Podcast Tais Paranhos

sábado, maio 15, 2021

LGBTfobia pode levar a morte

 

Com a proximidade do Dia Internacional de Combate à LGBTfobia, 17 de maio, data em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) removeu a homossexualidade da sua lista de doenças, o Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH), programa vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), faz um alerta e chama atenção da sociedade para as consequências das violações psicológicas, morais e até físicas cometidas à população LGBTQIA+, que vão desde a ansiedade, isolamento social, depressão e a morte do LGBT, em alguns casos.

Dentre os diversos casos que chegaram ao programa, está o de Pedro Henrique, Coordenador Municipal de Políticas Públicas LGBT do município de Passira, que sentiu a dor da discriminação em sua vida desde novo. “Primeiro eu sofri na escola. Tinham uns colegas que diziam 'a bichinha inteligente', também ouvia 'a bicha gospel', 'a bicha religiosa”, e para mim tudo isso doía, mas eu não podia contar a minha mãe que aquilo acontecia e também não me abria com as professoras. Depois que eu fui entendendo que havia o empoderamento e fui colocando um basta naquilo”, relata.

Mas foi após sofrer violações por parte de agentes de segurança pública, que buscou a ajuda do CECH. Hoje, Pedro pede para pessoas que estão sofrendo com a LGBTfobia denunciem. “Eu senti e dói lembrar os episódios de LGBTfobia. Por isso, gostaria de dizer que, primeiro, você não está só, que você tem muitos por você e dizer que denuncie, eu sei que não é fácil, mas nós temos o CECH, a Polícia, nós temos o disk 100, procure algum núcleo de assistência do seu município e se não conseguir é só entrar em contato com o CECH. Não se cale, é preciso a gente notificar”, completa.

O CECH, atua no acolhimento inicial e no acompanhamento a vítimas de LGBTfobia em todo Pernambuco e recebeu de janeiro a abril deste ano o total de 19 denúncias de violação de direitos contra LGBTs. Por isso, o Secretário-executivo de Direitos Humanos, Diego Barbosa, explica como acontece o acolhimento em casos de violências contra esta comunidade. “Em primeiro plano, destacamos que a nossa equipe está preparada para atender cada pessoa, com dignidade e respeitando as particularidades de cada caso. É desenvolvida uma escuta humanizada da situação, feita uma triagem, para realização dos encaminhamentos cabíveis à nossa rede integrada”, informa.


Ele ainda complementa e afirma “que o maior objetivo do Governo do Estado, neste dia tão importante, mas também durante todo o ano, é proteger e promover os Direitos Humanos de toda a população LGBTI+, no enfrentamento a qualquer tipo de LGBTIfobia, que é crime. Por isso, ao primeiro sinal de violação, pedimos que entrem em contato com o CECH e, a depender do caso e da urgência, diretamente com a delegacia mais próxima ou pelo 190, mas não deixem de realizar a denúncia. Vidas podem ser salvas por esta atitude”.


Denúncias de violações contra a população LGBTI+ podem ser feitas ao Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH), pelo telefone (81) 3182-7665 ou pelo e-mail centrolgbtpe@gmail.com, no horário das 9h às 16h, e assim, o CECH, poderá atuar e realizar os encaminhamentos cabíveis a cada caso, inclusive, para que os responsáveis pelas violências possam ser identificados e, se for o caso, punidos criminalmente.

lmprensa SJDH PE

Chuvas aumentam níveis das barragens no Grande Recife

 

O volume de chuva registrado nas últimas 72 horas na Região Metropolitana do Recife, acima da média esperada para o mês de maio, aumentou os níveis de todos os reservatórios da RMR, que enfrentava um cenário adverso, no fim de 2020, consequência de um inverno com poucas precipitações no ano passado. A chuva acumulada nos últimos dias é bem representativa, com destaque para recuperação do nível da Barragem de Botafogo, situada em Igarassu, e que atende os municípios de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima, que atingiu 25,05 % (no último dia 12, o manancial estava com 16,89%).“Em termos percentuais, o volume de Botafogo é bem inferior a outros reservatórios, mas muito significativo em comparação a situação verificada há alguns meses, quando a barragem estava praticamente em colapso”, destaca o diretor Técnico e de Engenharia da Compesa, Flávio Figueiredo.

Segundo o diretor, as cidades da Zona Norte da RMR ainda não tiveram redução de rodizio, mas a Companhia continua monitorando sistematicamente o nível deste reservatório, em parceria com a APAC. “Estamos avaliando os cenários e a perspectivas de mais chuvas para a bacia hidrográfica da barragem de Botafogo para promover, com segurança, qualquer redução de rodizio”, explica Flávio.

A barragem de Várzea do Una, situada em São Lourenço da Mata, teve um resultado bastante positivo com o volume de 185 mm de chuva, índice de 75.8% do esperado para maio. Esse manancial, responsável pelo abastecimento de São Lourenço, estava também em situação crítica. Em 12 de maio, a barragem estava com 17,42 % e hoje registra 33.49% do seu volume total. “No final de abril anunciamos redução do rodízio para a cidade que agora é abastecida em um esquema de 1 dia com X 8 dias sem, e à medida que o volume for aumentando poderemos estudar novas alterações”, destaca.

A Barragem de Duas Unas, em Jaboatão dos Guararapes, que opera de forma integrada ao Sistema Tapacurá, também obteve uma boa recuperação. Choveu 265 mm no município, o que permitiu um incremento de 36,21% no volume de água da barragem, que passou de 17,42% em 12 de maio para 33,49%. “A nossa expectativa é que Duas Unas verta a qualquer momento, ou seja, atinja o seu volume máximo de armazenamento”, destaca Flávio Figueiredo. Junto com a barragem de Tapacurá, localizada em São Lourenço da Mata, Duas Unas contribui para o abastecimento das cidades de Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe.

O reservatório de Tapacurá foi o que apresentou menor sinal de recuperação. Apesar de ter chovido 185 mm nas últimas 72 horas, um aumento de 75,8% do esperado para o período, ainda não foi suficiente para aumentar, de forma significativa, o volume do reservatório. Em 12 de maio, a barragem estava com 30.32% e hoje se encontra com 33.42%. No Cabo de Santo Agostinho, onde está localizada a barragem de Pirapama, o segundo maior reservatório em acumulação, foi registrado o volume de 194 mm de chuva, um aumento de 67.2% do previsto para maio. 

Esse manancial conseguiu armazenar 17,25% de água, passando para 85.76% hoje, quando no dia 12 de maio estava com 68.51%. “A barragem de Pirapama, que contribui com 5 mil litros de água por segundo para as cidades do Cabo de Santo Agostinho, Recife e Jaboatão dos Guararapes, deve acumular mais água até o fim do inverno. Aumentamos a sua produção em abril, o que refletiu na redução do rodízio para cerca de 500 mil pessoas”, pontua Flávio.

Barragens de menor porte, mas igualmente importantes para o abastecimento da RMR, também tiveram boa recuperação. A barragem de Bita está vertendo (100% da sua capacidade); Sicupema registra 74.98% e Utinga com 61.27%, todas localizadas no Cabo de Santo Agostinho.

lmprensa Compesa

Paulista emite cartão que garante gratuidade na Zona Azul aos idosos, deficientes e autistas

 

Os idosos, deficientes e pessoas com Autismo têm vagas gratuitas na Zona Azul de Paulista. Para conseguir este direito, é preciso solicitar um cartão de gratuidade, que dá acesso por duas horas, após a identificação do veículo. De acordo com o Decreto Municipal 049/2017, os idosos e deficientes são beneficiados. Recentemente, o prefeito Yves Ribeiro de Albuquerque sancionou o Projeto de Lei 016/2021, de autoria do vereador Israel José Silva (Raul Silva), que autoriza o estacionamento gratuito para pessoas autistas, na Zona Azul.

Ao todo, desde o Decreto de 2017, Paulista já emitiu 6.209 carteiras destinadas aos idosos e 850 para crianças especiais. A solicitação acontece presencialmente, no prédio do Centro Administrativo da Prefeitura de Paulista, em Maranguape I, na Avenida Brasil, nº 222, na Sala anexo da Secretaria de Segurança Cidadã, Mobilidade e Defesa Civil.

Essa autorização também permite o uso de vagas de estacionamento rotativo regulamentado (Zona Azul), gratuito ou pago, sendo obrigatória a utilização conjunta do Cartão de Estacionamento, bem como a obediência às suas normas de utilização.

AUTISTA - Recentemente, a Câmara de Vereadores da Cidade do Paulista aprovou Projeto de Lei 016/2021, de autoria do vereador Raul Silva, que amplia a gratuidade de estacionamento, por duas horas, e Zona Azul para Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, no âmbito do município, nos termos da Lei Federal nº. 13.977, de 8 de janeiro de 2020.

O Projeto de Lei 016/2021 cria a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (CIPTEA), com vistas a garantir atenção integral, pronto atendimento e prioridade no atendimento e ao acesso aos serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.

Por conta da pandemia, o uso de máscara é obrigatório.


Documentação para emissão do cartão

Idoso
- Comprovante de residência;
- RG;
- Procuração do responsável.

Deficientes
- Laudo médico com CID atualizado - Classificação Internacional de Doenças;
- Documento com foto do responsável;
- Comprovante de residência;
- Procuração de algum responsável

Pessoa Autista
- Laudo médico;
- Documento com foto do responsável;
- Comprovante de residência;
- Procuração de algum responsável.


lmprensa Paulista PE

Pernambuco determina novas medidas restritivas para o Agreste do Estado

 

Após reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, neste sábado (15.05), o Governo de Pernambuco anunciou novas medidas restritivas para a 2ª Macrorregião de Saúde, que engloba a IV e V Geres, com sedes em Caruaru e Garanhuns, respectivamente. O novo decreto voltado para a região do Agreste, que será publicado na próxima segunda-feira (17.05), começa a valer a partir da próxima terça (18.05) e segue até o dia 31 de maio.

Durante a semana, as atividades econômicas deverão ser encerradas às 18h. Nos finais de semana, apenas supermercados, feiras livres de produtos alimentícios, farmácias, padarias e postos de gasolina poderão abrir as portas. O Polo de Confecções deverá ficar fechado aos sábados, domingos e segundas.

“Nos reunimos hoje com os secretários estaduais, após o encontro que tivemos com todos os prefeitos e prefeitas do Agreste, na tarde da última sexta-feira, e verificamos um aumento na velocidade do número de internações e de procura pelas instituições de saúde naquela região. Isso tem nos preocupado, pois todos nós sabemos que enquanto a vacinação não chegar a todos os pernambucanos, é necessário tomar medidas restritivas para diminuir a circulação do vírus. Precisamos cada vez mais trabalhar para salvar a vida dos pernambucanos”, afirmou Paulo Câmara. “Serão 14 dias com essas novas medidas e vamos observar, ao longo desse período, as próximas etapas necessárias”, acrescentou.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, André Longo, foi observado um comportamento da pandemia, no Agreste, diferente de outras partes do Estado. “O que nós detectamos, nessas últimas duas semanas, foi uma aceleração maior naquela região, destoando do restante do Estado, onde temos um platô ainda em níveis elevados. Os patamares de crescimento de demandas lá superaram os 44%, enquanto no resto do Estado ficou na casa dos 9%”, comparou. 

“É muito importante que seja feito um esforço por todos esses 53 municípios, reforçando o cuidado, com o uso correto da máscara, cobrindo a boca e o nariz, sempre que precisar sair de casa. O ideal é que as pessoas possam ficar em casa, além de manter o distanciamento social possível e sempre higienizar as mãos com água e sabão, ou utilizando o álcool em gel”, reforçou Longo.

Secretaria de lmprensa de Pernambuco

sexta-feira, maio 14, 2021

Covid e Cognição

 

A Covid-19 é, sem sombra de dúvidas, a doença mais preocupante do século, no impacto e prejuízo das funções neuropsicológicas. Estudo realizado no Instituto do Coração (Incor) identificou problemas de memória de curto prazo em 63% dos pacientes com Covid-19 e dificuldades de atenção em 72% deles. "Vale destacar a importância do cérebro estar preparado para uma agressão que pode vir a acontecer. A reserva cognitiva é criada através de estímulos cerebrais ao longo da vida", destaca Andrea Negreiros (foto), neuropsicopedagoga do Supera Ginástica para o Cérebro. "Essa reserva pode ser adquirida com o engajamento em atividades cognitivas ou ginástica para o cérebro, ocupação profissional mais intelectualizada, vida social ativa, atividades de lazer de cunho intelectual, entre outros", reforça.

domingo, maio 09, 2021

Podcast Nossa História, Nossa Memória encerra primeira temporada

 

O Podcast Nossa História, Nossa Memória, projeto de documentação oral, realizado com o incentivo do Edital de Criação, Fruição e Difusão (LAB PE) conclui, sua primeira temporada de exibições. Na ocasião, o público confere uma entrevista especial com o cantor e compositor, Paulo Neto, da cidade de Condado, região da Mata Norte de Pernambuco. No bate-papo cultural ele faz relato especial de sua autobiografia oral, no qual destaca a sua experiência e história pessoal sobre as influências da musicalidade nordestina na sua trajetória artística, da infância à vida adulta. O conteúdo está disponível nas redes sociais do projeto: Instagram e Facebook, e no blog.

De janeiro a maio deste ano, o projeto mapeou, registrou e divulgou dezenas de grupos, artistas e manifestações culturais pernambucanas. Um trabalho biográfico oral, inédito, coordenado e produzido pela jornalista, escritora e produtora cultural, Josi Marinho, 33, da cidade de Carpina, juntamente com a parceria do jornalista, radialista e produtor cultural Salatiel Silva, 30, de Nazaré da Mata. Juntos, eles ajudaram a contar a história de pessoas, artistas e instituições com pouca ou nenhuma visibilidade midiática.

Em um período de quatro meses, foram publicados, por meio das plataformas de podcasts e dos canais oficiais do projeto, disponíveis na internet, cerca de 28 episódios, o que resultou em mais de 1.400 minutos de conteúdos gratuitos e exclusivos, sobre Patrimônios Vivos, Museus, Pontos de Cultura, além de outras linguagens e gêneros da cultura de Pernambuco, como artesanato, maracatu, teatro, cinema, gastronomia, música, artesanato e literatura.

Ao todo, o projeto entrevistou cerca de 35 personalidades. O conteúdo era publicado semanalmente, às quartas-feiras e sábados, logo depois das 14h, simultaneamente, em nove plataformas de podcast: Anchor, Apple Podcast, Pocketcast, Deezer, Rádio Public, Castbox, Breeaker, Google Podcast, Spotify. Canais que ajudaram os episódios irem além do Brasil, mas a outros países, como Estados Unidos, Japão, Chile, Argentina, Filipinas, Portugal, Alemanha, França e Peru, como mostra o relatório de monitoramento de audiência diário.

A proposta para a elaboração do projeto surgiu a partir das vivências e do contexto social de Josi Marinho e Salatiel Silva. Jovens, negros e moradores da Mata Norte, uma das regiões mais pobres do interior de Pernambuco. “Cresci e vivi dentro da escola na busca por compreender a minha própria história e cultura em que estamos inserido, mas isso nunca foi pautado na sala de aula. E a realização desse projeto preencheu essa lacuna, que estava em aberto em mim”, diz Josi.

“Além disso, diante da triste consequência da pandemia de covid-19, que estamos vivenciando, é muito angustiante. Afinal, a cada pessoa próxima a nós que se vai com esse vírus, é como uma biblioteca incendiada. E em meio a esse processo doloroso, o Podcast Nossa História, Nossa Memória, nos inspirou para que, de alguma forma, pudéssemos documentar a história de vidas dos diversos artistas, que, diariamente, contribuem para a formação e tradição da nossa identidade”, acrescenta.

O projeto, de caráter documental, usa técnicas de linguagem radiofônica, internet e de jornalismo cultural, biográfico e literário. O formato atende a todas as idades O roteiro e todo o processo de construção dos episódios, busca conectar entrevistado aos ouvintes, por meio de uma conversa linear, recheada de efeitos, sons e musicalidade. É uma verdadeira viagem no tempo e nas raízes da formação do povo pernambucano.

“Estamos orgulhosos em poder contribuir com a nossa própria história e memória social. A partir de agora, professores, alunos, universidades e pesquisadores, contam com um rico acervo público sonoro, de acesso livre e gratuito, que vai ser muito importante para educação e a vida de tanta gente”, conta, emocionado, Salatiel Silva, apresentador do podcast.

Entre os convidados desta primeira temporada estão o produtor cultural Afonso Oliveira, idealizador do Método Canavial e do Movimento Canavial, uma iniciativa que valoriza a arte e a cultura produzida na Zona da Mata de Pernambuco; a mestra Cristiane Mota, única mulher no Estado mestrando um maracatu, além do rabequeiro Luiz Paixão, com mais de seis décadas dedicadas à cultura popular, com participações também no Coco e Forró. São inúmeros personagens que ganharam visibilidade e a oportunidade de ter suas biografias documentadas.

Diante do processo de pesquisa, mapeamento, registro e divulgação, o Podcast Nossa História, Nossa Memória desenvolveu, também, um blog especial. A plataforma, considerada um ambiente Fonográfico, traz, além de toda documentação sonora, fotografias, textos, entre outras informações complementares aos temas e entrevistas, de cada episódio. Um acervo que despertará ainda mais curiosidade e o desejo de enriquecimento cultural no público. É uma verdadeira enciclopédia sonora que vai ficar para gerações.

Serviço

Redes Sociais do Podcast Nossa História, Nossa Memória

Com lnformações do Jornalista Salatiel Cícero 

Agronegócio: um dos pilares da economia em Pernambuco

 

Fruticultura, cana-de-açúcar, bovinocultura de leite e avicultura estão dentre os setores envolvidos na cadeia produtiva do agronegócio que geram novas oportunidades de emprego e renda para as famílias, além de garantir alimento na mesa da população pernambucana. Atividades com números expressivos, que mostram a força do agronegócio no Estado.

Um dos pilares da economia em Pernambuco, o agronegócio é responsável também por alavancar outros setores comerciais e movimentar as exportações “São atividades que agregam tanto os grandes quanto os pequenos produtores, contribuindo para o desenvolvimento não apenas do Estado, como também de toda a região Nordeste”, pontuou o secretário de Desenvolvimento Agrário, Claudiano Martins.

Neste contexto, Pernambuco é destaque em setores como a avicultura: Pernambuco ocupa atualmente o primeiro lugar na produção de ovos e frangos no Nordeste. Em relação ao País, somos o quarto maior produtor de ovos e o oitavo maior produtor de frangos. São 12 milhões de ovos por dia e 14 milhões de frangos por mês. A produção acontece em mais de 60 municípios do Estado, gerando 160 mil empregos. Apenas o PIB da avicultura pernambucana gera, atualmente, R$ 3,5 bilhões.

Possuímos aproximadamente 25% do rebanho de caprinos do País (3.189.640 animais), enquanto os ovinos somam 3.369.234, além de significativa bacia leiteira. Pernambuco ocupa o segundo lugar no ranking de maior produtor de leite da Região Nordeste, com números expressivos que mostram a força dessa cadeia produtiva: atualmente são 60 mil produtores, dos quais 57 mil são pequenos produtores, responsáveis pela produção de aproximadamente 2.3 milhões de litros de leite por dia.

Hoje, o rebanho bovino é de 2,1 milhões, com 67 estabelecimentos lácteos registrados, sendo uma granja leiteira, nove usinas de beneficiamento de leite, 15 fábricas de laticínios e 42 queijarias artesanais, além de outras 74 queijarias artesanais em processo de formalização.

Na região Agreste, onde a produção da bacia leiteira está concentrada, inclusive, está em construção uma unidade industrial da Masterboi, com investimentos da ordem de R$ 120 milhões, que vai gerar 800 empregos diretos e outros 3 mil indiretos e terá capacidade de abater 500 bois e processar 250 toneladas de carne/dia, incluindo suínos, caprinos e ovinos.

“Deixamos claro que o produtor rural é o grande responsável pelo abastecimento da mesa do brasileiro. A Sociedade Nordestina dos Criadores (SNC) é uma entidade representativa do Agronegócio Nordestino, com atuação há mais de 75 anos, promovendo e fomentando o desenvolvimento da pecuária e agricultura”, pontuou o presidente da SNC, Delmiro Gouveia.

Na fruticultura irrigada do Sertão do São Francisco, o cultivo de frutas como uvas e mangas são responsáveis por alavancar os números do agronegócio no Estado, sobretudo com as exportações. No setor sucroalcooleiro, Pernambuco é o quinto maior produtor de cana-de-açúcar do Nordeste, com uma produção média estimada em 12 milhões de toneladas por ano, gerando cerca de 200 mil empregos diretos e indiretos. O setor sucroalcooleiro é o que mais emprega no Brasil, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Despregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

No âmbito da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), foi publicada uma portaria que cria a Comissão Estadual de Inovações de Produtos Artesanais, formada por representantes da SDA, Adagro, Associação de Certificação Queijo Coalho do Agreste PE- Controle de Qualidade de Processos- CQP, ITEP, AD-DIPER e UFRPE.

PIB - A agropecuária foi o único dos três grandes setores da economia que cresceu em 2020, segundo análise do Sistema Faepe/Senar sobre o resultado do PIB nacional. De acordo com o levantamento, a atividade teve expansão de 2% no ano passado na comparação com 2019, sendo o único setor “no azul”, enquanto o PIB geral do país teve queda de 4,1%. O Sistema Faepe/Senar exalta o desempenho positivo em 2020, com destaque para a alta nas exportações. O setor gerou US$416,4 milhões em produtos enviados ao exterior, o que representa 40% de crescimento ante 2019, e 22% do valor total exportado por Pernambuco.

lmprensa SDA PE

Sequelas de vítimas do trânsito preocupam especialistas do HMA

 

O Brasil ocupa a quarta posição no ranking mundial de mortes por acidentes no trânsito, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Somente no ano passado, o seguro DPVAT, que beneficia vítimas de acidente de trânsito, foi pago a 310.710 pessoas por sinistros ocorridos no trânsito brasileiro. A região Nordeste foi responsável pelo maior volume de indenizações (30%), embora sua frota seja a segunda maior do país (corresponde a 18,6%), segundo dados do Relatório Anual da Seguradora Líder, responsável pela operação do DPVAT até o ano passado. Os casos de invalidez representaram a maioria dos benefícios pagos (mais de 210 mil indenizações).

No Hospital Miguel Arraes (HMA/FPMF), em Paulista, referência no atendimento a casos de Clínica Médica, Cirurgia Geral e Traumato-ortopedia na Região Metropolitana Norte do Recife, o dia a dia revela o perfil da vítima do trânsito. Houve 1.415 notificações no ano de 2020, sendo 84,5% do sexo masculino e 55,4% com idades entre 20 e 39 anos. A motocicleta continua sendo o meio de locomoção mais arriscado, com 70,8% das vítimas que dão entrada na unidade.

Do total de registros, 56,3% tiveram os membros inferiores atingidos e 52,7% precisaram de internação hospitalar. De acordo com Francisco Couto, coordenador de Traumatologia e Ortopedia do HMA, mais de 80% dos casos de acidentes de trânsito atendidos na unidade representaram fraturas, podendo deixar sequelas permanentes: “na maioria das vezes são infecções nos ossos provocadas por bactérias ou fungos e lesões que alteram o comprimento dos membros inferiores. São casos que demandam cirurgias e longos períodos de internação hospitalar, resultando quase sempre em sequelas pra vida toda”. O especialista alerta, ainda, para a obediência às regras do trânsito, que evitam acidentes e reduzem o número de pessoas mutiladas e mortas, além de diminuírem também a superlotação dos hospitais, principalmente nestes tempos de pandemia.

Para conscientizar sobre essa triste realidade, a Campanha Maio Amarelo volta a mobilizar a população. Este ano, a campanha traz como tema “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas”. A ação chama atenção para atitudes que podem evitar acidentes, como o uso de passarelas, das faixas de pedestres e do cinto de segurança, e riscos que contribuem para tornar o trânsito mais perigoso, violento e letal, como o uso de celular ao volante, de bebida alcoólica e o excesso de velocidade. Palestras envolvendo o Serviço Social e a Vigilância Epidemiológica do HMA acontecem nos dias 18 e 28 deste mês, com o tema “Segurança no Trânsito”, quando serão apresentados dados estatísticos de vítimas de acidentes que dão entrada na Emergência do hospital e a utilização do DPVAT. Somente nos quatro primeiros meses deste ano, 454 vítimas de acidentes de trânsito deram entrada no Miguel Arraes.


Com lnformações da jornalsta lana Gouveia

COVID-19: doença trouxe onda de problemas mentais para população mundial

 

Os dias atuais têm sido bastante propícios para o desencadeamento de transtornos mentais. Com o avanço da pandemia, as pessoas continuam tendo que passar mais tempo em casa, sendo privadas de suas atividades sociais, para garantir proteção contra o vírus que não escolhe pessoa quando quer atingir.

O estresse gerado pelo trabalho, que na maioria dos casos, está presente com maior intensidade dentro do próprio lar, com a modalidade “home Office”. Tudo isso, junto com os afazeres domésticos diários, as crianças que também estão em casa na modalidade de estudo online, têm gerado uma crescente série de problemas de saúde mental, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Diante disso, priorizar a saúde mental é essencial para a promoção de uma boa qualidade de vida, por conta disso, se faz preciso estar atento aos sinais que indicam a real necessidade de realizar uma consulta com o psicólogo, psiquiatra ou psicanalista”, enfatiza o psicanalista, palestrante sobre dependência química e diretor do Grupo Recanto, Fabrício Selbaman.

Apesar de todo esse cenário atual, boa parte da população ainda vê os profissionais de saúde mental com preconceito, pois, as pessoas mantêm uma falsa crença sobre esse tema, como por exemplo: “psiquiatra é coisa de gente doida”.

Outra questão que por muitas vezes não está clara para a população, é a finalidade de cada profissional. Perguntas como: quando procurar um psicólogo ou quando procurar um psiquiatra são mais frequentes do que parecem. E por muitas vezes a própria família do paciente que está em questão, ainda não sabe diferenciar a função de cada um na melhora da qualidade de vida do familiar.

Segundo o especialista Fabrício Selbaman, “uma das principais diferenças se encontra na formação de ambos, afinal o psiquiatra é um profissional que precisa fazer graduação em medicina e logo após isso, se especializar em psiquiatria. Diante disso, ele trata das questões relacionadas a condições mentais patológicas, que podem ser tanto genéticas quanto adquiridas”, explica Fabrício.

Por conta de sua formação em medicina, ele pode fazer a prescrição de tratamentos com medicamentos específicos de acordo com a demanda do paciente. A prescrição de medicações pode ocorrer como uma forma de intervenção psiquiátrica para o manejo de sintomas que impeçam o paciente de ter uma boa qualidade de vida.

Já os psicólogos são graduados em psicologia e trabalham em questões relacionadas a problemas de ordem psicológica e comportamental. Sua intervenção se encontra voltada ao controle de desordens mentais, auxiliando o paciente na identificação de atitudes, pensamentos, sentimentos e emoções que podem prejudicar a sua saúde mental.

Quando procurar um especialista?

Qualquer pessoa pode se consultar, por exemplo, com um psiquiatra, pois esse é um profissional que atua na manutenção da saúde mental de maneira geral.

Desta forma, se qualquer pessoa se encontra com problema de ordem mental, seja devido a um estresse gerado pelo excesso de trabalho, situações familiares, ou quaisquer outras questões pessoais e sociais que esteja afetando a dinâmica da sua vida, ele é o mais indicado para o diagnóstico e prevenção.

O psiquiatra poderá auxiliar no enfrentamento de dificuldades relacionadas a alterações no sono ou apetite, mudança de humor e hábitos prejudiciais da qual a pessoa não consiga parar, como consumo de álcool e outras drogas. Além dos tratamentos relacionados a diversos transtornos mentais como depressão, ansiedade, esquizofrenia, síndrome do pânico e dependência química, entre outros.

Em caso de maiores dúvidas sobre saúde mental, não perca tempo, entre em contato com o Grupo Recanto. Capitais e regiões metropolitanas, telefone de contato 4007-2316. Demais regiões 81 3543-0300