segunda-feira, setembro 27, 2021

Encontro de mediadores no Recife

 

“É melhor prevenir do que remediar” - esse ditado popular traduz de forma simples o trabalho de cultura de paz realizado pelos mediadores comunitários. Para homenagear esses profissionais, o Grupo Ruas e Praças e Grupo Adolescer promoveu um encontro na tarde de hoje (27), no Centro da Juventude de Santo Amaro com a presença de 37 mediadores, que atuam em cinco bairros do Recife, incluindo Caranguejo Tabaiares, Ibura de Cima, Ibura de Baixo, Nova Descoberta e o bairro anfitrião, Santo Amaro.

O encontro também marcou o Dia do Mediador em Pernambuco. Na ocasião foi lançada uma campanha com materiais de divulgação, que serão utilizados para ampliar a divulgação dos núcleos de mediação de conflitos, que são os locais onde os mediadores fazem os atendimentos gratuitos à população. Estarão presentes integrantes de Organizações da Sociedade Civil (OSCs), representantes da Secretaria de Direitos Humanos do Estado, do Recife e do Poder Legislativo.

O encontro é fruto de mobilização comunitária através de uma formação sobre Lei Orçamentária Anual (LOA), que teve como resultado a proposição de uma emenda parlamentar apresentada pelo Vereador do Recife, Ivan Moraes.

Os mediadores presentes receberão certificados de homenagem e também haverá momentos com depoimentos de pessoas que tiveram experiências exitosas ao acionar os serviços de mediação comunitária.

O que é mediação de conflito?

Mediação de conflitos é uma técnica que busca a redução da violência no espaço social comunitário. Os núcleos são equipamentos extrajudiciais, que realizam escutas buscando evitar e solucionar conflitos existentes de forma mais rápida, evitando a judicialização e denúncias em delegacias, que em sua maioria das vezes acabam por inflamar os embates em questão através de mecanismos extrajudiciais.

A visão positiva do conflito e a cooperação são os caminhos para alcançar o objetivo de resolver ou evitar um conflito na mediação. Por meio da mediação, as partes podem expor seu pensamento e têm a oportunidade de solucionar questões importantes de um modo cooperativo e construtivo.

Mediador Comunitário

O mediador é um profissional imparcial capacitado para ajudar as pessoas a resolverem o conflito por acordo mútuo sem tomar nenhuma parte, bem como sem forçar o acordo durante a negociação. Encaminhando soluções guiadas pela cultura de paz, contribuindo para ambientes sociais comunitários mais colaborativos e tolerantes.

Núcleos de Mediação

Os núcleos de medição oferecem os serviços de escuta, mediação de conflitos e orientação para outros serviços. Entre os tipos de conflitos que podem ser solucionados nos espaços de mediação estão: ameaças, calúnia, difamação, cobrança de dívidas, conflito familiar, conflito de imóvel, conflito de vizinhança, pensão alimentícia, acordo de visitas, conflito de consumo e conflitos comunitários. Os núcleos também contribuem para reflexões positivas, sempre na perspectiva de estabelecer acordos consensuais satisfatórios para todos os partes envolvidas.

lmprensa ONG Ruas e Praças

Brenda Lee e o Palácio das Princesas

 

Nova produção do Núcleo Experimental conta a história da travesti Caetana, também conhecida como Brenda Lee, que se tornou um marco na luta por direitos LGBTQIA+. Brenda Lee e o Palácio das Princesas tem dramaturgia, letras e direção de Fernanda Maria, direção e figurinos de Zé Henrique de Paula e música original de Rafa Miranda

O musical, que conta com seis atrizes transvestigêneres (Verónica Valenttino, Olivia Lopes, Marina Mathey, Tyller Antunes, Ambrosia e June Weimar) e um ator cisgênero (Fabio Redkowicz), fala sobre a luta das travestis nas ruas de São Paulo, a escassez de oportunidades que as impele à prostituição e sobre como foram apoiadas por Brenda, que acolheu em sua casa, as doentes de Aids numa época em que quase nada ainda se sabia sobre a doença. 

A orquestra é formada por Rafa Miranda (piano), João Baracho (bases), Pedro Macedo (baixo), Abner Paul (bateria) e Leandro Nonato (violão). Espetáculo conta, ainda, com preparação de atores de Inês Aranha e coreografia de Gabriel Malo.

A temporada é online e gratuita, de 7 de outubro a 12 de novembro, às 21h transmitida diariamente pelo canal do Núcleo Experimental no Youtube.

A criação deste musical é uma continuidade das pesquisas do Núcleo Experimental sobre as possibilidades de interação entre música e teatro, consolida a trajetória do grupo como criador de musicais originais brasileiros e comemora os 10 anos da sua sede no bairro da Barra Funda.

Brenda Lee, nascida em Pernambuco, em 1948, foi uma militante transexual dos direitos da população LGBTQIA+. Morando em São Paulo, comprou um sobrado no bairro do Bexiga e começou a acolher travestis portadoras do vírus HIV numa época em que quase nada se sabia sobre a epidemia e em que o preconceito condenava pessoas com HIV ao abandono e à solidão. A importância de Brenda Lee foi enorme, sua casa de apoio e acolhimento à população trans ficou conhecida como Palácio das Princesas, firmou convênios com a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo e com o Hospital Emílio Ribas e em conjunto, aprimoraram a forma de atender pacientes soropositivos, independente de gênero, sexo, orientação sexual e etnia. Aos 48 anos, em 28 de maio de 1996, no auge de seu projeto, Brenda foi assassinada, encontrada no interior de uma Kombi estacionada em um terreno baldio com tiros na região da boca e no peitoral. O crime teria sido motivado por um golpe financeiro cometido por um funcionário da casa. Em 2008, foi criado o “Prêmio Brenda Lee”, que contempla personalidades que se destacam na luta contra o HIV e prevenção da Aids.


“Contar a história do Palácio das Princesas é não só manter viva a memória de Brenda Lee, considerada o anjo da guarda da população LGBTQIA+ em São Paulo, mas retratar uma mulher trans protagonista em sua luta e ativismo. Com a criação deste musical, também pretendemos diversificar o grupo de artistas que trabalham com o Núcleo Experimental, empregando musicistas, atrizes, criativos e técnicos transexuais e transgêneros. Este projeto significa mais oportunidades para uma população discriminada no mercado de trabalho”, conta a dramaturga Fernanda Maia, que completa: 

“O Núcleo Experimental tem consolidado uma obra em que o musical aparece não somente como diversão, mas como uma forma de arte que pode também refletir e discutir a sociedade. Um espetáculo composto por atrizes transvestigêneres, sobre uma importante travesti no panorama do surgimento da Aids e do fim da ditadura militar nos anos 80 significa colocar no centro do processo artístico criativo quem sempre esteve às margens. Fazer isso sob forma de musical significa atingir um tipo de público não habituado às histórias da população trans, contribuindo para a diminuição do apartheid social em que nos encontramos”. 

SINOPSE 

O musical Brenda Lee e o Palácio das Princesas traz um pouco da história de Brenda Lee, chamada de o “anjo da guarda das travestis”, ativista que fundou a primeira casa de apoio para pessoas com HIV/Aids, do Brasil.  Ela tem uma pensão para travestis que, em sua maioria, vivem da prostituição. Apesar da realidade de violência em que vivem, dentro da casa as travestis são acolhidas por Brenda, que lhes ensina a querer mais da vida. 

Concepção

A dramaturgia alia três planos: o dos números musicais, que faz uma homenagem às antiga boates da noite paulistana que nos anos 80 foram um porto seguro da população transgênero e geraram oportunidades de trabalho para as travestis. Neste plano as meninas da casa da Brenda contam suas histórias pregressas e falam de seus sonhos e objetivos através de canções; o plano da história cronológica em que Brenda abre mão do sonho de ter seu "Palácio das Princesas'' para poder acolher as amigas que estavam doentes e o plano das entrevista. 


“Na dramaturgia, inserimos transcrições de entrevistas reais de Brenda Lee colhidas de registros em vídeo na internet. Nestas entrevistas ela conta quem é, fala sobre sua família, sobre a prostituição, sobre como amealhou um patrimônio e o colocou à disposição de outras amigas. Fala sobre o trabalho na casa e sua relação com a morte. As moradoras da casa de Brenda Lee (Isabelle Labete, Ariela del Mare, Blanche de Niège, Raíssa e Cynthia Minelli) foram inspiradas pelas princesas de contos de fada, numa alusão ao apelido da casa. Suas histórias foram construídas a partir das histórias de travestis reais através da nossa pesquisa”, conta Fernanda Maia. 

“Conseguimos um material bibliográfico de apoio além de depoimentos de pessoas que conheceram pessoalmente Brenda Lee, foram moradoras ou trabalharam na casa. Duas dessas pessoas foram os médicos Jamal Suleiman e Paulo Roberto Teixeira. O Dr. Jamal Suleiman é infectologista e ainda trabalha no Hospital Emílio Ribas, ele conheceu Brenda Lee, quando ela levava suas moradoras ao hospital, no início da epidemia. Como o Hospital ainda não possuía uma estrutura especializada no atendimento de HIV/Aids e como os médicos e enfermeiros não possuíam preparo para o atendimento da população transvestigênere, ainda muito marginalizada, ele se ofereceu para atender dentro da casa de Brenda. O Dr. Paulo Roberto Teixeira, infectologista, atualmente aposentado, foi um dos pioneiros no enfrentamento da epidemia de Aids no Brasil, graças ao seu esforço incansável e à sua luta pela quebra de patentes, os medicamentos antirretrovirais são distribuídos gratuitamente pelo SUS”. 

No musical, as letras são de Fernanda Maia e as músicas de Rafa Miranda. As canções têm elementos de brasilidade aliados à contemporaneidade, tendo como referência compositores queer, transgêneros e não binários. Bases eletrônicas deverão aludir à boate, mas as canções das personagens terão contornos melódicos elaborados e harmonias que reforcem o aspecto afetivo da canção. Num grande número final, as “filhas de Caetana”, cantam suas vitórias e celebram sua grande protetora, que abriu caminho para que elas pudessem ter uma vida melhor.

Ficha técnica:  

Dramaturgia, letras e direção musical: Fernanda Maia

Direção e figurinos: Zé Henrique de Paula

Música original e preparação vocal: Rafa Miranda

Preparação de atores: Inês Aranha

Coreografia: Gabriel Malo

Assistente de direção (teatro): Rodrigo Caetano

Iluminação: Fran Barros

Cenografia: Bruno Anselmo

Visagismo (cabelos e maquiagem): Diego D'urso

Assistente de figurino: Paula Martins

Direção audiovisual: Laerte Késsimos

Assistente de direção (audiovisual): Lucas Romano

Câmera: Marco Lomiller

Som: Alexandre Gomes

Coordenação de produção: Zé Henrique de Paula e Claudia Miranda

Produção executiva: Laura Sciulli

Músicos: Rafa Miranda (piano), João Baracho (bases), Pedro Macedo (baixo), Abner Paul (bateria), Leandro Nonato (violão)

Elenco: Verónica Valenttino, Olivia Lopes, Marina Mathey, Tyller Antunes, Ambrosia, June Weimar e Fabio Redkowicz

LIVES complementares: 

20 de setembro, segunda-feira, às 20h 

Live com Ubirajara Caputo e Marina Mathey (atriz da peça), na plataforma Instagram, sobre a vida e o legado de Brenda Lee.

Ubirajara Caputo é doutorando em Psicologia Social pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Psicologia pelo Departamento de Psicologia Social e do Trabalho do mesmo instituto. Bacharel em Ciências do Trabalho pela Escola DIEESE de Ciências do Trabalho. Dedica-se ao estudo do preconceito motivado por orientação sexual/identidade de gênero, atuando principalmente nos seguintes temas: transgeneridade, preconceito, LGBTfobia, trabalho e direitos humanos. É ativista do movimento social por equidade de direitos às LGBT desde os anos 1980.

27 de setembro, segunda-feira, às 20h

Live com Fernanda Maia e Amara Moira, na plataforma Instagram, sobre arte e transvestigeneridade, tendo como pano de fundo "Brenda Lee e o Palácio das Princesas".

Amara Moira é uma transexual, feminista, escritora e professora de Literatura. Defendeu Doutorado em teoria literária pela Universidade Estadual de Campinas sobre a produção literária de James Joyce e, com isso, se tornou a primeira mulher trans a obter o título pela referida universidade usando seu nome social. Na sequência, iniciou sua atividade como prostituta e como escritora de um blog, onde relatava suas experiências e a de outras colegas na profissão. Tal período foi inspiração para a escrita posterior de seu livro, "E se eu fosse puta", lançado em 2016. Atualmente, não trabalha mais como profissional do sexo, mas é uma defensora da regulamentação da prostituição no Brasil.

04 de outubro, segunda-feira, às 20h

Live com Fernanda Maia e Roberta Leroux, pela plataforma Instagram, sobre a história da transvestigeneridade no Brasil nos anos 80 e 90, tendo como pano de fundo "Brenda Lee e o Palácio das Princesas".

 

Roberta Leroux é uma empresária e mulher trans que vive atualmente na Suíça. Participou ativamente da cena trans do final dos anos 80 e início dos 90, tendo conhecido Brenda Lee antes do surgimento da Casa de Apoio.

05 de outubro, terça-feira, às 21h

Lançamento do making-of do espetáculo "Brenda Lee e o Palácio das Princesas", com depoimentos da dramaturga e do elenco. Na plataforma YouTube, canal do Núcleo Experimental.

O making-of ficará disponível para acesso livre, por período indeterminado.

SERVIÇO 

7 de outubro a 12 de novembro 

Sessões diárias, às 21h, pelo canal do Núcleo Experimental no Youtube. 


Nos dias 12, 13 e 14 de novembro (sexta e sábado, às 21h / domingo, às 19h) o espetáculo também será transmitido pelas redes sociais do Teatro Alfredo Mesquita e nos dias 19, 20 e 21 de novembro (sexta e sábado, às 21h / domingo, às 19h) o espetáculo também será transmitido pelas redes sociais do Teatro Paulo Eiró.


Grátis

Classificação indicativa: 12 anos

Duração: 1h40

Chef Claude Troisgros vem ao Recife

 

O chef Claude Troisgros, apresentador do programa Mestre do Sabor, desembarca no Recife dia 6 de outubro, para debater sobre “A importância da produção agrícola para a gastronomia”, no Festival Gastronômico Sabor do Campo.

O encontro, aberto ao público, visa promover a integração entre dois importantes setores da economia nordestina: gastronomia e agropecuária. O Sabor do Campo integra a programação do 28º Agrinordeste, que ocorre de 06 a 08 de outubro, no Centro de Convenções.

Uma oportunidade única não só para assistir à apresentação de Claude, mas também de apreciar as criações exclusivas dos chefs empreendedores de Pernambuco, a preços módicos. Os visitantes também poderão adquirir muitos dos ingredientes usados como insumos nas oficinas apresentadas pelos chefs, na Feira de Produtos do Campo.

Espetáculo infantil Pochyua Só para Rodar estreia na web

 

O espetáculo “Pochyua – Só para rodar” será lançado virtualmente no dia 28 deste mês. Produzido pelo Cutia Coletivo, é um show para ver, ouvir, cantar, dançar e brincar. Um encontro entre tradição e contemporaneidade em forma de música, que passeia por 12 ritmos diferentes: dos regionais, como o frevo, a ciranda e o maracatu, até os de influência europeia, africana e indígena.

De autoria do músico e escritor Pochyua Andrade, o show entra no ar no Canal do Youtube do Cutia Coletivo, tendo como ação complementar, no dia 29, uma oficina virtual com estudantes das redes estadual, municipal e particular de ensino interessados, pois o projeto também foi construído como conteúdo para as instituições de ensino, trazendo além das canções, poesias que citam e explicam um pouco sobre cada ritmo apresentado.

“O show é para crianças, jovens, adultos, famílias e escolas. Buscamos integrar todo esse público em uma viagem pelo imaginário de festejos e brincadeiras populares. Só para rodar é pra mexer com o corpo e com a memória afetiva, ensinar a fazer pipa, se encantar com o catavento, brincar de peão, de esconde-esconde, de bumba meu boi, se apaixonar ainda mais pelo nosso carnaval e pelo nosso São João”, aponta o músico e escritor.

O espetáculo apresenta 12 ritmos diferentes e tem a proposta de traçar um desenho da nossa música frisando as influências européias (como o xote e a valsa), africanas (o alujá) e indígenas (o toré) e traz como resultado da miscigenação os ritmos consagrados de Pernambuco, a exemplo do frevo, do coco, dos maracatus, da ciranda, do caboclinho entre outros.

Pochyua – Só para rodar é um projeto inclusivo também. Além de ter versões com libras para o show e para a oficina, ele aproxima o público jovem de suas origens culturais indígenas e afro-brasileiras, desmistificando conceitos que envolvem sua musicalidade e sua religiosidade. “Ele convida todos a entender essa igualdade dentro dos versos das canções”, destaca o autor.

O projeto tem fomento do Funcultura e o show foi gravado no Teatro Marco Camarotti, no Sesc de Santo Amaro, no Recife. No palco estão Pochyua Andrade (violão, voz e direção musical), Johann Brehmer (bateria, percussão, concertina e vocal), Rafael Duarte (baixo, percussão e vocal), Joana Knobbe (teclado, flauta, escaleta e vocal), Orun Santana (bailarino) e Viviana Borchardt (atriz e diretora artística). O registro do espetáculo tem iluminação de Natalie Revorêdo, figurino de Paulina Albuquerque, direção de vídeo de Thiago França, designes de Walton Ribeiro e animações de Paulo Leonardo.

Serviço: 28/setembro: acesso ao espetáculo pelo Canal do Youtube do Cutia Coletivo

29/setembro: acesso a oficina “Ritmos pernambucanos e suas influências” pelo Canal do Youtube do Cutia Coletivo

Músico e escritor pernambucano, Pochyua Andrade atua no cenário da música independente e no universo da cultura para a infância; é um dos criadores do Cutia Coletivo que desenvolve projetos de teatro, literatura e música para crianças e jovens.

Com informações do jornalista Rafael Dantas

Governadores discutem sustentabilidade

 

O Encontro Estratégico Inovações Sustentáveis é uma ação do programa HidroSinergia e terá participação do senador Jacques Wagner, presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, do governador de Pernambuco, do governador do Espírito Santo, do governador da Bahia, do Embaixador da União Europeia, Ignacio Ybáñez, do coordenador de Energia do iCS, Roberto Kishinami, da coordenadora do Programa de Hidrogênio Verde da GIZ, Kristina Kramer, e de secretários de Meio Ambiente

A crise hidroenergética vivenciada atualmente no Brasil é um problema sistêmico que exige uma articulação para políticas públicas integradas, com soluções ágeis e agregadoras para um futuro sustentável. Para apoiar no enfrentamento desta crise e preparar o país para o contexto de incerteza hídrica, o Centro Brasil no Clima (CBC) vem articulando com governadores o desenvolvimento de soluções socioeconômicas inovadoras, no âmbito das parcerias estratégicas para a implementação do Acordo de Paris (SPIPA, em inglês). Entre elas está o projeto HidroSinergia, que será tema do Encontro Estratégico Inovações Sustentáveis na próxima terça-feira (28) e visa fomentar uma economia verde e inclusiva comprometida com o Acordo de Paris.

O Encontro Estratégico Inovações Sustentáveis, das 10h às 11h30 por plataforma virtual, terá participação do senador Jacques Wagner, presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, do governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, do governador da Bahia, Rui Costa, do Embaixador da União Europeia, Ignacio Ybáñez, do diretor executivo do Centro Brasil no Clima (CBC), Guilherme Syrkis, do coordenador de Energia do iCS, Roberto Kishinami, da coordenadora do Programa de Hidrogênio Verde da GIZ, Kristina Kramer, e dos secretários de Meio Ambiente de Pernambuco, José Bertotti, da Bahia, Marcia Telles, do Ceará, Artur Bruno e do Espírito Santo, Fabricio Machado.

O HidroSinergia é um projeto do Instituto Clima e Sociedade (ICS) e do Centro Brasil no Clima (CBC) e abrange quatro eixos: (1) a regeneração hidroambiental do Rio São Francisco, (2) a produção de hidrogênio verde para substituir combustíveis fósseis, (3) a expansão das energias renováveis (eólica e solar) em áreas secas e pobres do semiárido e (4) a capacitação profissional com geração de empregos verdes para reduzir desigualdade.

Segundo o coordenador do projeto, Sérgio Xavier, trata-se de uma aliança para interligar políticas públicas, conhecimentos, ideias e investimentos no Nordeste brasileiro. “A questão da sustentabilidade e da economia verde é urgente. Além da pandemia, o Brasil vive uma grave crise hidroenergética e um contexto de deterioração ambiental, com aumento do desmatamento e das emissões de CO2. Somado a isso, o país precisa enfrentar índices crescentes de pobreza e desemprego”, afirma.

O HidroSinergia soma-se à iniciativa “Governadores Pelo Clima”, coalização que conta com a união de 25 governadores brasileiros comprometidos com o enfrentamento à crise climática e o desenvolvimento de um pacto para a construção de uma nova economia focada na descarbonização do planeta. O HidroSinergia atua com as principais instituições ambientais do Brasil e dos Estados que compõem o Semiárido brasileiro e/ou se relacionam com a Bacia do São Francisco - Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, que juntos buscam soluções para questões climáticas, sociais e econômicas.

De acordo com Roberto Kishinami, coordenador do portfólio de energia do iCS, “o Nordeste brasileiro tem potencial de assumir um papel central no processo de descarbonização mundial e, como consequência, prover mais oportunidades de autonomia e mais qualidade de vida para sua população. A região já possui a geração eólica mais barata do mundo e tem tudo para se tornar um polo global de produção de hidrogênio verde, permitindo que esse insumo se torne competitivo mais rapidamente”.

Serviço:
Terça-feira (28), das 10h às 11h30, via Zoom.
Encontro Estratégico Inovações Sustentáveis e lançamento do projeto HidroSinergia


Marcinho Barradas é "Outro Patamar"

 

O cantor e compositor Marcinho Barradas lança hoje, em todas as plataformas digitais e, acompanhado de um videoclipe disponível em seu canal oficial no YouTube, seu novo e primeiro trabalho em carreira solo, o single, “Outro Patamar”.

Composição de Naldinho Rosa em parceria com Marcelinho Kbeça e produção musical de Vitor Souza, Outro Patamar, reforça a ideia de que o universo faz questão de nos surpreender sempre que tornamos o amor a nossa melhor escolha. Mas, não é de um simples amor que estamos falando, e sim, daquele amor que é sentido em uma simples troca de olhar, que bagunça o coração de uma maneira avassaladora, mas ao mesmo tempo coloca tudo em seu devido lugar.

Nascido e criado em Marechal Hermes, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, Marcinho cresceu com a música sempre presente em sua vida. Aos 10 anos de idade começou a tocar cavaquinho, por influência de seu pai, sua avó e tia, que frequentavam rodas de sambas e pagodes e sempre o levavam, iniciava-se ali o amor de Marcinho Barradas pela música.

Max Chagas assina a direção do videoclipe, o roteiro ficou por conta de Felipe Stark e Gucca e toda a assistência da produção foi de Gabriela Carvalho.

As cenas do videoclipe, passou por Marechal Hermes, bairro da Zona Norte, onde o artista mora até hoje, e onde sua história com a música começou e também serviram de cenários a Praia do Recreio, um dos mais belos cartões postais do Rio de Janeiro, onde um luxuoso casarão contribuiu para dar elegância ao romantismo de Outro Patamar.

A modelo Carol Sá fez uma participação especial no clipe apresentando o lado romântico e os bons momentos do casal.

“Outro Patamar é um grande sonho se tornando realidade! Desde que a escutei pela primeira vez eu me conectei e me identifiquei. Sinto que essa é a hora e o momento de alcançar voos altos!” - Diz Marcinho Barradas.

Um pouco sobre Marcinho Barradas:

Márcio Vinícius Barradas Maia é seu nome de batismo, nos palcos é conhecido como Marcinho Barradas. O cantor e compositor, cresceu com a música sempre presente em sua vida, aos 10 anos de idade começou a dar seus primeiros passos, tocando cavaquinho por influência de seu pai que também tocava e sua avó e tia, que frequentava diversas rodas e escolas de sambas e pagodes e que sempre o levava e isso era apenas o início de uma grande carreira musical.



Nascido e criado em Marechal Hermes, Zona Norte do Rio de Janeiro e apaixonado pela cultura brasileira, em especial pela Música Popular, Marcinho passou por alguns grupos de pagode da região, entre eles, o grupo Trânsito Livre formado por diversos músicos do cenário atual como Mumuzinho, Flavinho Miúdo, Feijão (Balacobaco) , Saulo (Grupo Toda Hora), Tchutchucão (Vou Pro Sereno) , Thiago Papai, entre outros.



Em 2007, Marcinho integrou-se no grupo Zoasamba, atuando como vocalista , onde teve seu grande reconhecimento muscial, alcançando um resultado de 3 álbuns de sucessos, dentre eles, ‘Pra Ficar Contigo/2009’ , ‘Na Boca/2012’ e ‘Passaporte/2016’, além de fazer uma releitura do mestre Cartola, com o samba, “O Sol Nascerá (A Sorrir)”, na novela Insensato Coração da Rede Globo em 2011, a convite do autor Gilberto Braga.

Após alguns anos afastado dos palcos, esse tempo foi o suficiente para que Marcinho Barradas retornasse com ideias e projetos a serem executados para o seu retorno.

Já em 2020, Marcinho Barradas, veio com força total seguindo carreira solo, apresentando uma live beneficente em seu canal do YouTube, “Marcinho em Casa + convidados”, com o intuito de ajudar seus colegas, amigos músicos e artistas devida a pandemia. A transmissão já alcançou mais de 20 mil visualizações, onde contou com as apresentações de Bianca Monteiro (Rainha de bateria da Portela), Grazy Dolls (cantora da banda Carrossel de Emoções), além da participação do cantor e compositor Diney. A live foi um sucesso na carreira solo do sambista e foi arrecadado mais de 2 toneladas de alimentos, uma quantia significativa em dinheiro e acessórios de prevenção que ajudaram dezenas de famílias durante este período tão delicado.

São aproximadamente mais de 20 mil seguidores que acompanham a carreira do cantor em suas redes sociais e fãs e admiradores que marcam presença em seus shows levando muita energia, alto astral e alegria.

Redes Sociais:
Instragram: @marcinhobarradas
Facebook: @marcinhobarradas
Twitter: @marcinhobarrada
TikTok: @marcinhobarradas
YouTube: /marcinhobarradas

RJ: Programação do Bar do Zeca Pagodinho

 





QUARTA-FEIRA: 29/09:
Thiago Soares: O cantor e compositor Thiago Soares, ex-integrante dos grupos Bom Gosto e Clareou, sempre se destacou pelo jeito de levar o samba em sua versão mais romântica ou em animados partidos-altos. Com mais de 15 anos dedicados à música, Thiago é um dos principais compositores da nova geração do pagode, sendo o responsável por grandes sucessos feitos em parcerias, ou solo, gravados por diversos artistas renomados como, Tiee, Mumuzinho, Dilsinho, entre outros. São eles: "Um Só Sentimento", "Mania de Pegar Mulher", "Só Penso no Lar" e vários outros.

Horário: 20h30min
Preço: R$ 30,00


SEXTA-FEIRA: 01/10

Grupo 100%: Com 20 anos de carreira, o Grupo 100%, iniciou se apresentando em diversas casas de espetáculo no Rio de Janeiro e na Baixada Fluminense. Todas às 2ª feiras, o grupo marcava presença no Esporte Clube Iguaçu, fazendo uma roda de samba que, em pouco tempo, conquistou um público fiel e participativo surgindo então a "Segunda Sem Lei". Nesta apresentação no Bar do Zeca Pagodinho, o 100% canta sucessos como, "Hoje Eu Vou Pagodear", "Trevo de Paz", "Alma Gêmea" entre outros.

Diney: Nascido e criado em Marechal Hermes, o cantor e compositor Diney é dono de diversos sucessos gravados por artistas renomados como, Belo, Revelação, Só pra Contrariar, Péricles, Balacobaco, Bom Gosto, Clareou, Mumuzinho e Leandro Sapucahy. No palco, apresenta grandes sucessos como, "Aventureiro”, “Casa Azul”, “Pra Mimar Você”, “Jejum”, “O Som do Tambor”, dentre outros mais.

Horários: 19h/ 23h
Preço: R$ 30,00

SÁBADO: 02/10

Sambalelê: O cantor Leandro Lelê carrega em sua bagagem várias apresentações com diversos artistas renomados como, Emílio Santiago, Beth Carvalho, Maria Rita, Alcione, Jorge Aragão, entre outros. No repertório do show, sambas como, "Insensato Destino", "Deixa a Vida Me Leva", "Emoções", "O Que É O Que É".

Renato Milagres (foto): Vindo de uma família de músicos, Renato começou a cantar samba aos 15 anos e desde então não parou. O que era um encontro semanal com amigos da escola e vizinhos transformou-se em um compromisso com o melhor da música. Hoje, cantor e compositor apresenta um repertório de sambas autorais e sucessos como, "Alma Boêmia", "Reciprocidade", "Até Onde Vamos", entre outros.
Sambinha do Primeiro Amor: Primeiro Amor é uma banda conceito que fala do amor de ontem, de hoje e de sempre. Já se apresentou em diversas casas de shows pelo Rio de Janeiro. No repertório, mostra um cardápio musical bem variado com canções de artistas consagrados como, Raça Negra, Soweto, Jeito Moleque, Art Popular, Negritude Júnior, SPC, Exaltasamba, Dilsinho e outros.

Horários: 14h30min/ 18h30min/ 22h30min

SERVIÇO: BAR DO ZECA PAGODINHO
Endereço: Av. das Américas, 8585 – Shopping Vogue Square – B. da Tijuca
Telefone: (21) 3030-9097
Horários de Funcionamento:
Segunda a Quinta: 18h às 0h
Sexta: 12h às 02h
Sábado: 12h às 03h
Domingo: 12h às 0h
Capacidade: 50% do público
Faixa etária: 18 anos
Aceitamos todos os cartões de débito e crédito
OBS: *Não fazemos reservas de mesas
          * Entrada somente com máscaras

Mutirão de vacinação em Bezerros

 

A Secretaria de Saúde de Bezerros realizou, no último final de semana, o mutirão de vacinação “Bezerros Não Para”, com uma força-tarefa de mais de 30 horas ininterruptas para aplicação da vacina contra à Covid-19. Pessoas dos grupos prioritários, do Plano Nacional de Imunização - PNI, tomaram tanto a primeira quanto a segunda dose.

De acordo com os dados da Secretaria de Saúde do município, foram mais de 60 profissionais de saúde envolvidos na ação que vacinou aproximadamente 2.800 pessoas durante todo o mutirão. Para a segunda dose, não foi necessário o agendamento prévio.

No sábado (25), o mutirão foi realizado no Colégio Municipal Desembargador Felismino Guedes (Praça São Sebastião), no CEMAIC (Rua Henrique Dias - Bairro Santo Antônio), no Colégio Municipal Monsenhor José Florentino (Avenida Monsenhor Florentino - Bairro Santo Amaro I) e na Praça Duque de Caxias, das 08h às 16h.

Já no Colégio Municipal, foram 32 HORAS SEM PARAR de vacinação contra o Coronavírus, que iniciou às 08h da manhã do sábado (25) e seguiu até às 16h do domingo (26).

lmprensa Bezerros

Araçoiaba será beneficiada com obras de abastecimento d’água

 

Araçoiaba será contemplada com a parceria do governo do estado em obras de abastecimento d’água no município. Com o apoio também do deputado Joaquim Lira, o prefeito Jogli Uchoa estará realizando um sonho antigo da população. O anuncio da liberação dos recursos aconteceu nesta sexta-feira (24) no Palácio do Campo das Princesas.

O impacto positivo dos investimentos na estruturação para melhorar o abastecimento na cidade já repercutiu entre os moradores, que estão comemorando a boa nova. Serão R$11 milhões de reais que irão transformar a situação da falta d´água na cidade. “Em breve, estaremos anunciando a licitação e em seguida a Ordem de Serviço, tão esperada . Agradeço o apoio do governador Paulo Câmara e do deputado Joaquim Lira”, destacou satisfeito o prefeito.

lmprensa Araçoiaba PE

Projeto Viabilizando Sonhos Culturais

 

A produtora e empreendedora cultural Eliz Galvão estará realizando através da sua empresa, a Liga Criativa, uma formação presencial de 30 horas/aula para artistas, e produtores(as) culturais residentes no Agreste de Pernambuco. O curso “Viabilizando Sonhos Culturais” visa apresentar o universo da elaboração, gestão e prestação de contas de projetos, tendo os editais do Funcultura Pernambuco como objeto de trabalho.

A formação acontecerá no período de 05 à 28/10, sempre nas terças e quintas, no horário da tarde. A ação acontecerá no Centro de Criação Galpão das Artes na cidade de Limoeiro. Pessoas que residam em cidades próximas também podem fazer a inscrição que é gratuita e conta com formulário acessível em Libras, inclusive, está garantido intérpretes de Libras acompanhando todo o projeto, caso haja inscrições de artistas da comunidade surda.

“O Agreste de Pernambuco é conhecido pela sua potencialidade cultural, porém o acesso aos recursos via editais ainda é um desafio a ser enfrentado. A proposta da formação é desmistificar a ideia de que concorrer a editais e gerir projetos é algo inatingível. Vamos quebrar essas barreiras de uma forma leve, respeitando a individualidade e potencializando a autenticidade dos nossos agentes culturais.” Ressalta Eliz Galvão, produtora cultural e facilitadora da formação.

Terão prioridade na inscrição: artistas e produtores(as) da área de fotografia, mulheres, pessoas negras, pessoas com deficiência motora ou auditiva, pessoas idosas, moradores(as) de bairros periféricos e profissionais das artes transgênero, transexual, travesti ou intersexual.

A formação atenderá um público de 20 pessoas e os que cumprirem a etapa presencial ganharão uma consultoria online individual para potencializar as ideias dos projetos e sanar dúvidas específicas.

As inscrições estão sendo feitas através do formulário que pode ser encontrado no Instagram da Liga Criativa (@LigaCriativa) ou solicitado por e-mail (liga@ligacriativa.com.br) até o dia 29/09. A lista das pessoas aprovadas será divulgada no dia 01/10.

Lembrando que não é preciso experiência prévia nas temáticas abordadas no curso, a proposta da oficina é justamente oportunizar o acesso à informação as pessoas sem experiência nesta área.