domingo, 23 de agosto de 2020

Artistas pedem socorro para o Teatro Paulo Freire

Artistas de vários segmentos culturais vestem preto, colocam suas máscaras e respeitam o distanciamento social para protestar pacificamente nesta terça-feira (25) na frente do Teatro Paulo Freire, no centro do Paulista, pela sua reabertura. A casa está fechada para reforma há dois anos.

De acordo com o ator Vinícius Coutinho, representante das artes cênicas no Conselho Municipal de Política Cultural do Município, também estagnado, e que sempre luta em prol das causas culturais da cidade, o serviço da reforma do teatro foi iniciada em agosto de 2018, custou 270 mil aos cofres da prefeitura e gerou a expectativa de que a obra seria entregue em 180 dias, garantindo mudanças significativas na estrutura do teatro. “Muita gente me acha chato. Mas eu não sou. O que eu quero é que esse teatro, tão importante, continue vivo, de pé. Um teatro é sempre uma segunda casa para nós, artistas de qualquer segmento, sem falar que ele é o único equipamento cultural existente no Paulista”, frisa o ator. 

A manifestação conta com representantes dos segmentos de dança, música, cinema e demais expressões artísticas. Inaugurado em 1944, o Teatro Paulo Freire estava entre os dez cineteatros de Pernambuco e até meados de agosto de 2018 funcionou, com poltronas, de conforto questionável, aparelhos de arcondicionado em funcionamento e camarim com iluminação deficiente. O local foi fechado pela Prefeitura do Paulista em 2018 para uma reforma, com promessas de ser entregue em 180 dias e, até então, a obra não foi concluída.

Um comentário:

  1. Contamos com todos os artistas, todos os segmentos de camisa preta e com suas máscaras

    ResponderExcluir