sexta-feira, 27 de março de 2020

Covid-19: Será que o mundo inteiro está errado?

Enquanto muitas pessoas no Brasil - inclusive autoridades - já estão querendo terminar a quarentena, alegando que "isso está acabando com a Economia"; no Planeta muita gente está seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Inclusive, hoje, 27 de março de 2020, a Itália registrou 969 mortes apenas hoje e a maioria dos óbitos na região da Lombardia, cuja principal cidade é Milão. Há um mês, a cidade tinha apenas 17 mortos e foi feita a campanha #MilanoNonSiFerma (literalmente "Milão não para"), para que todos voltassem à vida normal, pelo bem da economia italiana. Resultado: a Itália passou a ser um dos epicentros da Covid-19 e hoje, repito, teve 969 mortes devido ao Covid-19. O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, hoje disse que "errei quando incentivei a cidade a interromper a quarentena". E enquanto no Brasil ocorre essa polêmica, perguntei a várias pessoas que vivem fora do País o que está sendo feito no Exterior. Diante das respostas que eu apurei (todo mundo brasileiro) e você vai ler, reflita e se pergunte: o mundo inteiro está errado?

Se você puder, por favor, #FicaEmCasa


No Canadá estamos com 4000 casos (o primeiro foi em janeiro, demorou até termos transmissão comunitária), estamos em distanciamento social (as pessoas podem sair na rua, mas não podem ficar em grupos), tudo fechado exceto serviços essenciais e grande preocupação do governo para todos que puderem ficarem em casa. Estão dando ajuda financeira para quem perdeu emprego e para pequenos empresários. Além de que ninguém poderá ser despejado se não conseguir pagar aluguel.
Bruna Letícia - Toronto - Canadá

Aqui na Argentina estamos em quarentena desde sexta passada até o dia 31/03, sob pena de detenção caso saia de casa se não for pra comprar alimentos, remédios e para os que realmente tem que trabalhar. O governo anunciou ontem que vai extender até o dia 12/04. Para os desempregados e os que trabalham de forma informal vão receber 10.000 pesos que na moeda daqui equivale a um pouco mais da metade do salário mínimo.
Analine Souza - Argentina

Meu marido ta sem trabalhar mas se colocou como voluntario na Irlanda do Norte. Eu estou aqui no Recife, mas meu marido está lá.
Débora Carvalho - Está no Recife, mas mora na Irlanda do Norte

Na medida do possível as coisas devem ir voltando ao normal aos poucos no início de maio.Aqui o isolamento para já é voluntário e apenas alguns serviços estão a andar como supermercados, farmácias e algumas outro tipos de comércio. Acredito que a saúde está indo bem no cuidado com os infetados que hoje são 4149 ativos. Acredito que tudo já deu certo em nome de Jesus!
Alexandre Azevedo - Braga - Portugal

Tudo fechado, pessoa me casa, governo pagando benefício pra quem ficou sem trabalho e pros donos de empresa. Tudo é uma incógnita. Não sei como será emprego depois de tudo isso!!
Juliana Sampaio - Dublin - Irlanda

No Senegal até agora temos 119 casos, sendo 11 curados e 108 ainda em tratamento. O presidente adotou medidas logo que saíram os primeiros casos. Fechou escolas, igrejas, mesquitas e proibiu ajuntamentos. O acesso entre as diferentes regiões do país também está fechado e essa semana o país adotou toque de recolher. Não dá para proibir as pessoas de saírem na rua porque aqui as pessoas trabalham para ganhar o dinheiro da refeição daquele mesmo dia, mas a polícia está parando pessoas na rua, controlando para onde vão e orientando todos a só sair em caso de necessidade.
No início as pessoas achavam que não era muito sério, mas graças a uma campanha de rádio, TV e redes sociais do governo, a população está mais consciente.
O grande problema aqui era a recusa de alguns líderes religiosos em abrir mão das reuniões (desobedecendo à ordem presidencial), mas a polícia reprimiu esses movimentos e inclusive prendeu um dos líderes, o que seria inconcebível em outro contexto, já que eles são pessoas extremamente poderosas e capazes de mobilizar literalmente multidões.
Uma coisa que tem ajudado a detecção de novos casos é que os resultados aqui saem em poucas horas e os testes estão sendo realizados em grandes quantidades de pessoas (80, 100...). Todos os que chegaram de lugares afetados nas últimas semanas foram postos em quarentena e testados.
Eu ainda tenho esperança de que com essas medidas o quadro será revertido. Esperemos.
Débora Pessoa de Melo - Dakar - Senegal

Estamos na segunda semana de confinamento obrigatório. Não podemos sair de casa exceto no caso de alguns poucos casos previstos. A polícia faz controle nas ruas e precisamos apresentar um documento para comprovar o motivo de saída. Sem o doc ou desobedecendo às regras, multa de 135 euros.
Os supermercados só permitem a entrada por grupos de pessoas. Nas filas, todos respeitando a distância mínima de 1m. Idosos, profissionais da saúde, bombeiros e polícia têm acesso prioritário.
Tudo bem abastecido, exceto pelo álcool em gel q não existe mais nas prateleiras há mt tempo.
Alguns supermercados estão oferecendo compras online C entrega mas pedem pra q façam o click & collect (compra online, eles preparam o pedido e vc vai buscar) assim os entregadores podem atender só os casos prioritários q citei.
Na TV, a cobertura jornalista é praticamente 100% sobre o assunto. Hoje tivemos a morte de uma jovem de 16 anos sem nenhuma doença pré-existente q apresentou os sintomas semana passada. . Então, muitos debates com especialistas sobre o caso e tb a cobertura sobre a pandemia em outros países da Europa.
Muita discussão tb sobre a situação dos profissionais da saúde. Faltam máscaras e os profissionais estão super cansados C uma carga de trabalho enorme. Tivemos algumas mortes de médicos tb. Roubo de máscaras tb tem sido normal. Há mt tempo o governo requisitou todas máscaras do comércio e indústrias mas ainda assim n tem sido suficiente.
Outra coisa importante é que aqui os Apts são geralmente muito pequenos (às vezes 15 ou 20m2), então tem família inteiras vivendo em espaços muito pequenos C crianças e idosos. Tem sido bem difícil para todos, mas o confinamento tem sido respeitado.

Helga Macedo - Île-de-France - França

Aqui na Irlanda as coisas estão fechadas, as pessoas ainda não tão proibidas de sair de casa, mas tem uma regra de manter 2 metros de distância. O país tem 4,6 milhões de habitantes e já tem 400 mil desempregados. O governo tá pagando 350 euros por semana pra quem ficou sem emprego. Isso vai ser pago durante 12 semanas. Tem aumentado bastante o número de casos, mas ainda tem poucas mortes comparado a outros países. Eu tô muito mais preocupada com o Brasil do que com a minha situação aqui.
Myrthiani Bezerra - Dublin -Irlanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário