Sabores da Tia Val

Sabores da Tia Val
Encomendas pelo Direct do lnstagram

quarta-feira, junho 30, 2021

Laura Tamiana lança disco Lunar

 

Uma reconexão através da sabedoria cíclica da vida. Essa é a proposta de Lunar, primeiro álbum musical da artista Laura Tamiana, que foi lançado dia 30 de junho, no youtube, e em julho nas principais plataformas musicais. Composto de 13 faixas, Lunar traz composições próprias, além de parcerias e cantigas tradicionais do Brasil e da África do Oeste, onde Laura tem trabalhado nos últimos anos.

A obra se constitui no desenho de um padrão do movimento cíclico da vida, começando pela coragem de nascer, com a faixa Iniciação, percorrendo diversas nuances, até findar com a morte necessária para renascer, com a faixa Despedida. “Lunar é um convite a recordar a inteligência cíclica da vida. As canções estão diretamente ligadas a uma investigação pessoal e artística em torno dessa energia cíclica que move tudo o que é vivo, do vazio criativo ao brotar, crescer, dar e colher frutos, processar e morrer para renascer”, explica Laura. Também fazem parte do repertório as canções Lunar, Depois do Horizonte, Flecha – composição da artista com sua mãe Conceição Tavares –, Chão Novo, entre outras.

O disco vem marcar a estreia da paulistana radicada em Recife Laura Tamiana como compositora e cantora-intérprete solo. Multiartista, com uma carreira que propõe diálogos entre as artes visuais, as artes da cena, a cultura popular, a música e a palavra, Laura vem compondo canções desde 2014. “Vinha há alguns anos acalentando esse desejo do disco, e com as interrupções das viagens, que normalmente ocupam bastante minha agenda, devido à pandemia, pensei: "é agora". Com os recursos da Lei Aldir Blanc, junto com um chapéu de contribuições, conseguimos viabilizar. Penso que não por acaso ele nasce nesse momento, que nos demanda reflexões tão profundas. Sinto que esse exercício de recordar nossa natureza cíclica é essencial aos nossos processos e às transformações pessoais e coletivas que se mostram urgentes em nosso tempo. É nesse aprendizado que tenho buscado minhas forças”.

Laura conta que criar e lançar um álbum no meio de uma pandemia mundial foi fortalecedor e ao mesmo tempo desafiador. “Sinto que é uma dádiva poder criar e produzir num momento tão duro e de tantas incertezas como este que estamos vivendo. Agradeço profunda e cotidianamente por essa possibilidade. Criar dá sentido ao meu viver. E poder nesse momento mergulhar nessas composições, dar corpo a essas músicas junto a músicos e parceiros incríveis, dar espaço à minha voz, ao que sou e ao que posso dizer agora é muito fortalecedor. Desejo muito que assim seja também quando as músicas chegarem aos ouvidos de quem ouvir”, projeta. Durante a pandemia, nasceu a música ‘Dilema da Flor’, com letra de Claudia Pucci Abrahão e música de Laura. É um retrato do momento inicial da pandemia, o confinamento, a suspensão, a resiliência, o medo, as dúvidas, a confiança em algo maior. Também durante a pandemia, a canção ‘De canto a canto’, que já existia, ganhou uma nova parte, em texto falado. A música trata do que é o canto para Laura, um viés do encontro, uma potência expressiva e ancestral. “Essa música é dedicada a Guitinho da Xambá, amigo muito querido, artista e articulador extraordinário que nos deixou nesse período. Ele, que soube tão bem através do seu canto – e não só – expressar, representar e divulgar a cultura da sua comunidade, deixando um legado fortíssimo”, afirma Laura.

Além das composições e parcerias, Lunar traz 4 faixas com cantigas tradicionais. Uma delas, “Ajuda Eu, Tambor”, traz um arranjo que entrelaça 3 cantigas: uma brasileira, uma do Togo e uma da Costa do Marfim; cantadas por Laura junto a artistas convidados desses três países e também do Burkina Faso. “É uma faixa dedicada ao encontro, à diversidade que encontramos quando vamos abertos para o mundo”. Laura tem viajado regularmente ao Burkina Faso desde 2018, trabalhando em parceria com o contador de histórias François Moïse Bamba – que também canta no álbum – e participando do seu Festival Internacional dos Patrimônios Imateriais-FIPI. Nessas viagens, a música é sempre viés de encontro. O diálogo com a musicalidade da África do Oeste aparece em outras faixas, com participações também de instrumentistas locais.

Com instrumentação base de vozes, cordas e percussões, Lunar tem no time principal ao lado de Laura, que assina as vozes e algumas percussões, Rodrigo Samico – cordas –, Helder Vasconcelos – percussões e fole de oito baixos –, Johann Brehmer – percussões e concertina – e Rodrigo Félix – percussões. Nas participações especiais, além dos artistas africanos, estão também artistas brasileiros como Alessandra Leão e André Hosoi, do grupo Barbatuques. A produção musical é de Laura Tamiana e Helder Vasconcelos, com a coprodução de Rodrigo Samico e Johann Brehmer. Os arranjos do álbum foram feitos coletivamente por Laura, Helder, Johhan, Félix e Samico, que assina os arranjos das cordas, com a participação também dos convidados.

Sobre as dificuldades de produzir um álbum nesse momento tão conturbado, Laura conta sobre os desafios encontrados. “Os prazos do projeto eram inicialmente bem apertados e rapidamente deu para perceber que os planejamentos não saiam como antes, que os tempos escapavam pelos dedos, que a situação de crise afeta a todos de diversas formas, desde adoecimentos nas famílias e na equipe, até processos mais subjetivos. Foi necessária uma resiliência e adaptação, para encontrar um fluxo de produção”. Uma característica interessante é que a equipe teve que fazer muita coisa à distância, pelas restrições, mas a adaptação deu certo. Primeiro porque todos os principais envolvidos na gravação têm estúdio em casa. As gravações foram feitas em três estúdios: as vozes na Terreiro, que é na casa de Laura Tamiana e Helder Vasconcelos; as percussões no Palhoça, de Johann Brehmer; e as cordas no Solto no Tempo Studios, de Rodrigo Samico. E segundo porque o disco conta com essas muitas participações escolhidas por relações artísticas e afetivas, espalhadas em outras cidades do Brasil e nos três países da África; participações essas que foram sendo gravadas em seus diferentes locais.

O álbum completo estará disponível dia 30 junho, no canal de youtube de Laura Tamiana, que já conta com os singles das músicas ‘Flecha’ (https://www.youtube.com/watch?v=rMzVdqwYf9E) e ‘Temperança’ (https://www.youtube.com/watch?v=Q0H4gNEx5LA&t=43s). O disco também estará disponível, na mesma data, no blog (Http://lauratamiana.tk), junto a encarte digital com concepção e obras de Laís Domingues, trazendo fotografias em revelação artesanal, com intervenções bordadas, e o design gráfico de Flávia Tavares. As atividades de lançamento se prolongam pelo mês de julho, com a chegada de Lunar nas principais plataformas de música e diferentes atividades como audições comentadas pela artista e convidados.

Laura Tamiana - Laura Tamiana (Recife/Brasil) é artista, além de produtora e facilitadora de processos terapêuticos. Cria e desenvolve projetos que envolvem a música, as artes visuais, a palavra, as artes do corpo e as culturas tradicionais, sempre com o propósito de promover o encontro entre pessoas e contextos, a partir de um viés afetivo e de questões em torno de identidade, pertencimento e memória. Tem especialização em Cooperação Artística Internacional pela Universidade Paris VIII, França.

Desde 2007 integra os grupos do Carnaval pernambucano Maracatu de Baque Solto Piaba de Ouro, como baiana puxadora de cordão, e Boi Marinho, compondo o núcleo principal do grupo, como puxadora de cordão, cantora e percussionista. Com o Boi Marinho, realizou diversas apresentações também em centro culturais, festivais e eventos, como o Circuito Sesc de Artes, do SESC SP, e o festival Europalia, na Bélgica.

Unindo pesquisa e criação, audiovisual e cultura popular, realiza desde 2009 o projeto Retrato: substantivo feminino, uma criação coletiva em foto e vídeo envolvendo mulheres ligadas a diferentes manifestações culturais tradicionais no Brasil e também na África, realizado em parceria com Tatiana Devos Gentile. Através de residências artísticas, as mulheres são convidadas a utilizarem as ferramentas audiovisuais para contarem suas histórias e de suas comunidades. O projeto tem um vasto percurso de exposições e intervenções; além da publicação de um livro. Laura Tamiana também é responsável pelos projetos audiovisuais Céu e Terra e História: conta.

Trabalha desde 2017 em parceria com o contador de histórias François Moïse Bamba, uma das maiores referências entre os contadores de histórias da África do Oeste, dividindo a cena com o artista em suas apresentações no Brasil, com uma tradução em forma artística e participações nos cantos. Juntos, criaram Ba-kô Burkina Brasil, uma ponte cultural e artística entre o Brasil e a África do Oeste, pela porta do Burkina Faso, com ações culturais e artísticas nos dois países. Em 2020, Laura juntamente ao artista pernambucano Helder Vasconcelos, representou o Brasil no Festival Internacional dos Patrimônios Imateriais, realizado por Bamba no Burkina Faso. E está selecionada para participar do evento RIAO – encontros da oralidade, no Benin, em novembro de 2021, com intervenções musicais e uma oficina em torno dos processos criativos.

Em parceria com Alba Cabral, cantora e multi-instrumentista residente em Londres, criou As Pareias, um duo de intervenções musicais que se apresentou no festival francês Fidé – Festival Internacional do Cinema Emergente; e participou do show de sua banda Pé de Jurema, em Londres. Participou do CD Sambador de Helder Vasconcelos, gravando vocais. Também junto a Helder Vasconcelos, participa com vozes e percussões de apresentações e bailes de forró em diversos locais desde 2007.

Em dezembro de 2020 iniciou a série audiovisual De canto a canto, com o vídeo “Na voz das Yabás”, em torno dos cantos das mulheres da Nação Xambá, contemplado no edital de emergência do SESC PE.

Serviço
Álbum Lunar, de Laura Tamiana
Inventivo: Lei Aldir Blanc, Pernambuco

Porto do Recife inicia processo de dragagem

 

Foi publicado hoje (30.06), no Diário Oficial do Estado, o aviso de licitação para contratação de empresa que irá executar a obra de dragagem do ancoradouro recifense. O certame será realizado dentro do que preconiza a Lei nº 13.303 (Lei das estatais) e tem valor estimado de R$ 27.680.040,14 (vinte e sete milhões, seiscentos e oitenta mil, quarenta reais e quatorze centavos). O edital já está disponível e os recursos serão repassados pelo DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) até o final desta semana. A abertura das propostas está prevista para o dia 22.07, bem como o início da sessão de lances.

“Demos início hoje a uma nova realidade operacional para o Porto do Recife. A dragagem é fundamental para a continuidade e eficiência do serviços prestados por nosso Porto centenário, bem como para a atração de novos negócios, um dos pilares de nossa gestão,” destaca o presidente do Porto do Recife, José Lindoso.

Após a conclusão do processo licitatório a mobilização da obra, os levantamentos hidrográficos e a execução da dragagem devem levar 03 meses. No cronograma também está previsto mais um mês para a homologação do calado pela Marinha do Brasil, após o fim dos serviços. “Viabilizar a obra de dragagem é a grande tarefa da nossa gestão para o Porto do Recife, para que ele possa restabelecer e avançar em atividades importantes para a nossa economia, como a movimentação de açúcar. Além disso, a nova profundidade vai nos permitir atrair novos projetos, viabilizar mais empresas para utilizar nosso equipamento, trazer novos tipos de cargas e ampliar nossa movimentação de embarcações de passageiros. É um passo emblemático para dar ao Porto do Recife o protagonismo que ele merece dentro da nossa estratégia de desenvolvimento econômico do Estado”, destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Julio.

A dragagem é o serviço de desassoreamento e desobstrução dos berços de atracação, canais de acesso e bacias de evolução, realizado em portos. O objetivo dessa obra é estabelecer uma profundidade satisfatória para o Porto do Recife, facilitando assim a navegação e chegada de navios de maior tonelagem. O recurso federal destinado para a execução e supervisão da obra ficou na ordem dos R$ 28.500.000,00.

No final de 2019, o Governo do Estado e a União, com interveniência da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado e a interveniência executora da Porto do Recife S.A, assinaram um Termo de Compromisso com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para a execução das obras de dragagem do cais acostável. O trecho do berço 00 ao 01, será aprofundado para 10 metros de profundidade; do berço 02 ao 06 para 11 metros de profundidade; e do trecho do berço 07 ao 09 para os 8 metros de profundidade. Os trechos mencionados chegarão as profundidades máximas, na maré alta, de 12,70m, 13,70m e 10,7m respectivamente. Serão 832.208 mil metros cúbicos de sedimentos dragados do cais acostável, canal interno e bacia de evolução.

US Army Corps of Engineers - Ontem (29/06), técnicos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e do USACE (US Army Corps of Engineers) vieram de Brasília para uma visita ao Porto do Recife. O objetivo do encontro com o presidente e técnicos do Porto foi propor uma parceria, com o ancoradouro, para prestar consultoria em projetos relacionados a infraestrutura portuária.

“O DNIT trouxe dois especialistas em engenharia fluvial do Corpo dos Engenheiros Exército Americano (USACE) que estudaram o comportamento das marés e a energia das ondas, na área portuária recifense, e como esses fenômenos afetam as nossas atividades. A partir desta pesquisa, os técnicos concluíram que a obra de dragagem do Porto pode ser mais bem aproveitada se seguir estratégias baseadas nos dados do ensaio”, ressalta José Lindoso.

Participaram da visita o analista de infraestrutura do DNIT, Renato Amorim, a doutora em Estudos Hidrológicos, Carol Neves, e os engenheiros representantes do USACE, Dra. Kelly Legault e Dr. Calvin Creech, que se colocaram a disposição da gestão do ancoradouro para assessorar no que for necessário.

A parceria do DNIT com a USACE vem desde 2015 quando firmaram um contrato de colaboração. São ministrados cursos e workshops que proporcionam certificações para servidores, colaboradores e estudantes. O acordo visa a prestação de serviços técnicos na elaboração de estudos de engenharia fluvial e de navegação, mediante a transferência de conhecimento por meio de capacitação e treinamento, com resultados de curto e longo prazos para o setor aquaviário brasileiro.

lmprensa Porto do Recfe

Prêmio Academia Assai

 

A 4ª edição do Prêmio Academia Assaí Bons Negócios abre inscrições on-line e gratuitas. O evento é realizado pelo Assaí Atacadista. Ao todo, serão 1.500 selecionados que receberão apoio financeiro para investir em seu negócio. A ação faz parte das iniciativas da Academia Assaí, plataforma de conteúdo e capacitação desenvolvida pela companhia, para apoiar micro e pequenos empreendedores de alimentação de todo o Brasil.

A edição deste ano tem como foco auxiliar financeiramente e oferecer ferramentas para apoiar os empreendedores que foram impactados pela pandemia da Covid-19 na reorganização de seus negócios. Ela é destinada a profissionais do ramo alimentício de qualquer região do Brasil que já tenham, ou tenham tido, o seu próprio negócio (formalizado ou não) entre fevereiro de 2020 e julho de 2021 e se encaixem em uma das três categorias: “Ponto de venda fixo”, “Vendedor ambulante” ou “Vendas por encomendas”. Os interessados, devem realizar inscrição até o dia 26 de julho por meio do site: www.academiaassai.com.br/premio. É necessário ter mais de 18 anos, residir no Brasil, preencher o formulário e assistir aos vídeos especiais desenvolvidos pela Academia Assaí Bons Negócios.

E como forma de incentivar os pequenos empreendedores, a empresa atacadista aumentou 10 vezes o número de premiados desta edição. Até o ano passado havia 150 contemplados e, para este ano, serão ao todo 1.500. Destes, 1.350 ganharão R$300 cada e os 150 finalistas ganharão R$2 mil, além de um vale-compras de R$500 para usar em qualquer loja da companhia e duas horas de assessoria individual para potencializar o seu negócio. Dentre os 150 finalistas, serão selecionados 15 destaques, os quais serão premiados com um celular e mais R$2 mil cada.

“Há quatro anos, por meio dessa iniciativa, buscamos contribuir e fomentar cada vez mais a atuação dos empreendedores locais, público cliente do Assaí e um dos nossos focos de trabalho. Acreditamos que além do apoio financeiro, a capacitação e o desenvolvimento são ferramentas fundamentais para o enfrentamento dos desafios e melhor gestão do negócio. Além disso, nesta edição, optamos por ampliar esse apoio e impactar positivamente mais empreendedores das diferentes regiões do Brasil, que tiverem suas atividades impactadas pela pandemia da Covid-19”, afirma Sandra Vicari, Diretora de Gestão de Gente e Sustentabilidade do Assaí.

Todo o conteúdo da Academia Assaí é gratuito e acessível para qualquer profissional, basta acessar: www.academiaassai.com.br. O Prêmio é realizado em parceria com o Instituto GPA.

Serviço
Prêmio Academia Assaí Bons Negócios
Período de inscrição: De 24 de junho a 26 de julho.
Formato e local: Inscrição gratuita, pelo link:

TIM ativa 5G DSS no Recife

 

O 5G DSS da TIM, tecnologia de transição para o 5G que utiliza as frequências atuais da rede 4G, acaba de ser ativado em três capitais do Nordeste: Recife, Fortaleza e Salvador. Com isso, a operadora proporciona uma nova experiência aos clientes, que evoluirá com a chegada da tecnologia 5G no Brasil, a partir do leilão promovido pela Anatel. Na capital pernambucana, o sinal foi ativado nas dependências e nas ruas do entorno do Parque Dona Lindu, na Avenida Boa Viagem, no Pina e no Marco Zero. Os locais passam a oferecer a prévia do sinal de quinta geração para clientes da operadora que possuem aparelhos compatíveis.

Os locais escolhidos pela operadora para receber a novidade são alguns dos mais relevantes marcos regionais de cada cidade. O mesmo acontece no restante do país onde a funcionalidade já está ativada: em Brasília, o local é a Esplanada dos Ministérios, no Rio de Janeiro, o Parque dos Patins, e em São Paulo, o Parque Ibirapuera e a Avenida Paulista.

Em maio deste ano, a TIM anunciou o lançamento de dois projetos piloto com a rede 5G Standalone (5GSA), sendo um em Segurança Pública e que está entre os 20 pilotos que serão apresentados no País até o final do ano usando o 5G em diferentes áreas. O outro tem aplicação para o Agronegócio, com foco no aumento da produtividade, na inovação, e apoiará a inclusão digital no campo.

“Saímos na frente ao iniciar pilotos inéditos do 5G e os resultados alcançados estão sendo extremamente positivos, confirmando que estamos no caminho certo. Vamos continuar ampliando a cobertura 5G DSS até a chegada do 5G puro, previsto para chegar no Brasil no segundo semestre deste ano. A TIM está pronta para toda essa revolução e vamos assumir o protagonismo no 5G assim como fizemos no 4G”, afirma Ageu Guerra, gerente de Operações de Redes da TIM Nordeste.

Atualmente, 19 localidades de 15 estados brasileiros já contam com a experimentação da rede 5G DSS da TIM, e até o final de 2021 a companhia pretende ativar em outras novas cidades como Belém, Belo Horizonte e Florianópolis.

Prouni-PE prorroga inscrições até 19 de julho

 

Atendendo às solicitações das Instituições de Ensino Superior (IES), para que o calendário fosse estendido e acompanhasse o período de matrículas para o segundo semestre, a coordenação do Prouni-PE prorrogou até o dia 19 de julho as inscrições para as 550 novas vagas de seu segundo edital. O programa vai contemplar estudantes pernambucanos com bolsas de estudos no valor de R$ 500,00 mensais. As inscrições e o edital com o novo cronograma podem ser acessados em: https://prouni.secti.pe.gov.br/

O novo processo seletivo terá como critério de seleção a nota mínima de 350 pontos do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), dos anos de 2019 e 2020. As inscrições deverão ser feitas pelos estudantes para a Instituição de Ensino Superior (IES) em que estão matriculados.

O Prouni-PE tem o objetivo de estimular a formação de profissionais qualificados nas habilidades de futuro. Para isso são destinados 70%, ou 385 das vagas totais previstas neste segundo edital, para alunos de graduação das áreas de ciência, tecnologia, engenharias, matemática, computação, análise e desenvolvimento de sistemas, sistemas de informação, estatística, física, química, oceanografia, biologia e afins. O segundo grupo, com 30% das vagas restantes (165), será formado por alunos dos demais cursos de graduação de nível superior.

O programa é destinado a estudantes não portadores de diploma de curso superior, cuja renda familiar mensal, per capita, não exceda o valor de um salário mínimo e meio. Poderão concorrer os alunos que comprovem vínculo de matrícula nas instituições de ensino superior integrantes do Prouni-PE e que tenham cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em instituições privadas, na condição de bolsista integral.

O Prouni-PE também vai destinar vagas a candidatos que comprovem ser professores do Ensino Fundamental ou Médio das redes públicas municipal ou estadual, em exercício da docência, e que estejam realizando uma nova graduação.

Pessoas com deficiência, nos termos definidos em lei; ou mulheres em situação de vulnerabilidade socioeconômica ou vítimas de violência doméstica e familiar, que comprovem vínculo de matrícula em uma IES integrante do Prouni-PE, também estão aptos a se inscreverem para uma das bolsas.

lmprensa Secti PE




Férias no Museu da Imigração de SP: programação terá jogos no jardim e oficinas de circo e escrita

 

Com a chegada do mês de julho, o Museu da Imigração – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – oferecerá uma programação temática voltada ao público infantil para tornar as férias ainda mais animadas. Entre os dias 06 e 31, diferentes atividades serão realizadas presencialmente e à distância.

Iniciativa lançada em janeiro por conta da pandemia, os jogos no jardim retornarão ao complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, proporcionando brincadeiras agitadas ao ar livre. Entre as atrações, a garotada terá a oportunidade de aproveitar amarelinha, cama elástica, corrida de obstáculos, twister e mais. Os desafios poderão ser curtidos de 06 a 31 de julho durante o expediente do MI: de terça a domingo, das 11h às 17h (encerramento da bilheteria às 16h).

No dia 10 (sábado), os pequenos irão vivenciar uma experiência artística com a oficina de circo, às 15h. Acompanhados de profissionais da área, os participantes aprenderão acrobacias de solo, equilíbrios, malabares, perna de pau, entre outros. Seguindo os protocolos de segurança, os materiais manuseados passarão por higienização constante e será obrigatório o uso de máscaras. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser realizadas no site.

Já no dia 18 (domingo), a oficina de escrita “Memórias da Família”, com Contos do meu Canto, ensinará a criação de um livro de recordações a partir do incentivo ao hábito de registro de histórias da criançada, às 15h. Dessa forma, a atividade terá como foco a ideia de escrever os momentos vivenciados no dia a dia. Para participar desse grupo fechado no Zoom, é necessário se inscrever antecipadamente. As vagas são limitadas.

Ainda durante o período das atrações especiais de férias, o Núcleo Educativo irá disponibilizar cartões-postais, na entrada da exposição de longa duração, para que o público registre a sua experiência no Museu e deposite em um baú. As memórias escritas poderão ser enviadas, posteriormente, para o endereço anotado. Além disso, as famílias poderão adquirir cestas de piquenique na cafeteria do MI, com pão de queijo, frutas, suco e mais delícias para serem consumidas nos espaços abertos da instituição.

Serviço

Férias no Museu | Jogos no jardim
Data: 06 a 31 de julho
Horário: 11h às 17h
Local: Jardim do Museu da Imigração

Férias no Museu | Cartões-postais
Data: 06 a 31 de julho
Horário: 11h às 17h
Local: Entrada da exposição de longa duração do Museu da Imigração

Férias no Museu | Oficina de circo
Data: 10 de julho
Horário: 15h
Local: Jardim do Museu da Imigração

Férias no Museu | Oficina de escrita “Memórias de Família”
Data: 18 de julho
Horário: 15h
Plataforma: Zoom

Museu da Imigração
Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo/SP
Tel.: (11) 2692-1866
Funcionamento: de terça a domingo, das 11h às 17h (fechamento da bilheteria às 16h).
R$10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local - Bicicletário na calçada da instituição

Recife oferta mais de 1.200 vagas para exames no mamógrafo móvel em julho

 

A partir desta quinta-feira (1º), terá início a programação de julho do mamógrafo móvel da Prefeitura do Recife. Ao longo deste mês, serão disponibilizadas 1.260 vagas para realização de exames gratuitos de mamografia. O caminhão da Secretaria de Saúde do município visitará 21 pontos da capital pernambucana para que mulheres com idades entre 50 e 69 anos possam realizar os exames. O calendário com as datas e os locais das ações está disponível neste link.

Seguindo as orientações do Plano de Convivência com a covid-19, os atendimentos estão sendo previamente agendados nos locais em que o caminhão do mamógrafo irá estacionar, já que as vagas são limitadas. Ao todo, diariamente serão disponibilizadas 60 vagas, sendo 30 para o turno da manhã e 30 para a tarde.

Os agentes de saúde farão o rastreio das mulheres que se encontram na faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde. Em seguida, a equipe da unidade de saúde entrará em contato com as usuárias para marcar a data e horário do exame. O resultado sai em até 20 dias na unidade de saúde onde o veículo ficou estacionado ou naquela mais próxima ao local da ação.

Para realizar o exame, a usuária precisa levar um documento de identificação com foto e o Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), além do comprovante de residência atualizado. Nas unidades, é obrigatório o uso de máscara e o distanciamento físico deve ser respeitado. Água, sabão e álcool 70% estarão disponíveis para a higienização das mãos sempre que necessário.

COMO IDENTIFICAR - As mulheres devem estar atentas às mamas, no dia a dia, para que possam reconhecer suas variações naturais e identificar as alterações suspeitas. Alguns sintomas podem ser nódulo (caroço) fixo, geralmente indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito (mamilo), saída espontânea de líquido de um dos mamilos e pequenos nódulos no pescoço ou na região das axilas.

Além de realizar periodicamente o exame clínico e a mamografia, adotar hábitos saudáveis, manter o peso corporal adequado, praticar atividade física e evitar o consumo de bebidas alcoólicas ajudam a reduzir o risco de ter a doença. Amamentar também é um fator de proteção.


lmprensa Recife

A História de Baker estreia em ambiente digital e debate colonialismo

 

Contemplado com o Prêmio Zé Renato de Teatro na Cidade de São Paulo em 2019, o espetáculo A HISTÓRIA DE BAKER chegaria aos palcos em maio de 2020, mas devido à pandemia e ao fechamento dos teatros teve sua estreia adiada. A partir do nome Baker, a montagem, pensada como um apelo sensível-poético para reavaliar, revolver, redescobrir de que forma age o dispositivo colonial, ganha apresentações virtuais gratuitas nas plataformas digitais de vários equipamentos culturais da capital paulista.

Com concepção de Cristiane Zuan Esteves, que assina a direção e dramaturgia com Beto Matos, A HISTÓRIA DE BAKER ganha o universo online com sessões dias 9, 10 e 11 de julho, sexta-feira e sábado, às 21 e domingo, às 19h, no Facebook do Teatro Paulo Eiró [facebook.com/teatropauloeiro]; 16, 17 e 18 de julho, sexta-feira e sábado, às 21 e domingo, às 19h, no Facebook do Teatro João Caetano [facebook.com/teatropopularjoaocaetano] e 23, 24 e 25 de julho, sexta-feira e sábado, às 21 e domingo, às 19h, no Facebook do Teatro Cacilda Becker [facebook.com/TeatroCacildaBeckerSP]. O espetáculo também realiza duas apresentações extras nos dias 12 e 19 de julho, segundas-feiras, às 16h, pelo canal do YouTube A História de Baker [youtube.com/AHistóriadeBaker].

A montagem passeia pela história do colonialismo, do capitalismo e da exploração, além das várias formas da necropolítica e por elementos autobiográficos trazidos por Cristiane Zuan Esteves. A frente de várias direções, principalmente com o Grupo OPOVOEMPÉ, a atriz volta a atuar, após quase vinte anos, em um projeto pessoal.

Colonizador ou colonizado

A HISTÓRIA DE BAKER atravessa muitos outros Bakers – Josephine Baker, a bomba de Baker no atol de Bikini e a ilha de Baker, entre outros – para refletir com humor sobre nossa posição como devorador ou devorado, colonizador ou colonizado. A partir disso, Cristiane Zuan Esteves pergunta: Somos todos canibais?, já que na peça a artista busca refletir sobre os fatos que assolam as vítimas da colonização até hoje.

“É fundamental neste momento, conhecer esses fatos apagados da história para pensar sobre o que estamos vivendo”, afirma ela. Na montagem, os dois artistas investigam o canibalismo não exatamente como uma prática, mas como uma invenção europeia, um dispositivo discursivo do poder colonial que intenta justamente desprover de humanidade aqueles a quem se quer oprimir, escravizar ou simplesmente eliminar. “Na pesquisa, encontramos em inúmeros exemplos o canibalismo como desculpa para a dominação e escravização dos povos”, adianta Beto Matos.

Material documental

Trabalhando com o envolvimento dos espectadores, aos quais os atores se endereçam diretamente, A HISTÓRIA DE BAKER transita entre o trágico e o irônico. Na montagem, os dispositivos cênicos – câmeras, computadores, telefones celulares e luzes – são revelados e os materiais documentais são tratados de forma elíptica, onde a totalidade dos elementos está ausente ou por se revelar: fotografias que se veem parcialmente, áudios interrompidos, vídeos sem banda sonora. Desta forma, materiais se revelam ou se escondem, amplificam ou omitem parte da informação que carregam, revelando várias possíveis narrativas de um mesmo fato. Os planos narrativos são ligados direta ou indiretamente ao nome Baker.

Dadas as condições atuais da pandemia, o espetáculo previsto inicialmente para acontecer em um teatro, foi transferido para a casa dos encenadores/atores, já que são um casala na vida real. Devido ao isolamento social, a criação do espetáculo se misturou à vida cotidiana de ambos. Com moradia temporária em uma casa com mata e quintal, o casal viveu as restrições de criação ao lado de sua filha de seis anos e de seu cachorro Zé, que foram incorporados a trechos do trabalho.

Em meio aos ambientes da casa, entrelaçam-se vários tempos e espaços e ficção e material documental se mesclam. Um espetáculo híbrido, que utiliza diferentes recursos: depoimento pessoal, peça conferência, trechos em vídeo e áudios pré-gravados. A HISTÓRIA DE BAKER tem trilha sonora, cenários, luz e material videográfico especialmente concebidos remotamente pela equipe de artistas convidados. A manipulação de câmeras acontece ao vivo pelos atores.

O nome Baker

O projeto inicial nasceu quando Cristiane Zuan Esteves encontrou a história de Thomas Baker, missionário inglês morto e devorado pelos Kai Colo durante o processo de colonização de Fiji, fato pelo qual os descendentes dos supostos “canibais”, hoje convertidos ao cristianismo, realizaram uma cerimônia de desculpas em 2003. “O fato de vítimas da colonização pedirem desculpas a seus invasores me impressionou e indignou muito. Decidi que um dia faria um trabalho a respeito”, conta ela.

Diante disso, a artista pesquisou o nome Baker e tudo que recolheu foi colocado em uma pasta chamada Os Canibais, esquecida em seus arquivos. Dez anos depois, em 2013, Cristiane Zuan Esteves descobre calcificações semelhantes a pequenos dentes em seus joelhos, no chamado Cisto de Baker. “Senti como um chamado para realizar o trabalho. Baker devorado ressurge”.

Desdobramentos durante a pandemia

Logo no início da pandemia, Cristiane Zuan Esteves foi selecionada para apresentar uma parte da montagem na versão online de My Documents, projeto de Lola Arias, realizado pelo Mousonturm de Frankfurt, Alemanha.

Para manter o projeto vivo no longo isolamento, a equipe artística da peça decidiu desdobrar os temas do trabalho em uma websérie chamada de Os Capítulos de Baker, que totalizou 10 episódios, apresentados entre setembro e novembro de 2020. Em cada capítulo, Cristiane Zuan Esteves e Beto Matos apresentaram um relato artístico-documental sobre um dos temas pesquisados para A HISTÓRIA DE BAKER. Após a apresentação virtual de cada capítulo, havia conversa com um convidado.

Entre os convidados destaque para Denilson Baniwa, um dos artistas contemporâneos mais importantes da atualidade por romper paradigmas e abrir caminhos ao protagonismo dos indígenas no território nacional; Jaider Esbell, fundador da Galeria Jaider Esbell de Arte Indígena Contemporânea, localizada em Boa Vista, capital de Roraima, a primeira no Brasil voltada para a produção dos povos indígenas; Angélica Ferrarez, historiadora, professora, feminista negra e pesquisadora da história e memória das mulheres negras e do Samba; Márcia Mura, do Povo Indígena Mura, doutora em história social pela Universidade de São Paulo e mestre em sociedade e cultura na Amazônia, pela Universidade Federal do Amazonas e David Popygua, líder do Povo Guarani da Terra Indígena do Jaraguá.

Para Beto Matos, Os Capítulos de Baker serviram como um mergulho na pesquisa para a montagem da peça e também como uma introdução de A HISTÓRIA DE BAKER. “Fará todo o sentido se o público que pôde acompanhar os episódios, veja essa versão online da montagem”, diz ele. Os 10 episódios da websérie continuam online no canal do YouTube A História de Baker [youtube.com/AHistóriadeBaker].


Para roteiro:

A HISTÓRIA DE BAKER

Dias 9, 10 e 11 de julho, sexta-feira e sábado, às 21 e domingo, às 19h, no Facebook do Teatro Paulo Eiró [facebook.com/teatropauloeiro].

Dias 16, 17 e 18 de julho, sexta-feira e sábado, às 21 e domingo, às 19h, no Facebook do Teatro João Caetano [facebook.com/teatropopularjoaocaetano].

Dias e 23, 24 e 25 de julho, sexta-feira e sábado, às 21 e domingo, às 19h, no Facebook do Teatro Cacilda Becker [facebook.com/TeatroCacildaBeckerSP].

Dias 12 e 19 de julho, segundas-feiras, às 16h, pelo canal do YouTube A História de Baker [youtube.com/AHistóriadeBaker].

Duração – 60 minutos. Recomendado para maiores de 10 anos. GRÁTIS.

Concepção – Cristiane Zuan Esteves. Direção e Dramaturgia – Cristiane Zuan Esteves e Beto Matos. Atuação – Cristiane Zuan Esteves e Beto Matos*. Assistência de Direção e Colaboração Artística – Andrea Tedesco. Criação Videográfica – Edu Zal. Design de Luz – Grissel Piguellim. Trilha Sonora Original – Pedro Semeghini. Cenários e Figurinos – Júlio Dojcsar. Preparação Corporal – Key Sawo. Provocação Estética, Teórica e Reflexiva – Joana Levi e Júlia Guimarães. Projeto Gráfico – Artefactos Bascos. Operação de Luz e Multimídia – Michelle Bezerra. Operação de Áudio – Rodrigo Florentino. Gestão de Mídias – Kiron. Assessoria de Imprensa – Nossa Senhora da Pauta. Produção Executiva – Paula Malfatti. Assistência de Produção e Auxiliar Administrativo – Daniela Flor. Realização – Basílico Produções. *Participação especial – Catarina Esteves de Matos e cachorro Zé.

Biodiversidade das Unidades de Conservação do Recife é retratada em livro, vídeo e exposição fotográfica

 

A beleza das 25 Unidades de Conservação da Natureza da cidade do Recife foram retratadas em livro, vídeo e exposição fotográfica. As três obras, produzidas pela Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMAS), estão disponíveis para acesso gratuito no site da SMAS (http://meioambiente.recife.pe.gov.br/). O evento de lançamento aconteceu nesta quarta-feira (30) de forma virtual e contou com a participação de autores das obras e do secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Carlos Ribeiro.

Para o gestor Carlos Ribeiro, as três publicações são um marco inédito e uma oportunidade de conhecer a riqueza e a importância ecológica da fauna e da flora do Recife como espaços para a manutenção da biodiversidade.

“Acreditamos que a leitura e a consulta destas obras sejam de interesse tanto para profissionais, pesquisadores e especialistas das ciências naturais, como também para professores e estudantes de diversas áreas e níveis de ensino, que queiram conhecer de forma mais aprofundada a biodiversidade do Recife. É interessante ainda aos moradores do entorno das UCNs, admiradores da natureza, praticantes de atividades em áreas verdes, observadores de espécies e ambientes naturais, fotógrafos e para a população em geral. A oportunidade de melhor conhecer a riqueza e a importância ecológica da fauna e da flora do Recife nos faz reconhecer ainda mais a relevância das Unidades de Conservação como espaços para a manutenção da biodiversidade e da qualidade”, avalia Ribeiro.

Erica Vidal, chefe das UCNs de Recife, reforçou a relevância das obras para educação ambiental. “Todos esses produtos lançados hoje são instrumentos importantes para a educação ambiental, de construir um olhar e ver a cidade do Recife também como um espaço de natureza. Essas obras são um canal para reconectar o vínculo do recifense com a natureza, alimentando o pertencimento ambiental e tornando as pessoas mais conscientes do seu papel com o cuidado com o meio ambiente”, falou Érica.

Participaram também do evento os autores do livro “Biodiversidade das Unidades de Conservação do Recife”, Maíra Braga, Sandra da Luz e Marcelo Sobral, além de Ana Carolina Lins, do departamento de biologia da UFRPE responsável pelo prefácio da obra. “Este livro é um elemento que alicerça o caminho sobre o qual a gestão da biodiversidade pode ser feita. A obra não só qualifica as áreas protegidas da cidade, como também lista, detalha e ilustra as espécies notáveis de fauna e flora que ali ocorrem. Por isso, passa a figurar como leitura obrigatória dos gestores, pesquisadores e interessados em geral na biodiversidade e conservação na cidade do Recife. É uma ferramenta de divulgação científica de poder abrangente, a ser acessada e experimentada pela população da cidade, que nessas páginas descobrirá o quão biodiverso é o espaço recifense”, afirma Ana Carolina Lins.

O livro “Biodiversidade das Unidades de Conservação do Recife” é uma publicação de caráter técnico-científico que visa contribuir para a ampliação do conhecimento, para o estímulo à pesquisas e à educação ambiental, a partir da difusão de informações sobre a fauna e a flora encontradas nos diversos ecossistemas das Unidades de Conservação da Cidade. Construído e revisado por pesquisadores da área ambiental, representa um ineditismo para o marco do estado atual de conhecimento sistematizado sobre a biodiversidade das UCNs do Recife. O conhecimento da fauna e da flora do Recife torna possível reconhecer ainda mais a relevância das UCNs como espaços para a manutenção da biodiversidade e da qualidade de vida da população, beneficiada pelos elementos da natureza através de seus serviços ambientais. Está disponível gratuitamente para download através do link http://meioambiente.recife.pe.gov.br/sites/default/files/midia/arquivos/pagina-basica/ebook_biodiversidade_das_ucns_do_recife.pdf e no site da Editora Itacaiúnas (https://editoraitacaiunas.com.br/).Também vai compor o acervo de bibliotecas digitais de instituições de pesquisa e de organizações sociais ligadas à temática ambiental.

A exposição fotográfica intitulada “Recife: olhares sobre a cidade-natureza”, oferece ao público uma oportunidade de conhecer detalhes sobre a fauna, a flora e as pessoas que interagem diretamente com as Unidades de Conservação da Natureza (UCN) do Recife. A exposição demonstra um recorte das UCNs a partir dos olhares dos técnicos que trabalham para a conservação e proteção destes patrimônios socioambientais. Foram registradas nas UCNs 1.705 espécies florísticas e 853 de animais das quais pode-se encontrar espécies nativas, exóticas, endêmicas e em perigo de extinção. A exposição mostra um olhar especial para as criaturas da natureza, trazendo uma valorização dos ambientes protegidos e uma reflexão indo da complexidade dos ecossistemas a simplicidades das flores, sem esquecer o contexto educativo e econômico dessas áreas. A exposição pode ser conferida através do link: https://sites.google.com/recife.pe.gov.br/recifenatureza/contexto ou pelo site da SMAS.

O vídeo “Recife Natureza”, proporciona às pessoas um passeio poético sobre a biodiversidade do Recife, conduzindo ao seu conhecimento, encantamento e sensibilização sobre a importância do cuidado com essas áreas da cidade. Evidencia os ambientes naturais existentes na capital pernambucana, protegidos pelas Unidades de Conservação da Natureza (UCNs), despertando na população a importância de sua conservação, a partir de seu (re)conhecimento, valorização e pertencimento. O vídeo foi construído a partir de imagens capturadas nas expedições técnicas da equipe que trabalha para preservação e conservação destes lugares e pode ser utilizado como instrumento de educação ambiental. O vídeo será divulgado nas redes sociais da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (@recifesustentavel e @jardimbotanicorecife).


lmprensa Recife

Shopee oferecerá mais de R$3,5 milhões em cupons de descontos em julho

 

A Shopee, plataforma de comércio eletrônico que conecta vendedores, marcas e consumidores, realizará no período de 01 a 31 de julho, a Campanha Julho R$10. Serão várias ofertas com produtos nacionais e internacionais por apenas R$10 nas mais de 20 categorias disponíveis, além de cupons de frete grátis.

Como em todas as campanhas de marketing da Shopee, há sempre um dia especial em que se concentram ainda mais descontos e vantagens. Em julho, a data com mais benefícios para o consumidor será o 7.7 (7 de julho) em que serão distribuídos cupons de frete grátis sem mínimo de compras e mais de R$2,5 milhões em vouchers de descontos a partir das 0h. Além disso, na estreia da campanha, no dia 1 de julho, a empresa também disponibilizará R$1 milhão em descontos. Oportunidades extras como acúmulo de moedas Shopee também estarão disponíveis diariamente.

"Concentrar o dia de mais descontos da campanha em uma data dupla, no caso 7.7, é uma tradição da Shopee global que temos usado no Brasil e tem funcionado. O consumidor pode selecionar os produtos favoritos previamente e aproveitar o momento para fazer suas compras com mais economia.", destaca Felipe Piringer, responsável pelo marketing da Shopee no Brasil.

Durante o mês todo, os consumidores terão benefícios exclusivos para cada uma das mais de 20 categorias disponíveis na plataforma. A cada dia uma oferta diferente para os consumidores. Segunda será dia de cupons, terça e quinta serão de coleção de produtos a R$10, na quarta terá ofertas-relâmpago a R$10, sexta terá cashback, sábado compras internacionais e o domingo será o dia dedicado ao entretenimento com jogos da Shopee. Além disso, a cada semana a Shopee terá um tema para descontos adicionais como tecnologia, produtos de cuidados de beleza, itens para casa e para a família, entre outros.

Um jeito divertido e seguro de ir às compras

A Shopee conta com uma ampla variedade de produtos de vendedores brasileiros e internacionais em mais de 20 categorias, além de uma rede social e entretenimento com jogos e recompensas.

Fácil: acesso completo a uma variedade de produtos de acordo com as preferências de cada um.

Segura: sistemas de pagamento e logística integrados oferecem aos usuários mais segurança. Além disso, há a Garantia Shopee, um recurso em que o pagamento do vendedor é temporariamente retido para assegurar que a transação seja concluída com sucesso e só é liberado ao vendedor após o cliente confirmar o recebimento do pedido.

Divertida: a plataforma possui uma coleção de jogos (prêmios e recompensas) como Shopee Candy, Shopee Bolhas, Shopee Pega Brinde, Sacode Shopee entre outros, além de uma central de moedas. Seja jogando, comprando ou avaliando a experiência em cada pedido, o consumidor acumula moedas virtuais que podem ser usadas como descontos nas próximas compras ou até mesmo para adquirir recursos extras nos próprios jogos.

Vacina de covid é obrigatória no trabalho? Advogados explicam caso

 

A maioria dos brasileiros, 78%, não está preocupada se as empresas exigirão que elas sejam imunizadas. Apenas uma minoria (22%) está atenta a essa eventual exigência das empregadoras, de acordo com pesquisa recente da consultoria Oliver Wyman. A empresa precisa obrigar que seu funcionário seja vacinado contra a covid-19?

De acordo com os advogados trabalhistas João Galamba e Bruno Félix, a situação é complexa. A própria Constituição Federal garante que ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude da Lei. Por outro lado, a própria CF exige que os funcionários tenham reduzidos os riscos inerentes ao trabalho por meio de normas de segurança, saúde e higiene.

“A problemática é que havendo restrições a esse trabalhador que se recusa a tomar vacina em permanecer no trabalho, claramente poderá criar óbices para a sua admissão em outra empresa, com a mesma motivação. Portanto, ainda que involuntariamente, a sociedade arrasta esses trabalhadores para uma vala comum, gerando uma classe de trabalhadores ‘cancelados’, ou seja, os que se recusam a tomar vacina. Então, enquanto a sociedade brasileira estiver órfã de legislação tornando obrigatória a vacinação, o empregador não poderá demitir seus funcionários com a justificativa da não vacinação, pois certamente seria discriminatória”, disse João Galamba.

Essa questão já foi debatida pelo Supremo Tribunal Federal, que decidiu que é constitucional a compulsoriedade da vacina, que significa que não é obrigatório, mas autoridades podem impor consequências legais caso a pessoa não se imunize, como de direitos e de circulação. Como fica essa situação na questão trabalhista?

“A ideia é que a vacinação deva ser enxergada como de interesse coletivo. Isso explicaria até a dispensa motivada do empregado que se recusa a tomar a vacina sem justificar, pois este 'não vacinado' colocaria em risco a saúde dos colegas", acrescentou Bruno Félix.

Por vacina, bancários realizam vigília no Palácio do Governo e convocam assembleia para paralisação das atividades

 

Após o silêncio do Governo do Estado sobre a vacinação dos bancários, o Sindicato dos Bancários de Pernambuco realiza mais uma vigília em frente ao Palácio do Governo, nesta quinta-feira (1º/7), às 6h, e convoca uma nova assembleia geral para a próxima segunda-feira (5/7). A indicação é pela paralisação das atividades por 24 horas, no dia 8 de julho, em defesa da imunização da categoria bancária, que foi considerada essencial durante a pandemia.

O protesto desta quinta-feira irá cobrar uma resposta ao pedido apresentado pelo Sindicato em reunião com a secretaria de Saúde e da Casa Civil. Na ocasião, os representantes do governo do Estado assumiram o compromisso com o Sindicato de realizar uma reunião para retorno sobre a viabilidade da vacinação dos trabalhadores do setor bancário, após 48 horas do envio pelo Sindicato do levantamento de dados sobre o total de bancários e terceirizados que ainda não foram vacinados em cada município pernambucano. Embora as informações tenham sido enviadas, o governo não deu o retorno à categoria, como prometido.

A categoria bancária foi considerada essencial pelo Decreto 10.282/2020, mas não está contemplada pelo calendário de vacinação de Pernambuco. O número de casos confirmados de Covid-19 e de mortes na categoria cresceu no último período em Pernambuco.

A aprovação pela Câmara dos Deputados do PL 1011/20, que estabelece a inclusão dos bancários como prioritários no Plano Nacional de Imunização (PNI) foi um importante avanço, fruto da mobilização da Contraf-CUT e Sindicatos filiados, e deverá ser aprovado em breve no Senado. Em Pernambuco, o Sindicato cobra posição do Governo de Pernambuco pela inclusão da categoria bancária na prioridade e definição da data de vacinação.

lmprensa Sindbancários PE

#SuperPedidodeImpeachment

terça-feira, junho 29, 2021

Ator Raul J. Franco em monólogo "Eu, Clarice"

 

Amanhã, às 20h, o ator Raul J. Franco promove uma interpretação solo on line do monólogo Eu, Clarice. A apresentação será na Plataforma Zoom e os ingressos têm preços varáveis e podem ser adquiridos aqui: https://www.sympla.com.br/eu-clarice---um-espetaculo-homenagem-a-clarice-lispector__1241851

"Eu te convido a ver este espetáculo porque ele nasceu de uma maneira tão visceral, profunda e, ao mesmo tempo, espontânea. As palavras me escapuliram em plena quarentena e tive que dar vazão a isso. Era junho de 2020. Procurei e encontrei abrigo nas palavras de Clarice Lispector. E como essa escritora me deu tantas coisas importantes nessa vida, assim como um trampolim para gerar muitos entendimentos, eu quis dar a ela esse presente também e dividir com vocês uma jornada de paixão e entrega. Afinal, sempre percebi Clarice por dentro. E a vocês ofereço o meu interior justamente do meu quarto pro mundo. Estejamos despidos de medos e julgamentos para que a arte flua sem explicações racionais. O lema é: "vamos nos permitir". Sejam todxs muito bem vindxs", convida o ator

Sinopse - Em uma madrugada de pandemia, o personagem A procura um livro de Clarice Lispector: UM SOPRO DE VIDA (Pulsações) para lhe fazer companhia. O desespero começa quando ele não encontra o livro. A partir deste episódio, A começa a analisar a importância de Clarice em sua vida, bem como resgata alguns momentos em que se viu amparado pelas suas palavras. Curiosamente, Um Sopro de Vida é o livro de Clarice que foi lançado após a sua morte. Ela começou a escrevê-lo em 1974 e veio a falecer em 1977. Ponto de convergência: o personagem A nasceu em 1974. E só em 1989, ao ler O primeiro beijo & outros contos (uma coletânea de contos de Clarice), viu-se completamente alucinado por essa mulher. E sim, este é um monólogo sobre vida e o desejo de se permitir ser quem se é, sem medos.

Após o espetáculo, a plateia será convidada a abrir a câmera e dividir as suas impressões do que viram.

Clarice - Chaya Pinkhasovna Lispector nasceu no dia 10 de dezembro de 1920, na cidade ucraniana de Chechelnyk. Nasceu em uma família judaica russa que perdeu suas rendas com a Guerra Civil Russa e se viu obrigada a emigrar em decorrência da perseguição a judeus, à época, a qual resultou em diversos extermínios em massa. A futura escritora chegou ao Brasil, ainda pequena, em 1922, com seus pais e duas irmãs e após uma temporada em Maceió, os Lispector foram viver no Recife. Clarice se mudou com a familia pro Rio de Janeiro em 1934.

Estudou Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, conhecida como Universidade do Brasil, apesar de, na época, ter demonstrado mais interesse pelo meio literário, no qual ingressou precocemente como tradutora, logo se consagrando como escritora, jornalista, contista e ensaísta, tornando-se uma das figuras mais influentes da Literatura brasileira e do Modernismo, sendo considerada uma das principais influências da nova geração de escritores brasileiros. É incluída pela crítica especializada entre os principais autores brasileiros do século XX. Morreu no Ro, em 9 de dezembro de 1977, vitima de um câncer de ovário 

Serviço

EU, CLARICE - de Raul J. Franco
Solo online em homenagem à escritora Clarice Lispector.
Quando: 30/06
Hora: 20h.
Online através da plataforma Zoom.
Ingressos pelo Sympla:

Alerta de Chuvas no Recife

O aniversário é dele, mas o presente é do cinema pernambucano

 

O ator Pedro Dias faz aniversário hoje (29) e está duplamente feliz. Além da idade nova, o artista está muito contente com suas participações no cinema. Na foto, ele está nas gravações do filme Era Apenas uma Cidade, no município de Carpina, Mata Norte de Pernambuco. "É uma honra filmar nessa cidade, a terra de meu saudoso pai", afirma Dias. O filme é um longa metragem com roteiro e direção de Cleyton Melo

Em paralelo, também participa do filme "Painho" - com estreia prevista para agosto deste ano - interpretando dois personagens e em um deles, fez questão de homenagear o filho, o clinico geral João Teobaldo,  ao interpretar um médico. "O longa-metragem Painho, com roteiro e direção de Jonas Filho, que conta com vários atores de Camaragibe entre eles: Geraldo Cosmo  Jacqueline Silva e  Lom Paz, em breve nas salas de cinema do Brasil", alegra-se. Além das películas citadas, Dias também participa do filme Inocentes, um longa metragem de Neluce Sedícias, que também estreia em 2021. 

Felicidades, Pedro! E brilhe muito no Cinema Pernambucano!

segunda-feira, junho 28, 2021

Vacinação no Recife tem novo público

Sintepe protesta na Secretaria de Educação e exige retomada das discussões sobre Piso Salarial e PCCV e em Defesa da Vida

 

Na manhã desta segunda-feira (28), a direção do Sintepe e integrantes da base foram recebidos por representantes da Secretaria de Educação após ato político simbólico em frente à sede da Secretaria reivindicando a retomada das negociações em torno da Campanha Salarial Educacional 2021 e em defesa da vida. Dentre os pontos, ressaltou-se a repercussão do piso salarial do magistério em toda a educação, a reformulação do PCCV (Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos) e outras pautas específicas como o reajuste da base salarial dos Analistas Educacionais.

O Governo tentou dificultar o debate acerca da pauta quando afirmou que as negociações estavam interrompidas por conta da greve. "O governo de forma antidemocrática usa a greve para não abrir debate sobre pontos importantíssimos da Campanha Salarial Educacional", afirmou Ivete Caetano, vice-presidenta do Sintepe.

O Sindicato reafirmou sua luta pelo piso salarial, pela reformulação do PCCV após as distorções sofridas no final de 2020 e por valorização profissional para todos os trabalhadores/as em educação.

Além disso, o Sindicato também cobrou transparência na divulgação dos dados sobre a quantidade de trabalhadores em educação vacinados com a primeira e com as duas doses contra a covid-19. "Transparência é um direito e precisamos saber quantos trabalhadores tomaram a primeira dose, quantos tomaram as duas doses", reivindicou Ivete.

A presidenta do Sintepe, Valéria Silva, afirmou que a postura do governo é intransigente e que o debate mediado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) avançou de forma positiva, bastando o governo dar sua contribuição. "Insistir é nosso direito, é nosso papel enquanto Sindicato", disse. Valéria reivindicou o reinício das atividades presenciais somente com a categoria vacinada com as duas doses.

A diretora do Sindicato, Andrea Batista, lembrou a situação salarial dos Analistas Educacionais. "Como a Secretaria de Educação aceita que trabalhadores com nível educacional superior possam receber salários tão baixos?", questionou. "Como é possível um analista, que tem formação acadêmica e precisa cuidar de sua família, receber um salário de R$ 1.500?", disse Andrea.

Além desses pontos, foi ressaltado também o caso da estudante que morreu após sofrer agressões na escola. "Discordamos do afastamento do diretor, porque isso significa quebrar a corda do lado do mais fraco. É preciso uma política pública sobre educação não violenta nas escolas", lembrou Ivete Caetano.

Os presentes no ato ressaltaram a próxima assembleia geral do Sintepe, que ocorrerá nesta quinta-feira, 1 de julho, como espaço para a categoria discutir novas estratégias de lutas.

Com informações do jornalista Jonatas Campos

Como superar a insônia e dormir bem

 

Uma das reclamações mais frequentes durante o momento atual é o impacto na qualidade do sono. Recentemente, uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde apontou que 41,7% dos entrevistados têm apresentado distúrbios do sono, como dificuldades para pegar no sono. Conforme o estudo, essa situação é devido à vários fatores, como: alteração de rotina, além de estarmos menos expostos à luz do sol, e mais à luz dos dispositivos eletrônicos, principalmente durante a noite. Essa combinação atrapalha a percepção de claro/escuro natural, importantíssimo do relógio biológico. Por fim, o próprio estresse deste período, também tem sua parcela de culpa.

A maior preocupação do Ministério da Saúde é essa desregularização do sono, pois é através dele é que são produzidas citocinas (proteínas responsáveis pelas defesas do organismo contra os processos infecciosos), além da restauração das funções cognitivas do cérebro que permitindo uma maior concentração nas tarefas do dia a dia e trazem bem-estar, diminuindo o risco de quadros de depressão. Por isso é tão importante dormir bem.

A nossa cama é um lugar sagrado. Por isso, é fundamental que ela seja um local aconchegante, reconfortante e que proporcione uma condição ideal para o descanso e relaxamento. Devido a isso, o Home Center Ferreira costa vem te dar algumas dicas, em como você melhorar a sua noite de sono.

A primeira dica é a do colchão. Ele importa e muito! O conforto do colchão precisa estar em harmonia com as cobertas. Diferentes texturas de tecido podem trazer o conforto que queremos para dias mais quentes e mais frios e as almofadas estampadas trazem cor e alegria à decoração do quarto. Esses foram alguns dos pontos que exploramos na busca por arrumações de cama que prezam pelo máximo de conforto possível.

Coloque primeiro o lençol superior, depois o edredom mais “encorpado” por cima. Deixe uma manta ou cobertor mais fino sempre dobrado aos pés da cama. É chique enquanto a cama está arrumada e uma ajudinha extra para quem tem muito frio à noite. Prefira tecidos com fibras naturais, que aquecem e “respiram”. Lãs, flanelas, algodões e veludos são ótimos para a estação mais fria do ano.

Assim como o colchão, o Home Center também te lembra sobre a importância de escolher o travesseiro com bastante cuidado. Isso porque ele não é um mero apoio para a sua cabeça. Sem uma estrutura adequada, o travesseiro pode ser responsável por dores como: cervicalgia, cefaleias, torcicolos, formigamentos nos braços e mãos.

O importante é que ele se adapte à necessidade individual, considerando a distância entre a face e o ombro. ao se deitar, o ombro não deve ficar sobre o travesseiro, independentemente da posição utilizada. Para quem prefere ficar de lado, o travesseiro ideal deve acomodar bem o ombro e a cabeça. Usar outro travesseiro entre os joelhos ajuda a aliviar a pressão nessa área e fará o alinhamento do quadril e a região lombar, permitindo uma noite de sono ainda melhor. Evite dormir de bruços pois pode prejudicar a sua coluna. Se for inevitável, utilize um travesseiro baixo no pescoço e outro sob a região abdominal para aliviar a pressão lombar.

Ao escolher um travesseiro para uma criança, o cuidado deve ser redobrado. Como elas estão em crescimento, têm um tempo maior de sono. Por isso, estão mais sujeitas a alterações posturais nessa fase. O uso de um travesseiro inadequado pode acabar trazendo vícios de postura

É recomendado usar uma capa e trocar a fronha a cada dois dias. Por estar em contato direto com o rosto, é normal que secreções se acumulem. Somadas ao calor do corpo, formam um microclima favorável ao surgimento de ácaros, fungos e bactérias que podem causar vários problemas de saúde, entre eles alergias. Exponha o travesseiro à luz solar e ventilação, para evitar umidade. Se optar por uma limpeza mais profunda, consulte a etiqueta para verificar as recomendações do fabricante.

E a Ferreira Costa precisa te lembrar de substituir o travesseiro de tempos em tempos. Diferente de um colchão, a vida útil de um travesseiro é bem menor e deve ser respeitada para evitar dores e noites mal dormidas.

Outra dica do Home Center é ter sempre um tapete fofinho ao lado da cama diminui o choque de temperatura ao levantar. Uma ideia legal é colocar um tapete sobre o outro (ou carpete), indica o Home Center.

A Ferreira Costa também não podia esquecer da iluminação. É fundamental entender que a luz influencia o ritmo do nosso corpo, tanto a luz artificial das lâmpadas, quanto a luz natural. Afinal, a luz do sol é o que regula nosso relógio biológico e faz com que funcione corretamente. Você já percebeu que as lâmpadas usadas em quartos normalmente são mais amareladas? Isso acontece porque as lâmpadas que emitem uma luz mais quente, de até 3.000K, criam um clima mais acolhedor, ideal para um ambiente de relaxamento. Usar uma luz muito branca, ou seja, uma luz mais fria (acima de 6.000K), pode despertar em vez de ajudar a dormir, por isso geralmente são usadas em locais de trabalho.

Mas cuidado na hora de escolher onde instalar as lâmpadas. Quando colocadas acima da cabeceira podem bater no rosto de quem está deitado causando o efeito oposto ao esperado e terminar te mantendo acordado por um bom tempo.

E para quem anda se identificando com essa situação e vem sentindo falta de algum produto, todas as lojas físicas e o www.ferreiracosta.com estão com diversas promoções e dividindo em até 10x. Mas, o mais importante é nunca esquecer de consultar um especialista.




Abayomi realiza encontro virtual com 150 mulheres pretas da cultura popular e diferentes lideranças feministas do Brasil

 

A chegada do mês de julho traz uma importante expectativa de mobilização e articulação político-social voltada para o fortalecimento das organizações de lutas pelas mulheres pretas no Nordeste e no país. Este ano, Pernambuco irá sediar o 1º Abayomi - Encontro das Mulheres Pretas da Cultura Popular. A iniciativa, idealizada pela produtora cultural, graduanda de serviço social, feminista preta, Carlita Roberta, conta com o incentivo do Funcultura, Fundarpe, Secretaria de Cultura e Governo de Pernambuco. O evento acontecerá nos dias 10 (sábado) e 11 (domingo), de julho, por meio do canal do encontro, no Youtube, gratuitamente.

Durante dois dias de programação, cerca de 100 mulheres, ligadas à cultura popular pernambucana, das seis regiões de desenvolvimento do estado: Zona da Mata Norte, Zona da Mata Sul, Agreste Setentrional, Agreste Central, Sertão do Pajeú e Região Metropolitana do Recife, vão participar das atividades. Além dessas participações, a organização contará, ainda, com mais 50 vagas. Inscrições podem ser realizadas de forma on-line: https://cutt.ly/vmuGUzM. Todas as participantes terão acesso, gratuito, ao certificado de participação.

Para subsidiar os debates, serão realizados vários encontros online, que trazem como temas: Mestras e Ancestralidade; Cultura Popular e Racismo; Cultura das Pretas e Feminismo Preta “Queremos, por meio de um diálogo intersetorial, entre sociedade, poder público e iniciativas privadas e parcerias, fortalecer o debate sobre a importância da mulher preta na cultura. Entendemos que é necessário e urgente, visibilizar espaços e oportunidades para que, nós, mulheres pretas, caminhem unidas na construção de nossas lutas diárias. É necessário combater o racismo, machismo, sexismo e toda e qualquer violência. Nossa mobilização é por mais diálogo, respeito e amor às mulheres pretas” destaca Carlita Roberta, coordenadora geral do evento.

Nos quatro painéis agendados para acontecer dentro do evento, haverá mesas de debate com militantes pretas, ativistas sociais, escritoras, produtoras culturais e líderes feministas de várias cidades do Brasil. Juntas, elas irão trazer discussões e proposições para o fortalecimento dos movimentos culturais populares. As escritoras Cidinha da Silva(MG), Odailta Alves(PE) e Dani de Oyá(PE) estão entre as convidadas. Também participam da programação a atriz Naná Sodré(PE); as mestra: Rainha Marivalda (PE) e Mestra Joana (PE); a gestora Girlana Diniz (PE); a dançarina Raquel Araújo(PE); as educadoras Maria Auxiliadora Diniz(PE) e Domênica Rodrigues(PE); a oficial da UFPA/ONU Gabi Monteiro (DF); a estilista Jéssica Zarina(PE); e as cantoras Sapoty da Mangueira(RJ), Graça Onasile (BA), Iran Calixto (PE) e Beth de Oxum (PE).

O evento se soma às comemorações do Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, que acontecerá no próximo dia 25 de Julho. A ação também visa reforçar a 9ª edição do Julho das Pretas, agenda conjunta e propositiva com organizações e movimento de mulheres negras de toda região Nordeste.

Serviço
O quê: 1º ABAYOMI - Encontro das Mulheres Pretas da Cultura Popular de Pernambuco
Quando: Dias 10 e 11 de julho de 2021
Classificação: Livre para todos os públicos.

Com informações do jornalista Salatiel Cícero