13/06/2019

Glenn Greenwald, o jornalista que incendiou o País ao cumprir seu dever

Um jornalista, quando faz o juramento de formatura, promete informar com imparcialidade, em especial quando o assunto é de interesse público. Indo por esse raciocínio, o norte-americano Glenn Greenwald não faz mais do que sua obrigação quando está à frente do seu trabalho no portal The Intercept Brasil. No entanto, o que ele e sua equipe têm feito, desde domingo, além de cumprir seu dever, é incendiar o Brasil com revelações de um material com bastidores da Força Tarefa Lava-Jato


O que se sabe até agora, é que foram vazadas conversas entre o então juiz federal e atual ministro da justiça, Sérgio Moro e procuradores, como Deltan Dallagnol e que apareceram nomes como o do ministro do STF Luiz Fux. Mas quem é ele? Jornalista, advogado e filósofo, 52 anos, casado com o deputado federal David Miranda (PSol-RJ) e pai dos garotos João e Johnatan. Greenwald também é ativista pela causa animal e mantenedor de uma ONG que resgata animais em situação de rua, cujos funcionários também viviam passando necessidades e hoje têm uma vida digna. 

Greenwald ficou internacionalmente conhecido quando, em parceria com Edward Snowden, levaram a público a existência dos programas secretos de vigilância global dos Estados Unidos, efetuados pela sua Agência de Segurança Nacional (NSA). A reportagem sobre o programa de espionagem da NSA ganhou o Prêmio Pulitzer de jornalismo em 2014 e, no Brasil, foi agraciado com o Prêmio Esso de Reportagem, por artigos publicados no jornal O Globo acerca do sistema de vigilância virtual dos Estados Unidos em território nacional.

O trabalho de Greenwald sobre a história de Snowden foi apresentado no documentário Citizenfour, que ganhou o Oscar de Melhor Documentário em 2014. Greenwald apareceu no palco com a diretora Laura Poitras e a namorada de Snowden, Lindsay Mills, quando o Oscar foi dado. No filme de 2016 de Oliver Stone, Snowden, Greenwald foi interpretado pelo ator Zachary Quinto.