segunda-feira, 11 de maio de 2020

Crianças e adolescentes em reclusão, o que fazer?

Neste tempo em casa, o que não falta é ociosidade. Muitos pais, preocupados com a necessidade do estímulo, correm o risco de transformar a casa em uma sala de aula, o que nem sempre é uma boa estratégia para conseguir a atenção dos filhos. A saída é bem simples, com muita criatividade, usando o lúdico e até mesmo as tarefas do dia a dia, como preparo de alimentos e arrumação da casa, somadas às brincadeiras tradicionais, as crianças conseguem aprender a todo instante.

É muito importante manter o estímulo do desenvolvimento das crianças no período da quarentena, para ela não perder o que já estava recebendo na escola. Quando se fala em estímulo, não é somente ao conteúdo pedagógico, mas sim em dar para a criança uma função dentro das atividades do cotidiano. Incentivar a manutenção da organização da casa, instigar a pensar, raciocinar das diferentes formas possíveis. Sem muito estresse, é importante realizar a retomada do conteúdo, para que não seja perdido o que a criança aprendeu em sala de aula, neste momento o caderno acaba sendo um aliado, mas esse processo deve ser feito como a rotina de estudos já adotada pela casa. 

CÉREBRO EM AÇÃO - Consciente da atual situação em relação aos cuidados com a prevenção de contágio do Coronavírus, o Método Supera oferece aulas on-line, trazendo toda a metodologia vista nas salas de aula a partir de uma plataforma acessível a todos. Com a novidade, os alunos têm a oportunidade de manter o cérebro ativo sem sair de casa, a partir de salas de reunião e conferências on-line.

Isso com o objetivo de proporcionar atividades desafiadoras e divertidas para os alunos manterem a saúde do cérebro em dia e ocuparem o tempo com divertimento e qualidade de vida em um momento de reclusão social.

Os educadores estão investindo em desafios e jogos, partidas de ábaco on-line, orientações para a prática de exercícios cognitivos dos livros do curso e atividades no Supera Online. Os alunos ainda têm atendimentos individuais para tirar dúvidas e garantir a efetividade dos exercícios realizados.

Para abordar o tema, sugiro entrevista com a especialista em ginástica para o cérebro pelo método supera e Pós graduanda em Neurociência Clinica e em Neuropsicopedagogia, Andréa Negreiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário