Sabores da Tia Val

Sabores da Tia Val
Encomendas pelo Direct do lnstagram

terça-feira, fevereiro 28, 2017

Igarassu: Recém-nascida é encontrada em caixa de papelão

A PM foi acionada, na manhã desta segunda-feira (27), para ajudar uma recém-nascida que, horas antes, havia sido abandonada em uma caixa de papelão, em Cruz de Rebouças, distrito de Igarassu, no Grande Recife. 

De acordo com a corporação, uma mulher que passava pelo local chegou a dar de mamar para para a criança, que seguiu para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade.

A recém-nascida foi achada por moradores do distrito, nas proximidades de um hotel. Sem conseguir contato com a unidade de saúde, eles ligaram para a PM. Em seguida, uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) chegou ao local e levou a criança para a UPA.

Segundo informações repassadas pela UPA de Igarassu, a criança passa bem. Ela poderia receber alta, caso algum parente aparecesse para identificá-la.

O setor de assistência social da unidade informou que, se ninguém procurasse a recém –nascida, seria preciso esperar por uma decisão da Justiça de Pernambuco sobre quais procedimentos seriam adotados. O Conselho Tutelar foi acionado. Ela deve ser encaminhada ao Abrigo Pão da Vida, em Igarassu.
Portal G1

Nota do Blog: A imagem é meramente ilustrativa, não é o pezinho da referida menina.

Caruaru: PM sofre tentativa de assassinato e prende um dos suspeitos

Um policial militar sofreu uma tentativa de homicídio no domingo (26), no bairro Cidade Jardim, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com a PM, o policial estava em um carro da polícia quando foi abordado por dois homens, que realizaram os disparos. Os tiros atingiram a porta do veículo. Em seguida, o policial reagiu e conseguiu prender um dos homens. 

Junto com o suspeito a polícia encontrou uma espingarda calibre 12, quatro cartuchos, uma touca ninja, maconha, um celular e R$ 34. O homem detido recebeu atendimento médico e foi apresentado em audiência de custódia. O outro suspeito está foragido.

Portal G1

Turista argentina baleada em Santa Teresa está em estado grave

Permanece em estado grave, porém estável, a turista argentina Natália Cappetti, ferida nesta segunda (27) a bala quando entrou por engano no Morro dos Prazeres, comunidade do bairro de Santa Teresa, quando se dirigia ao Corcovado. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

Natália estava acompanhada do marido e de um casal de amigos. Eles estavam de carro quando entraram no morro, onde o veículo foi alvo de tiros disparados por traficantes de drogas. O carro teria sido atingido por seis tiros.

Ela passou por cirurgia nesta segunda-feira (27) à noite no Hospital Municipal Souza Aguiar, para onde foi levada. Após a cirurgia, a vítima foi levada para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) e seu quadro é estável. A bala atingiu as costas da vítima e saiu pela perna, informou a secretaria.

Com informações do Jornal do Brasil e da Agência Brasil

Atropelamento em Nova Orleans deixa 28 feridos

A polícia de Nova Orleans, nos Estados Unidos, está investigando o atropelamento de um veículo contra um grupo de pessoas durante um desfile do Mardi Gras, a versão americana do carnaval, na noite do último sábado (25). Segundo a BBC e a CNN, 28 pessoas ficaram feridas, das quais 21 seguem internadas em hospitais da região, cinco delas em estado crítico.

O chefe da polícia, Michael Harrison, disse que o suspeito, que estava dirigindo uma picape cinza atingiu dois carros antes de ivestir contra a multidão. O mortoristas "provavelmente estava muito intoxicado", afirmou.

O prefeito de Nova Orleans, Mitch Landrieu, emitiu um comunicado e referiu-se ao homem detido como um "motorista bêbado". Entre os feridos, há uma criança de 3 anos e uma policial, informou a CNN. Segundo a BBC, a polícia não suspeita de terrorismo. O acidente ocorreu perto da interseção das avenidas Orleans e Carrollton.

Portal G1

Justiça do Chile condena 11 agentes da ditadura de Pinochet à prisão por desaparecimentos de opositores em 1974

A Justiça chilena condenou nesta segunda-feira (27/02) 11 agentes da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) à prisão pelos desaparecimentos de dois militantes do MIR (Movimento da Esquerda Revolucionária) em 1974.

Os 11 agentes da DINA (Direção de Inteligência Nacional), o serviço secreto da ditadura, foram considerados responsáveis pelos sequestros qualificados de María Inés Alvarado Börgel e Martín Elgueta Pinto, ambos com 21 anos no dia em que foram detidos pelos agentes, 15 de julho de 1974, em Santiago, capital chilena.

A sentença foi estabelecida pelo juiz Leopoldo Llanos, ministro para causas por violações de direitos humanos da Corte de Apelações de Santiago. Miguel Krassnoff – ex-chefe da DINA e conhecido torturador –, Basclay Zapata Reyes e Risiere del Prado Altez España foram condenados a 15 anos e um dia de prisão pelos sequestros e pela tortura contra Börgel e Pinto. César Manríquez Bravo, Nelson Paz Bustamante, José Yévenes Vergara e Osvaldo Pulgar Gallardo foram condenados a 10 anos e um dia de prisão pelos mesmos crimes.

Pedro Espinoza Bravo e Orlando Manzo Durán foram condenados a sete anos de prisão como autores do sequestro qualificado de Martín Elgueta Pinto, enquanto Raúl Iturriaga Neumann recebeu a condenação a quatro anos de prisão como cúmplice deste sequestro e Sergio Castillo González foi condenado a cinco anos e um dia de prisão como cúmplice dos dois sequestros.

A investigação realizada no âmbito do processo estabeleceu que María Inés Alvarado Börgel e Martín Elgueta Pinto, detidos pelos agentes no mesmo dia, porém separadamente, foram torturados e tiveram como destino final o quartel da DINA em Santiago conhecido como Londres 38, casa de detenção e tortura do regime de Augusto Pinochet para onde foram levados muitos opositores da ditadura.

O juiz também ordenou que o Estado chileno pague uma indenização de 50 milhões de pesos (cerca de 240 mil reais) a cada um dos cinco irmãos dos dois militantes desaparecidos.

Segundo dados oficiais, pelo menos 3.200 cidadãos chilenos foram assassinados por agentes da ditadura de Augusto Pinochet. Destes, 1.192 continuam desaparecidos, enquanto outras 33 mil pessoas foram presas e torturadas por se oporem à ditadura.

Opera Mundi

Cresce diferença de jornada entre homens e mulheres

A diferença de carga de trabalho total entre homens e mulheres aumentou em dez anos.

Enquanto em 2005 elas trabalhavam 6,9 horas a mais por semana que os homens, em 2015 essa diferença subiu para 7,5 horas.

O tempo gasto por homens com atividades profissionais caiu quase 3 horas, mas essa queda não foi compensada por uma maior dedicação às tarefas domésticas, que seguiram ocupando em média 10 horas da semana deles.

Entre as mulheres, o tempo gasto com afazeres em casa continuou mais do que o dobro dos homens, passando de 26,9 horas para 24,4 horas –queda explicada pelo maior acesso a eletrodomésticos. O trabalho profissional seguiu estável em 35 horas.

Agora (SP)

Armado com faca, homem joga carro contra pedestres e é baleado na Alemanha

Um homem aparentemente armado com uma faca jogou um carro contra pedestres na cidade alemã de Heidelberg no último sábado (25), informou o canal local N24, citando a polícia. Três deles ficaram feridos.

Após o incidente, a polícia alemã disparou contra o motorista depois que ele tentou fugir. Ele foi levado para um hospital, onde se encontra até o momento. Reportagens da mídia local informaram que o homem estava armado com uma faca.

O homem foi interceptado por uma patrulha da polícia e baleado por um oficial depois de um curto embate. De acordo com um porta-voz da polícia, Norbert Schaetzle, um ataque terrorista não está sendo considerado como uma razão para o incidente.

Morte - Um homem de 73 anos morreu no hospital depois de ter sido seriamente ferido no ataque. A polícia disse ainda que as duas outras pessoas que foram feridas no ataque – um austríaco de 32 anos e uma mulher de 29 anos da Bósnia e Herzegovina – receberam tratamento hospitalar e já receberam alta.

Sputinuk News Brasil

Lava Jato ameaça contratos de quase US$ 16 bi da Odebrecht no exterior

A crescente onda de rejeição vivida pela Odebrecht no mercado internacional põe em risco contratos de quase US$ 16 bilhões em projetos conquistados nos últimos anos. Até setembro de 2016, dois terços da carteira de obras da empreiteira tinham origem lá fora, em países como Venezuela, Angola e Panamá. Juntos, esses três países tinham mais obras contratadas com a empresa do que o Brasil

Embora esteja presente no exterior desde a década de 1970, a política de expansão da Odebrecht para além das fronteiras brasileiras ganhou força nos anos 2000, com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) à internacionalização das construtoras. Além disso, nessa época, a empresa já era reconhecida pelo alto poder financeiro e know-how - leia-se certificações - para construir quase todo tipo de obra, o que colocava a brasileira um degrau acima dos demais concorrentes.

Mas, com a Operação Lava Jato, os contratos no mercado externo começam a se perder. Desde que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) divulgou os dados sobre pagamento de propina da Odebrecht em cada país, a participação que antes era comemorada virou foco de turbulência e preocupação. Alguns países já ameaçaram expulsar a empresa de seus territórios e cancelaram contratos bilionários, como foi o caso do Gasoduto Sul Peruano e a concessão para construir 528 km de estrada na Colômbia.

As decisões têm efeito duplo para a empreiteira e para o grupo. Além de perder a concessão, que representa um contrato de longo prazo para administrar um ativo, a empresa também perde a obra, que rende bilhões de dólares de receita para ela. No caso do gasoduto, no Peru, a construção do projeto representava 10% da carteira de obras da empresa, afirma o analista da agência de classificação de risco Fitch Ratings, Alexandre Garcia. O mesmo deve ocorrer com a rodovia na Colômbia, já que a concessão garantia contrato de construção de mais de 500 km de estrada.

A revolta no exterior tem ocorrido simultaneamente à tentativa de fechamento de acordos de leniência da empresa com os ministérios públicos locais. A esperança é que, com os acordos e a definição das multas, a empresa mantenha outros contratos importantes. Até agora, há pré-contratos firmados com Panamá, República Dominicana, Peru e Colômbia. Os demais países ainda estão em fase preliminar e há aqueles que nem têm interesse de iniciar algum processo de delação.

Por ora, a empresa está proibida de participar de novas licitações em três países: Panamá, Peru e Equador. Nada garante, no entanto, que outras nações façam embargos semelhantes até que a poeira comece a baixar. Nos Estados Unidos, embora não haja denúncia de pagamento de propina, a ação do DoJ exigiu um acordo e estabelecimento de multa. A empresa toca obras de modernização no Aeroporto Internacional de Miami, de uma rodovia no Texas e construções na Louisiana.

Liquidez. A situação no exterior é bastante desconfortável, uma vez que a construtora tem ajudado a bancar a liquidez do grupo. Segundo relatório da Fitch Ratings, entre setembro de 2015 e setembro de 2016, a empreiteira teve de fazer aporte de US$ 350 milhões na controladora por causa das dificuldades para captar recursos no mercado.

A empresa está queimando caixa e não tem conseguido repor o portfólio. Outro fato preocupante é que, além de perder contratos por causa do pagamento de propina, a qualidade da carteira tem se deteriorado. Os melhores projetos estão sendo concluídos e o que tem ficado no portfólio está parado ou em ritmo muito lento.

A Fitch Ratings estima que 42% da carteira da Odebrecht levaria, em média, 19 anos para ser concluída considerando o ritmo atual. Há casos piores, no entanto. Na Venezuela, que detém 24% da carteira da companhia, a empresa poderia levar de 15 a 50 anos para concluir as obras - em outras palavras, isso significa redução de receita.

Alexandre Garcia, da agência de rating, afirma que, além de todos os problemas por causa do escândalo de corrupção, a empresa tem enfrentado situações adversas no exterior que têm interferido n as obras. Uma delas é a queda no preço do petróleo, que afeta clientes importantes. "Esse fator prejudica o fluxo de obras em andamento e de novos projetos, como na Venezuela", diz o analista. Segundo ele, se o cenário não melhorar, a carteira de obras pode cair dos atuais US$ 21 bilhões para algo em torno de US$ 9 bilhões.

Retorno. Em nota, a empresa afirma acreditar que conseguirá manter os contratos e estar livre para conquistar novos projetos, assim que consiga firmar acordos de leniência nos países. "Os acordos também facilitarão a obtenção de empréstimos para execução das obras.

A Tarde (BA)

Olinda: caminhão-pipa bate em casa na Ladeira da Misericórdia

Um motorista perdeu o controle do caminhão-pipa que dirigia e bateu em uma casa na ladeira da Misericórdia, em Olinda. Assustados e ainda sem entender bem o que aconteceu, o grupo de turistas que aluga a casa para o carnaval contou que acordou com um forte barulho por volta das 7h desta terça-feira (28). Ninguém ficou ferido.

O motorista, Fábio Barros, 43 anos de idade e 23 de habilitação, contou que sentiu o freio falhar. "Eu ainda livrei um acidente maior ao puxar para a casa, porque embaixo tinha dois carros, não ia conseguir passar, e algumas pessoas", lembra. A Ladeira da Misericórdia é uma das principais rotas da folia em Olinda, por onde passam dezenas de agremiações a cada dia de carnaval.

A Secretaria de Transportes de Olinda foi acionada e está no local, mas não tem previsão para a retirada do veículo. Segundo um agente de trânsito que não quer se identificar, a responsabilidade é toda da empresa dona do caminhão. Segundo ele, a documentação não está em dia e os pneus do veículo estão desgastados, não estão em bom estado.

O caminhão acertou a casa na altura da entrada. Parte da lateral do veículo entrou dentro da residência. No local, 15 pessoas de diversos locais como Rio de Janeiro, São Paulo, França e Itália. "Acordamos como se tivessem soltado uma bomba. Foi um mega, ultra, barulho", conta José Oliveira, promoter e responsável pela casa.

José mora no lugar há 15 anos e reclama que essa não é a primeira vez que presencia acidentes do tipo. "Essa ladeira é muito íngreme. Já falei na prefeitura que não deviam deixar esse tipo de veículo passar por aqui. Passa caminhão de lixo, caminhão-pipa. Não pode. Já vi uns seis ou sete passarem aqui sem freio e baterem nas casas".

Portal G1

Agnaldo Timóteo ofende gays ao vivo e é detonado por Nelson Rubens

Agnaldo Timóteo causou a maior polêmica durante os “Bastidores do Carnaval”, exibido na RedeTV!, na noite deste domingo (27). O cantor resolveu atacar os LGBTs ao ser entrevistado na atração.

Primeiramente, Agnaldo disse que Daniela Mercury não deveria se chamar “Daniela” e sim “Daniel”. “Se ela falou que iria apresentar ‘minha mulher’, não é Daniela”, disparou o artista. Ele também disse que gays não podem se casar.

Nelson Rubens, apresentador da atração, ficou indignado com a declaração do artista e resolveu detonar o cantor. “Você está partindo para o deboche. Chamar a Daniela de Daniel? Ela é mãe, ela tem filhos, ela adotou crianças, ela já foi casada com um homem. Quer dizer, ela já fez tudo o que você não fez”, disparou.

Léo Áquilla, repórter da atração, que também acompanhava a conversa, ficou indignada com as declarações do artista. “Você deveria sentir vergonha de fazer essas colocações. Você é um mal educado”, berrou. Ainda no mesmo programa, Agnaldo desconversou ao ser questionado se é gay. “Pergunta babaca”, disparou.

Veja como foi a polêmica:




Com informações do Portal RD1 (Texto) e do XRiicardoPlus (Vídeo)

Brasileiros que moram fora têm até hoje para informar saída à Receita Federal

Brasileiros que moram fora do País têm até hoje (28) para informar a situação à Receita Federal. A Comunicação de Saída Definitiva do País deve ser apresentada pelo contribuinte que, em 2017, saiu de forma permanente do Brasil e para aqueles que, mesmo temporariamente, tenham ficado ausentes por pelo menos 12 meses consecutivos.

A comunicação é necessária para a entrega da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física.

Caso a saída tenha sido definitiva, o prazo para enviar à Receita começa na data em que o contribuinte deixou o país. No caso de saída temporária, a comunicação deve ser feita a partir do dia seguinte àquele em que se completou um ano de ausência, quando o contribuinte se torna não residente. As orientações sobre a Comunicação de Saída Definitiva do País estão disponíveis no site da Receita Federal.

Agência Brasil

Terça dos Tambores e oficinas de frevo e maquiagem pra garotada




Esta terça-feira de Carnaval em Igarassu é dedicada ao Dia dos Tambores. Logo mais às 15h tem o Coco Juremado e o Afoxé Omí Sabá, no Polo Passarela Cultural, localizado no Sítio histórico. A diferença deste local é que os folões podem brincar junto das suas agremiações, todos cortejos e desfiles acontecem no chão. 

No mesmo horário, à partir das 15h , no Polo da Garotada , na Praça de Cruz de Rebouças, as crianças e adolescentes podem brincar ao som da Tribo de Índio Ubirajara e da Banda Nave. 

A prefeitura também promove um espaço de Recreação dedicado aos pequenos foliões, no Passinho do Frevo, as crianças contam com a oficina da dança com professores bailarinos e a tenda da Pintura Facial, onde são oferecidos, maquiadores para colorir a garotada e visitantes de Igarassu . Todos os serviços são gratuitos. 

Secretaria de Comunicação de Igarassu

Carro capota na Serra das Russas e corpo de motorista fica carbonizado

Uma pessoa morreu carbonizada na manhã desta segunda-feira (27) em um acidente no quilômetro 64 da BR-232, na descida da Serra das Russas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o carro capotou e pegou fogo.

Segundo a PRF, como o corpo da vítima que dirigia o veículo ficou carbonizado, não foi possível identificar se era homem ou mulher. O corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) em Recife.

Portal G1

Acidente em carro da Unidos da Tijuca deixa feridos na Sapucaí

Um acidente com um dos carros da Unidos da Tijuca interrompeu o desfile da escola de samba carioca na madrugada desta terça-feira (28) – segunda noite do Grupo Especial do carnaval do Rio de Janeiro – e deixou diversos feridos.

Durante o desfile, uma estrutura de mais de 3 metros, que estava no alto de um dos carros alegóricos da Unidos da Tijuca, despencou para dentro da alegoria no meio da avenida.

A equipe de resgate atendeu 20 pessoas. Doze delas ficaram feridas e outras oito tiveram crise de ansiedade. Seis pessoas foram encaminhadas a hospitais da região e duas delas estão em estado grave. Há suspeitas de que uma das vítimas tenha sofrido um traumatismo craniano e a outra, um traumatismo abdominal.

Esse era o segundo carro da escola na avenida. A alegoria, que homenageava o bairro americano de Nova Orleans, parou de desfilar por minutos, esperando a liberação do Corpo de Bombeiros para seguir a avenida.

Com o acidente, o desfile da escola perdeu a animação que vinha apresentando pela comissão de frente e pelo carro abre-alas. No entanto, o puxador oficial do samba seguiu cantando com animação e pediu para os integrantes "não desistirem".

As alas que vinham após o carro do acidente ultrapassaram a alegoria parada e preencheram o espaço que ele ocuparia. Com o carro interrompendo a passagem, os demais carros também não puderam entrar na avenida.

Com a liberação do Corpo de Bombeiros, o carro do acidente seguiu o desfile, já desorganizado, para liberar a avenida. Todos os componentes da alegoria da Unidos da Tijuca desceram e ele seguiu vazio. Veja a seguir alguns dos registros fotográficos:










Flagra na hora do acidente: 


Portal IG (Texto)
Rádio Gaúcha (Vídeo)


Noite dos Tambores Silenciosos



De ontem pra hoje, exatamente à meia-noite, o Pátio do Terço, no bairro de São José, no Recife, ecoou as loas, cantos sagrados do candomblé, em jeje-nagô. Com as luzes apagadas e os tambores dos maracatus de baque virado parados em respeito à cantoria, Tata Raminho de Oxossi conduziu a homenagem aos eguns, os ancestrais do povo negro na Noite dos Tambores Silenciosos.

“O que ocorreu no palco foi um chamado aos que morreram aqui nessa terra. A gente está festejando como se fosse uma missa”, explica Raminho de Oxossi. “Eu pedi felicidade, paz, sosssego de espírito, que tudo seja bom. Que o ano seja feliz”, traduz a mensagem passada na língua ancestral e no fim das loas também em português.

A cerimônia é o ponto alto do evento, que ocorre há 57 anos e é parte da programação oficial do carnaval do Recife. Antes, desde as 20h, 28 nações de maracatus de baque virado passam pelo Pátio do Terço para fazer a reverência aos antepassados e louvar os orixás. Uma a uma, seguem ao palco, entoam suas canções, fazem sua reverência e deixam o local para que a próxima nação faça suas homenagens.

Esses maracatus são ligados a religiões de matriz africana e, em geral, têm um orixá como patrono. O rei e a rainha são os principais personagens. À frente do grupo, além do estandarte, vai a calunga, uma boneca que incorpora a força ancestral, carregada pela dama-de-paço. Essa reverência aos antepassados faz sentido também pela forma como a tradição é perpetuada por gerações.

Antônio José da Silva Neto, o mestre Teté, tem 71 anos e preside o Maracatu Nação Almirante do Forte desde 1931. A história dele com essa cultura começou com os antigos da família. “Eu fico feliz cantando aqui. Minha mãe morreu com 107 anos. Ela quem me ensinou a cantar tudo. E já estou ensinando meu filho que vai ficar meu lugar”.

Da nova geração de mestres de apito, Felipe Henrique Tavares, 24 anos, substitui o mestre Toinho no Maracatu Nação Encanto da Alegria. “O que a gente passa é o nosso candomblé na rua. É quando a gente salva a boneca, que é o egum da gente. Salva nosso rei e os escravos, com a roupa que a sinhazinha dava”, lembra, fazendo referência ao estilo das roupas usadas pelos integrantes, semelhantes a trajes do período colonial.

A cerimônia é importante para aqueles que têm o candomblé como religião, como o porteiro Alberto Ferreira, de 55 anos, que há duas décadas acompanha o evento. “Aqui eu venho todo ano para reverenciar e levar meus ancestrais que foram embora. Meu babalaô, minha ialorixá que foi embora, todo meu povo de santo que partiu. Eu venho para reverenciar”.

Quem foi à Noite dos Tambores Silenciosos pela primeira vez também saiu encantado. A inglesa Olívia Williams, que mora há três semanas no Recife, diz que nunca tinha visto algo semelhante. “Foi incrível, uma coisa muito especial que não existe no meu país. Eu acho que aqui, no carnaval de Pernambuco, tem muita resistência cultural, e isso que é muito impressionante”, disse.

Resistência - A Noite dos Tambores Silenciosos é também um evento de resistência e afirmação da identidade do povo negro, segundo Auzenide Simões, a Leu, gestora do Núcleo da Cultura Afro-brasileira, que organiza a cerimônia. “A história não faz sentido se a gente não faz referência ao nosso passado, dando o devido valor como se deu a história do negro no Brasil”, defende. “É uma grande referência à luta do povo negro. É a reafirmação da nossa cultura. A gente quer dizer que está vivo.”

O local onde ocorre a cerimônia, o Pátio do Terço, é um pedaço dessa história, e por isso é o escolhido. Na época da escravidão, a região era usada para a venda de africanos escravizados recém-chegados em navios negreiros. Traços de um passado que, se depender da Noite dos Tambores Silenciosos, segundo Leu, nunca será esquecido.

Agência Brasil

"Pra ninguém roubar"

O funcionário público Igor Bezerra, de 27 anos, tomou um susto quando voltou de uma festa do carnaval de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, e encontrou parte do vidro do carro aberto. Mas o que tinha tudo para virar mais um registro de furto na delegacia teve outro final. No banco do motorista ele achou um bilhete com o recado: “Boa noite. Pegamos seus pertences para ninguém roubar. Amanhã liga, que devolvemos”.

O incidente foi na madrugada do domingo (27). Bezerra estacionou o carro na Orla da cidade. No veículo, que tem vidro elétrico, ele havia deixado pertences como celular, óculos, som, camisas, comida, perfumes e documentos.

“Quando saí da festa, fui aonde estava meu carro e encontrei o vidro do passageiro abaixado. Imaginei que, quando travei o carro, os vidros não subiram e eu esqueci de verificar. Quando vi, pensei logo no pior", conta Bezerra. "Quando abri a porta do motorista, encontrei um bilhete e verifiquei que tudo que tinha deixado no carro tinha sumido. A primeira coisa que imaginei foi que tinha sido roubado e que o suposto ladrão tinha deixado um bilhete em tom de deboche para mim”, afirma.

Bezerra diz que só percebeu o que tinha acontecido quando chegou em casa, após falar com os pais. Isso porque a mãe havia ligado para o celular dele, mas quem atendeu foi um outro homem. Por telefone, o rapaz se identificou, disse que estava no carnaval e que percebeu o vidro do carro de Bezerra abaixado. Foi quando ele retirou tudo e deixou um bilhete.

“Fiquei assustado quando ouvi o que minha mãe me contou. Ainda pensei se não seria um golpe ou se o cara estava querendo fazer outro contato", diz o funcionário público. Por mensagem, ele combinou a devolução dos pertences. "Chamei dois amigos para ir comigo, caso fosse uma emboscada. Gentilmente ele chegou com duas mulheres e me devolveu absolutamente tudo o que eu tinha”, conta.

O autor do bilhete - Quem ajudou Bezerra foi o estudante Filipe Segatto de 24 anos, que mora na cidade vizinha de Juazeiro, na Bahia . O jovem explicou que tomou a iniciativa para evitar que o rapaz fosse roubado.

“Observei que estava aberto e a primeira atitude foi deixar minha mãe e minha namorada lá e ir até o palco pedir ao locutor para anunciar a placa e avisar ao dono do carro. Como não consegui, pensei que seria melhor levar as coisas dele para que outra pessoa não roubasse e resolvi deixar um bilhete para que ele não ficasse assustado ao chegar”, diz o estudante.

Bezerra ainda ofereceu uma recompensa ao estudante, que recusou. O caso foi compartilhado em uma rede social, já tem quase 3 mil compartilhamentos e mais de mil comentários.

“Achei uma grandiosidade imensurável", diz Bezerra. O estudante que deixou o bilhete, por sua vez, diz que apenas quis ajudar. “Pensei em mim que também ando com as coisas no meu carro e que não seria nada agradável chegar e ver tudo roubado. Resolvi ajudar porque hoje está muito propício para o mal, mas nem todo mundo é assim. A gente tem que plantar o bem”, afirma Segatto.

Portal G1

Em 11 anos, salário na China mais do que dobra e supera valor pago a trabalhador no Brasil

Nos últimos dez anos, o salário médio na China mais do que dobrou e hoje supera a média salarial brasileira, que caiu no mesmo período, indica estudo do grupo Euromonitor International divulgado pelo jornal britânico Financial Times do último domingo (26).

Enquanto a média salarial chinesa, levando em conta todos os setores, passou de US$ 1,50 (R$ 4,67) por hora em 2005 para US$ 3,30 (R$ 10,27) em 2016, a média brasileira caiu de US$ 3,40 (R$ 10,59) para US$ 3,00 (R$ 9,34) nos mesmos anos. A média salarial chinesa também supera a do México e da Colômbia, ambas em US$ 1,80 (R$ 5,60).

O estudo evidencia não só o crescimento chinês, mas também o agravamento dos problemas econômicos enfrentados por Brasil e a maior parte da América Latina nos últimos dez anos, onde os salários caíram em confronto com a inflação no mesmo período.

Trabalhadores da indústria estão entre os mais bem pagos na China, diz o FT. Um trabalhador chinês do setor recebe por hora mais do que um trabalhador no Brasil, no México ou na Argentina – entre os maiores países da América Latina, somente o Chile paga mais do que a China na indústria, diz o estudo. A média chinesa no setor também consiste atualmente em 70% do salário pago em Portugal e Grécia, países europeus que se recuperam de uma grave crise econômica nos últimos anos.

Enquanto na China a média salarial na indústria triplicou em dez anos, passando de US$ 1,20 por hora (R$ 3,74) em 2005 para US$ 3,60 (R$ 11,21) em 2016, no Brasil este valor caiu de US$ 2,90 (R$ 9,03) para US$ 2,70 (R$ 8,41) no mesmo período. No México, a indústria paga em média US$ 2,10 por hora, e na Argentina, US$ 2,50. Portugal mantém os salários mais altos do que a indústria chinesa, mas passou de US$ 6,30 em 2005 para US$ 4,50 em 2016.

Segundo o FT, o instituto Euromonitor usou dados da OIT (Organização Internacional do Trabalho), do Eurostat, instituto de estatísticas da União Europeia, e dados oficiais dos países analisados. Os salários nacionais foram convertidos para dólar norte-americano e ajustados segundo a inflação, mas os dados apresentados não levam em conta as diferenças no custo de vida, nas condições de trabalho ou os direitos assegurados aos trabalhadores em cada país.

Para Oru Mohiuddin, analista de estratégias econômicas do Euromonitor, mesmo com o aumento dos salários na China, as grandes indústrias não devem transferir suas operações para países com salários mais baixos. A razão é o crescimento do mercado interno chinês, disse a especialista ao FT. “Em muitos setores, a China representará 20% do mercado em 2020, similar à América do Norte e à Europa Ocidental”, afirmou. “Faz sentido que [as indústrias] permaneçam na China.”

Opera Mundi

Imagem do Brasil no exterior está abalada.

O Brasil, que em 2009, no auge do governo Lula, era um dois países mais admirados do mundo, hoje é um dos mais desprezados, depois do golpe parlamentar liderado por Eduardo Cunha, que colocou Michel Temer no poder.

No ano passado,nada menos que 81% das reportagens sobre o País publicadas em 14 veículos internacionais foram negativas. Este levantamento, que começou a ser feito em 2009 pela empresa Imagem Corporativa em 2009, revela que o Brasil foi do céu ao inferno. No primeiro ano da pesquisa, nada menos que 80% das reportagens eram positivas.

Esse processo de autodestruição nacional foi decisivo para a contaminação da imagem do País, assim como o assalto à democracia. Na opinião do escritor português Miguel Sousa Tavares, o impeachment foi "uma assembleia de bandidos presidida por um bandido".

Com Temer, o Brasil já teve oito ministros que deixaram o cargo por suspeitas de corrupção e o País ainda passou o vexame de ver seu ministro da Cultura, Roberto Freire, agredir Raduan Nassar, o maior escritor brasileiro vivo, durante a entrega de um prêmio literário binacional.

Portal Brasil 247

Brasília: PM de folga salva homem que se afogava no Lago Paranoá

Um homem que estava se afogando no Lago Paranoá (foto) na altura da ponte JK foi salvo por policial militar de folga. O fato aconteceu por volta das 16h45, desta segunda-feira (27). De acordo com informações da PM, a vítima sentiu câimbra e sua perna estava inchada. Entretanto, não quis atendimento médico. O policial que andava de lancha no momento, avistou o homem com dificuldades para nadar e realizou o salvamento. Em seguida, pediu reforços para a corporação. O homem agradeceu e disse "que nada falte na sua vida".


Correio Braziliense (DF)

Motorista do carro da Tuiuti pede perdão às vítimas e suas famílias

O motorista do carro alegórico da escola Paraíso do Tuiuti envolvido no acidente que deixou 20 pessoas feridas na primeira noite de desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro, Francisco de Assis Lopes, de 53 anos, pediu perdão às vítimas do acidente nesta segunda (27). "Eu só quero pedir desculpas à família de quem se machucou. Eu não tive culpa. Não tenho mais nada a declarar", disse Lopes após prestar depoimento à polícia. Foi a primeira vez que ele conduziu um carro alegórico.

Presentes ao 6° Distrito Policial, na Cidade Nova, centro carioca, para o depoimento de seu pai, os filhos do motorista negaram que ele tenha perdido o controle do veículo e disseram que pessoas da escola orientaram as manobras. “Ele não deu ré porque ele quis. Pediram para ele dar ré”, disse Lidiane Isis dos Santos Lopes, acompanhada de seu irmão, Liverton dos Santos Lopes Jr.. “Subiu uma pessoa no carro pedindo para ele dar ré. Aí ele deu réu porque mandaram”.

Segundo eles, um carro acoplado na frente foi uma surpresa para Lopes. “Só quando estava na avenida que o carro foi acoplado. Ele não sabia”, disse Lidiane.

De acordo com a filha, o carro acoplado tem relação com o acidente. “Ele ficou sem visão na hora de pilotar o carro. Como acoplou o carro, não tinha como ele enxergar”. O irmão diz que seu pai avisou que não tinha visão. “Disseram que ia ter um guia para ele. Não teve guia para ele”.

Logo após o acidente, relatam os filhos, Lopes sofreu agressões físicas. “Meu pai foi arrancado do carro e agredido brutalmente por pessoas da escola”, disse Liverton.

Para os filhos, não havia como o motorista recusar-se a conduzir o carro. “Era o último. Como ele ia largar o carro na avenida?”, questiona Lidiane. “Ele cumpriu com o papel dele, de motorista profissional que ele é”, completou Liverton. Seu pai é motorista de caminhão há mais de 30 anos.

Portal UOL

Três das 20 vítimas de acidente com carro da Tuiuti seguem internadas

Após passarem por cirurgias, três das 20 pessoas que ficaram feridas após o acidente com o carro alegórico da Paraíso Tuiuti, no Rio de Janeiro, permaneciam internadas até a manhã desta segunda-feira (27/2). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), elas estão no pós-operatório e os quadros clínicos “inspiram cuidados”. O grave acidente marcou o desfile da agremiação, a primeira a entrar na Marquês de Sapucaí no Grupo Especial do carnaval 2017. 

O delegado William Lourenço Bezerra afirmou que a perícia para apurar os responsáveis pelo acidente com um carro alegórico da Tuiuti, no Grupo Especial do Rio, continua. Segundo ele, ainda é prematuro falar sobre quem são os responsáveis. "De manhã vamos complementar o trabalho, ouvir as pessoas e identificar o motorista. Ele não opera o carro sozinho, há pessoas que o guiam de um lado para o outro. Então vamos ter cautela", afirmou a jornalistas. Segundo ele, a perícia vai entrar no carro alegórico, olhar a parte debaixo dele". O veículo segue apreendido.

Oito feridos foram levados a hospitais da região e outros 12 foram atendidos no sambódromo. Uma das vítimas corre o risco de ter uma das pernas amputada. Os casos com maior gravidade são de três mulheres que foram encaminhadas para o hospital municipal Souza Aguiar, no centro, o mais próximo da Marquês de Sapucaí, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Maria de Lourdes Moura, 58 anos teve fratura exposta nas duas pernas, traumatismo craniano e de face e está em estado grave. A fotógrafa Lúcia Melo teve traumatismo craniano leve e fratura exposta na perna esquerda. Já Elizabeth Jofre quebrou o fêmur.

Outras cinco vítimas, com menor gravidade, foram levadas para o hospital Miguel Couto, no Leblon. As que receberam atendimento nos postos localizados no Sambódromo passam bem. Elas foram medicadas, fizeram curativos e foram liberadas. Segundo a secretaria, algumas vítimas buscaram atendimento em função do estresse provocado pelo acidente.


Pista molhada - Testemunhas relataram que o carro, último da agremiação a entrar na Marquês de Sapucaí, derrapou no setor 1, na área de concentração, pouco antes de entrar na avenida. Ao menos oito vítimas foram prensadas junto à grade de proteção que separa as escolas de samba do público. O diretor de carnaval da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Elmo José, tentou explicar a dinâmica do acidente. Ele relatou que, com a chuva que caia no momento do acidente, a parte da frente do carro começou a tender para o lado esquerdo e não conseguiu fazer a curva para entrar na passarela. Ele desgovernou um pouco, segundo o diretor, e começou a encostar nas pessoas. Em nota, a Liesa lamentou o acidente. "A Liga se solidariza com as vítimas e seus familiares e informa que todas foram prontamente socorridas", diz a nota.

O carro seguiu por todo o desfile e ficou recolhido no próprio local para a nova perícia. O motorista ainda não havia sido identificado até esta manhã. A investigação será feita pela 6ª DP (Cidade Nova).

Grades serradas - “Houve um esmagamento junto à grade, que poderia ter provocado um dano até maior. A gente evitou que a grade entrasse na barriga da pessoa. Todas saíram daqui conscientes”, explicou o coronel do Corpo de Bombeiros, André Luiz Teixeira Morgado, após o resgate dos feridos. “Foi horrível. Uma das senhoras presas na grade estava desacordada, perdeu muito sangue. As pessoas ficaram desesperadas, sem saber o que fazer”, contou Mônica Ferreira, que assistia ao desfile no setor 1.

Os bombeiros tiveram que serrar a grade para conseguir retirar uma das mulheres feridas do local e levá-la até uma ambulância em direção ao hospital. Foram momentos de tensão. Na arquibancada, a população, que até então cantava o samba da escola permaneceu em silêncio, à espera do término do resgate. Quando os bombeiros tiveram êxito, uma explosão de palmas foi ouvida na dispersão da Sapucaí.

A fotógrafa Cacau Fernandes, 48 anos, que também ficou ferida, teve uma distensão do ligamento do ombro e terá que ficar 10 dias com o braço imobilizado. Em entrevista ao Estado, ela conta que conversou com a fotógrafa Lúcia Melo. "Conversei com ela no hospital. Os médicos dizem que ela corre o risco de perder a perna esquerda", disse.

"Acidente inédito" -  A Paraíso do Tuiuti foi a primeira escola a desfilar pelo Grupo Especial do Rio de Janeiro na noite de domingo em seu retorno à elite do samba carioca após 16 anos. O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira, disse logo após o ocorrido que o acidente é provavelmente inédito na Sapucaí. "Pelo que eu saiba é a primeira vez que acontece um acidente dessa gravidade", disse.

Testemunhas contaram que o carro, que era o último da escola e tinha uma parte acoplada, o que dificulta o manejo, entrou na avenida de forma apressada. Isso porque a escola estava atrasada - este ano, a apresentação foi encurtada de 82 para 75 minutos.

Veja a lista de feridos no acidente:

Internados no Hospital Miguel Couto

Luis Alberto Rodrigues dos Santos, 34 anos - Liberado
Mario Pinto Correa, 36 anos - Liberado
Marcelo Eleuterio Gomes, 49 anos - Liberada
Marco Antonio Machel Delduque, 58 anos - Liberado
Ana Claudia Fernandes (Cacau Fernandes fotógrafa d'O Dia) 48 anos - Liberada
Lucia Regina de Mello Freitas, 56 anos - Internada

Internados no Hospital Souza Aguiar

Elisabeth Ferreira Jofre, 55 anos - Internada em estado grave
Maria de Lurdes Maura Ferreira, 58 anos - Internada em estado grave


Atendidos e liberados

Posto 1 - Concentração

Andréa, 49 anos
Vera Lúcia Amorim, 68 anos
Juciara Rodrigues de Souza, 56 anos
Janaína Garcia, 73 anos
Jaime Duarte Cezário, 55 anos
Barbara Camperlo da Silva, 53 anos

Apoteose

Fábio Chafin Gomes

Posto 2

Severino Silva
Roberto Justino
Renata Passolo de Francesco
Alnir dos Santos Dias 
Luiz Felipe Leal da Fonseca Junior

Veja as imagens na hora do acidente:



Correio Braziliense (DF)

Encontro de Maracatus Rurais em Nazaré da Mata

Em sua 18º edição, o Encontro de Maracatus de Baque Solto, que recebeu o título de Patrimônio Cultural e Imaterial do Brasil, em 2014, contou com a apresentação de cerca de 30 grupos. Um corredor montado na Praça Papa João XXIII, mais conhecida como a Praça da Catedral, serviu de passarela para as agremiações. 

Origens - O Maracatu Rural significa para seus integrantes algo a mais que uma brincadeira: é uma herança secular, motivo de muito orgulho e admiração. É formado por pessoas simples, principalmente por trabalhadores rurais que com as mesmas mãos que cortam cana, lavram a terra e carregam peso, também bordam golas de caboclo, cortam fantasias, enfeitam guiadas, relhos e chapéus; dedicando-se ao bem mais valioso que possuem: a cultura.

Com informações da Secretaria de Imprensa de Pernambuco e da Wikipedia

segunda-feira, fevereiro 27, 2017

EUA amentam investimentos para forças armadas enquanto outros setores têm corte de verba

Donald Trump quer aumentar em cerca de 9% as despesas militares, para 54 bilhões de dólares (mais de 162 milhões de reais), e diminuir a ajuda externa, indicou esta segunda-feira uma fonte oficial da Casa Branca. O aumento é "histórico", de acordo com o líder norte-americano.

Estas medidas constam na proposta de orçamento para o ano fiscal de 2018 da administração de Donald Trump, que assumiu em janeiro.

A mesma fonte indicou que todos os Departamentos (o equivalente aos Ministérios), exceto os relacionados com a área da segurança, irão sofrer uma redução nos respetivos orçamentos, e informou que está prevista uma "redução significativa" da ajuda internacional.

De acordo com fontes próximas da Casa Branca, citadas pelo The Independent, o Departamento de Estado e a Agência de Proteção Ambiental serão dos departamentos cujos orçamentos serão mais reduzidos em comparação com anos anteriores. O ambiente será mesmo a área mais prejudicada com os novos cortes, asseguram as mesmas fontes.

"Este orçamento é a expressão da minha promessa de manter os americanos seguros. Inclui um aumento histórico nos gastos com a defesa", disse Donald Trump à imprensa. Na sexta-feira (24), Trump havia dito numa conferência de Conservadores, no Maryland, que "ninguém ia meter-se com os EUA. Ninguém."

Referindo-se a um orçamento de "segurança nacional", o chefe de Estado americano disse, durante um encontro com governadores estaduais na Casa Branca, que iria respeitar a sua "promessa de proteger os americanos".

O orçamento "vai incluir um aumento histórico nos gastos da Defesa" para "reconstruir" o exército, reforçou Trump, que deu durante a sua campanha eleitoral grande foco a matérias relacionadas com a segurança nacional e a luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI).

No início de fevereiro, e diante do Congresso, os chefes militares americanos descreveram um exército enfraquecido durante vários anos por verbas orçamentais inadequadas e por mais de duas décadas de conflitos.

Os argumentos dos chefes militares convenceram Trump, mas será o Congresso, onde a proposta chegará em março, que terá o poder, em última análise, de libertar as verbas dos cofres americanos. Aproveitando a retirada das tropas norte-americanas de cenários como o Iraque e o Afeganistão, o anterior Presidente, o democrata Barack Obama, reduziu as despesas militares.

Representando 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB), perto de 600 bilhões de dólares (cerca de 1 trilhão de reais), as despesas militares norte-americanas são as maiores do mundo

Diario de Noticias (Portugal)

"Venha, Bruno!"

No último sábado (25), durante apresentação no Carnaval de Salvador, a cantora surpreendeu o público com um gesto de generosidade direcionado a um vendedor de algodão doce que estava há quatro horas trabalhando no meio da multidão.

Veveta parou o show e disse para ambulante, chamado Bruno, deixar as pessoas pegarem o doce à vontade. Como era de se esperar, as pessoas atacaram o "pau" imediatamente.

Ivete tentou acalmar os foliões e pediu para que Bruno entregasse a ela o bastão com os doces. Em seguida, disse: "Você é meu convidado para ficar em cima do trio. Suba aí, meu irmão".

A galera foi ao delírio com a ato de gentileza e começou a gritar: "Puta que pariu! É a melhor cantora do Brasil".

Para encerrar o episódio, a baiana pediu no microfone que sua produção calculasse o valor total dos doces e balões que estavam à venda, garantindo que Bruno seria devidamente pago. "Agora vamos fazer a conta de quanto Bruno tinha ali. E pague Bruno", declarou.

The Huffington Post Brasil

Refugiados: 360 mortos só este ano

O número de refugiados mortos no mar Mediterrâneo chegou a 366 em 2017, segundo dados publicados nesta sexta-feira (24/02) pela OIM (Organização Internacional para as Migrações). De acordo com as informações obtidas pela instituição, apesar da diminuição do número de refugiados que chegaram à Europa pelo mar, houve um aumento das mortes em comparação com o mesmo período de 2016.

Segundo a organização, 13.924 pessoas chegaram à Europa pelo mar em 2017 até o dia 22 de fevereiro, com 75% dos migrantes e refugiados chegando à Itália, enquanto o restante entrou no continente por Grécia e da Espanha. Durante o mesmo período de 2016, foram registradas 105.427 chegadas, o que representa uma redução de cerca de 86% do número de migrantes que entraram na Europa por essa região.

No entanto, o número de mortes em 2017 aumentou mais de 370% em comparação com os primeiros 53 dias de 2016, período em que 97 pessoas perderam a vida tentando cruzar o Mediterrâneo, considerada a rota de migração mais letal em 2016 pela OIM e Acnur (Agência da ONU para Refugiados). No total, foram mais de 5.000 vítimas na região no ano passado.

Opera Mundi





Sertanejo Victor é acusado de agredir esposa grávida

O cantor Victor, da dupla Victor & Leo, negou neste domingo (26) ter agredido a mulher, Poliana Bagatini Chaves, de 29 anos (com ele na foto ao lado). “Absolutamente, eu nunca agredi ninguém na minha vida.” Foi a primeira vez que ele falou sobre o caso, que teve reviravoltas e novas versões desde que veio à tona, na sexta-feira. Muitas dúvidas ainda estão no ar. Victor é jurado do programa 'The Voice Kids', da TV Globo. Na edição deste domingo, o apresentador André Marques anunciou que o cantor pediu para sair do programa.

A entrevista de Victor foi no aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, no fim da tarde. O cantor Victor estava com a mulher, Poliana, a filha do casal e os pais dela num hangar particular. O cantor pediu que fossem registradas apenas imagens da família de costas. Disse que era para preservá-los.

"A única coisa que eu posso dizer é que a minha família é meu bem maior e que toda a minha postura sempre foi de preservar a família. Eu vou continuar fazendo isso. Toda essa exposição me pegou de surpresa. Eu jamais agrediria alguém na minha vida, muito menos minha esposa, que está grávida do João. A minha postura vai ser continuar preservando a família e me preservando de toda uma exposição altamente negativa e com a qual eu vou lidar em recolhimento com a minha família." 

Queixa - Na sexta-feira, Poliana, que está grávida, procurou uma delegacia para registrar queixa contra Victor. De acordo com o boletim de ocorrência, Poliana disse que foi agredida pelo marido por motivos fúteis, que foi jogada no chão e recebeu vários chutes. Afirmou que depois das agressões foi impedida de sair do local por um segurança e pela irmã de Victor.

Ainda segundo o boletim, Poliana declarou que uma vizinha ouviu os pedidos dela e chamou o elevador para que conseguisse deixar o prédio. A mulher do cantor afirmou no boletim que, enquanto estava na delegacia, continuava recebendo ameaças da irmã de Victor, por mensagens eletrônicas.

Segundo a Secretaria de Defesa Social de Minas Gerais, ainda na sexta-feira (24), Poliana seguiu as orientações dos policiais e foi para a Delegacia de Mulheres, mas não quis esperar para prestar depoimento nem fazer exame de corpo de delito. Ela não explicou por que não fez esse exame para comprovar o que tinha afirmado no boletim de ocorrência.

No sábado (25), ela mudou de ideia. Poliana Chaves voltou à Delegacia de Mulheres. Foi ouvida e encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML), onde fez o exame de corpo de delito. Mas os resultados não foram divulgados.

Versão da mãe -  A mãe de Victor também prestou queixa na polícia e deu outra versão. No boletim de ocorrência, registrado na sexta-feira, Marisa Chaves, de 65 anos, disse que, por volta das 11h30, Poliana tocou a campainha e, quando a irmã de Victor atendeu a porta, a nora entrou no apartamento dela transtornada e, de forma agressiva, fez ameaças, falou palavrões e quebrou vários objetos.

Marisa afirmou aos policiais que tentava acalmar Poliana, quando Victor chegou ao apartamento, e que Poliana disse que iria buscar a filha de um ano para irem embora. Segundo Marisa Chaves, diante da ameaça feita por Poliana, Victor segurou o braço dela, e pediu que se acalmasse.

Marisa afirmou ainda, que Poliana se atirou no chão chorando e se debatendo e que, depois, acompanhou Poliana até o apartamento dela, porque temia que a nora fizesse uma besteira. E que Poliana pegou a filha, desceu as escadas e entrou na casa de uma vizinha.

Carta - Neste domingo, no perfil do instagram, a mulher de Victor publicou uma carta. Poliana Chaves afirmou que houve um grande desentendimento familiar que a abalou profundamente. Disse que não tem parentes nem amigos em Belo Horizonte, que teve uma discussão com a sogra e que Victor não a apoiou e tentou contê-la. E achou que na polícia se sentiria amparada.

Afirmou que em momento algum considerou que tivesse ocorrido qualquer crime, principalmente praticado por Victor e que, por isso, disse à policia que não tinha interesse na apuração do caso.

Na carta, Poliana afirmou que o marido não a machucou e nunca a machucaria, que ela fez o exame no IML para comprovar a inexistência de qualquer lesão e que, apesar do transtorno e da repercussão do caso, ela e o bebê estão bem.

Victor é jurado do programa 'The Voice Kids', da TV Globo. Na edição deste domingo, o apresentador André Marques fez uma declaração. “A Globo repudia toda e qualquer forma de violência e acredita que essa acusação precisa ser apurada com rigor, garantindo o direito de defesa na busca da verdade.”

O parceiro Leo - Leo Chaves, irmão e parceiro de Victor na dupla sertaneja, publicou numa rede social que apoia o casal sem julgamentos. Leo afirmou que "qualquer ser humano em situações emocionais adversas, está sujeito a atitudes precipitadas e inconsequentes, ainda mais estando grávida". "Poliana tem grandes qualidades e, diante de tudo, ofereço minha compreensão e respeito”, escreveu Leo.

Neste domingo, no aeroporto, a caminho de Campinas, onde disse que vai cuidar da família, Victor Chaves fez uma declaração.

Declaração - "Um pequeno esclarecimento, está bem, Aline? A única coisa que eu posso dizer é que a minha família é meu bem maior e que toda a minha postura sempre foi de preservar a família. Eu vou continuar fazendo isso. Toda essa exposição me pegou de surpresa. Eu jamais agrediria alguém na minha vida, muito menos minha esposa, que está grávida do João. A minha postura vai ser continuar preservando a família e me preservando de toda uma exposição altamente negativa e com a qual eu vou lidar em recolhimento com a minha família."

Repórter Aline Aguiar: Victor, eu tenho só algumas perguntas, rapidamente. Na sexta-feira, a Poliana registrou queixa na polícia de agressão, disse que foi agredida por você. Depois, hoje, ela apresenta essa carta num perfil dizendo que...

Victor: "Eu não vou falar mais, porque qualquer coisa que eu falar eu exponho a minha família. Eu não vou mais fazer isso. Por isso o meu silêncio, está bem?"

Repórter: Não houve agressão?

Victor: "Absolutamente, eu nunca agredi ninguém na minha vida, muito menos a minha mulher, grávida do João. Quer dizer, eu não tenho mais o que dizer. Isso eu não tenho nem o que explicar."

Repórter: Ela tem algum transtorno?

Victor: "Eu não exponho a minha família. Muito obrigado e me desculpe, de verdade."

A equipe de reportagem tentou fazer mais perguntas para Victor e ele disse que não queria expor a família.


As outras perguntas eram:


- Houve algum tipo de agressão física contra Poliana? 
- Alguém a agrediu? 
- Por que ela prestou queixa? 
- E por que agora afirma à polícia que não tinha interesse na apuração de natureza penal?


Investigação - A Polícia Civil de Minas Gerais instaurou um inquérito para apurar o caso ainda na sexta-feira. Segundo a polícia, mesmo que Poliana apresente outra versão, as investigações vão continuar, porque, de acordo com a Lei Maria da Penha, registros de casos de agressão independem de representação da vítima para serem apurados. A carta que Poliana publicou nas redes sociais também será considerada. Segundo a polícia, os investigadores tentam localizar testemunhas e imagens do circuito de segurança.

Portal G1