Podcast Tais Paranhos

quarta-feira, novembro 11, 2020

Setores público e privado debatem sobre integridade empresarial

 

“Integridade Empresarial: O caminho para um desenvolvimento sustentável” foi tema do debate realizado nessa segunda-feira, dia 09, numa promoção da Alliance for Integrity, com o apoio da Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE). Mais de 60 pessoas – entre representantes de pequenas e médias empresas, gestores públicos e sociedade civil – acompanharam o evento, realizado de forma virtual. Ao abrir a programação, o cônsul-geral da Alemanha no Recife, Rainer Konrad Münzel, saudou palestrantes e público, destacando que a integridade é o caminho para o desenvolvimento sustentável.


Conduzido por Amanda Rocha, da Alliance for Integrity (iniciativa global financiada pelo Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento da Alemanha e apoiada por entidades interessadas no combate à corrupção), o debate contou com a participação da secretária da SCGE, Érika Lacet; do secretário-executivo da Assessoria Especial do Governo do Estado, Joselito Kehrle do Amaral; do superintendente de Compliance da Neoenergia, Roberto Medeiros; e da advogada e especialista em compliance, Aurora Barros. O professor do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper) Karlis Novickis foi o moderador.


Em sua explanação, a secretária Érika destacou que integridade não é um tema novo, uma vez que vem sendo debatido desde os anos de 1970. “Sabemos que, pelos estudos da Transparência Internacional cerca de U$ 80 bilhões, por ano, são desviados em decorrência da corrupção. Por isso, precisamos nos debruçar sobre o tema para melhorar a posição do Brasil nesse contexto”, disse. Ainda de acordo com ela, o grande desafio que se tem pela frente é cultural.


Segundo a secretária, é necessário mostrar que integridade não é algo ruim ou mais uma despesa ou burocracia para as organizações, e sim, que é uma questão de sustentabilidade das instituições como um todo. “Hoje a sociedade clama por isso. É uma premência do governo ser transparente, ser íntegro”, frisou. o secretário-executivo Joselito Kehrle do Amaral lembra que Pernambuco se destaca, há alguns anos, em ações de combate à corrupção. “O Governo do Estado possui um departamento específico voltado ao combate da corrupção, altamente capacitado. Fomos pioneiros na criação desse órgão no Brasil, disse.


Érika Lacet enfatizou, ainda, que a implementação das Unidades de Controle Interno (UCIs) em todos os órgãos da administração pública, segundo orientação do governador Paulo Câmara, auxilia nessa atividade. “A Controladoria coordena, implanta esse sistema de controle interno e vem fomentar não só o controle, mas o espírito da integridade no setor público. As empresas precisam entender que as relações com o setor público mudaram, que não basta apenas respeitar as leis, mas também a ética das relações”, ponderou.


Durante sua apresentação, a secretária Érika Lacet falou, ainda, sobre a lei sancionada por Paulo Câmara, em dezembro de 2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade de implantação de um programa de integridade por empresas que contratem com o Estado. Ela antecipou que a primeira etapa do programa – de um total de três –, com início previsto para 2021, será transferida para 2022, por conta da pandemia da Covid-19.


“O programa de integridade melhora o controle interno das instituições, o que repercute na eficiência do serviço público. É um processo em cadeia. O combate à corrupção depende do esforço conjunto e contínuo de todos”, avaliou. “A Alliance for Integrity tem sido uma grande parceria do Estado de Pernambuco no desafio de implantação de programas de integridade e divulgação dessa cultura”, concluiu.


Imprensa SCGE PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário