sexta-feira, abril 09, 2021

CTTU monta esquema especial de trânsito para obra no bairro do Pina

 

A CTTU montou um esquema especial de trânsito no bairro do Pina que vai viabilizar a realização de uma obra para implantação de sistema de drenagem do Habitacional Encanta Moça. O serviço acontecerá a partir do sábado (10), até a terça-feira (13), de acordo com a empresa executora. Para isso, será necessário o bloqueio total da Rua Tomé Gibson, na imediação da Avenida Engenheiro Domingos Ferreira. Os condutores poderão utilizar a Via Mangue como rota alternativa. Um efetivo com agentes de trânsito estará no local para orientar os condutores e pedestres que circulam pelo entorno.

lmprensa Recife

Em Pernambuco, setor industrial sente queda em sua produção

 

A produção industrial pernambucana de fevereiro caiu 1,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior. O motivo para esta queda teve a ver com a influência do setor de alimentos, considerado um dos mais importantes para o segmento, e que recuou 17,6% em razão dos estoques gerados no ano passado.

Na análise do economista da FIEPE, Cézar Andrade, o setor de alimentos conseguiu puxar para baixo o resultado final porque, em 2020, foi o que mais cresceu e, naturalmente, foi um dos mais demandados. “Eles produziram muito e estocaram também. Somado a isso, teve a fase final da safra de cana-de-açúcar, que, apesar de ter se encerrado em março, começa a influenciar na produção das empresas”, explicou. Esse resultado da comparação coloca Pernambuco na sétima posição dentre as 14 federações pesquisadas pelo IBGE.

Observando os dados de fevereiro deste ano em comparação com janeiro de 2021, Pernambuco também recuou, chegando a menos 1,1%. Com essa queda, Pernambuco fica atrás da média nacional, que foi de - 0,7% e a frente da média da região Nordeste, cuja retração foi de 2,6%. “Esse recuo pode estar relacionado a chegada da segunda onda da Covid-19, que, infelizmente, começava a se apresentar em fevereiro, e pela morosidade da campanha de vacinação para a população brasileira”, frisou Andrade.

Já o comportamento do dado no acumulado do ano foi positivo, mas ainda não indica se os próximos meses serão nesse mesmo ritmo. Segundo os dados, o Estado avançou 3,2% de janeiro a fevereiro e avançou 3% nos últimos 12 meses. Os setores de fabricação de produtos de borracha e de material plástico (11,6%), materiais de higiene (8,1%) e fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (6,4%), foram os que mais avançaram neste último ano.

lmprensa FlEPE

Versáteis, as tranças estão fazendo a cabeça dos pernambucanos

 

Um penteado universal, prático e estiloso são as conhecidíssimas tranças de cabelo. Muito utilizadas devido à sua variedade, benefícios e praticidade, elas estão presentes em diversas situações e looks. Seja no cotidiano, para marcar identidade étnica ou em alguma ocasião mais sofisticada. Feitas com cabelo natural ou extensão, há diversos modelos: traça raiz, trança embutida, rabo de cavalo com trança e outras opções, que podem ser feitas em casa ou por algum profissional.

Mas esses cabelos entrelaçados não se resumem a um tipo penteado. As tranças carregam uma herança histórica, com origem por volta de 3500 anos A.C e, hoje, fazem a cabeça de muitos pernambucanos. Seja por uma tendência, fazer circular mais o ar e amenizar aqueles dias com temperatura mais alta ou ainda deixar as madeixas menos expostas, quando se vai sair de casa, em tempos de pandemia. “Além de evitar que o cabelo quebre e auxilia no crescimento”, reforça Leila Michele Brandão, professora de Estética e Cosmética do Centro Universitário Tiradentes (Unit-PE) e especialista em cosmetologia avançada.

Período junino - A trança também é muito utilizada nas festas juninas. O penteado tornou-se um símbolo na festa de São João, sendo adotada desde a trança mais simples às mais elaboradas. Durante essa época do ano, é tradição as mulheres entrarem no clima festivo se caracterizando da famosa “caipira”, com um vestido de chita, bochechas pintadas e duas tranças.

História da trança - A origem das tranças é datada de 3.500 anos A.C e acredita-se que sua origem tenha sido na África, mais especificamente na Namíbia. Lá, era muito utilizado por mulheres africanas como uma forma de diferenciar as tribos, além de possuir outros significados sociais. No entanto, tendo em vista o tráfico negreiro e os períodos de escravidão racial no mundo, passou a ser um ato de resistência e de preservação da cultura.

Com a mistura cultural, que ocorreu nas colônias, essa tradição passou por diversas gerações e, ao longo do tempo, surgiram diversos estilos presentes nas mais diversas sociedades. Devido a isso, em cada povo que se fez presente, assumiu uma característica religiosa, status social ou de identificação de um grupo étnico. Os vikings, por exemplo, foram um povo nórdico, sendo comum tanto homens quanto mulheres traçarem os cabelos. Além disso, eles adicionavam adereços metálicos nos penteados para enfeitar e demonstrar superioridade.

Obras da Compesa em Paulista

 

O Governo do Estado, por meio da Compesa, está executando a obra de implantação da adutora que levará água do novo poço profundo que a Companhia irá perfurar em Paulista, ao reservatório de Maria Farinha, no município. A obra é dividida em duas etapas, sendo a primeira fase de assentamento de 400 metros de adutora já está concluída. A intervenção recebeu um investimento de mais de R$ 100 mil.

A segunda fase consiste na perfuração de um novo poço que está em fase de licitação e terá cerca de 360 metros de profundidade e vazão estimada em 25 litros de água por segundo. A expectativa é que esta etapa da obra inicie em julho e seja concluída em agosto. O poço será perfurado a aproximadamente 400 metros do Reservatório Elevado Maria Farinha e reforçará o abastecimento para a população, levando mais água para mais de 6 mil habitantes. O valor previsto nesta intervenção é de mais R$ 1,4 milhão.

lmprensa Compesa

TI Cabo passa a operar com integração temporal a partir de amanhã (10)

 

O sistema de integração temporal chega ao TI Cabo a partir de amanhã (10). Assim, o acesso aos coletivos será pela porta da frente do veículo, por meio do cartão VEM. Basta o passageiro registrar o cartão no validador e girar a catraca. Na prática, a integração temporal acontece entre os ônibus das linhas que alimentam o terminal. O transbordo entre essas linhas deve ocorrer em até duas horas, por sentido da viagem, sem a cobrança de uma nova tarifa para que o usuário chegue ao seu destino final.

Esse modelo de deslocamento faz parte da universalização da bilhetagem eletrônica, que permite agilidade no embarque e o mapeamento do trajeto para facilitar a programação das linhas que compõem o sistema de transporte público. Além disso, também evita a entrada irregular de passageiros no sistema.

Caso ocorram eventuais descontos de nova tarifa antes do tempo de duas horas, o usuário será ressarcido. Se isso acontecer, o passageiro deve entrar em contato com a Urbana-PE, que é o órgão responsável pelo sistema de bilhetagem eletrônica, através do telefone 3125.7858. É preciso informar o dia, horário do fato e número do cartão VEM para checagem dos dados. Confirmada a cobrança indevida, o valor do desconto será creditado no cartão VEM do usuário.

Dos 26 terminais integrados da Região Metropolitana, quinze funcionam no sistema de integração temporal: Cavaleiro, Largo da Paz, Recife, Santa Luzia, Getúlio Vargas, Cosme e Damião, Prazeres, TIP, Xambá, Afogados, Jaboatão, Cajueiro Seco, Tancredo Neves, CDU e Cabo.

DISTRIBUIÇÃO DO VEM - A integração temporal só acontece por meio do cartão VEM em todas as suas modalidades (Comum, Trabalhador e Estudante). Por isso, o VEM Comum já está sendo distribuído, gratuitamente, no TI Cabo. Se você ainda não possui um, basta procurar a equipe presente no terminal e fazer o cadastro gratuito. Apresente documento oficial com foto que comprove CPF e nome da mãe. Após o cadastro, o usuário recebe o cartão. A recarga pode ser feita a qualquer tempo, inclusive no mesmo momento do cadastro sem o pagamento de taxa, desde que o carregamento seja realizado nas máquinas de POS.

Em caso de dúvidas ou para enviar sugestões e reclamações, o usuário pode entrar em contato via Central de Atendimento ao Cliente (0800 081 0158) ou pelo WhatsApp (99488.3999), exclusivo para reclamações.

lmprensa Grande Recife

Vacinação à noite: Vila Olímpica e Patteo com horário estendido contra Covid-19, em Olinda

 

O combate ao coronavírus segue avançando na cidade e, de maneira pioneira, a Prefeitura de Olinda está estendendo, a partir desta sexta-feira (09.04), o horário de funcionamento da vacinação do ponto que fica no estacionamento do Shopping Patteo, Casa Caiada, e do espaço de imunização que funciona na Vila Olímpica, em Rio Doce. Além da abertura de dois novos pontos de imunização contra Covid-19 para os olindenses.

Com o objetivo de acelerar ainda mais a vacinação, a partir de agora os pontos no estacionamento do Shopping Patteo e na Vila Olímpica passam a funcionar das 9h às 20h, nos dias de segunda a sexta, atendendo também no período da noite.

Seguindo a mesma estratégia de otimizar e permitir que mais pessoas sejam imunizadas no menor tempo, nesta sexta-feira, começa a funcionar o ponto de vacinação na Igreja O Farol, que fica na Rua Coronel Alberto Lundgren, em Bairro Novo. Na próxima segunda (12.04) será a vez de começar o atendimento na Escola Ageu Magalhães, na Avenida Brasília, na Vila Popular. Os dois locais atenderão de segunda a sexta, das 9h às 16h.

lmprensa Olinda

Trabalhadores que perderam emprego na pandemia podem solicitar VEM Social

 

Trabalhadores que perderam emprego desde o início da pandemia do novo coronavírus e estão em busca de novas oportunidades poderão ter acesso gratuito ao transporte público a partir deste mês. A partir desta segunda-feira (12), o Governo de Pernambuco abrirá cadastramento para o benefício do VEM Social, que concederá até 20 passagens do Anel A a 20 mil usuários por mês. O projeto é de autoria do Poder Executivo e foi aprovado por unanimidade, em março, na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

Para ter direito ao benefício, o usuário deverá acessar o portal o www.vemsocial.pe.gov.br. O solicitante deverá comprovar que foi dispensado entre 20 de março de 2020 e a data de publicação da lei (22 de março de 2021), que instituiu o programa de transporte social. Também precisará ter possuído vínculo com carteira assinada por no mínimo seis meses, com remuneração de até dois salários mínimos. Para ter direito ao benefício, precisa ainda ser residente de um dos 14 municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR).

Para comprovação, o usuário deverá preencher um cadastro no site e anexar ao formulário uma cópia digital da Carteira de Trabalho ou registro no e-social, comprovante de residência, RG e CPF. Todos os documentos serão analisados pelas equipes técnicas da Secretaria de Trabalho, Emprego e Qualificação e do Grande Recife Consórcio de Transportes. Após a análise, o solicitante receberá um e-mail com a confirmação ou não do benefício. O cartão será enviado por correspondência aos usuários.

Para o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marcelo Bruto, a iniciativa será de grande valia para auxiliar as pessoas que buscam recolocação no mercado frente a todos os desafios impostos pela pandemia. “Diante de tantas dificuldades, é importante que a população possa contar com esse benefício na busca por novas oportunidades. Ao mesmo tempo, também procuramos viabilizar o programa de uma maneira que os protocolos sanitários continuassem a ser cumpridos e que ele não impactasse ainda mais o sistema nos horários de pico. Acreditamos no benefício que o programa irá gerar e esperamos que o VEM Social possa ajudar muita gente”, salientou o secretário.

Segundo o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes, as passagens devem ajudar os usuários e usuárias na busca de empregos. Ele lembrou que, em algumas Agências do Trabalho, trabalhadores relatam que chegaram à unidade a pé, por falta de condições financeiras. “O benefício favorece às pessoas mais vulneráveis e que estão fora do mercado de trabalho e sem renda neste momento difícil de pandemia”, declarou Alberes.

A candidatura ao benefício poderá ser feita a qualquer tempo, durante a vigência do programa. As inscrições recebidas até o dia 15 de cada mês serão processadas no mês subsequente, com o objetivo de conferência de prioridade. Neste mês de abril, excepcionalmente, serão processadas as inscrições recebidas até o dia 20, em virtude da data de início do cadastramento.

Os candidatos aptos a receber o benefício serão classificados segundo o tempo de afastamento do mercado de trabalho formal. A prioridade será dada àqueles que tenham sido dispensados há mais tempo. Caso o quantitativo de candidatos aptos supere o número máximo de 20 mil cartões a ser distribuído por mês, será realizado um rodízio bimestral na disponibilização de créditos, de modo a contemplar o maior número possível de beneficiários. Os beneficiários inscritos no programa deverão comprovar a cada dois meses que continuam desempregados, mediante declaração firmada em campo próprio no site do VEM Social. O programa terá prazo de vigência de um ano, prorrogável por mais um.

lmprensa SEDH

Iterpe realiza visitas técnicas as Unidades Produtivas do PNCF em Petrolina

 

Durante o mês de março, o Instituto de Terras e Reforma Agrária de Pernambuco (Iterpe) com o apoio da Unidade Regional de Petrolina, realizou visitas técnicas a dois imóveis nas Unidades Produtivas Nova Esperança e Sítio Algodão, ambas em Petrolina. As visitas, feitas pelo gerente de Ações Fundiárias do Iterpe, Ivison Silva, integram as ações do programa Propriedade Legal, do Governo de Pernambuco, que visa beneficiar 65 mil famílias com a posse definitiva da terra.

As visitas serviram para tirar dúvidas dos beneficiários a respeito da individualização dos imóveis rurais já contratados e quitados. Foram dadas orientações sobre o processo cartorial para que seja menos custoso aos trabalhadores, além de instruções técnicas sobre como deve ser o trabalho de topografia para a divisão dessas terras, mediante as exigências governamentais, que serão realizadas de forma particular ou por empresas privadas.

“Esse trabalho de individualização das terras contribuirá para que os beneficiários do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), a partir dos novos mapas atualizados, consigam conquistar suas escrituras individuais e, como isso, acessar outras políticas públicas”, reiterou o presidente do Iterpe, Henrique Queiroz, reforçando o compromisso do Instituto com os trabalhadores rurais e o processo de reforma agrária.

lmprensa lterpe

quinta-feira, abril 08, 2021

Nota de Repúdio - ABRAÇO

 


Parque Profissionalizante da Funase dá início às primeiras aulas para socioeducandos

 

O Parque Profissionalizante Professor Paulo Freire, no Recife, começou a realizar as primeiras aulas voltadas a adolescentes em reinserção social após a prática de atos infracionais. A chegada dos alunos, todos em internação em centros da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), ocorreu após um início de operação gradativo, que incluiu a instalação de equipamentos e o planejamento da grade de cursos. O espaço foi entregue em março após um convênio entre o Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), e a Procuradoria Regional do Trabalho da 6ª Região.

O equipamento tem seis laboratórios, instalações administrativas e área livre para aulas de jardinagem e paisagismo. No momento, estão ocorrendo os cursos de Introdução à Automação Eletroeletrônica, Corte de Cabelo Masculino e Introdução ao Reparo de Computadores. Os instrutores – Higino Filho, Ronny Fernando e Daniel Barreto, respectivamente – são ligados ao Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase, setor responsável pela operação do espaço. Em breve, também serão abertos os laboratórios de culinária e informática e uma sala multifuncional, voltada, por exemplo, a cursos de produção audiovisual.

“Pernambuco dá mais esse passo nas políticas para a juventude, fortalecendo a qualificação profissional do público do sistema socioeducativo em um espaço exclusivo e pensado para essa finalidade. Temos muito orgulho deste novo equipamento, entregue depois de um período de reforma graças a uma destinação de recursos do Ministério Público do Trabalho, parceiro dessa iniciativa. Foi uma articulação em que nos envolvemos ainda em 2019, no início da atual gestão, e que temos a felicidade de ver se concretizando”, afirma o secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Sileno Guedes.

O socioeducando L.A.A.S., de 16 anos, está fazendo parte do primeiro grupo de alunos a frequentar o Parque Profissionalizante juntamente com outros 11 internos do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Jaboatão dos Guararapes. Na aula de barbearia, ele exercitou a responsabilidade de manusear instrumentos de trabalho e a confiança de ter o cabelo cortado pelo instrutor e por colegas de turma. “Acho que tem a questão positiva de sair um pouco da unidade pra ter os cursos aqui e enxergar as oportunidades. A barbearia é essencial toda hora, uma profissão que pode ser seguida. É bom estar aprendendo isso aqui”, avalia.

Além dos internos do Case Jaboatão, 15 socioeducandas do Case Santa Luzia, no Recife, também compõem a lista de estudantes com participação nos primeiros cursos ministrados no novo espaço. Devido às medidas de prevenção ao coronavírus, os alunos são divididos em turnos e em turmas com até cinco pessoas por sala. A ideia é que, gradativamente, adolescentes atendidos em outras unidades socioeducativas sejam inseridos em atividades no local. Outra ação planejada é estabelecer parcerias com instituições interessadas em utilizar os laboratórios do Parque Profissionalizante para ministrar cursos, como já ocorre nos centros da Funase.

O coordenador do Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase, Normando de Albuquerque, explica que a dinâmica do equipamento trabalha a favor de uma proposta diferenciada. “Antes da pandemia, tínhamos resultados muito positivos nos cursos realizados fora da Funase, em instituições parceiras. Agora, estamos fazendo isso aqui, um espaço da Funase, mas que funciona como zona neutra, fora das unidades. Os alunos assinam um termo de convivência, passam por uma triagem, sabem que o bom comportamento os coloca e os mantém aqui. É nessa relação de confiança que estamos construindo este novo momento”, conclui.

lmprensa Funase PE