sábado, dezembro 25, 2021

O Palco é a Rua

 

O projeto “O Palco é a Rua – A Música nos Espaços Populares”, que pesquisou as dinâmicas de músicos de ruas no Estado de Pernambuco, virou um filme que será lançado na próxima segunda-feira (27), para todo o Brasil, através do site: opalcoearua.com.br e YouTube do projeto, a partir das 21h.

Em um fio narrativo, o documentário aborda os caminhos de entrada no mundo da música, as oportunidades de formação acadêmica ou “autodidata”, as negociações e cooperações com o entorno para a vivência do espaço público, a experimentação de composições próprias em interações que acontecem sem distância entre artista e espectador e, também, os desafios que os “palcos” urbanos trazem para o enfrentamento dos preconceitos e censuras que atinge esse modus operandi musical por vários motivos.

Com realização da Theia Produtores Associados, incentivo do Funcultura da Música (Secult, Fundarpe – Governo do Estado de Pernambuco), o documentário de curta duração (2021, 20’) que conta com versão com acessibilidade comunicacional por meio de LIBRAS, LSE e Audiodescrição, também será distribuído para instituições públicas voltadas à educação e formação musical em Pernambuco.

Fruto de uma imersão no atual universo do trabalho de instrumentistas, músicos, musicistas, cantores(as), bandas, MCs, repentistas e outros artistas musicais que se apresentam em ruas, praças, mercados, feiras, pontos turísticos e transportes coletivos de diferentes cidades pernambucanas, o documentário revela interpretações, envolvimento social, trato governamental e as estratégias desses músicos, no caminho da sobrevivência e criação.

Do Sertão do São Francisco, passando pelo Agreste Central, pela Zona da Mata Norte, até a Região Metropolitana do Recife, mais de cem artistas foram registrados, o que resultou em uma pesquisa social e estética diversa em cenários distintos da vida destes artistas como por exemplo, o meio de obtenção de renda a partir das contribuições espontâneas dos transeuntes ou passageiros.

“O projeto é riquíssimo. Cada cidade visitada apresenta características próprias para as práticas sociais dos músicos nos espaços populares. Conhecemos como as barcas, que fazem a travessia do rio São Francisco, entre Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), se transformam em “palcos” para os músicos, assim como nos surpreendemos com os jovens compositores de Caruaru que se apresentam próximos aos caixas eletrônicos dentro das agências bancárias”, revela a pesquisadora Laura Sousa.

Finalizado em 2021, o “Manifesto O Palco é a Rua – A Música nos Espaços Populares” já foi exibido em festivais/mostras competitivas de Pernambuco e outros estados, tais como Urbanocine 2021 (RN) – com mostra virtual, na Tv e presencial em seis comunidades do Rio Grande do Norte, VIII CineVirada (BA), III Jornada de Estudos do Documentário (PE), 16º Comunicurtas (PB), I Cine Solar A Brincadeira Tá On (SP e itinerante), Mostra Play The Movie (PE), Mostra Da Casa em Casa (RJ), Mostra [Em]Curtas Julho 1001 Temas (MG) e Mostra VRT Channel Curta Agosto (SP e MG) além de estar disponível pelo serviço on demand do VRT Channel para 700 cidades de 160 países até fevereiro de 2022. Dessa forma, diferentes públicos, ainda durante as restrições impostas pela pandemia de Covid-19, estão acessando as percepções, memórias e provocações desenvolvidas por artistas que alimentam nossa cultura musical nas ruas.

“O documentário trás as vozes e performances de artistas dos espaços populares através da conjunção de suas realidades e nossas percepções técnicas, filosóficas e artísticas sobre o tema. Partindo da alteridade, encampamos nossos olhares e percepções sobre o mundo dentro deles com o sentido de torna-los simplesmente o que eles são: artistas e humanos, assim como nós. Não se trata de cinemão ou cinema de autor, nenhuma dessas buscas foi encampada, queríamos apenas construir um audiovisual simples e ao mesmo tempo complexo, como são as vidas dos músicos e musicistas das ruas.” Guilherme Patriota

O Palco é a Rua – A Música nos Espaços Populares” foi vencedor do Prêmio Delmiro Gouveia de Economia Criativa 2020, concedido pela Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ), do Prêmio Bráulio de Castro, concedido pelo Governo Federal, Ministério do Turismo e Prefeitura da Cidade do Recife e já tem novo campo de pesquisa aprovado pelo SIC (Sistema de Incentivo à Cultura) da Cidade do Recife, com o intuito de pesquisar junto a governantes, gestores, artistas e especialista políticas públicas para os Músicos/musicistas de Rua e terá como resultado um segundo documentário sobre o tema a ser lançado em 2022.

SINOPSE

Este manifesto traz ao centro as vozes daqueles que habitam as regiões centrais e periféricas das cidades, ruas, praças, parques, transportes coletivos, feiras e demais espaços populares, trazendo música, interação e performance para os transeuntes no Estado de Pernambuco.

Muitas vezes marginalizados, os músicos e musicistas das ruas, espaços populares, são símbolos da efervescência cultural que não exclusivamente obedecem ao status quo, porém conduzem suas trincheiras de forma lúdica, abraçando relações afetivas, comerciais e criativas com todos os passantes e ou habitantes das ruas.

No Brasil das diferenças, das incompreensões, do descaso corriqueiro com aqueles que não obedecem às leis e regras gerais de uma herança viva do patriarcado econômico estrutural, ouvir e dialogar com estes artistas é um estado de manifesto.

A vida livre e complicada, a educação desestruturada, a economia das exceções não é uma situação exclusiva dos músicos/musicistas das ruas, é uma realidade humana no ano de 2021.

No Manifesto “O Palco é a Rua – A Música nos Espaços Populares”, seus diretores adotam o tom do ouvir e dialogar, compreendendo que nas situações de rua a frase mais audiente é: A polifonia é livre!

Link para Teaser/trailer: https://youtu.be/Ci2w2ZIimpk

Ficha Técnica
Direção, pesquisa, produção, texto e roteiro: Laura Sousa e Guilherme Patriota
Produção executiva: Theia Produtores Associados (Guilherme Patriota e Laura Sousa)
Fotografia, edição e finalização: Guilherme Patriota
Produtores Locais: Maércio José, Lucivan Max e Thiago Santos
Áudio: Laura Sousa, Guilherme Patriota, Maércio José, Lucivan Max, Thiago Santos e Wagner Santos
Narração: Bruno Lins
Identidade Visual: Adeildo Leite
Acessibilidade comunicacional: Centrae Acessibilidade Comunicacional
Realização: Theia Produtores Associados
Incentivo: Funcultura da Música, Governo de Pernambuco, Secult-PE e Fundarpe


Nenhum comentário:

Postar um comentário