sábado, 10 de outubro de 2020

Extração de látex é modelo de produção sustentável em assentamento administrado pelo Iterpe na Região Metropolitana

 

Com mais de 200 hectares de terras voltados à produção de alimentos diversificados, o Assentamento Timbó, localizado no município de Moreno, possui uma área de preservação ambiental que totaliza 32 hectares de floresta plantada com a introdução de seringueiras voltadas à extração do látex. Localizado na Região Metropolitana do Recife, Timbó faz parte do leque de assentamentos estaduais administrados pelo Instituto de Terras e Reforma Agrária de Pernambuco (Iterpe), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA).

Realizado de forma sustentável, a extração do látex, substância esbranquiçada extraída do caule das seringueiras, se transforma em matéria prima e garante à Associação Comunitária de São Severino uma rentabilidade de R$ 2 mil mensais. Desse total, 40% são pagos aos agricultores que extraem o látex e 60% são voltados ao caixa da associação, que reinveste no manejo da floresta, em melhorias de estradas e casas, em assistência médica e em projetos sociais do assentamento. O látex colhido é comercializado por atravessadores, que revendem às empresas do Estado que necessitam dessa matéria prima.

Típicas do bioma Amazônia, a floresta plantada há 17 anos no assentamento Timbó, além de agregar valor socioeconômico para a comunidade, representa, ainda, segundo a equipe ambiental do Iterpe, um manejo extrativista sustentável, porque garante também a diversidade de toda a Área de Preservação Ambiental.

"O Engenho Timbó é um modelo exitoso e de referência como projeto de assentamento público, que vem contribuindo com o trabalho permanente de preservação das áreas de reserva do solo, das matas e das famílias inseridas em todo o contexto ambiental, onde as áreas de preservação são legalmente obrigatórias em todo projeto de assentamentos", explica o engenho florestal Emanuel Rodrigo.

"A extração do látex vem sendo uma alternativa para a melhoria do assentamento, proteção da mata e fixação das famílias rurais no campo, pois sua produção é durante o ano todo", explicou o agricultor de Timbó Roberto Ferreira da Silva. Considerada a principal fonte da borracha natural no mundo, historicamente a seringueira já gerou riqueza no Brasil.

Em 2018, o Governo de Pernambuco, por meio do Iterpe, entregou 32 títulos de concessão da terra aos agricultores familiares de Timbó. Os títulos, que são resultado de um conjunto de ações socioambientais, asseguram às famílias rurais assentadas o acesso a outras políticas públicas de desenvolvimento da produção.

"O assentamento Timbó, além de ser um modelo de autonomia, representa o compromisso das 53 famílias rurais que estão em constante busca de permanecer no campo, vivendo e produzindo alimentos de culturas temporárias que abastecem os mercados do município", enfatizou o presidente do Iterpe, Altair Correia Patriota.

Imprensa ITERPE

Nenhum comentário:

Postar um comentário