26/03/2016

Hoje tem Clube das Pás

A Orquestra das Pás será a atração do Clube das Pás neste sábado (26), a partir das 21h. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), disponíveis na bilheteria da sede da entidade. O Clube Carnavalesco Misto das Pás fica na Rua Odorico Mendes, 263 - Campo Grande, Recife. Mais informações pelos telefones (81) 98543 – 7595 e (81) 98685 - 2409.

Segue o Baile

Circulando com o show do seu mais recente trabalho autoral o musico Zé Ricardo (foto) chega ao Recife com Segue o Baile. Uma grande festa, no dia 09 de abril, onde ele recebe como convidada a cantora Mart’nália no Manhattan café Theatro, com muita diversão com muito groove, uma conexão direta com quem curte boa música.
A festa “SEGUE O BAILE”, que vem balançando as noites cariocas; Mistura clássicos da nossa MPB e hits da música negra mundial. Nesse caldeirão sonoro, Soul Music, MPB, Jazz e Blues se encontram num Groove que não deixa ninguém parado. Quem mistura todos esses ingredientes é o cantor, compositor e produtor musical Zé Ricardo.
No repertório, o público que “Segue o baile”, pode saborear as versões Soul para “Azul” (Djavan), “Dia de festa”(Jorge Ben Jor) “Eu só quero um Xodó” (Dominguinhos e Anastácia) e “Canto de Ossanha” (Vinicius de Moraes e Baden Powell). Pode também se transportar no tempo para 1975 ouvindo “Cultura Racional” e “Bom Senso”, de Tim Maia. Dali podem ir  diretamente pra 1968 quando Marvin Gaye explodiu nas paradas americanas com a canção “I Heard It Through the Grapevine”, depois, sem escalas, podem aterrissar em 1983 quando Tina Turner dominou a musica Pop mundial com sua versão de “Let’s Stay Together”. A cada festa, o repertório muda fazendo com que o público nunca veja exatamente o mesmo show.
Zé Ricardo também apresenta algumas das suas canções que tocaram nas rádios do Brasil como “Dançando com a vida” (parceria com Sandra de Sá), “Com ela” e do seu ultimo álbum, “Na ponta do pé” ( parceria com Gabriel O pensador ).
O músico vem sempre muito bem acompanhado de sua banda formada por Marcelo Linhares (baixo), Wallace Santos (bateria), Cláudio Costa (guitarra), Maurício Piassarollo (teclados), Davi Lima (sax), Moises Jr (sax) e Rafael Nascimento (Trompete).
 Zé Ricardo criou a SEGUE O BAILE, no final de 2015. A festa ganhou um público cativo ficando residente as quintas feiras, por quase três meses na casa de shows Barzin, em Ipanema, no Rio de Janeiro. A cada edição da festa, Zé recebe um convidado pra uma participação especial. Já subiram ao palco com ele, nomes como Toni Garrido, Mart’nália, Flávio Venturini, Luiza Possi, Simoninha, Serjão Loroza, Andreas Kisser (Sepultura) entre outros amigos e parceiros musicais.
As misturas já fazem parte do DNA desse carioca que além de músico, é o diretor artístico e o criador do Palco Sunset do Rock in Rio. O palco dos encontros improváveis, que é um dos grandes destaques do festival em vários países do mundo.

Serviço:

Show : Festa “ Segue o Baile” com Zé Ricardo
Local: Manhattan Café Theatro
Data: Sábado (9)
Hora: A partir das 21h
Ingressos: A partir de R$ 80  (sábado)
Endereço: Rua Francisco da Cunha, 881, em Boa Viagem.
Informações e reservas de mesas antecipadas: (81) 3325-3372

Papo de Negócios SEBRAE

O Brasil tem 14.590 empresas que vendem artigos usados, que ao mesmo tempo podem gerar lucro para o empreendedor e economia para o consumidor. O segmento cresce, apesar das dificuldades econômicas do país, e possui uma oportunidade ainda pouco explorada. Apenas 17% dos brechós são lojas on line, segundo enquete feita pelo Sebrae com donos desses negócios em novembro de 2015.

Quem quiser ter acesso a dicas sobre esse segmento pode se inscrever no primeiro Papo de Negócios de 2016, evento de capacitação virtual que vai tratar de negócios digitais para comércio de brechós, de 28 de março a 1º de abril.

O evento funciona como uma coletiva de imprensa virtual. A convidada desta edição será Jéssica Behrens, criadora do tradr, aplicativo que funciona como um "Tinder para brechós". Os participantes poderão enviar perguntas e votar nas questões que acharem mais interessantes de serem respondidas. Ao fim da semana, Jéssica vai responder às perguntas mais votadas pelos inscritos por meio de um vídeo.

Formada em Comunicação pela Universidade de Brasília, Jéssica, de 24 anos, criou o aplicativo com o apoio de especialistas de Harvard. O tradr exibe produtos – camisas, vestidos, bolsas e móveis, por exemplo - para o usuário rejeitar ou curtir. Quando um item é curtido, o aplicativo permite avançar para a negociação de valores ou possíveis trocas.

“O mercado de brechós está bastante movimentado, apesar do cenário econômico. De janeiro de 2013 a outubro de 2015, o aumento no número de empresas que vendem artigos usados foi de 31%. Os brechós surgem como oportunidade de negócio para quem deseja abrir uma empresa com concorrência pequena, clientela diversificada e investimento inicial relativamente baixo”, afirma Wilsa Sette, coordenadora nacional de Varejo da Moda do Sebrae Nacional.

“Além disso, há uma preocupação com o consumo sustentável e consciente e uma necessidade de conter gastos sem deixar de consumir produtos de qualidade. O consumidor brasileiro perdeu o preconceito de comprar roupas usadas e todos saem ganhando”, acrescenta.

A inscrição para o Papo de Negócios é gratuita e pode ser feita na página do Papo de Negócios, no endereço www.papodenegocio.sebrae.com.br.

Agência Sebrae de Notícias

O Espetáculo da Paixão

​A Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, que encerra sua temporada neste sábado (26), conta a vida de Jesus enfocando alguns dos principais fatos relatados na Bíblia, começando com o Sermão da Montanha e terminando com a espetacular ascensão de Cristo aos céus. São nove palcos-plateia com uma arrojada cenografia que reproduz lugarejos, ambientes e prédios da Jerusalém dos tempos de Jesus, como o Templo, Fórum Romano, o Palácio de Herodes e o Monte do Calvário. Além disso, um rico figurino e efeitos especiais de última geração completam a grandiosidade do espetáculo.

Outro ponto alto da Paixão de Cristo é o elenco de artistas formado por destacados atores e atrizes que conferem à encenação uma carga dramática intensa por meio de interpretações magistrais que emocionam e dão força ao realismo das cenas. Como acontece todos os anos, a encenação contará também com a participação de artistas conhecidos da teledramaturgia nacional como Bianca Rinaldi (Maria), Antonio Calloni (Herodes), Fiuk (Apóstolo João), Odilon Wagner (Pilatos), além da atriz e modelo, Caroline Correa (Madalena). Eles vão estrear ao lado do ator Igor Rickli, que fez sucesso no papel de Jesus em 2015 e retorna este ano. Ao todo, 450 atores e figurantes atuam no espetáculo sob a batuta dos diretores artísticos Carlos Reis e Lúcio Lombardi. Além disso, a Paixão agrega cerca de 600 profissionais incluindo técnicos, eletricistas, sonoplastas, contra regras, maquiadores, cabeleireiros, e costureiras, entre outros. Veja a seguir algumas das cenas do espetáculo:






11/03/2016

Mostra Ambiental do Recife

A 2ª Mostra Ambiental do Recife – MARE lança nesta quarta (9) a programação completa. Com foco na mobilidade urbana, o evento acontece entre 14 e 19 de março no Cinema São Luiz, Teatro do Parque, Jardim Botânico, UFPE, Estação Central do Recife e Recife Antigo, com diversas atividades. História, cultura, meio ambiente e cidadania formam esta 2ª edição, que propõe uma ruptura no cotidiano apressado da cidade tendo como contraponto a exibição de filmes, saraus, debates e atividades relacionadas à Hora do Planeta. A arte oficial do evento é do artista plástico Romero de Andrade Lima. Composta por dois longas e 34 curtas-metragens, a curadoria é do crítico e pesquisador André Dib. 
De acordo com o produtor Rafael Buda, coordenador ao lado de Tiago Delácio, a segunda edição da MARE pretende questionar o dia a dia do recifense e da região metropolitana. ”A proposta é realizar intervenções ambientais que dialoguem com a cidade em ritmo contínuo. Estaremos em vários locais da cidade, criando uma relação direta com a população”.
Dois longas abrem a MARE no Cinema São Luiz: o documentário sueco “BikesvsCars”de Fredrik Gerten e a produção pernambucana “Índios Zoró – antes, agora e depois?”, do realizador baiano Luiz Paulino dos Santos. Inédito no Recife, o filme estreou em janeiro no Festival de Tiradentes, com ótima repercussão. Após a sessão haverá debate com Vincent Carelli (Vídeo nas Aldeias), Tiago Melo (produtor do longa) e Luiz Paulino, 83 anos, ele próprio um patrimônio do cinema brasileiro, tendo sido um dos roteiristas do seminal “Barravento” (1961), de Glauber Rocha. 
Por sua vez, “BikevsCarros” teve première internacional em março de 2015 e está pautando discussões em vários países. Entre os participantes do filme está a arquiteta e urbanista brasileira Raquel Rolnik e a jornalista Aline Cavalcante (blog Vá de Bike). A sessão no Recife será na segunda (14) às 17h, no Cinema São Luiz, com mobilização da Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife, Ecobike e Pedala Olinda, que com a MARE irão instalar um bicicletário para melhor receber o público no Cinema São Luiz. 
A programação conta com 34 curtas-metragens, cinco deles inéditos no Recife. Na terça (15), o Jardim Botânico recebe um dois programas voltados para crianças. Na quinta (17) e sexta (18), a Estação Central do Recife sedia dois programas para entreter e refletir sobre mobilidade urbana, com destaque para novos títulos da série É por aí, do coletivo Jacaré Vídeo. 
Mobilidade – O tema principal desta edição terá espaço privilegiado na programação da quarta (16), na área externa do Centro de Artes e Comunicação / UFPE, com sarau ambiental, exibição de filmes e debate “A cidade que queremos: os desafios da mobilidade urbana”. Participam Cida Pedrosa (Secretária de Meio Ambiente da Prefeitura do Recife), o arquiteto Luiz Carvalho (InCiti - Pesquisa e Inovação para as Cidades / Parque Capibaribe), Ricardo Rogo (Ecobike) e Pedro Paes Barreto dos Santos (Ameciclo). 
Saraus - O sarau do dia 16 será com o trio de poetas Gleison Nascimento, Luna Vitrolira e Thiago Martins, que "performiza" poemas autorais e de escritores consagrados no corpo, na música e na voz, para brindar a cidade, refletir sobre o caos e as mazelas urbanas e evocar a sustentabilidade. No dia 17, na Estação Central, o sarau será sobre o poema de Manoel de Barros, Pássaro de Barros, com Adélia Oliveira, Rafael Ferraz e os músicos Serafim Neto e Idaiane dos Santos. A performance traz reflexões sobre desvios e aprendizados na natureza humana. No dia 18, a Estação Recife recebe Mariane Bigio, Susana Morais e os músicos Diego Gibran e Milla Bigio. Os estilos de Mariane e Susana convergem para a Literatura de Cordel, mas também para a versatilidade do verso livre, neoconcreto e da canção. No repertório, reflexões e críticas sociais sobre o Recife, o Capibaribe, a vida citadina, o meio ambiente.
CineRuaPE – Em parceria com a MARE, o Cineclube CineRua preparou programa especial com quatro curtas que dialogam com o tema da mostra, dois deles inéditos no estado. O Cineclube CineRua é a primeira ação continuada do movimento #CineRuaPE, fundado em novembro de 2015 no ensejo de reunir esforços, promover atividades, estratégias e a conscientização da importância de se preservar os poucos cinemas de rua que restam no Estado. A sessão será na terça (15), às 18h30 em frente ao Cineteatro do Parque, na Rua do Hospício, seguida de debate com os realizadores Petrônio Lorena e Antônio Carrilho.
Hora do Planeta - No sábado (19), a MARE participa da Hora do Planeta, ato simbólico organizado pela World Wildlife Fund (WWF) que busca alertar as pessoas do mundo sobre a importância de proteger o planeta contra os impactos ambientais. Às 18h haverá sessão especial cineclubista no Inciti (Rua do Bom Jesus, 191 – Recife Antigo), seguida pela Hora do Planeta, com Pedalada Sustentável e exibição de curtas, entre eles o resultado das oficinas de sensibilização ambiental e animação stop-motion, respectivamente ministradas por Daniele Carvalho e Bruno Cabús. “Será um dia muito especial, momento mundial para repensar o uso da energia em nossa cidade. É a contribuição da MARE para que possamos pensar uma cidade melhor”,diz Rafael Buda. 
A MARE é uma realização Asaga Audiovisual e conta com produção da Bonsucesso Comunicação e Cultura, incentivo do Fundo Municipal de Meio Ambiente do Recife e apoio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife. “A MARE vai proporcionar para as pessoas um momento de reflexão e debate sobre a importância de construir rumos mais sustentáveis para a cidade. E nesse contexto, é fundamental discutir a mobilidade urbana sobre uma nova ótica, que estimule o uso de transporte alternativo, como bicicleta”, diz a secretária de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife, Cida Pedrosa, lembrando que o setor de transporte é responsável por 65% das emissões de Gases do Efeito Estufa na capital pernambucana.
Programação completa:

14/03 - Cinema São Luiz 
17h - Bike vs.Carros (doc, Suécia, 2015, cor, HD, 90’), de Fredrik Gerten + debate
19h30 - Índios Zoró – antes, agora e depois? (doc, PE, 2016, cor, HD, 70’), de Luiz Paulino dos Santos*estreia noRecife; debate com diretor, o produtor Tiago Melo e o realizador Vincent Carelli (Vídeo nas Aldeias)

15/03
Jardim Botânico do Recife (Curado)
Mostra de curtas e bate papo
9h e 14h – Programa 1 – 65’
Vrruummm!! (fic, SP, 2003, cor, 5’), de Paula Dager
A ilha (fic, ,SP, 2009, cor, digital, 8’48’’), de Alê Camargo
Carreto (fic, BA, 2009, cor, 35mm, 12’), de Cláudio Marques e Marília Hughes
Miss&Grubs  (fic, SP, 2015, cor, HD, 9’), de Jonas Faria Brandão e Camila Kamimura
Dia Estrelado (fic, PE, 2011, cor, 35mm, 17’), de Nara Normande
Não custa nada (fic, RJ, 2014, cor, HD, 13’), de Edu Pereira *estreia no Recife

10h e 15h - Programa 2– 58’
A cena e a cana (PE, 2014, animação, cor, digital, 2’22’’), resultado da oficina de animação stop-motion da 4ª Mostra Canavial de Cinema, ministrada por Bruno Cabús e Paulo Leonardo
Poesia Animada (fic, PE, 2014, cor, HD,3’13’’), resultado da oficina de stop-motion da 1ª Mostra Cinema na Mata, ministrada por Quiá Rodrigues e Gabi Saegesser
Cordilheira de amora II (doc, MS, 2015, cor, HD, 12’), de Jamille Fortunato*estreia no Recife
Olinda limpeza (fic, PE, 2014, cor, HD, 6’), de Lula Gonzaga
Dia Estrelado (fic, PE, 2011, cor, 35mm, 17’), de Nara Normande
Não custa nada (fic, RJ, 2014, cor, HD, 13’), de Edu Pereira*estreia no Recife
Vrruummm!! (fic, SP, 2003, cor, 35mm, 5’)
A ilha (fic, ,SP, 2009, cor, digital, 8’48’’), de Alê Camargo

18h30 - Cineclube CineRua (Rua do Hospício, em frente ao Teatro do Parque) – 70’
Homem na estrada (fic, SP, 2015, cor, digital, 13’), de Felipe Terra*estreia no Recife
Calma Monga, Calma! (fic, PE, 2011, cor, 16mm, 18’24’’), de Petrônio de Lorena
Poeta Urbano (fic, PE, 2012, cor, 35mm, 16’31’’), de Antônio Carrilho
João Batista (doc, MG,2015, cor, HD, 23’), de Rodrigo Resende Meirelles*estreia no Recife


16/03 - Área externa do CAC / UFPE(Cidade Universitária)
17h - Sarau Ambiental
18h - Mostra de Curtas - 24’15’’
Ciclo Ativo (doc, PE, 2016, cor, HD, 6’), de Jacaré Vídeo
Cidade Líquida (doc, AL, 2015, cor, HD, 12’), de Laís Araújo
Capibaribe (doc, PE, 1981, cor, super8, 6’15’’), de Fernando Spencer
18h30- Debate “A cidade que queremos: os desafios da mobilidade urbana” com participação de Cida Pedrosa (Secretária de Meio Ambiente da Prefeitura do Recife), o arquiteto Luiz Carvalho (InCiti - Pesquisa e Inovação para as Cidades / Parque Capibaribe), Ricardo Rogo (Ecobike) ePedro Paes Barreto dos Santos (Ameciclo).

17/03- Estação Central do Recife (São José)
17h - Sarau Ambiental 
18h - Mostra de Curtas - 92’
Centro, organismo vivo (doc, AL, 2013, cor, HD, 10’34’’), de Aldemir dos Reis, Diogo Cardoso, Eduardo Pereira, Elias Gonzaga, Laysa Menezes, Paulo Luna*estreia no Recife
Bike Gelo Baiano (doc, PE, 2015, cor, HD, 2’18), de Jacaré Vídeo
O paradoxo da espera do ônibus (fic, RJ, 2007, cor, digital, 3’), de Christian Caselli
O fim dos carros (doc, PE, 2015, cor, HD, 3’40’’), de Jacaré Vídeo
A Copa do Mundo no Recife (doc, PE, 2014, cor, HD, 15’), de Kleber Mendonça Filho
Engano (fic, RJ, 2008, cor, digital, 11’), de Cavi Borges
Eficiência sobre rodas (doc, PE, 2015, cor, HD, 5’51), de Jacaré Vídeo
Miró – preto, pobre, poeta e periférico (doc, PE, 2008, cor, digital, 19’), de Wilson Freire
Dia de fúria (PE, 2015, documentário, cor, HD, 3’), de Jacaré Vídeo
Fragmentos de uma cronologia inerte (doc, PE, 2013, cor, HD, 8’), de Lucas Simões
Linear (SP, 2014, animação, cor, digital, 6’), de Amir Admoni
No caminho do bem (PE, 2015, documentário, cor, digital, 3’24’’), de Jacaré Vídeo

18/03- Estação Central do Recife (São José)
17h- Sarau Ambiental 
18h - Mostra de Curtas - 90’
Ciclo Ativo (doc, PE, 2016, cor, HD, 6’), de Jacaré Vídeo
Linear (fic, SP, 2014, cor, HD, 6’), de Amir Admoni
Clave dos Pregões (doc, PE, 2015, cor, HD, 15’), de Pablo Nóbrega
Bike Gelo Baiano (doc, PE, 2015, cor, HD, 2’18), de Jacaré Vídeo
Cidade Líquida (doc, AL, 2015, cor, HD, 12’), de Laís Araújo
Andarilho (doc, PE, 2015, cor, HD, 5’08), de Jacaré Vídeo
Praça Walt Disney (doc, PE, 2011, cor, HD, 21’), de Renata Pinheiro e Sergio Oliveira
Travessia (doc, PE, 2015, cor, HD, 3’15’’), de Jacaré Vídeo
Recife de dentro pra fora (doc, PE, cor, 35mm, 15’30’’), de Kátia Mesel
No caminho do bem (doc, PE, 2015, cor, HD, 3’24’’), de Jacaré Vídeo

19/03 –Recife Antigo
INCITI (Rua do Bom Jesus, 191)
18h – Sessão cineclubista

Marco Zero 
20h30 - Hora do Planeta: Pedalada Sustentável com exibição de curtas + resultado das oficinas de sensibilização ambiental e animação stop-motion
22h - Festa no Café Castro Alves (Rua do Lima, 280 - Santo Amaro)

Serviço
2ª MARE - Mostra Ambiental do Recife
Quando: de 14 a 19 de março
OndeCinema São Luiz, Jardim Botânico, UFPE, Estação do Recife, Teatro do Parque e Recife Antigo
Informações: (81) 99689-3671
Entrada franca

The Fevers no Manhattan

A banda The Fevers, um dos grandes nomes da Jovem Guarda, volta ao palco do Manhattan Café Theatro, em dois dias de shows, sexta(18) e sábado (19) de março, a partir das 21h. Os Garçons Cantores são os responsáveis pela abertura das noites.
No repertório, o grupo apresenta seus grandes sucessos, com destaques para “Mar de Rosas”, “Vem me Ajudar”, “Cândida”, “Hey Girl”, “Por Causa de Voce”, trilhas sonoras de filmes e novelas e hits da Jovem Guarda. “Vamos fazer uma retrospectiva das músicas que fizeram sucesso nas décadas de 60, 70, 80 e 90, que marcaram nossa história na música”, afirma Liebert Ferreira, fundador e um dos integrantes da banda.
O show Vem Dançar já conta com mais de 250 apresentações pelo país e exterior.  The Fevers é formado por Luiz Cláudio (vocal), Liebert Ferreira (contrabaixo), Miguel Ângelo (teclado), Rama (guitarra) e Otávio Henrique (bateria).
Os ingressos custam a partir de R$ 100 e o Manhattan fica na Rua Francisco da Cunha, 881 - Boa Viagem, Recife - PE. Mais informações pelo fone (81) 3325 – 3372.

Quem for aos Jogos pode conhecer nosso Artesanato

Brasileiros e estrangeiros que estiverem no Rio de Janeiro durante as Olimpíadas 2016 ganharão mais uma opção de lazer no coração cultural e histórico da capital carioca. O Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro (CRAB) será aberto ao público no dia 22 de março com uma exposição que apresenta um panorama abrangente da produção artesanal brasileira. A mostra fica em cartaz até 11 de setembro e promete ser mais um programa para os turistas nos intervalos dos Jogos Olímpicos. Os visitantes também poderão levar um pouco do artesanato do Brasil para casa, já que parte das peças da exposição serão vendidas na loja Brasil Original.
Durante as Olimpíadas, o Sebrae também pretende viabilizar ônibus que transportem os turistas dos pontos dos jogos e das instalações onde estarão os atletas, como a Vila Olímpica, para o CRAB. “Vamos facilitar a acesso dos turistas brasileiros e estrangeiros ao CRAB para que eles conheçam o artesanato de todos os estados do país”, afirma o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos. “Também queremos montar quiosques que vendam o artesanato em diferentes pontos da cidade. Para ajudar a promover o artesanato, temos que ajudar a vendê-lo”.
Com curadoria de Adélia Borges e Jair de Souza, a exposição Origem Vegetal: a biodiversidade transformada apresentará cerca de 800 peças elaboradas por artesãos que atuam nas 27 unidades da Federação. A exposição tem como escopo os objetos feitos com matérias-primas de origem vegetal, derivados de plantas e árvores, tais como madeiras, palhas, sementes e resina.
As tipologias de objetos selecionados incluem jogos americanos, luminárias, móveis, cestas, bolsas, talheres, joias, painéis decorativos, flores, brinquedos, tecidos, tapetes, almofadas, chapéus, mantas e esculturas. A lista de obras tem cerca de cem espécies vegetais que vêm sendo transformadas pelas mãos de nossos artesãos, entre elas fibras vegetais de todos os tipos e texturas, sementes de várias cores e tamanhos, madeiras, borrachas.
A pesquisa para a seleção das obras expostas envolveu uma vasta rede, com a participação dos gestores estaduais dos programas de artesanato do Sebrae. Houve um grande esforço de pesquisa e de procura de elementos novos, de pessoas que estavam sem visibilidade, trabalhando isoladamente na sua comunidade. “A escolha dos objetos a serem expostos obedeceu a um critério de excelência, quebrando o paradigma da feira e do produto de baixo valor agregado para requalificar o artesanato num patamar mais alto”, afirma a diretora-técnica do Sebrae, Heloisa Menezes. “Essa visão rica, abrangente e plural da produção artesanal no Brasil atual contribuirá para reposicionar a percepção do valor e da qualidade do artesanato brasileiro”, acrescenta ela. 
Empreendedorismo
A exposição traz um painel transversal da produção artesanal do país. Na seleção, predominam trabalhos de autoria coletiva, elaborados por cerca de 50 associações ou cooperativas artesanais, tanto rurais quanto urbanas, e por cerca de 20 etnias indígenas. Nessas comunidades espalhadas pelo país, iniciativas marcadas pelo empreendedorismo e pela inovação social trazem um novo impulso ao desenvolvimento local. Além disso, estão expostos os trabalhos de 53 autores individuais, entre artesãos autônomos formalizados como Microempreendedores Individuais (MEI) e artistas. Entre eles há mestres reconhecidos, tais como: Véio, de Sergipe; Cunha, de Pernambuco; Antônio de Dedé, de Alagoas; e Getúlio Damado, do Rio de Janeiro.
Cinco artesãos, mestres reconhecidos por seu trabalho, foram convidados pelo Sebrae e estarão presentes na abertura da exposição: a artista Mônica Carvalho, do Rio de Janeiro; Tereza Kummer, da Associação Tranças da Terra de Santa Catarina;  Célio Terêncio, do Amazonas; Cláudia Castelão, da empresa Flor de Xaraés de Mato Grosso do Sul, e Evanira Gonçalves, da cooperativa dos trançados Tupinambás (Copartt), da Bahia. No desenvolvimento desses trabalhos, especialmente aqueles mais ligados à inovação, houve a participação de 52 designers reconhecidos nacionalmente e até internacionalmente, como Renato Imbroisi, Heloísa Crocco, Jum Nakao, Marcelo Rosenbaum, Paula Dib, Ronaldo Fraga e Sérgio Mattos. Há ainda peças concebidas e assinadas por designers como Érico Gondim e Rodrigo Ambrósio que utilizam elementos artesanais.
O CRAB também contará com um restaurante e um café/bistrô abertos ao público que vão servir pratos que demonstrem a riqueza gastronômica brasileira por meio de ingredientes e práticas culinárias típicas. Passam a funcionar a partir do dia 22 de março, quando o Centro será aberto ao público. O restaurante ficará aberto das 11h às 23h.
Serviço:
Exposição Origem Vegetal no CRAB
Quando: A partir de 22 de março
Endereço: Praça Tiradentes 67, 68 e 71, Centro, Rio de Janeiro
Telefone: (21) 3065-4333
Horários: terças das 10h às 19h, quartas a sábados das 10h às 17h
Entrada gratuita
Agência Sebrae de Notícias

Procon fecha área de negócios do BB de Igarassu

Dando continuidade as fiscalizações nas agências bancárias, o Procon-PE interditou ontem (10) a área de negócios do Banco do Brasil,  de Igarassu. 


O estabelecimento foi o quinto interditado,  nas últimas duas semanas,  por descumprir a Lei Estadual n° 12.264 que fala que o tempo máximo de espera nas filas dos bancos não deve ultrapassar 15 minutos, podendo chegar a 30 minutos nos seguintes casos: em véspera ou em dia seguinte a feriados; em data de vencimentos de tributos; em data de pagamento de vencimento. A interdição dura 72 horas.


Só está semana já foram fiscalizadas 13 agências bancária, localizadas nos bairros do Cordeiro, Encruzilhada, Campo Grande, Boa Vigem, Afogados, todas no Recife e Bairro Novo, em Olinda. Quatro estabelecimentos foram interditados por tempo de espera e uma notificada porque o totem para retirada de ficha de atendimento estava desligado.
As agências que tiveram as áreas de negócios interditadas foram: Itaú, da Estrada de Belém, Santander, de Campo Grande, Bradesco, de Olinda, e Caixa Econômica, localizada em Afogados. 
Imprensa Procon/PE

Nova loja da Compesa no Cabo

Com foco na melhoria do atendimento ao cliente, a Compesa inaugurou, nesta quinta-feira (10), uma loja no município do Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife. A Companhia atendia em uma outra unidade, que não oferecia bom acesso. Agora, com conforto e comodidade, a população conta com uma espaço próximo ao centro comercial da cidade.
A mudança de endereço foi uma reivindicação dos próprios clientes, como explicou o gerente de Negócios Metropolitano Sul, Alex Ramos. “Fizemos uma enquete com a população e a falta de mobilidade da antiga loja foi a principal reclamação. Por isso nós trouxemos a loja para um ponto mais central, onde o nosso cliente tem acessibilidade através do transporte público, ou do qualquer outro meio, próximo a bancos e demais agentes arrecadadores”, contou.

A nova loja faz parte de uma metodologia maior aplicada pela Compesa na gestão atual. “Nós hoje estamos com foco justamente no atendimento e satisfação do cliente, pois só vamos conhecer o nosso mercado quando estivermos próximo do nosso público-alvo”, afirmou o Diretor de Mercado e Atendimento da Companhia, Eduardo Sabino.

A gerente de Atendimento ao Cliente, Rosângela Carneiro, destacou a preocupação da Compesa em satisfazer o cliente. “Esse investimento é para oferecer um melhor atendimento e pensando, também, na comodidade do cliente”, disse. O novo endereço fica à Rua Visconde de Campo Alegre, 93, em frente à praça da Celpe. O horário de atendimento da nova loja é da segunda a sexta-feira, de 8 às 17h, e aos sábados, de 8 às 12h. Serviços como segunda via de contas, religação, negociação de débitos, pedidos de ligação, entre outros são oferecidos nas lojas de atendimento da Compesa.

Imprensa Compesa

Marcha das mulheres

No mundo inteiro mulheres foram as ruas reivindicar igualdade de direitos e respeito as suas escolhas. Marcar que o seu lugar na sociedade precisa ser respeitado. Que não aceitam a discriminação seja ela de classe, de raça, de etnia, de credo, de opção de viver sua liberdade sexual. Dizer que a luta continua até que todas sejam livres. No Brasil, foram muitas as marchas e atividades para levar a pauta feminista à sociedade. Em Pernambuco e na Paraíba as mulheres rurais levantaram sua voz para mostrar sua força nas ruas dos seus estados.
Um pouco de história*
Desde que o movimento feminista ganhou força na década de 1960, especialmente nos Estados Unidos da América (EUA), que fortaleceram-se as comemorações do dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher, a partir da história das 129 mulheres queimadas vivas em Nova Iorque. Na década de 1970, pressionadas pelas organizações feministas, essa data foi reconhecida pela ONU e Unesco e passou a fazer parte do calendário das organizações de mulheres como o Dia Internacional da Mulher.
Essa luta, entretanto, é mais antiga e vale a pena rememorar as históricas mulheres que se desafiaram a enfrentar o machismo, o patriarcado. É importante lembrar que essa luta vem de outras datas e revela nomes como das intelectuais e marxistas Alexandra Kollontai, Clara Zetkin e Rosa Luxemburgo, que já em 1907, na 1ª Conferência Internacional de Mulheres Socialistas, colocavam para os partidos socialistas a pauta do voto feminino. Nesse período muitas greves eclodiram em vários cantos do mundo, inclusive nos EUA.
Na 2ª Conferência Internacional da Mulher Socialista, em 1910, foi deliberado para que as mulheres realizassem dias de luta em seus países, sem especificação de datas. Suécia e França comemoraram em 1º de maio, EUA 28 de fevereiro, Alemanha 19 de março. Há registros históricos de que neste mesmo ano, em Nova Iorque, acontece uma greve onde houve um incêndio e 149 pessoas morreram, a maioria era de mulheres. Há uma desconfiança de que o 8 de março de hoje pode ter nascido aí, já que não existem registros do incêndio das 129 operárias dos EUA.
As feministas socialistas, entretanto, defendem que o 8 de março tem origem em 1917 com a greve das tecelãs de São Petersburgo, na Rússia. Essa greve foi a gota d’água para a Revolução Russa, que explodiu naquele ano. E, no ano seguinte, em 8 de março, Alexandra Collontai lidera as comemorações do Dia Internacional da Mulher, consagrando essa data. Porém, foi a partir de 1922 que o Dia Internacional da Mulher passou a ser celebrada, oficialmente nessa data, para relembrar a greve das tecelãs de São Petersburgo. Apesar de só se tornar mais conhecida e comemorada a partir de 1970, com o reconhecimento da Unesco e da ONU.
*Texto construído a partir da cartilha A Origem Socialista do Dia da Mulher – do Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC)
Hoje a luta continua no campo e na cidade
Votar, estudar, trabalhar fora, profissionalizar-se no que deseja são conquistas garantidas com muita luta. Mas a estrada ainda é longa. Nos cargos políticos, no judiciário e nas várias esferas de destaque a mulher ainda é minoria. Os salários são mais baixos que o dos homens, inclusive quando exercem a mesma função. O machismo ainda impera e a mulher ainda é vista como propriedade ou objeto de uso dos homens. A violência e a falta de respeito não têm classe, cor, idade, atinge a todas.
Em Pernambuco e na Paraíba as mulheres marcharam unidas pela vida, pela diversidade e pela agroecologia. No Recife, Pernambuco, o Parque 13 de Maio foi palco de várias rodas de diálogos sobre violência, saúde, creches, conjuntura política, entre outros. A juventude se fez presente trazendo sua alegria e ousadia para fortalecer a luta e os laços entre gerações. Cerca de cinco mil pessoas vieram dar seu recado no ato Pela vida das Mulheres, no Recife. As lideranças feministas denunciaram o descaso do governo estadual, em especial na área de saúde com fechamento de maternidades, dificuldades para marcar consultas, comunidades sem Unidades Básica de Saúde, falta de atendimento adequado às mulheres vítimas de violências doméstica e sexual, dentre tantas outras denúncias. O Ato da capital pernambucana foi unificado, organizado por cerca de 30 organizações dos movimentos social, sindical e estudantil.
No Agreste de Pernambuco, na cidade de Caruaru, mulheres rurais e urbanas foram às ruas pela união e pela diversidade. Elas soltaram a voz contra o machismo, a violência, contra a lei que proíbe as mães de amamentares seus filhos em público. Exigiram o fim da violência contra mulher e o retorno, em Caruaru, do plantão policial nos finais de semana da Delegacia da Mulher. A agricultora do município de Cumaru, Agreste de Pernambuco, Joelma Pereira disse da importância de ir ás ruas. “Porque a nossa luta é constante e precisamos ir em busca dos nossos direitos. Buscamos melhorias para nossas vidas e as trabalhadoras do campo e da cidade merecem respeito. O dia da mulher não é apenas o 8 de março. O dia da mulher são todos os dias”, afirma Joelma.
Caruaru 2
Ciranda marcou encerramento do ato no Marco Zero de Caruaru
Durante a marcha, a mulherada distribuiu a Carta Unificada dos Movimentos e Organizações Feministas de Caruaru, contendo suas reivindicações e falando da atual situação do país. “Não podemos nos calar e pagar por uma crise política e econômica que não é nossa. Não podemos admitir a minimização da violência contra mulher. Precisamos pressionar o Judiciário, o Governo Federal, o Congresso Nacional, a Assembléia Legislativa e o Governo do estado de Pernambuco, a Câmara Municipal e a Prefeitura de Caruaru para que nossas reivindicações sejam urgentemente atendidas e possamos avançar na conquista dos Direitos Humanos das Mulheres e para que os Direitos já conquistados saiam do papel e tornem-se reais em nossas vidas”, diz a carta assinada por mais de 24 organizações feministas e mista, dentre elas o Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste (MMTR/NE) e Centro Sabiá.
Em Areial, no Polo da Borborema, na Paraíba, as mulheres realizaram a VII Marcha pela Vida das Mulheres e Pela Agroecologia. A marcha levou mais de mais de 5 mil pessoas às ruas. Na sua saudação, a presidenta do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Areial, Zeneide Grangeiro, destacou a importância do 8 de março. “Nesse dia a gente vem aqui reivindicar nossos direitos e para que nosso projeto de agroecologia seja conhecido e valorizado pela sociedade”, explica. A cirandeira pernambucana, Lia de Itamaracá e as companheiras Severina e Dulce Baracho animaram a marcha no seu momento cultural. As denúncias e reivindicações fizeram parte da pauta da marcha. Mulheres que tombaram na luta por direitos e igualdade de gênero foram lembradas durante a marcha.
Com informações da AS-PTA Agricultura familiar e agroecologia - Centro Sabiá/PE

Tem cinema na rua

Lançado em dezembro de 2015 como projeto de exibição permanente e com isso manter viva a memória do Teatro do Parque, o Cineclube CineRua traz para o centro do Recife filmes e atividades de rua que provoquem reflexões e debates sobre formas de pensar, ocupar e viver a cidade. A terceira sessão do cineclube será nesta terça (15), às 18h30, em frente ao Cineteatro do Parque, com a exibição de quatro curtas metragens, dois deles inéditos no estado. 
Em parceria com a 2ª Mostra Ambiental do Recife – MARE, que acontece entre 14 e 19 de março em vários locais da cidade, o Cineclube CineRua preparou programa especial com curtas que dialogam com a mobilidade, tema da mostra. Nesta terceira edição serão exibidos os curtas “Homem na estrada (SP, 2015), de Felipe Terra, Calma Monga, Calma! (PE, 2011), de Petrônio de Lorena, Poeta Urbano (PE, 2012), de Antônio Carrilho e João Batista (MG, 2015), de Rodrigo Resende Meirelles. Após a sessão, haverá debate com os realizadores Petrônio Lorena e Antônio Carrilho. 
O Cineclube CineRua é a primeira ação continuada do movimento #CineRuaPE, fundado no ensejo de reunir esforços, promover atividades, estratégias e a conscientização da importância de se preservar os poucos cinemas de rua que restam no Estado. Ao propor exibições periódicas até que o Teatro do Parque seja entregue novamente à população, o #CineRuaPE sai em defesa de um dos principais espaços culturais da cidade, fechado para reforma desde 2010. Durante a sessão, camisetas serão vendidas em apoio ao cineclube. 
Histórico - O Teatro do Parque passou a exibir filmes um mês depois de sua inauguração, em agosto de 1915. Em 1929 foi comprado e modernizado pelo Grupo Severiano Ribeiro, que o reinaugurou no dia 29 de setembro, anunciado como “o mais belo, luxuoso e confortável cinema do norte do Brasil”. Em 23 de março de 1930 promoveu a primeira sessão de cinema sonoro do estado, com o filme “A divina dama”. O Teatro do Parque já foi também a casa da Orquestra Sinfônica Pernambucana e abrigou por muitos anos o Projeto Seis e Meia. Nos anos 1970 recebeu festivais de cinema Super 8. Em 1975 recebeu a Filmoteca Alberto Cavalcanti, que nunca funcionou efetivamente. O Festival de Vídeo de Pernambuco (atual FestCine) nasceu lá, em 1999. Nos anos 90, sob a programação de Geraldo Pinho, o Cinema do Parque se tornou a sala mais popular do Recife, com sessões a R$ 1 (um real) de filmes nacionais e estrangeiros.

Programação:
Homem na estrada (fic, SP, 2015, cor, digital, 13’), de Felipe Terra*estreia no Recife
Calma Monga, Calma! (fic, PE, 2011, cor, 16mm, 18’24’’), de Petrônio de Lorena
Poeta Urbano (fic, PE, 2012, cor, 35mm, 16’31’’), de Antônio Carrilho
João Batista (doc, MG,2015, cor, HD, 23’), de Rodrigo Resende Meirelles*estreia no Recife

Serviço:
Cineclube CineRua
Quando: terça-feira, 15/03, às 18h30
Onde: em frente ao Teatro do Parque (Rua do Hospício – Boa Vista)
Informações: (81) 99675-6252 / (81) 99617-6008

Adilson Ramos no Clube das Pás

O Clube Carnavalesco Misto das Pás ou apenas Clube das Pás, um dos grandes e mais tradicionais clubes do estado, celebra 128 anos de história no próximo dia 19 (sábado) com uma grande festa. A atração principal será o cantor Adilson Ramos, além da banda Baladeiros S/A, Orquestra das Pás e Orquestra Brilhante. O evento começa a partir das 21h. Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Do valor de cada ingresso, será destinado R$ 10 para a compra de fraldas descartáveis, que serão doadas ao IMIP e à Fundação Alice Figueira. 
A história do Clube das Pás se confunde com a dos trabalhadores portuários, que no final do século 19 começaram a se organizar em associações. Por este motivo, durante o evento, a diretoria do Clube prestará uma homenagem aos portuários, representados pelo Sindicato dos Estivadores de Pernambuco, quando será entregue uma placa comemorativa aos representantes do sindicato, que é o mais antigo da América Latina e faz aniversário no mesmo dia que o Clube das Pás, no caso, no dia 19. "O objetivo desta homenagem é resgatar a história dos verdadeiros fundadores do Clube das Pás, que são os estivadores, os carvoeiros e os portuários", ressalta o presidente do Clube das Pás, Rinaldo Lima. 
O Clube das Pás é tradição do carnaval e da cultura pernambucana. O salão de seu clube representa o mais tradicional espaço de gafieira do Estado de Pernambuco. A Orquestra das Pás é uma atração à parte, além de frevos de carnaval, a Orquestra toca rumbas, salsas, merengues, forrós, tangos, boleros e sambas, sob a batuta do maestro Ernani. Eventos tradicionais do clube já fazem parte do calendário recifense, como o Baile do Hawaii, na semana pré-carnaval, e o Baile da Terceira Idade, que acontece semanalmente todas as segundas-feiras.  
A eleição da nova diretoria aconteceu em dezembro de 2015, a qual elegeu como presidente Rinaldo Lima. Entre as propostas na nova gestão, estão a climatização do clube; a redução dos preços dos ingressos, de comidas e bebidas; campanha para novos sócios e a renegociação de débitos anteriores, além do resgate do tradicional clube, como referência para a cultura e o carnaval pernambucano, sem falar do engajamento do clube em iniciativas da comunidade e de atividades com responsabilidade social para com o Recife e sua população. 
Fundado em 1888, o Clube das Pás é um dos grandes clubes carnavalescos de Pernambuco. Sua origem é do Bloco das Pás de Carvão, devido aos carvoeiros que abasteciam embarcações no Porto do Recife. Em 1890 seu nome mudou para Clube Carnavalesco Misto das Pás e surgiu no mesmo período de clubes, como Vassourinhas, Lenhadores e Toureiros de Santo Antônio. O Clube das Pás possui o estandarte mais antigo e foi citado em alguns frevos, como por exemplo, Voltei Recife, um dos hinos do carnaval pernambucano. 
Os ingressos para o aniversário custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Do valor de cada ingresso, será destinado R$ 10 para a compra de fraldas descartáveis, que serão doadas ao IMIP e a Fundação Alice Figueira, em mais uma ação de solidariedade do clube. O Clube das Pás fica na Rua Odorico Mendes, 263 - Campo Grande, Recife. Mais informações pelos telefones (81) 98611 – 3788 / 98625 – 2409 / 98817 – 9849.