terça-feira, março 30, 2021

São Paulo: Museu da Diversidade Sexual promove programa +Orgulho Personalidades

 

A partir de abril, o Museu da Diversidade Sexual, (MDS),instituição vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerido pela Amigxs da Arte, promove por meio do Programa Mais Orgulho uma ação de apoio às Paradas do Orgulho LGBTQIA+ no interior e litoral do Estado de São Paulo. Devido à necessidade de isolamento social causada pela epidemia de coronavírus, toda a programação será remota.

O Mais Orgulho irá veicular toda terça ao meio-dia, entrevistas gravadas em vídeo com personalidades LGBTQIA+ de cada local. As conversas trazem depoimentos pessoais e intimistas em que são trazidas à tona lembranças, memórias, histórias, vivências e experiências.
A programação será transmitida pelas redes sociais do Museu e plataforma Cultura em Casa, criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerida pela Amigxs da Arte.

Segundo Danielle Barreto Nigromonte, diretora executiva da Amigxs da Arte, instituição responsável pelo gerenciamento do MDS, "o Museu e a Amigxs da Arte vislumbraram a possibilidade da junção de duas ações que viabilizam e preservam as memórias das Paradas, dos ativistas e pessoas LGBTQIA+ que construíram a história do movimento pelo interior e litoral do estado de São Paulo em uma ação pioneira, coletiva e importante na luta desta população.

As entrevistas primam por destacar diferentes marcadores identitários, como raça, etnia, geração, pessoas com deficiência, gênero, identidade e orientação, com residência na cidade onde se realiza a Parada, e obrigatoriamente integrantes da sigla LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, transgêneros etc).

O objetivo é criar um mosaico inovador, onde os depoentes contem sobre o panorama da cultura, sociedade LGBTQIA+ e suas relação com o município. Entre os tópicos abordados nas entrevistas, estarão assuntos como família, trabalho, relacionamentos, encontros, participação nas Paradas, sexualidade, pontos de convivência, discriminação, preconceito, história e militância.

As entrevistas, além de veiculadas em redes sociais das Paradas de cada cidade, vão integrar o acervo do Museu da Diversidade Sexual e das Associações Organizadoras das Paradas, sendo disponibilizadas para o público através de plataforma virtual e com acesso para pesquisas.

"Em tempos onde cada vez mais a memória brasileira (não apenas a LGBTQIA+, mas principalmente ela) é invisibilizada, o projeto Memórias da Diversidade Sexual & Mais Orgulho inverte o rumo dessa tradição de esquecimento do passado, colaborando para que essas memórias não se percam – e sim sejam preservadas para futuras gerações, mostrando a importância da comunidade LGBTQIA+ e sua cultura na construção da sociedade e da democracia brasileira", diz Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual.



Agenda de cidades:

6 de abril - Praia Grande
13 de abril - Vinhedo
20 de abril - Araçatuba
27 de abril - Santos (ep 1)
4 de Maio - Santos (ep 2)
11 de maio - Iguapé (ep 1)
18 de maio - Iguapé (ep 2)
25 de maio - Iguapé (ep 3)
1º de junho - São João da Boa Vista
8 de junho - Ribeirão Preto
15 de junho - Catanduva
22 de junho - Sertãozinho
29 de junho - Itu (ep 1)
6 de julho - Itu (ep 2)
13 de julho - Serrana
20 de julho - São José dos Campos
27 de julho - São José do Rio Preto (ep 1)
3 de agosto - São José do Rio Preto (ep 2)
10 de agosto - Lins
17 de agosto - Itaim Paulista
24 de agosto - Bebedouro
31 de agosto - Mogi Guaçu
7 de setembro - São Joaquim da Barra (ep 1)
14 de setembro - São Joaquim da Barra (ep 2)
21 de setembro - Campinas (ep 1)
28 de setembro - Campinas (ep 2)
5 de outubro - Campinas (ep 3)
12 de outubro - Campinas (ep 4)
19 de outubro - Itanhaém
26 de outubro - Fernandópolis
2 de novembro - Votuporanga
9 de novembro - Araraquara

Sobre a plataforma #CulturaEmCasa


A plataforma #CulturaEmCasa foi lançada no dia 20 de abril de 2020. Seu objetivo é ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuito. Nos quatro primeiros meses, registrou cerca de 1,6 milhão de visualizações e 1,2 mil conteúdos disponibilizados.

O conteúdo é gerado pelas instituições culturais vinculadas à Secretaria, por instituições parceiras e por artistas e produtores culturais independentes, que são remunerados pelo licenciamento. Trata-se, portanto, de um instrumento de geração de renda e oportunidades para o setor cultural e criativo de São Paulo.

Realizado pela plataforma, o Festival #CulturaEmCasa apresenta lives de artistas representativos da diversidade cultural de São Paulo, como Renato Teixeira, José Celso Martinez Corrêa, Supla, Sérgio Mamberti, Tom Zé, André Abujamra, Cássio Scapin, Erasmo Carlos, o pianista Marcelo Bratke, Paula Lima e Alaíde Costa, Digão (Raimundos), João Suplicy, Lucy Alves e Rodrigo Penna. É transmitido de sexta a domingo, às 21h30.

A plataforma segue apresentando as lives do Intensivão #CulturaEmCasa (que atualmente ocorre de segunda a quinta-feira às 17h). O Intensivão é uma série de aulas e palestras com temas diversos relacionados à arte e à criatividade. Já participaram nomes como Marcelo Tas, Débora Tabacof, Estéfi Machado, Ivam Cabral, Rita Von Hunty e Dona Jacira, Paulo Jackson (do Museu Catavento), Renata Lipia, William Coelho e Rogério Zaghi (Osesp), Moreira de Acopiara, Donny Correia, entre outros.

Ainda no formato live, a plataforma #CulturaEmCasa também lançou no dia 29 de junho de 2020, o programa #DiálogosNecessários, que reúne pensadores e profissionais de diversas áreas para reflexões plurais com abordagens diversificadas e antagônicas. Os encontros são moderados pelo ensaísta e professor de Literatura João Cezar de Castro Rocha e pelo jornalista Martim Vasques da Cunha. O #Diálogos Necessários é veiculado às segundas e quartas-feiras, às 17h.

Na plataforma, também é possível acompanhar o #SPGastonomia, lançado no dia 6 de julho de 2020. De segunda a quinta-feira, às 19h30, chefs, nutricionistas e especialistas brindarão o público com aulas, receitas, histórias, curiosidades e debates sobre diversos temas relacionados à gastronomia de São Paulo. É uma grande vitrine da diversidade e da qualidade do setor. As lives têm nomes como Lucas Corazza, Mohamad Hindi, André Boccato, Morena Leite e Lucas Bernardini, Fabrízio Fasano Jr, Roberta Sudbrack, o Chef teen Eduardo Prado, Dri Knapp e Angelita Gonzaga.

A plataforma reúne também conteúdos inéditos das instituições da Secretaria, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Museu do Futebol, o Museu da Diversidade Sexual, a São Paulo Companhia de Dança e o Projeto Guri.

Sobre o Museu da Diversidade Sexual
Primeiro equipamento cultural da América Latina relacionado à temática, o Museu da Diversidade Sexual foi criado em maio de 2012 e é uma instituição vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Sua missão é preservar o patrimônio sócio, político e cultural da comunidade LGBTQIA+ brasileira através da coleta, organização e disponibilização pública de referenciais materiais e imateriais. As atividades culturais, educativas e expositivas do MDS têm foco nas orientações, identidades e expressões de gênero dissidentes.

Sobre a Amigxs da Arte
A Amigxs da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão do Teatro Sérgio Cardoso, trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos como o Museu da Diversidade Sexual e o Teatro Estadual de Araras. Saiba mais em: www.amigosdaarte.org.br.

Redes Sociais

Museu da Diversidade Sexual (MDS)
Estação República do Metrô, n° 24. R. do Arouche – República. São Paulo (SP).
O museu está localizado dentro da Estação República do Metrô, atrás da bilheteria. Piso Mezanino, loja 518.

Nenhum comentário:

Postar um comentário