segunda-feira, julho 29, 2019

Inclusão: mutirão para alteração de prenome e gênero contempla mulheres trans surdas

Ruthe de Oliveira, Raquel de Oliveira, irmãs e Juliana Carneiro, mulheres trans e surdas. Todas as três conseguiram nesta quarta-feira (17) a realização do seu sonho, a documentação para a alteração dos prenomes e gêneros nos registros civis. A conquista foi alcançada durante o segundo mutirão de alteração de prenome e gênero, realizada pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), por meio do Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH), em parceria com a Defensoria Pública de Pernambuco (DPPE).

Raquel de Oliveira, mulher trans, contou, por meio de intérprete, da felicidade de conquistar o seu sonho e de chegar ao local da ação e se deparar com uma interprete. “Vejo o mutirão como uma coisa muito necessária, porque é uma questão de inclusão social, é muito vergonhoso para a gente estar sendo tratada no masculino. Nos sentimos respeitadas por chegar aqui e nos deparar com uma intérprete de libras”, relata.

No total, o mutirão beneficiou 20 mulheres e homens transexuais e travestis e gerou a agilidade no encaminhamento dos documentos. Cada beneficiado saiu da ação direcionado para os respectivos cartórios da Vara Cível, de Protesto, Negativa e de Execução Penal, do município de origem do seu registro civil. Além disso, garantiu a economia de mais de R$ 200, para cada atendido. 

Segundo o secretário-executivo de Direitos Humanos, Diego Barbosa, a primeira e a segundaedição serviram para fortalecer ainda mais os direitos da população transexual e travesti, em Pernambuco. “Os mutirões representam bem o fortalecimento dos direitos da população trans e travesti que o Governo de Pernambuco busca garantir cada vez mais. As iniciativas contribuíram para minimizar situações cotidianas de constrangimentos, preconceitos e violações contra a dignidade humana, proporcionando inclusão social e respeito às individualidades de cada pessoa beneficiada”, informa.

A primeira e a segunda edição do mutirão já beneficiaram o total de 64 trans e travestis.


Imprensa SEDH PE