domingo, fevereiro 27, 2022

Ninguém solta a mão do Zezé

O Zezé é um menino esperto e que sofre do Transtorno do Espectro Autista. Sua mãe, a Laís, é de Viamão, no Rio Grande do Sul e precisa de recursos para ter atendimento especializado. Vejam os relatos de sua mãe e de sua professora:

Eu sou Laís tenho dois filhos meu filho mais novo é autista, não consegui o tratamento dele pelo SUS na cidade onde moramos e nem nas cidades vizinhas, preciso entrar com um recurso contra a prefeitura da minha cidade para o custeio do tratamento já que não me é fornecido para isso ele precisa de um laudo bem detalhado e neuropediatra custa 600,00 reais a consulta peço que me ajudem com qualquer quantia para que eu possa correr atrás do tratamento dele. Obrigada.


sábado, fevereiro 26, 2022

SP: Ninguém solta a mão de quem precisa

Covid-19 pode causar problemas na saúde masculina

 

A Covid-19 é uma doença ainda com muitas interrogações. Uma delas é referente à saúde masculina, quais as possíveis sequelas. Existem estudos sobre isso no mundo.

Ainda em 2020, um grupo de cientistas alertou para a possibilidade de que algumas pessoas poderiam sofrer, em algum nível, perda de função sexual, especialmente pelo potencial de dano ao endotélio (tecido que reveste os vasos sanguíneos).

Em maio de 2021, um grupo de pesquisadores da Escola Miller de Medicina, ligada à Universidade de Miami, nos Estados Unidos, mostrou que o coronavírus Sars-CoV-2 pode ser encontrado no pênis mesmo após a doença. Na revista científica The World Journal of Men's Health, os cientistas afirmam que os danos causados pela Covid nas células do endotélio podem contribuir para a disfunção erétil.

Segundo o urologista Felipe Dubourcq o paciente pode ter um processo inflamatório na microcirculação que resulta em falha de ereção. A boa notícia é que o distúrbio não parece ser permanente. É necessário ter um acompanhamento médico e o tratamento com remédios para ereção (como sildenafila e outros) só deve ser feito com indicação especializada.

É necessário ter um acompanhamento médico e o tratamento com remédios para ereção (como sildenafila e outros) só deve ser feito com indicação especializada.

Jornalista Brasileiro na Ucrânia descreve alerta neste momento

O jornalista brasileiro Sérgio Utsch está em Kiev, capital da Ucrânia e neste momento está indo a um abrigo antiaéreo. Utsch é correspondente internacional do SBT. Aos 46 anos, ele é mineiro de Belo Horizonte e torcedor do Atlético Mineiro. Na TV Globo, foi repórter do Jornal Nacional e Jornal da Globo. Desde 2005 integra a equipe do telejornal SBT Brasil. Em 15 anos de carreira, cobriu os Jogos Olímpicos da China, Copa do Mundo da Alemanha e o conflito árabe-israelense. Em 2007 ganhou menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog pela série de reportagens Infância Roubada.

sexta-feira, fevereiro 25, 2022

OCDE rompe com Moscou

quinta-feira, fevereiro 24, 2022

#Entrevista Sofia Manzano: "Eu trabalho para levar nossa pré-candidatura ao Segundo Turno"

 

A professora universitária e escritora Sofia Manzano, de 50 anos, é nascida em São Paulo, mas vive em Vitória da Conquista, a 518 km de Salvador. Ela integra o Partido Comunista Brasileiro desde 1989 e foi candidata do "partidão" à vice-presidência da República em 2018 (o presidenciável foi Mauro lasi). Ela foi anunciada pelo PCB na semana passada  como pré-candidata à Presidência da República e o Partido Comunista também pretende lançar nomes nos estados, a exemplo de Pernambuco, que tem como pré-candidato a governador o professor e youtuber Jones Manoel. Nesta entrevista, Manzano fala das propostas do partido, de nomes inspiradores,  do "fantasma do comunismo", do centralismo democrático, dos desafios de chegar à população, da possibilidade de alianças com partidos do mesmo espectro politico, como PSol, PSTU e UP. Quando questionada quem apoiaria no segundo turno, ela é taxativa: "Eu trabalho, na dinâmica eleitoral, mesmo com a brutal desigualdade de recursos, para levar nossa pré-candidatura ao Segundo Turno.". Vamos conhecer a pré-candidata, que conversou com o blog e respondeu às perguntas com tranquilidade.

1) O que a fez decidir se candidatar à Presidência da República?
No PCB, o meu partido, um processo de decisão como essa não passa por uma escolha individual. Nós debatemos internamente e decidimos coletivamente. E a nossa resolução unânime foi de lançar a minha pré-candidatura à presidência da república. Levamos em consideração a necessidade de trazer para o espaço público as ideias e as lutas que o PCB projeta para o Brasil, especialmente, para a classe trabalhadora. Pessoalmente, eu assumo essa pré-candidatura como uma tarefa, como alguém que pode falar em nome de todo o coletivo partidário.
Eu milito no PCB desde 1989, desde muito jovem. Já passamos por vários momentos de enfrentamentos, desde as lutas mais gerais das e dos trabalhadores (as), quanto nos períodos eleitorais. Em 2014 eu fui a candidata a vice-presidente na chapa que teve Mauro Iasi como candidato a Presidente da República. Naquele momento, pudemos trazer à tona uma série de questões muito importantes para o avanço do nosso projeto na luta de classes.

2) Culturalmente, muitos brasileiros temem o comunismo e isso influenciou no Estado Novo e no golpe de 1964. O que é, de fato, o comunismo e, houve alguma possibilidade de haver regime comunista no Brasil?
O comunismo é um modo de organização da vida social em que não haja exploração sobre nenhum ser humano. Quero dizer, é uma sociedade em que não haja ricos e pobres, proprietários e proletários, em suma, que não existam diferentes classes sociais, pois as classes sociais significam grupos que se dividem entre, de um lado, um pequeno número de pessoas que enriquece brutalmente explorando a classe trabalhadora, e de outro, um número cada vez maior de pessoas exploradas ou até mesmo sem condições mínimas de existência.
Nesse sentido, o comunismo nunca existiu, ainda. O que existe são experiências socialistas que caminham, de diversas formas, para a superação do capitalismo e da exploração, na perspectiva da construção de uma sociedade comunista.
Agora, como o comunismo propõe o fim da exploração, os capitalistas e seus defensores fazem uma campanha anticomunista permanente. Essa campanha acaba por criar, no senso comum da população, uma ideia completamente equivocada do que pode vir a ser o comunismo e quais são as pautas e as lutas daqueles que o defendem.
Como você expressou, todas as vezes em que a classe trabalhadora avança em sua luta contra a burguesia no Brasil, essa classe exploradora se utiliza dos meios mais brutais para não perder o poder e seu domínio. Tanto no Estado Novo quanto na Ditadura Militar de 1964, os regimes ditatoriais foram instalados não só para combater os comunistas, mas para impedir qualquer forma de democracia. Isso mostra o quanto a classe dominante no Brasil é autocrática, perversa e brutal contra a classe trabalhadora, especialmente a parcela historicamente mais vulnerável da população, que são as e os negros (as), as mulheres, as e os indígenas e quilombolas, a população LGBT, as e os camponeses (as).

3) Quais as principais propostas que você e o PCB têm para o Brasil, em se tratando de economia, questões sociais, meio ambiente e pautas de costumes?
Nós temos um programa emergencial para o Brasil que começa pela revogação de todas as contrarreformas neoliberais que foram implementadas nos últimos governos. Desde a transformação da Lei de Responsabilidade Fiscal na Lei de Responsabilidade Social; a revogação da Reforma Trabalhista e de todas as modificações retrógradas na CLT desde o governo de FHC, passando pelos governos do PT e, principalmente, após o golpe de 2016, de forma a tornar o mercado de trabalho um ambiente favorável aos trabalhadores; revogação de todas as reformas da previdência, também desde FHC; fim da Lei do teto de gastos; construção de um arcabouço legal e de uma política pública para o meio ambiente que, ao mesmo tempo em que preserve e proteja os recursos naturais, reorganize a distribuição fundiária, a política agrícola e energética para, preservando o meio ambiente, garantir a soberania alimentar, energética e de recursos naturais para o país e sua população, e não para os interesses do grande capital.
Na pauta dos costumes, propomos avançar no combate ao racismo estrutural, a discriminação das mulheres, LGBTs e povos originários, com medidas que ultrapassem o punitivismo. Para isso, medidas específicas que se contrapõem a cada uma destas pautas retrógradas e reacionárias, que se estabeleceram em nosso país com o ascenso da ideologia fascista, serão prioritárias em nossa pré-campanha. A começar, pela luta para a instituição do aborto legal e feito pelo SUS.

4) Dentro das esquerdas há um conflito de pautas para a luta. Parte da militância quer a luta de classes e a outra parte acredita ser fundamental incluir pautas identitárias, como os movimentos feministas, negros e LGBTQIAP+. Qual a sua visão sobre isso e como o PCB lida com esse tipo de conflito.
O PCB e seus coletivos partidários – o Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro, o Coletivo Negro Minervino de Oliveira, o Coletivo LGBTComunista, além da União da Juventude Comunista e da Unidade Classista – consideram que não há um corte radical entre a questão da luta de classes e as pautas específicas de grupos que são especialmente explorados e discriminados pela sociedade capitalista. O que há são especificidades nas pautas, portanto na forma de luta. No entanto, entendemos que, por mais que essas pautas específicas transcendam o capitalismo, uma vez que elas remontam períodos históricos antigos e, provavelmente ainda permanecerão mesmo com a superação desse sistema, no mundo em que vivemos, o capital hierarquiza essas populações a partir da necessidade de super explorar os diferentes segmentos da classe trabalhadora. Assim, por exemplo, o machismo, que é milenar, pois deriva da constituição do patriarcado, é utilizado pelo capital para remunerar de forma desigual os homens e as mulheres mesmo que em funções iguais, ou ainda, o racismo estrutural que descende do escravismo colonial em nosso país, no capitalismo instituído mantém a maior parte da população brasileira, que são os e as negras, nos estratos mais baixos das condições de existência e como um contingente populacional de reserva para a exploração desenfreada do capital.
Por isso, nós não separamos as lutas e as pautas como se não estivessem indelevelmente ligadas, já que não é possível superar o machismo e o racismo (e todas as formas de opressão) sem considerar a situação de classe da maior parte desses grupos populacionais. Assim como, não é possível construir uma sociedade comunista, em que a igualdade deve ser substantiva e não apenas formal, sem superar definitivamente o machismo e o racismo, bem como todos os tipos de opressão.

5) Atualmente, o nome mais conhecido do PCB no Brasil é o do professor e youtuber Jones Manoel e agora, com sua pré-candidatura, seu nome também será conhecido. Que outros nomes do PCB no Brasil você cita como lideranças?
Nós temos diversos camaradas (essa é a forma pela qual nos tratamos, os e as comunistas) que são reconhecidos em seus locais de atuação, talvez não pela grande mídia e as redes sociais, até porque são lutadores e lutadoras bem mais antigas e atuavam através de outros meios. O professor José Paulo Netto, por exemplo, é um dos maiores marxistas vivos e atuantes, mas não está na disputa eleitoral, ele atua na batalha das ideias, batalha tão importante quanto a disputa política. Mas, em se tratando de disputa eleitoral, nós já temos, até o momento, o lançamento das pré-candidaturas aos governos estaduais, a camarada Renata Regina, em MG; o camarada Gabriel Colombo, em SP e o camarada Jones Manoel, em PE. Logo mais anunciaremos outras pré-candidaturas estaduais.
Além disso, temos já várias pré-candidaturas às esferas legislativas, como as camaradas Luiza Melo e Victória Pinheiro, em Pernambuco.

6) Num eventual segundo turno nas eleições presidenciais, você apoiaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, uma vez que nas pesquisas ele aparece como favorito?
É muito cedo para tratarmos do segundo turno, pois a campanha eleitoral ainda não começou e, nessa pré-campanha, muita coisa ainda pode mudar. Além disso, como eu disse acima, nós não tomamos decisões individuais, nem eu, nem nenhum pré-candidato ou pré-candidata do PCB está autorizado a apoiar ou deixar de apoiar individualmente qualquer candidatura, nem agora, nem no futuro. Nosso partido trabalha com a ideia do “centralismo democrático”, quer dizer, nós debatemos internamente e, depois de decidido democraticamente pela maioria, a decisão vale para todos e todas as militantes. Será assim que avaliaremos os acontecimentos na esfera da política eleitoral, desde agora até o segundo turno.
Além do mais, eu trabalho, na dinâmica eleitoral, mesmo com a brutal desigualdade de recursos, para levar nossa pré-candidatura ao segundo turno. Nós temos propostas e programa para o Brasil e queremos implementá-las.

7) Muitos partidos estão temendo a cláusula de barreira nas eleições deste ano e estão formando federações e alianças. O PCB pode vir a se aliar com partidos a exemplo de PSTU, UP e PCO?
Até o momento nós não iremos constituir federação com nenhuma legenda. Mas, alianças e constituição da Frente de Esquerda estão sim nas nossas possibilidades. Estamos abertos e no momento oportuno efetuaremos as diversas conversas com as forças políticas do campo da esquerda socialista. Seria importante uma forte unidade desse campo, com um projeto alternativo, que reafirme nossa independência de classe, como fizemos em 2018. Uma frente de esquerda que avance no debate político programático e na disputa eleitoral.

8) Que nomes do PCB a inspiram a continuar em sua militância (nomes históricos e atuais).
O PCB comemora, neste ano, o seu centenário (o PCB foi fundado no dia 25 de março de 1922). São 100 anos de história na luta pela classe trabalhadora brasileira e pelas mais diversas pautas. É uma responsabilidade muito grande escolher alguns nomes, pois tivemos lutadores e lutadoras em todas as áreas, desde as batalhas camponesas, até nos mais altos níveis da ciência. Então eu vou aproveitar esse espaço para destacar algumas mulheres que me inspiram.

Ana Montenegro, que dá nome ao nosso coletivo feminista classista, o CFCAM.

Adalgisa Cavalcanti, a primeira mulher eleita deputada em Pernambuco, lutadora incansável pela causa das mulheres.

Maria Aragão, maranhense, de uma família muito pobre e mãe analfabeta, formou-se em medicina e atuou na saúde da população pobre.

Maria Brandão, baiana, negra, liderança popular na luta por moradia em Salvador.

Nise da Silveira, alagoana, também médica, referência na luta antimanicomial.

Zuleide Faria de Mello, alagoana de nascimento, mas que vive há muitas décadas no Rio de Janeiro e foi nossa dirigente máxima durante muitos anos da Reconstrução Revolucionária do PCB, nos últimos 30 anos.

E, por fim, mas não menos importante, Olga Benário, que dispensa apresentação.

9) Um desafio para a esquerda como um todo é levar sua mensagem e suas propostas para as periferias, que acabaram tendo uma influência muito forte das igrejas, em especial as evangélicas. O que pode ser feito para levar a mensagem de vocês para o povo?
O mais importante é o trabalho de base, quero dizer, um trabalho que envolve tanto a parte de formação política e agitação das pautas da classe trabalhadora, quanto a organização autônoma da população em seus próprios espaços de militância e existência. Nós temos o projeto e a luta para a construção do Poder Popular, que é justamente esse trabalho de, ao mesmo tempo em que desperta na população trabalhadora, o conhecimento para as contradições do sistema capitalista que a faz quase escravizada, propõe a auto organização política, social e econômica, a fim de se constituir em um espaço político efetivo para o processo revolucionário.
Além disso, devemos ocupar todos os espaços de debate para apresentar uma proposta diferente de tudo o que está posto pelos grandes grupos políticos, econômicos e alguns setores religiosos. Uma proposta que tenha o protagonismo e a independência da classe trabalhadora na condução dos destinos do país.

10) Para encerrarmos, conta pra gente sobre a sua trajetória acadêmica, política e de vida.
Eu sou de São Paulo, mas vivo na Bahia. Sou casada e mãe de um filho. Minha formação é na área de economia: sou graduada em Economia pela PUC de São Paulo, mestre em Desenvolvimento Econômico pela Unicamp e doutora em História Econômica pela USP. Sou professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), em Vitória da Conquista e autora do livro Economia Política para Trabalhadores. Minha área de pesquisa é sobre mercado de trabalho, desigualdade e o sistema capitalista, na perspectiva teórica do marxismo.
Comecei a militar no PCB em 1989 e estou nessa organização partidária desde então. Nesses anos, já fui presidenta da UJC, a União da Juventude Comunista e faço parte da instância máxima dirigente do partido que é o Comitê Central. Fui candidata a vice-presidente, em 2014, na chapa de Mauro Iasi.
Além de estar nessa pré-campanha eleitoral, minha atuação atual é no movimento sindical, na base do movimento docente que se organiza no Andes-SN.

Goiana reajusta salários de servidores

 

O prefeito de Goiana, Eduardo Honório, sancionou nesta tarde (24.02) a lei que concede reajuste salarial aos professores, aos contratados temporariamente e aos servidores efetivos, ativos e inativos.

O projeto de lei, de autoria do Executivo, foi votado e aprovado pela Câmara de Vereadores durante sessão ordinária realizada hoje.

Com a lei, ocorre aumento de 10% no vencimento básico dos servidores efetivos, ativos e inativos e aumento de 20% aos professores ativos e inativos do município. A lei também concede reajuste aos contratados temporariamente. A medida já está em vigor e seus efeitos retroagem ao dia 1° de fevereiro de 2022.

Em março, o prefeito deverá encaminhar à Câmara de Vereadores um projeto de lei que propõe suplementação orçamentária para complementar a reposição salarial dos professores, conforme o piso nacional da categoria.

lmprensa Goiana PE

Delicias da Prazeres chega em Boa Viagem

 

As empresárias Prazeres e Viviane Castro inaugurando esta semana nova unidade da Delícias da Prazeres, desta vez em Boa Viagem, com uma nova proposta "Festa & Cia", em que o cliente pode adquirir tudo para a festa: desde bolo e docinhos aos acessórios necessários para uma comemoração. O conceito é "tudo num só lugar". Outro diferencial é que o kit festa fica pronto em 20 minutos. A marca já conta com outras unidades na Região Metropolitana do Recife.

Ônibus do Bahia é atacado em Salvador

José Victor Rack, descendente, sobre a Ucrânia hoje

quarta-feira, fevereiro 23, 2022

Galeria Esquina 586 inaugura em Casa Forte



A Galeria Esquina 586, que fica na Praça de Casa Forte, será inaugurada, com coquetel apenas para convidados, na quarta-feira, dia 23 de fevereiro, a partir das 17h. O evento é ao ar livre e cumpre com todas as medidas sanitárias decretadas pelo Governo de Pernambuco. O espaço possui quatro lojas e quatro escritórios, além de jardim, deck, estacionamento e rooftop.

O engenheiro civil e idealizador da galeria, Alberto Magno, conta que morou com a família, durante mais de 30 anos, na casa de número 586, no coração do bairro mais bucólico da Zona Norte. Pedro Maia, filho de Alberto, e sócio no empreendimento, diz que guarda lembranças familiares e inúmeras memórias afetivas do local. “Meu pai recebeu várias propostas de venda, que, provavelmente terminariam descaracterizando ou demolindo o imóvel”, diz. Por isso, em 2021, Alberto decidiu dar um novo sentido à moradia e resolveu transformá-la em um espaço coletivo e diverso, em que se pode tomar um café sem pressa, escolher uma roupa nova, comprar frutas e legumes orgânicos, perfumar a casa com flores e, até mesmo, se consultar com uma psicanalista. Então, em dezembro de 2021, nascia, oficialmente, a Galeria Esquina 586, fruto de um sonho muito bem planejado e executado, nos mínimos detalhes, e que oferece à sociedade pernambucana, produtos, serviços, novidades e conforto, sempre com muito charme e aconchego. “Entregamos ao Recife um equipamento completo e surpreendente. Um local para apreciar a vida como se estivesse em casa. Um espaço totalmente integrado ao estilo de vida das pessoas e do bairro. Acho que Casa Forte merecia um lugar assim”, revela o empresário.

Gabriel Mendes, arquiteto responsável pela transformação da casa em galeria, revela que muitas características do imóvel, construído na década de 1940, foram preservadas, como, por exemplo, as janelas da área central, a escada, o piso e gradil de ferro fundido, que cerca o local. “Resguardamos a história dos antigos moradores. Reformamos alguns ambientes, mas preservamos a sua essência, como foi o caso da biblioteca. Produzimos um conceito intimista para que, quem fosse à galeria, pudesse ter uma experiência de contemplação. É como se a gente tivesse criado uma extensão da praça”, explica o arquiteto.

A área total do imóvel é de 600 metros quadrados, com 280 metros quadrados de área construída. O espaço verde foi todo preservado, com sapotizeiros e jambeiro, e o jardim, projeto da paisagista Marta Souza Leão, abriga diversas espécies de plantas e uma horta orgânica. A arquitetura segue a linha contemporânea, com a valorização de alguns elementos clássicos encontrados na construção, preservando as linhas arquitetônicas originais. O novo espaço também possui um vitral e três esculturas assinadas pelo artista plástico pernambucano Cavani Rosas, além de um mural que está sendo produzido por Rafa Mattos. Vale ressaltar que a galeria atende aos requisitos de obra limpa e sustentável, e possui recursos como aquecimento solar da água, captação e reuso de águas da chuva, iluminação em LED e coleta seletiva de lixo.

O investimento para cada loja ou escritório varia de 30 a 150 mil reais. A média para locação é de 100 reais o metro quadrado. No local, é possível encontrar lojas já consolidadas, como a Refazenda, especializada em moda feminina, familiar e camisaria masculina; e a Kopenhagen, referência em chocolates finos, cafés e sorvetes. Mas há também espaço para novas empresas como é o caso da Comadre Fulozinha, de produtos orgânicos e agroecológicos, que, apesar de atender por mais de 15 anos em uma loja virtual, abriu na galeria, a primeira loja física; e ainda a floricultura Bureau de Flores, que também inaugura a primeira loja física, instalada no jardim da galeria. Além disso, o novo espaço conta com o Âmbar, consultório de psicologia; a Ágil Arquitetura, que assina o projeto; Fábrica do Bem, ONG especializada em empreendedorismo social; e a AMPM Engenharia, responsável pela reforma do imóvel. A galeria funciona durante todos os dias da semana, das 7h às 20h, e no sábado, das 9h às 20h, e domingo, do meio-dia às 20h.



SERVIÇO:

INAUGURAÇÃO GALERIA 586

ONDE: PRAÇA DE CASA FORTE

QUANDO: 23 DE FEVEREIRO (QUARTA-FEIRA)

HORÁRIO: A PARTIR DAS 17H

EVENTO PARA CONVIDADOS

domingo, fevereiro 20, 2022

Doação de Sangue

 UPDATE: De acordo com esta postagem, a jovem não  resistiu. Mas a matéria continua no ar  para conscientizar a população sobre a doação de sangue. Nossos sentimentos à família e aos amigos da Maria Eduarda.


Goiana vai pagar auxílio emergencial de Carnaval para trabalhadores da festa

 

O auxílio emergencial carnaval de Goiana dos Caboclinhos foi sancionado nesta manhã (18.02) pelo prefeito Eduardo Honório. O benefício foi criado para amparar agremiações e atrações artísticas impactadas pela pandemia da covid-19 e pela impossibilidade de realização de eventos carnavalescos na cidade neste ano.

A convocação, com as orientações e datas referentes aos repasses dos recursos está publicada no site da prefeitura: goiana.pe.gov.br. O pagamento do benefício será feito em parcela única e equivale a 100% do valor recebido de cachê para grupos, bandas e orquestras ou de subvenção para agremiações carnavalescas que participaram da programação oficial do Carnaval de Goiana 2020.

Essas Agremiações Carnavalescas, Grupos e Bandas devem comparecer à sede da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Cultural, nos dias 21 e 22 de fevereiro de 2022, no horário das 9h às 16h ou podem encaminhar e-mail para turismo@goiana.pe.gov.br.

lmprensa Goiana PE

Recife ganha Clínica de Reabilitação e Cuidados Paliativos

 

Com uma proposta de cuidado integral das legítimas necessidades de pacientes e seus familiares, em suas dimensões física, psicológica, espiritual e social, chega no Recife a Clínica Florence. A clínica de transição especializada no tratamento de pacientes em Reabilitação e Cuidados Paliativos deu início a suas operações na cidade, localizada no bairro das Graças, em uma das regiões mais preservadas e arborizadas da cidade, o Pátio Rui Barbosa, que conta em sua estrutura com um casarão de 600m², relíquia da arquitetura do século XIX. Com 76 leitos, essa é a primeira unidade da Florence fora de Salvador (BA), o que dá início a sua expansão para outras capitais do Nordeste brasileiro.

Com um modelo assistencial diferenciado, a Clínica Florence é focada em oferecer um ambiente humanizado, com interações flexíveis a partir da necessidade de cada paciente e seus familiares, promovendo acolhimento e melhora na qualidade de vida. “Ao longo dos últimos quatro anos, a Florence tem impactado a qualidade de vida de muitos pacientes e familiares, sendo motivo de orgulho para o seguimento de saúde na Bahia. Neste contexto, nossa aspiração de crescimento se torna um dever, uma obrigação de levar o Jeito Florence para mais pessoas”, afirma Dr. Lucas Andrade, médico, idealizador e CEO da Clínica Florence. “A chegada em Recife é motivo de grande entusiasmo. É um sonho nascido ainda no primeiro ano, quando constatamos o impacto que podemos ter na vida de pacientes e familiares nos momentos mais delicados”, complementa.

A Florence atende pacientes, em sua maioria procedentes de hospitais gerais, com indicação de cuidados multidisciplinares complexos, com intuito de reabilitação intensiva (funcional e adequação de cuidados), redução da complexidade dos cuidados, capacitação de familiares e controle de sintomas em todas as suas dimensões.

Os pacientes em reabilitação funcional são aqueles que sofreram um evento agudo recente, que ocasionou significativa perda de funcionalidade para realização de atividades básicas da vida, como se locomover, comer ou tomar banho. Esses eventos causadores podem ser diversos, como AVC, fratura de fêmur, pós-operatório de cirurgia de grande porte, politraumas, internação prolongada em UTI, forma grave de Covid-19, entre outras condições que ocasionaram perda recente de independência funcional. “Na Florence, estes pacientes seguem um plano de cuidados customizado e intensivo, que pode chegar até 18 horas semanais de terapias, elaborado por uma equipe interdisciplinar, com objetivo de recuperação da independência. O acompanhamento médico é feito 24h por dia, sete dias por semana”, ressalta Dr. Lucas Andrade.

Já os pacientes da Reabilitação Adequação de Cuidados são aqueles com condições crônicas ou permanentes, com baixa possiblidade de reabilitação funcional, mas que tiveram um novo evento agudo e possuem demandas de cuidados complexas e necessidade de construção de um plano de cuidados pós-alta. São exemplos dessa condição aqueles pacientes acometidos de lesão por pressão, síndromes demenciais, após traqueostomia, pós-parada cardiorrespiratória, entre outros. Nestes pacientes, o objetivo da reabilitação é reduzir a complexidade do cuidado, definir plano para momento de retorno do paciente ao domicílio, preparar e planejar junto a família cenários futuros de evolução, e capacitar familiares para continuidade do cuidado após a alta. Durante a internação, além da redução da complexidade do cuidado (retirada de traqueostomia, cuidados a lesões cutâneas, desmame de oxigênio, retirada de sonda enteral, desfralde, ganho de tônus muscular, sustentação de tronco etc.), há grande foco na capacitação da família e cuidadores, preparando-os para oferecer a melhor assistência ao paciente em seu retorno para o lar.

Além do trabalho voltado para reabilitação, a Clínica Florence também atende pacientes em cuidados paliativos de fim de vida, acometidos por doenças oncológicas avançadas, demência com marcadores de fase final de vida, insuficiência cardíaca avançada, doença pulmonar obstrutiva crônica grave, doenças degenerativas, entre outros. É comum que estejam em internações hospitalares prolongadas e sem perspectiva de cura ou melhora funcional. A assistência é promovida por uma equipe especializada e tem como objetivo controlar os sintomas em todas as suas dimensões (física, psicológica, espiritual e social), além de acolher e promover melhora na qualidade de vida para paciente e familiares. “Este modelo de assistência, também conhecido como Hospice, é realizado em um ambiente extremamente humanizado, com interações flexíveis a partir da necessidade de cada paciente e seus familiares”, explica Dr. Lucas Andrade.

A humanização no atendimento é premissa na Florence. As visitas na Clínica são permitidas 24 horas por dia, sete dias por semana. Acontecem também visitas programadas de crianças e animais de estimação, além de organização da comemoração de datas especiais com familiares e amigos (necessário agendamento prévio em função da pandemia).

Estrutura - A estrutura assistencial da Florence permite atender condições clínicas complexas em pacientes estáveis. A clínica conta com uma equipe médica e de enfermagem 24 horas por dia, os sete dias da semana. Os médicos diaristas de diversas especialidades possuem formação em terapia intensiva (cuidados pós-agudos), geriatria, clínica médica ou cuidados paliativos. A coordenação médica da Unidade da Florence em Recife é da Dra. Lívia Interaminense, geriatra e paliativista. Também há uma equipe interdisciplinar composta por fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, nutricionistas, farmacêuticos, serviço social e de psicologia.

A estrutura física foi construída oferecendo uma acessibilidade completa, com banheiros amplos e adaptados, janelas baixas e corrimões duplos, corredores, portas e elevador que possibilitam o acesso dos pacientes cadeirantes ou acamados. Os 76 quartos são privativos, com iluminação e ventilação naturais e possibilidade de customização através de mural de fotos e desenhos. A Clínica também conta com cozinha própria, com possibilidade de preparo de refeições customizadas, e refeitório. Além disso, há um espaço de convivência e um jardim amplo, possibilitando interações diversas entre pacientes, familiares e amigos.

A Florence atende os principais convênios do país e de forma particular. Com investimentos de mais de R$ 20 milhões, o empreendimento vai gerar cerca de 250 empregos diretos. Para conhecer mais sobre a Clínica, os interessados devem acessar o site www.clinicaflorence.com.br .

Recifense é vencedora do Miss Alemanha

A modelo, ativista e assistente social Domitila Barros, de 37 anos, venceu neste sábado (19) o concurso de beleza Miss Alemanha. Nascida na periferia do Recife, ela vive em Berlim há 15 anos. Atualmente, a beleza física não é mais o único critério do concurso. Após mudanças nas regras, a candidata a Senhorita Alemã deve ser também antenada com as mudanças do mundo, a diversidade e a cidadania. Domitila se formou em Serviço Social pela Unicap e foi viver na Alemanha inicialmente para fazer um mestrado e lá, começou a trabalhar como modelo e atriz. Veja a seguir a repercussão em vários Instagrans: 




 

#VacinaSim Por que devemos vacinar as crianças?

 

Com o início da rotina escolar, é importante lembrar aos pais de atualizar a caderneta de vacinação das crianças. O ditado popular diz que “é melhor prevenir do que remediar”. E a melhor prevenção é a vacina.

"É comum crianças adoecerem nas primeiras semanas de aula. As doenças infecciosas, por exemplo, podem ser transmitidas de uma criança para outra por meio de contato, principalmente as que estão iniciando a idade escolar, com a imunidade em desenvolvimento, e, portanto, são mais suscetíveis a adoecimento", afirma o pediatra Eduardo Jorge (foto).

Assim como a higiene e o saneamento são necessários para a prevenção das doenças infecciosas, as vacinas são importantes para proteger a saúde. A recomendação é válida para atualização contra ao Covid-19, para que se evitem surtos infantis escolares ou diminuam os casos graves.

Empresas se reinventam em meio à Pandemia

 

As restrições às atividades econômicas por causa da Covid-19 tiveram impacto especial sobre os pequenos negócios e vêm reverberando até hoje. Trabalhando com margens mais restritas de caixa, o fôlego para atravessar uma crise nem sempre foi suficiente. Às empresas, foi preciso se reinventar rapidamente. Um levantamento do Sebrae-RS revelou que 25% dos empreendedores alteraram sua estratégia para enfrentar restrições impostas pelo Coronavírus.

Algumas das principais mudanças implementadas pelas empresas brasileiras estão sendo mantidas, pois o comportamento do consumidor também mudou nesse tempo. Entre elas, estão o relacionamento com clientes por redes sociais, a adoção de controles financeiros mais rígidos, a venda por redes sociais, manutenção de equipes reduzidas, a redução/adequação de estrutura física, e o relacionamento com fornecedores e compras de insumos on-line.

O especialista em empreendedorismo, consultor empresarial e doutor em Administração, Álvaro Neves fala por onde recomeçar a remodelar um negócio? "Primeiro, ouça o seu cliente, preste atenção na mudança em como ele está fazendo compras atualmente; perceba as mudanças nos hábitos de consumo que ocorreram por causa da pandemia; crie novos canais de relacionamento, não somente de vendas, Isso será fundamental para médio e longo prazo e manter um vínculo com os clientes; aposte em perfis nas principais mídias sociais e, por fim, estude a adoção de venda online. Além disso, é fundamental conhecer os custos da empresa e avaliar quais aqueles imprescindíveis para manter o negócio e com a queda do faturamento, pode ser importante negociar com fornecedores", afirma Neves.

Neste momento, também é fundamental passar segurança aos clientes. Deixe claro que a sua empresa está tomando todos os cuidados necessários, cumprindo os protocolos de segurança para evitar a transmissão da Covid-19 para consumidores e funcionários.

Bioética na Pediatria é tema de livro a ser lançado em março

 

Com a pandemia, as crianças ganharam holofotes e atualmente estão no centro das atenções, com a vacinação. Para proteger os pequenos da Covid-19 e de uma possível complicação, iniciou-se o processo de vacinação infantil. A Covid-19 é uma ameaça real à integridade física e à vida. Mas também existem várias outras doenças que podem ser fatais, mesmo às crianças, como no caso de um câncer ou mesmo ela ser vítima de um acidente que vai lhe deixar em estado grave.

Atualmente, 6% do total de óbitos que ocorrem no mundo são de crianças. E entre as mortes infantis, 25% são de crianças portadoras de condições clínicas complexas ou com doenças incuráveis, que necessitam de cuidados paliativos.

Mesmo assim, o desconhecimento de que as crianças também precisam de cuidados paliativos ainda é grande. Na maior parte dos casos, as crianças que necessitam de cuidados paliativos estão sendo tratadas por pediatras. É importante que esses profissionais estejam preparados para se depararem com questões com as quais os paliativistas estão mais habituados. É preciso mais: saber dar más notícias para a criança e aos familiares, lidar com os irmãos do paciente e respeitar a autonomia do indivíduo em cuidados paliativos.

LIVRO - Será lançado, no dia 05 de março, às 18h, na Livraria Jaqueira (Jaqueira), o livro: Bioética em Pediatria. O livro foi organizado pelo Prof. Josimário Silva (foto), da Universidade Federal de Pernambuco, juntamente com mais dois colaboradores médicos da cidade de São Paulo. O livro reúne capítulos que abordam situações complexas nas decisões médicas, desde a sala de parto, cuidados paliativos pediátricos, pacientes oncológicos, luto em pediatria, dentre outros. O livro conta ainda com a participação de três profissionais da cidade do Recife: Ítalo Negreiros, que é advogado e atua em Direito Médico, a psicopedagoga Dayse Cruz, e o pediatra Aníbal Gaudêncio. O livro é o primeiro que traz as questões bioéticas na Pediatria, editado no País.

quinta-feira, fevereiro 10, 2022

Ninguém solta a mão da Duda

A Duda é atleta paraolímpica de Bocha pela Universidade Federal de Pernambuco e está batalhando para conseguir seu kt esportivo através de vaknha. Vamos dvulgar sua postagem no lnstagram:

 

terça-feira, fevereiro 08, 2022

Pernambuco cancela todas as festividades do Carnaval

 


Eventos públicos e privados estarão proibidos e os municípios serão orientados a tomar medidas próprias de fiscalização para conter aglomerações 


O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, anunciou nesta terça-feira (08.02) o cancelamento de todas as festas públicas e privadas no período do Carnaval, que ocorreriam entre 25 de fevereiro e 01 de março. Nos próximos dias, o Governo do Estado vai se reunir com os prefeitos dos principais polos festivos para alinhar os protocolos específicos. Durante coletiva de imprensa, o secretário ratificou a importância de as gestões municipais adotarem medidas próprias para conter aglomerações, fiscalizando com rigor as novas regras, que visam conter o avanço do novo coronavírus. 


“Lamentamos o cancelamento, por mais um ano, dessa festa que está na alma e no coração dos pernambucanos, mas nosso compromisso precisa ser com a vida. Precisamos desestimular situações que possam gerar aumento na contaminação”, explicou André Longo, reforçando ainda a informação sobre o cancelamento do ponto facultativo nos órgãos públicos estaduais durante o Carnaval. A recomendação é que os demais entes públicos continuem funcionando normalmente. 


Ainda na coletiva, o secretário de Saúde detalhou as mudanças no Plano de Convivência com a Covid-19 em Pernambuco, anunciadas na segunda-feira (07.02). A capacidade dos eventos será reduzida, a partir desta quarta (09.02), de três mil para 500 pessoas em espaços abertos, e de mil para 300 pessoas em locais fechados. Permanece obrigatória a comprovação de vacinação e a apresentação de teste negativo nos eventos com mais de 300 pessoas. Cinemas, teatros, circos e jogos de futebol também estão inclusos nas medidas. 


DADOS EPIDEMIOLÓGICOS – A adoção de novas medidas restritivas foi motivada pelo cenário epidemiológico, que continua com forte aceleração da variante ômicron em Pernambuco. De acordo com análise da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), a aceleração é vista, especialmente, no aumento dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), que interrompeu uma tendência de queda. Ao todo, foram 890 registros na última semana epidemiológica (31.01 a 05.02), o que representa um aumento de 6% na comparação com a semana anterior. 


Na média das duas últimas semanas, 44% dos casos de Srag positivam para a Covid-19 – um aumento de mais de 500% na comparação com a primeira semana de 2022, quando a positividade estava em 6%. Esse fato já tem impactado as solicitações de leitos de UTI, que permanecem em um patamar de mais de 650 pedidos por semana. 


Além disso, os dados também influenciam na ocupação dos leitos, com mais de 900 pacientes internados nas vagas de terapia intensiva – mesmo patamar de julho do ano passado e 11% a mais do que 15 dias atrás. Esta aceleração ainda tem reflexo nos óbitos, que mesmo com dados preliminares, registraram na semana passada, 59 mortes pela Covid-19, um aumento de 157% em duas semanas. 


Imprensa PE

 

segunda-feira, fevereiro 07, 2022

ZAP! SLAM tem primeira edição especial em 2022

O primeiro SLAM do Brasil está de volta. O ZAP! SLAM acontece nos dias 3 e 4 de fevereiro de 2022 - na quinta-feira (3), às 20h, são realizadas as eliminatórias e os seis participantes que passarem disputam a final na sexta (4), também às 20h, valendo três vagas para a final (que acontece no segundo semestre). O evento será online e aberto a quem quiser participar, basta se inscrever até o meio-dia do dia 3 de fevereiro, no bit.ly/inscriçãoZAPSlam (as vagas são limitadas).

O ZAP! SLAM foi criado em 2008 pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e as regras para participar são simples: cada participante deve apresentar poemas autorais de até 3 minutos, sem uso de figurino, objeto ou adereço cênico. O júri, formado por cinco pessoas do público, pontua as performances, escolhendo um/uma/ume vencedor/a/o/e por noite.

O campeonato de poesia falada integra a programação comemorativa dos 20 anos do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos. Nos atuais tempos pandêmicos, em que o isolamento social é necessário, os eventos serão feitos de forma virtual, pelas redes do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos - facebook.com/nucleobartolomeu e youtube.com/user/nucleobartolomeu.

Um slam diz respeito basicamente a duas coisas: poesia e performance. Para se entender o Slam é preciso primeiro falar em spoken word, que significa “palavra falada”, ou poeticamente “poesia falada”. Slams ou poetry slams são encontros de poesia onde há performances de spoken word geralmente em forma de competição. Criado por Marc Smith, em Chicago, nos anos 1980, o Slam trouxe uma renovação para a poesia oral e valorizou a arte da performance poética, crescendo rapidamente e se propagando por todo o mundo.

Nas últimas décadas, os slams vêm figurando entre as mais inventivas práticas do spoken word no mundo. A ideia desse formato é democratizar a poesia e devolvê-la às pessoas tendo como ponto de partida um jogo em que torcida, emoção e interação façam parte do encontro.

A grande final do ZAP!SLAM está prevista para o segundo semestre deste ano e garante uma vaga para o SLAM SP (campeonato estadual).