Sabores da Tia Val

Sabores da Tia Val
Encomendas pelo Direct do lnstagram

quinta-feira, junho 24, 2021

O Museu da Diversidade Sexual lança o livro Páginas de Transgressão e exposição Memórias de uma epidemia

 

O Museu da Diversidade Sexual, (MDS), instituição vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerido pela Amigxs da Arte, comemora o mês do Orgulho LGBTQIA+ com uma programação composta por dois eventos. No dia 25 de junho, sexta-feira, 17h, haverá abertura virtual da exposição Memórias de uma epidemia pelo Google Arts and Culture em parceria com a Parada do Orgulho LGBTQIA+. Na oportunidade, os curadores Remom Bortolozzi e Matheus Emilio Pereira da Silva vão conversar sobre a mostra por meio de uma live.

Já no domingo, dia 26 de junho, 19h, está marcada uma live para lançamento do livro Páginas da Transgressão, que terá mediação de Renan Quinalha e participação dos autores do livro: Caio Maia, Fábio Mob, Julia Oliveira, Paulo Souto e a live-show comemorativa Palco da Diversidade, que ocorre após o lançamento do livro, celebrando 25 anos da Parada e da casa de shows Blue Space. O evento terá como hosts Silvetty Montilla e Tchaka. Já os shows serão feitos por Márcia Pantera, Aloma, Striperella, Marcinha, Gretta Star, Ikaro Kadoshi, Lisa Bombom, Salete Campari, Kauan Russell, Ana Dutra e Coral LGBTQIA+.

Exposição Memórias de uma epidemia
Nesse mês, o tema da 25º Parada do Orgulho LGBTQIA+ de São Paulo teve como temática HIV/Aids: Ame+, Viva+, Cuide+. Há cerca de quarenta anos, foram notificados os primeiros casos de infecção pelo HIV no Brasil. Com o intuito de rememorar a história da epidemia da Aids no país, e como parte das comemorações do mês do orgulho, o Museu da Diversidade Sexual, em parceria com a Associação da Parada do Orgulho LGBTQIA+ de São Paulo e o Acervo Bajubá, lança a exposição Memórias de uma epidemia pela plataforma Google Arts and Culture. Esta iniciativa registra e celebra as vidas impactadas pela epidemia e as resistências de pessoas e de grupos organizados frente ao seu avanço, assim como os desafios para o seu enfrentamento no presente.

A exposição é composta por quatro fragmentos que serão lançados em momentos distintos, perpassando os seguintes temas: as imagens da Aids na mídia, a luta da sociedade organizada e dos coletivos de solidariedade, as respostas públicas e os aprendizados no enfrentamento à epidemia e as produções estéticas do HIV/Aids.

Livro Páginas de Transgressão
A obra Páginas de Transgressão relata a história da imprensa quanto à cobertura de sexualidades dissidentes no Brasil e ressalta a importância da imprensa LGBTQIA+. "O livro foi organizado pelos professores Paulo Souto Maior e Fábio Ronaldo da Silva e compila importantes trabalhos de pesquisadores LGBTQIA+ de diversas regiões do Brasil, trazendo um panorama amplo sobre diferentes épocas da produção midiática brasileira", diz Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual.

A diretora geral da Amigxs da Arte, Danielle Nigromonte complementa: "Temos o prazer em apresentar estas Páginas de Transgressão, uma obra que demonstra a relevância da imprensa LGBTQIA+ na disputa por uma sociedade mais justa e igualitária, em que preze o respeito e a garantia dos direitos dessa comunidade, e por isso o nosso orgulho em realizar esta iniciativa".

Redes Sociais

Museu da Diversidade Sexual (MDS)
Estação República do Metrô, n° 24. R. do Arouche – República. São Paulo (SP).
O museu está localizado dentro da Estação República do Metrô, atrás da bilheteria. Piso Mezanino, loja 518.

Nenhum comentário:

Postar um comentário