sexta-feira, 29 de maio de 2020

CFM autoriza cirurgias eletivas bariátricas no período de Pandemia

O Conselho Federal de Medicina (CFM) decidiu em sessão plenária, no último dia 21 de maio, a volta da realização de cirurgias eletivas bariátricas e metabólicas no período de pandemia da Covid- 19. De acordo com a CFM, o retardo do tratamento de pacientes obesos e clinicamente graves, que apresentam comorbidades importantes como diabetes tipo 2 com indicação cirúrgica e hipertensão, podem resultar em aumento da morbimortalidade, tal como documentado em diferentes países, diminuindo suas chances de sucesso no tratamento, devido ao adiamento. O cirurgião bariátrico Walter França ratifica que a obesidade é um problema crônico e aumenta o risco de mortalidade em jovens obesos e que tenham a Covid-19.

A Pandemia da Covid-19 é uma emergência sanitária global sem precedentes na história moderna e a suspensão absoluta dos atendimentos eletivos consultas, procedimentos e cirurgias aumenta o risco de morbimortalidade em pacientes crônicos. No Brasil, 57% dos adultos estão acima do peso ideal e 20% são obesos. Segundo dados do Ministério da Saúde, a mortalidade dos jovens obesos é mais alta do que nos idosos obesos com Covid-19. Essa relação entre obesidade e agravamento dos pacientes começou a chamar atenção a partir da explosão de casos nos Estados Unidos onde cerca de 42% da população é obesa. A obesidade é o segundo fator de morte do Covid-19, atrás apenas da idade.

De acordo com o cirurgião bariátrico Walter França, as cirurgias serão retomadas obedecendo a todos os critérios e procedimentos de segurança para médicos e pacientes no pré e pós operatórios inclusive com triagem prévia sobre possível contato do paciente com portador de COVID-19 (nos últimos 30 dias). “Será feita uma avaliação dos sintomas com detalhada anamnese e exame físico. A mínima suspeita clínica de infecção, principalmente de vias aéreas superiores, deve ser razão para suspensão da cirurgia. As medidas de higiene, por parte da equipe médica serão reforçadas bem como simulações de paramentação e desparamentação com o objetivo de otimizar o fluxo de trabalho e prevenir infecções e outros eventos adversos“, salienta o profissional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário