#Eleições2022

#Eleições2022
Conheça candidatos de Esquerda a Deputado Federal

segunda-feira, dezembro 20, 2021

Projeto Ler para Ser estreia na comunidade Quilombola Chã dos Negros, em Passira

 

A partir desta segunda-feira, (20) até o dia (23) de dezembro, o Projeto Ler para Ser realiza um conjunto de atividades culturais, artísticas e sociais, gratuitas, na comunidade Quilombola Sítio Chã dos Negros, localizada na Zona Rural da cidade de Passira, região do Agreste. Pertencente a uma área de Patrimônio Material e Imaterial do país, que tem origem no século XVIII, o local abriga mais de 150 famílias de origem de escravos e índios. O povoado, que está no mapa da desigualdade social do Brasil, tem o pior Índice de Desenvolvimento de Desenvolvimento - (IDH), de Pernambuco.

Lá, crianças, adolescentes, jovens e idosos vivem, na pele, a escassez de espaços de lazer, entretenimento, educação, saúde, esporte entre outras áreas e serviços. Pensando em proporcionar mais cidadania e igualdade para o público infantojuvenil e adulto, o projeto oferta, a partir de hoje, várias iniciativas. Entre elas, a realização de oficinas de contação de histórias para crianças a partir dos seis anos. A atividade será ministrada por um time de arte-educadores do projeto, que vão proporcionar uma jornada de novos conhecimentos e aprendizagens para o público, passando pelas memórias culturais pernambucanas.

Além disso, para elevar o nível de leitura, escrita e apropriação de novos saberes, a comunidade será contemplada com uma “Caixa de História”. Na prática, trata-se de uma biblioteca comunidade itinerante, construída em madeira, adesivada, e recheada com mais de cinquenta exemplares. Ela vai poder circular pelos espaços públicos e casas dos moradores da localidade, distribuindo conhecimento. Dentro dela, um rico acervo de livros, com recursos de acessibilidade em Braille, Libras e áudio livros, voltados para o público infantil, juvenil e adulto. As publicações abordam questões relacionadas à identidade negra, indígena, direitos das pessoas LGBTQIA +, feminismo, mediação de conflitos, inclusão social e cultura. As publicações foram escolhidas a partir de um trabalho minucioso de curadoria que privilegia obras escritas por mulheres pernambucanas.

O riso e a alegria do público também estão garantidos, por meio da oficina de contação de histórias de tradição oral. A proposta é mexer com o imaginário das meninas, meninos, homens e mulheres com contos e causos pernambucanos. Aliado a isso, também haverá apresentações culturais. Uma maneira de amenizar as dores de pessoas que convivem com um contraste social cercado de dificuldades. Todas as atividades do projeto acontecem no turno da tarde, das 14 às 16h.

O objetivo é que, até o fim do primeiro semestre de 2022, mais três municípios, com piores (IHD) do estado, sejam contemplados com as atividades do Projeto Ler para Ser. São eles: Araçoiaba ( Região Metropolitana), Joaquim Nabuco ( Zona da Mata Sul) e Manari (Sertão).

Com lnformações do jornalista Salatiel Cícero

Nenhum comentário:

Postar um comentário