sábado, 8 de setembro de 2018

Jornalismo de luto: Morre Graça Araújo

Após dois dias de uma luta árdua, a jornalista e apresentadora Graça Araújo não resistiu ao acidente vascular cerebral e morreu no começo da tarde deste sábado (8). A jornalista estava internada no Hospital Esperança, onde fora levada após passar mal e sofrer uma parada cardíaca na academia onde treinava ao lado de seu personal trainer. Graça era apresentadora do TV Jornal Meio Dia , no Canal 2 e do Rádio Livre, na Rádio Jornal do Commercio. Desde a quarta-feira, amigos, colegas e fãs se uniram em uma corrente de oração pela recuperação da apresentadora, que inundou as redes sociais, onde Graça era constantemente chamada de "Rainha", "Diva", "Oprah Brasileira" "Fátima Bernardes Pernambucana" e "Cristal do nosso Jornalismo".

Biografia - Maria Graciliane Araújo da Silva nasceu em Itambé, na Mata Norte de Pernambuco, em 02 de abril de 1956, numa casa que já tinha outros sete filhos. Três anos depois, foi morar em São Paulo com a família. Antes de ser jornalista, trabalhou como embaladora de enxovais de bebês e também foi bancária. Trabalhando como secretária em uma revista, passou a se interessar em trabalhar na Comunicação. Em 1987 ingressou nas Faculdades Integradas Alcântara Machado e ao se formar, decidiu voltar a Pernambuco para fazer um estágio. Mas acabou ficando.

Depois de passar pela Globo Nordeste, TV Manchete e Rádio Clube, em 1990 entrou na TV Jornal onde apresentou o Programa do Meio Dia ao lado do apresentador Rhaldney Santos. O programa passaria a se chamar TV Jornal Meio Dia, e ela seria a principal apresentadora até a última quinta-feira (6). Em 2001, foi para a Rádio Jornal, onde apresentava o programa Rádio Livre, onde um de seus quadros mais famosos era o Consultório de Graça, em que profissionais de saúde conversavam com a apresentadora e seus ouvintes.

Cidadania - Sua atuação profissional rendeu a ela prêmios e homenagens, como Cidadã de Pernambuco e mais recentemente, uma homenagem feita pelo Tribunal de Justiça do estado, em agosto. Em sua vida pessoal gostava de praticar esportes e de participar de corridas. 

Ela havia dito à família que gostaria de doar seus órgãos, mas devido à gravidade de seu estado clínico, que resultou em falência múltipla, não houve como viabilizar a doação. O velório está acontecendo neste momento no Cemitério Morada da Paz e a cremação está prevista para amanhã (9) ás 16h em uma cerimônia fechada para os familiares.

Mensagens de Pesar - Além dos incontáveis admiradores, muitas pessoas públicas também evniaram mensagens de pesar pelo falecimento da apresentadora:

Com a morte de Graça Araújo, a imprensa pernambucana perde uma profissional dedicada, trabalhadora, com grande sensibilidade social e amor pelo que fazia. Graça nos deixou muito cedo, prova disso é o carinho e o respeito demonstrados nos últimos dias por seus colegas e admiradores. Quero expressar minha solidariedade cristã aos seus familiares.

Paulo Câmara - Governador de Pernambuco

Foi com muita tristeza que recebi a notícia do falecimento de Graça Araújo. Sem dúvida, uma grande profissional e símbolo do jornalismo pernambucano. Que Deus conforte seus amigos e familiares. 

Raquel Lyra - Prefeita de Caruaru

A dor é muito grande. Graça não foi só uma colega de trabalho, foi amiga de mais de 30 anos. Ela chegou de São Paulo recém-formada e esteve comigo na Rádio Clube e lá me chamava de 'minha professora'. E ali estava a melhor repórter da rádio, era isso que eu dizia dela. Ela era perfeita e isso se confirmou ao longo de sua vida profissional. Graça viveu o que teria para viver, foi feliz em sua profissão e que Deus esteja confortando a família e os amigos. É o que peço.

Marise Rodrigues - Diretora da Rádio Folha

"Colega de profissão e amiga, muito amiga Graça era pra mim. Eu a conhecia há mais de 20 anos, foi minha primeira chefe na TV Jornal, onde eu comecei minha carreira. Aprendi com ela o bom fazer no jornalismo, o de povo, o de gente. Ela gostava disso e me ensinou a gostar também. É uma pessoa inesquecível. Amo muito e vai fazer uma falta que eu nem sei dizer"

Bianka Carvalho - jornalista da TV Globo

"Graça sempre dizia que ela era uma milagre. Convivendo 25 anos com ela eu pude testemunhar isso de perto. Uma menina que nasceu muito pobre, negra, lutou muito para quebrar os padrões que o país impõe a outras meninas pobre e negras. Fez do jornalismo um ofício gigante e engradeceu muito a nossa profissão. Pequena, de sorriso largo, tinha uma alma brilhante que transbordava para a vida de quem teve a honra de conviver com ela".

Beatriz Ivo, diretora de jornalismo da Rádio e TV Jornal


Nota do Blog - Claro que eu jamais poderia deixar de registrar algumas palavras. A vi pessoalmente uma única vez, em 1997, no Seminário de Rádio e TV da ETFPE e não pude deixar de expressar minha admiração. Fica pra os ouvintes, telespectadores, e principalmente para os profissionais e estudantes de Comunicação o legado dessa grande jornalista. Luz para ela e conforto espiritual para os que a amavam.


Nenhum comentário:

Postar um comentário