Podcast Tais Paranhos

segunda-feira, março 23, 2020

#ValeAPenaLerDeNovo Hannah & Sullen - Capítulo 04

O tempo realmente cura as feridas. Ainda mais quando se passam 20 anos de saudades, cartas, fotos, Sullen estava uma jovem muito bonita e expansiva, estudando Pedagogia na Universidade da Capital enquanto Hannah havia se formado em Enfermagem, sendo a laureada da turma, embora o marido vociferava: "Esse diploma será apenas um quadro na parede". Nada parecia mudar mesmo o destino de Hannah.

Nada?

Apenas uma lembrança nos corredores da Faculdade de Saúde. Um jovem estudante de Medicina chamado Fernando a impressionara fortemente. Jamais ela havia se apaixonado. E o melhor, era correspondida. Mas ela sabia que Arlan faria de tudo para impedi-la de sair de casa. E o dispensou, dizendo a verdade: que era casada com um homem violento e psicótico. Ao se formar, Fernando resolveu clinicar na distante Vila Mãe África.

Instruída por Marie-Ange, que falecera de causas naturais, Sullen manteve-se longe de Arlan e só se correspondia com a irmã em cartas escondidas, com a inscrição no final: QUEIME ASSIM QUE LER. E ao se formar como professora, também decidiu viver em Vila Mãe África, não sem antes mandar seu endereço com um bilhete para Hannah (e torcendo para que ela queimasse e que não caísse nas mãos do marido).

Minha irmã, deixe esse doido e vem viver comigo aqui em Mãe África. Aqui o povo respira fé, alegria e felicidade. Te amo! E não se esqueça de queimar esse papel.

Liberdade - Sullen havia passado a vida inteira em um colégio interno e só conhecia o carinho de Marie-Ange, a única mãe que teve. Na universidade, descobriu como a vida poderia ser alegre e colorida e na Vila Mãe África realizou seus sonhos de liberdade. Sol, mar, casarios antigos, igrejas, ladeiras, roupas coloridas e estampadas, crianças correndo no morro. Logo, arrumou emprego como professora na Escola Municipal e ali fez amigos, como Pai Fernando e Mãe Rita, que já estavam idosos. Além deles, Sullen conheceu o chefe do Posto de Saúde, Dr. Fernando Bravio. Aquele mesmo, da Faculdade de Saúde.

Após a morte de Marie-Ange, Hannah preocupou-se com a irmã, mesmo sabendo que ela estava longe. Sem ninguém saber, contratou um detetive para vigiar Sullen. Isaac Santiago era mestre em disfarces e tinha inúmeros talentos. Ex-policial, ator, figurinista, perito em armas, hacker, era o melhor detetive de Serra Floriana, pago a peso de ouro. Já se disfarçara de repórter, drogado, garoto de programa, estudante, psicopata, presidiário. Agora, o serviço parecia ser leve: músico e arte-educador.

Na Vila Mãe África, tudo era motivo para festas, toques, batuques, loas, procissões. Os jovens e as crianças da escola estavam sempre cantando, batucando e dançando. Logo, "Tia" Sullen e "Tio" Santiago passaram a ser amados pelos alunos. Algo diferente estava acontecendo entre os professores. Ele estava propenso a deixar a vida de detetive pra ser professor quando acabasse o contrato, mas aconteceu algo que antecipou a rescisão dos seus serviços com Hannah.

Quando o serviço não dava certo, Santiago devolvia o pagamento ao cliente, mesmo que ficasse no prejuízo. Estava envolvido demais com a vida na escola e, acima de tudo, estava apaixonado pela Sullen. E era correspondido na mesma intensidade.

Santiago e Sullen casaram-se no terreiro de Pai Francisco e Mãe Rita. E eles já estavam esperando o primeiro filho. Hannah se desespera ao saber da notícia, pois se Arlan queria ter Sullen de volta, imagine ela grávida. Mais uma criança vítima das loucuras de seu marido. Hannah agora estava pronta para fugir e reencontrar a irmã na Vila Mãe África. No próximo capítulo.