05/11/2019

Fábrica clandestina de canudinhos comestíveis é fechada em Moreno

O Procon-PE e as Vigilâncias Sanitárias de Pernambuco e de Moreno interditaram, na sexta-feira (01.11), uma fábrica clandestina de canudinhos comestíveis. A produção funcionava de maneira totalmente insalubre, dentro da Granja Carnijó, área rural do município. Cerca de 300 mil salgados foram descartados e levados para o lixão. O dono foi encaminhado para a Delegacia de Jaboatão para prestar esclarecimentos.

Os fiscais do órgão de defesa do consumidor foram chamados pela Vigilância Sanitária para acompanhar a fiscalização. Chegando ao local se depararam com um local sem higiene para manusear alimentos. Diversos baldes de gordura vegetal vencidas, e espalhados no chão, as tampas cheias de marcas pretas, que pareciam fezes de animais, as panelas e fogões todos pretos, numa mistura de gordura com sujeiras, os salgados eram colocados em plásticos e encostados em tijolos, além de um cachorro passeando pelo local e gatos em cima dos sacos de trigo.

Todos os canudinhos eram embalados em sacos e colados, manualmente, com fita durex e cola branca. Eles eram vendidos para diversas lojas e mercados da Região Metropolitana do Recife, com as seguintes marcas Canudos Crocantes; Canudos Festas; Canudos Margogi; Ki-Massa e Krokita. A fábrica já funcionava há mais de 10 anos.

O Procon-PE e a Vigilância Sanitária irão fazer uma ação fiscalizatória para retirar das prateleiras dos estabelecimentos, todas essas marcas. 


Imprensa Procon PE