segunda-feira, 27 de julho de 2020

Diagnosticados com Covid-19 devem redobrar os cuidados com a higiene na volta ao trabalho, diz especialista

Com o avanço para a quinta etapa do plano de retomada econômica, o Governo de Pernambuco liberou que os escritórios voltem a funcionar com 50% da carga. Para o retorno ao trabalho presencial ser seguro, as empresas precisam adotar medidas para proteger os funcionários da Covid-19 e os trabalhadores devem se prevenir, até os que foram infectados com coronavírus. Agora que esses diagnosticados já estão recuperados e saudáveis, como devem voltar ao cotidiano em escritórios, fábricas e outros ambientes de trabalho? Quais os cuidados devem ser tomados para preservar a vida dessas pessoas e dos que estão ao redor, como os colegas de trabalho?

O médico do trabalho do SESI Saúde, Luiz Regueira, explica que o retorno dos diagnosticados às atividades profissionais só deve ser liberado após a alta médica. “Quando o paciente passa até 15 dias afastado, é recomendável que ele fique três dias sem apresentar sintomas para estar apto a exercer as funções profissionais. Já nos casos mais graves em que o enfermo passa mais de 30 dias afastado é necessário estar assintomático, ter a alta previdenciária e realizar o exame ocupacional de retorno ao trabalho”, disse.

De volta ao ambiente laboral, onde os equipamentos são de uso coletivo, o indicado por Regueira, que soma mais de 35 anos de experiência como profissional de saúde no SESI-PE, é redobrar os cuidados com a higiene e usar sempre máscara de proteção. “Lavar com frequência as mãos até os punhos com água e sabão, evitar tocar no rosto quando as mãos não estiverem higienizadas e não compartilhar itens de uso pessoal são alguns hábitos que os recuperados devem manter para preservar a própria saúde e a de todos. Se tem um legado que essa doença deixará é a importância da prática da higiene para prevenir outros vírus, germes e bactérias que provocam doenças respiratórias”, comentou. Outra dica é reforçar o sistema imunológico, aderindo uma alimentação balanceada rica em frutas e proteínas, praticando exercício físico, ingerindo bastante líquido e dormindo bem.

Já para as empresas receberem esse funcionário com cautela o recomendado é elaborar um plano de contingenciamento da doença, com ações de saúde e segurança, ampliar a frequência da limpeza dos pisos, corrimãos, móveis, bancadas, maçanetas e banheiros, além de abrir as janelas para arejar o local duas vezes ao dia por, no mínimo, 30 minutos. Tomando todas essas medidas preventivas, a empresa diminui o absenteísmo coletivo e zela pela saúde dos trabalhadores, enquanto as autoridades de saúde pública investigam medidas curativas. “Em torno de 20 a 30% da população estará com coronavírus, mas não terá febre, tosse e dificuldade de respirar. Essas pessoas são apenas transmissoras, portanto é preciso que todos se protejam”, enfatiza Regueira.

Imprensa FIEPE

Nenhum comentário:

Postar um comentário