em um momento mais turbulento da pandemia de Covid-19, quando os estabelecimentos não podiam sequer abrir seus salões na fase Vermelha do Plano São Paulo, as atividades aconteceram online ou presenciais seguindo rígidos protocolos para garantir a segurança de todos. E as mudanças e desafios trazidos por esse momento também podem ser conferidos no documentário.

Os participantes receberam orientações sobre práticas de gestão de negócios, ferramentas de marketing e divulgação; gestão financeira; relacionamento com os colaboradores e o público; implementação de ferramentas de gestão mais eficientes; entre muitos outros conhecimentos.

O filme reúne depoimentos da equipe de mentoria do Lado a Lado e dos empreendedores que participaram do Programa – sobretudo sobre as muitas dificuldades trazidas pela pandemia, a experiência de participar do LAL e as inovações que conseguiram incorporar em seus negócios.

Sobre o Lado a Lado

O Lado a Lado (LAL) é um Programa que mapeia iniciativas socioculturais, oferece mentoria para suas lideranças e acompanha sua evolução. O objetivo é potencializar habilidades, otimizar modelos de gestão e promover desenvolvimento de negócios e comunidades.

Desde o começo do trabalho, a iniciativa busca olhar bem de perto para cada líder – quem são, quais são seus desafios e sonhos. Eles estão no centro da atuação do Programa.

O Lado a Lado foi idealizado pela 3 Apitos a partir da percepção de que o Programa pode ser ponte e apoio para que iniciativas muito legais alcancem seus objetivos. As primeiras edições da mentoria aconteceram no bairro do Bom Retiro na capital paulista e no município de Porto Feliz (SP), que contou também com um documentário.

Para mais informações sobre o Programa, acesse os canais do LAL: o site, o perfil no Instagram e o canal no YouTube. Ou assista ao vídeo institucional (você pode acessar também a versão do vídeo com Libras e legenda).


Saiba mais sobre as iniciativas gastronômicas que participaram do Programa e do documentário:

Café Colombiano: espaço intimista com cafés especiais e guloseimas.
Dabok Factory: fábrica (especializada em tok) e restaurante coreano.
Emporium Brasil Israel: casa tradicional de produtos judaicos.
Pasteluz: Pastelaria.
Prato Grego: Restaurante grego.


FICHA TÉCNICA

Lado a Lado | Bom Retiro
- Concepção do Programa: Flávia Paschoalin | 3 Apitos
- Coordenadores de produção: Flávia Paschoalin, Leonardo Birche
- Coordenadora de metodologia e de mapeamento: Marina Lourenço
- Facilitadores: André Dib de Seixas, Camila Melo
- Especialista em negócios da gastronomia: Heloísa Mader

Documentário Lado a Lado | Bom Retiro
- Direção e produção: Daniel Barosa e Nikolas Maciel
- Cinematografia: Daniel Barosa, Nikolas Maciel e Nick Gomes
- Montagem: Daniel Camargo de Souza Ferreira
- Assistente de Montagem: Lucian Fernandes
- Ilustrações: Lucas Fontana
- Animações: André Alonso Mello
- Duração: 31 minutos e 26 segundos
- Restaurantes participantes: Café Colombiano, MilkShake Mix Bom Retiro, Dabok Factory, Prato Grego, Emporium Brasil Israel, Pasteluz.
- Lei Federal de Incentivo à Cultura
- Patrocínio: Ticket Edenred
- Apoio: Poiesis Gestão Cultural, Oficina Cultural Oswald de Andrade e Governo do Estado de São Paulo
- Realização: 3 Apitos, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal

Serviço
Lançamento do documentário Lado a Lado | Bom Retiro
Quando: 25 de abril, às 19h30.
Onde: Oficina Cultural Oswald de Andrade - Rua Três Rios, nº 363, Bom Retiro - São Paulo - SP.

O programa foi realizado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Ticket.

DJ Lala K comemora 25 anos de carreira

 

Uma das DJs mais aclamadas e queridas de Pernambuco, Lala K lança nesta quinta-feira (14), às 21h, para todo do Brasil, uma live inédita em celebração aos seus 25 anos de carreira. Gravado no Espaço Edson Menezes, a apresentação acontece gratuitamente através do canal do Rock na Calçada .

Primeira mulher a estabelecer-se como DJ profissional no estado, Lala tornou-se um incomparável exemplo de sucesso, pelo seu inegável dom para fazer as pessoas dançarem. Dona de um estilo próprio baseado principalmente na diversidade, uma festa sob o seu comando é sempre uma explosão de energia e felicidade.

Com uma carreira longa e diversificada, que teve início na metade dos anos noventa, é co-fundadora da Odara Ôdesce, uma das principais festas de música brasileira do Nordeste e ao lado dos DJs Felipe Machado (Original DJCopy) e Kleber Pedrosa (Rebel K) fundou uma das festas mais amadas pelo público descolado do Recife, a Sem Loção, que já foi eleita por três vezes consecutivas, a melhor balada de São Paulo.

Na apresentação, Lala traz o seu consagrado set eclético, que envolve pop, lounge e as tendências mais balançadas da house e electro-house.

SERVIÇO:
DJ LALA K CELEBRA 25 ANOS DE CARREIRA COM LIVE SURPRESA PARA O PÚBLICO

Nesta quinta (14), às 21h


Aplicativo desenvolvido por pernambucano ajuda consumidor de medicamentos na hora da compra

 

Mais um aumento para o consumidor: agora é a vez dos remédios. O reajuste, concedido anualmente pelo Governo Federal, ficou em 11%. Quem sofre mais é o trabalhador assalariado, aposentados e pessoas com doenças crônicas.

Em Pernambuco foi criado em 15 de março deste ano o MeAlerta, um aplicativo gratuito que promete ser amigo do bolso do consumidor. Já são quase mil downloads baixados, em um mês. Conforme a Lei 10.742 de 2003, as listas de preços de medicamentos podem ser obtidas junto à Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e nas farmácias e drogarias é obrigatória que ela esteja no balcão, ao alcance do consumidor. Poucas pessoas sabem desta lei. E quando a farmácia disponibiliza a lista é um verdadeiro calhamaço de papel, sendo inviável a pesquisa, em torno de 26 mil itens.

O MeAlerta foi criado com o objetivo de alertar aos seus usuários, o preço máximo que um medicamento pode ser vendido nas farmácias.

“O MeAlerta foi criado com o objetivo de alertar aos seus usuários, o preço máximo que um medicamento pode ser vendido nas farmácias, um aplicativo que se destina a informar e fiscalizar os valores dos medicamentos, além de categorizar os remédios, por estados e cidades, de acordo com a informação e site da Anvisa e da lei 10.742 de 2003. Possibilita rapidez e eficácia ao consumidor, ao verificar o máximo que pode ser pago por um determinado medicamento”, informa Lucas Primo, inventor do Me Alerta, que também é consultor de tecnologia de uma startup genuinamente pernambucana.

Facilidade - O aplicativo é prático e simples de usar. A objetividade é a principal facilidade: com apenas 2 clicks o usuário tem o Preço Máximo ao Consumidor (PMC) do medicamento pesquisado, além da nova funcionalidade da evolução ou regressão do medicamento nos últimos 2 anos. O APP pode ser baixado gratuitamente na loja de aplicativo e funcionando para todos os tipos de sistemas operacionais.

lnstituto Asa Branca movimenta Gravatá com o Cantoria e Poesia no Sábado de Aleluia

 

Um dos maiores repentistas em atividade, Ivanildo Vila Nova irá integrar programação do projeto “Cantoria e Poesia de Viola”, a ser realizado pelo IAB - Instituto Asa Branca, dia 16, às 21h, dentro da agenda de Semana Santa da entidade. O cantor e poeta, autor da música Nordeste Independente, que ganhou notoriedade na voz de Elba Ramalho, leva sua versatilidade e poesia para a festividade com a proposta de movimentar uma noitada raiz para a região na qual já acumula 60 anos de carreira.

O artista faz parceria com o também músico e poeta Daniel Olímpio. De família versada na viola, Olímpio com mais de 37 anos de uma carreira de repentista e cantador reforça a cultura regional em meio a tantas programações do festejo de Páscoa do IAB - Instituto Asa Branca. Fundado por Chiquinha Gonzaga, irmã do nosso mestre Luiz Gonzaga, o espaço cultural irá movimentar a data com apresentação dos repentistas, promovendo a tradicional cantoria pé de parede nordestina com sextilhas, que são estrofes com rimas deslocadas (constituídas de seis linhas, seis pés ou de seis versos de sete sílabas), e pedidos do público.

Nascido em Caruaru (PE), o artista tem mais de 60 anos de carreira e é uns dos principais personagens na profissionalização do repente, tendo sido eleito pelos seus pares como o “Cantador do Século XX”. E assim como o seu pai, o saudoso poeta Zé Faustino Vila Nova, tem buscado manter viva a tração da poesia nordestina mundo afora, com projetos em parceria com alguns dos cantadores mais famosos do Brasil, entre os quais estão Geraldo Amâncio, Manoel Xudu, Louro Branco, Valdir Teles, Zé Cardoso, Moacir Laurentino, Sebastião da Silva, Diniz Vitorino e tantos outros grandes.

Já o colega e parceiro de palco Daniel Olímpio, que nasceu em Gravatá e é filho do profissional da viola Olímpio Antônio da Silva, manifestou logo cedo o desejo de ingressar na mesma atividade, mas sem muito incentivo da família. Porém, tornou-se cantador com participação em vários programas de rádios locais, como Rádio Planalto Carpina, Rádio Difusora de Limoeiro, Rádio Cultural de Vitória, Vitória FM, Gravatá FM e Rádio Vale do Ipojuca. Além de já ter participado de mais de 500 festivais e ganho cerca de 300 troféus, é também o organizador do Festival da Cidade de Gravatá há 26 anos, e ainda outros nas cidades de Chã Grande e de Passira.

O “Cantoria e Poesia de Viola” do IAB integra a 1ª Etapa do Circuito Pernambucano de Poetas e Cantadores de Viola, e acontece na sede do Instituto Asa Branca, localizado na Av. Cícero Batista de Oliveira - Via Local ao lado da Concessionária Chevrolet, em Gravatá/PE. Maiores Informações pelo telefone (81) 9.9994-7245.

Com informações da jornalista lvelise Buarque 

Instituto Hippocampus faz balanço e anuncia soltura de 34 mil cavalos-marinhos na natureza em um ano

 

O Instituto Hippocampus, entidade sem fins lucrativos que atua há mais de 25 anos na preservação do cavalo-marinho, apresentou, nesta terça-feira (12), balanço do convênio firmado no final de 2020 com o Complexo Industrial Portuário de Suape, para o monitoramento da espécie, que se encontra ameaçada de extinção. O resultado foi apresentado em uma videoconferência que contou com a presença de representantes de diversas instituições e órgãos ligados à preservação ambiental. Além do monitoramento, em 2021, pouco mais de 34 mil alevinos foram reproduzidos no laboratório do Projeto Hippocampus e liberados nos estuários dos Rios Massangana, Tatuoca e Maracaípe.

A exposição foi comandada pela bióloga Rosana Silveira, coordenadora do projeto. Na área de Suape, foram encontrados cavalos-marinhos nos estuários dos Rios Tatuoca e Massangana e na Ilha de Cocaia. Foram realizadas 48 saídas de campo e, considerando os três pontos monitorados, a especialista registrou 162 visualizações do animal durante o período de estudo (84 em Massangana, 41 em Cocaia e 37 em Tatuoca). Não foram encontrados cavalos-marinhos nos Estuários dos Rios Merepe e Ipojuca nem nos arrecifes da Praia de Muro Alto, os outros três locais de prospecção abarcados pela pesquisa.

Todos os cavalos-marinhos encontrados pertenciam a espécie Hippocampus reidi. Nesse período, foi possível estudar aspectos como a estrutura populacional, a relação peso x altura, a densidade populacional, a altura média de formação da bolsa incubadora, o período reprodutivo, a coloração e outros parâmetros. Também foram feitas análises sobre os impactos causados nos animais pela mancha de petróleo que atingiu toda a costa brasileira em agosto de 2019.

"Além de todo esse trabalho de pesquisa, nós realizamos a soltura de 3.100 cavalos-marinhos recém-nascidos no Estuário do Rio Massangana e 2.300 no Estuário do Rio Tatuoca. Acredito que o projeto está contribuindo de maneira definitiva para a preservação da espécie na área de Suape e em suas adjacências", afirmou a bióloga Rosana Silveira. O programa funciona, atualmente, no Centro de Treinamento de Suape, nas proximidades do prédio sede da estatal portuária.

Mulheres que nascem com os filhos, com as atrizes Samara Felippo e Carolinie Figueiredo.

 





















Cantora Luana Tavares faz estreia virtual do show “Boca da Mata”

 

De Goiana, Zona da Mata Norte de Pernambuco, a cantora e compositora Luana Tavares desponta para a cena de música autoral contemporânea do estado. Artista revelação da região, Luana estreia seu primeiro show, “Boca da Mata”, em formato virtual gratuito neste sábado (16/04), às 20h, no canal da artista no YouTube.

Gravado no palco do teatro do Sesc Ler Goiana, na cidade natal da artista, o show transita por um repertório de 11 músicas autorais. Em seus versos e melodias, a artista canta seu lugar de mundo e sua essência, misturando leveza e intensidade para falar sobre aceitação, pertencimento e empoderamento negro e feminino.

No repertório constam músicas como “Cheiro de Açúcar” e “Boca da Mata”, que representam verdadeiras paisagens sonoras da Zona da Mata pernambucana. Também figuram “Reconstruir” - de teor íntimo e existencialista, lançada em 2020, em formato de videoclipe - e a dançante e autoafirmativa “Minha Missão”, composição da artista com a cantora Gabi da Pele Preta.

"A sensação que o show me traz é de pertencimento genuíno: a mim, ao meu lugar, à música e a tudo que venho construindo como mulher preta goianense, pernambucana, como compositora. É estar no meu berço, cantar a minha vida e me sentir inteira”, comenta a cantora. No show virtual, ela canta acompanhada por Kássio Augusto no violão, Raoni Borges na percussão e Lêdo Ivo Jr. no contrabaixo acústico.

Luana Tavares compõe e sobe em palcos desde 2012, mas só agora desponta com um show completo e inteiramente autoral. Entre os eventos de que participou nos últimos anos estão o Festival Sesc Verão, o Festival de Férias da cidade de Goiana e a Mostra Goyanna de Artes. Mais recentemente, neste 2022, integrou a programação musical da Mostra Viva Tereza – Tereza Viva, no Museu do Estado de Pernambuco (Mepe).

O show “Luana Tavares - Boca da Mata” é uma produção da Cadabra Aceleradora Artística e da Moenda Filmes e Produções, em parceria com Alcalinas Brisadas Produção Audiovisual. O projeto tem incentivo da Lei Aldir Blanc através da Fundarpe, Secretaria Estadual de Cultura, Governo de Pernambuco, Ministério do Turismo e Governo Federal.

SERVIÇO:

Estreia virtual do show “Luana Tavares - Boca da Mata”
Sábado, 16 de abril de 2022, 20h
No canal da artista no YouTube


Gratuito
Mais informações: Instagram @luanatavaresoficial


Vídeos:

Ficha técnica:
Produção Geral: Lucas Torres
Direção Musical: Lêdo Ivo Jr.
Direção de Fotografia: Ilton Ferreira
Assistente de Fotografia: Netto Dias
Imagens e Edição: Alcalinas Brisadas Produtora Audiovisual
Técnico de Som e Sound Designer: Rodrigo Alves
Mixagem e Masterização: RA Studio
Cenografia e Figurino: Marcella Oliveira
Maquiagem: Layanne Lisboa
Iluminação: Copa Studio
Som: Copa Studio
Assessoria de Imprensa: Milton Raulino - 1000Tons Comunicação
Design Gráfico: Cadabra Aceleradora Artística
Fotografia Still: Manu Leite – Atelier Fotografia Conectiva

Caminhada Paixão pela Serra, em Bezerros

 

A Secretaria de Turismo e Cultura, em parceria com a Secretaria de Cidadania, através da Gerência de Esportes, realiza, nesta sexta-feira (15), a tradicional “Caminhada Paixão pela Serra”. A concentração será na Praça dos Tamarindos, no Centro da cidade, a partir das 04h da manhã, com saída para Serra Negra programada para às 05h.

Durante o percurso, que tem em média dez quilômetros, haverá assistência médica com ambulância e profissionais da saúde e distribuição de água. Na chegada no Polo Cultural da Serra Negra, serão disponibilizadas frutas e café da manhã para os participantes da caminhada, além de transporte para retorno à cidade, às 07h30 e 08h30.

O evento conta ainda com o suporte do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte - Debetrans, Guarda Civil Municipal - GCM e Polícia Militar, além de equipes de apoio das secretarias envolvidas. A expectativa é que a caminhada deste ano conte com aproximadamente 1.500 pessoas.

Para retirada da camisa da caminhada, os interessados podem fazer a inscrição na Secretaria de Turismo e Cultura, que fica na Rua Alcides de Andrade Lima, Nº 17-35 - Centro, nesta quinta-feira (14), das 08h às 14h30. Somente os 200 primeiros inscritos receberão a camisa. Quem desejar pode doar um quilo de alimento não perecível para o Projeto “Bezerros Solidário”.

>>PROGRAMAÇÃO “CAMINHADA PAIXÃO PELA SERRA”

04h - Concentração na Praça dos Tamarindos (Centro)
*Acolhida dos caminhantes
*Aquecimento coletivo

05h - Saída para Serra Negra
*Pontos de apoio ao longo do percurso

07h - Chegada no Pólo Cultural da Serra Negra
*Acolhida com café da manhã
*Alongamento coletivo

07h30 e 08h30 - Ônibus para retorno à cidade.

OBS: Haverá entrega de água e o suporte de profissionais de saúde ao longo do percurso.

lmprensa Bezerros

RJ: Martinho da Vila, no Qualistage, em 16 de abril

 

Aos 84 anos, a lenda do samba, enredo da Vila Isabel na Sapucaí, receberá no palco a bateria da escola. Modéstia à parte, o Martinho é da Vila! Originalmente, a lenda viva do samba se apresentaria no Qualistage, na Barra da Tijuca, no dia de seu aniversário de 84 anos, 12 de fevereiro, mas a pandemia não deixou. Não tem problema: Martinho chega ao maior palco do Brasil no dia 16 de abril, às 20h30 com o show “Unidos e misturados”, baseado no recém-lançado disco “Mistura homogênea”.

Martinho vai fazer no palco do Qualistage uma festa com grandes sucessos, acompanhado da banda batizada por ele de Família Musical: Wanderson Martins (cavaco), Ivan Machado (cavaco), Paulinho Black (bateria), Kiko Horta (teclado), Claudio Jorge (violão), Guido Ventapane (neto de Martinho, na percussão) e nos vocais as filhas Juliana, Alegria e Maíra Freitas.

Do novíssimo “Mistura homogênea”, Martinho canta a música que dá nome ao show, “Unidos e misturados” – o disco é um apelo à união e à tolerância, reunindo parceiros como Carlinhos Brown, Zeca Pagodinho, o rabino Nilton Bonder e a filha Alegria, em um emocionante dueto na música “Muadiakime/Samba dos ancestrais”. Dos mais de 50 anos de carreira de Martinho surgem sucessos aos borbotões, como “Canta, canta, minha gente”, “Disritmia”, “Casa de bamba” e “O pequeno burguês”.


Sambas-enredo como “Sonho de um sonho” e “Kizomba, a festa da raça” sempre foram parte do repertório de Martinho, até que ele se tornou tema de um, de autoria de Evandro Bocão, André Diniz, Dudu Nobre, Professor Wladimir, Marcelo Valença, Leno Dias e Mauro Speranza: “Canta, canta, minha gente! A Vila é de Martinho”, com que a azul-e-branco de Vila Isabel encerrará o desfile do Grupo Especial em 2002, já na manhã do dia 24 de abril. O samba, um dos mais badalados do ano, ganhará a companhia da bateria da Vila, comandada por mestre Macaco Branco – que além de reger a orquestra percussiva, é músico da banda de Mart’Nália, filha de Martinho.


No auge da idade, enredo de sua escola, vencedor do Grammy Latino pelo conjunto da obra em 2021 e com muito a gravar e a escrever, Martinho da Vila segue na ativa, firme e forte, e certamente vai comprovar no palco, para seu público no Qualistage.


MARTINHO DA VILA - PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DA BATERIA DA VILA ISABEL

Data: 16 (sábado) de abril de 2022
Início do show: 20h30 - A casa abre às 19h
Preços: a partir de R$ 60,00
Local: Qualistage (Av. Ayrton Senna, 3000 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ)
Classificação etária: 18 anos (Menores somente acompanhados dos pais ou responsáveis legais)
Capacidade: 9 mil pessoas em pé ou 3.500 sentadas
O espaço possui acessibilidade
A casa segue os protocolos de segurança, como disponibilizar álcool em gel. O local será periodicamente higienizado. Tudo para garantir a diversão com segurança.

Adolescentes da Funase terão cursos profissionalizantes oferecidos pelo Senai

 

Nesta terça-feira (12.04), o Serviço Nacional de Aprendizagem (Senai), assinou, na sede da Funase, o contrato de prestação de serviço para a realização de cursos de qualificação profissional, dentro do Qualifica Funase. Mais de mil socioeducandos serão atendidos. O investimento é de R$ 340.454,52, todo do Governo do Estado.

As atividades serão realizadas nos Centros de Atendimento Socioeducativo e no Parque Profissionalizante Professor Paulo Freire, da Funase, para jovens e adolescentes dos centros de internação e da semiliberdade. “Os cursos foram selecionados tomando como referência o levantamento de interesses realizado entre os socioeducandos e a trabalhabilidade da área de formação”, explica a presidente da Funase, Nadja Alencar.

Os cursos oferecidos são: Lancheteria; Fabricação de Bolos e Tortas; Panificação; Fabricação de Salgados; Aplicador de Revestimento Cerâmico; Técnico em Execução de Alvenaria e Manutenção em Edificações – Elétrica, Hidrossanitária e Alvenaria.

Para a coordenadora do núcleo pedagógico do Senai, Vanessa Pedrosa, toda a infraestrutura utilizada dentro do Senai será levada para as unidades da Funase. “Essa é uma oportunidade para os adolescentes aprenderem uma profissão, gerar renda e melhorar a qualidade de vida”.

De acordo com o coordenador do Parque Profissionalizante e do Eixo de Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer, Normando de Albuquerque, os cursos serão iniciados no final de maio, nos Centros de Atendimento do interior de Pernambuco. “No total serão 48 turmas e 1.100 vagas ofertadas. Além das vagas contratadas pela Funase, a articulação com o Senai garantiu a ampliação das vagas por meio do programa de gratuidade”.

No ato da assinatura, estavam presente, representando o Senai, o gerente escolar do Senai Santo Amaro, Jackes Martinho e o consultor comercial, Victor Antunes. Da Funase, estavam as superintendes de Política de Atendimento e de Gestão de Administração, Lygia Vasconcelos e Aurora Pontes, e a gerente jurídica, Maria Figueiredo.

lmprensa Funase PE