terça-feira, maio 31, 2022

Coletivo Pedra Rubra apresenta intervenção Mortalha e ministra a oficina Mulher em Cena no CC Grajaú e Casa de Cultura de Parelheiros

 

Criado em 2014, o Coletivo Pedra Rubra é formado apenas por artistas mulheres e tem a missão de criar reflexões sobre a sociedade patriarcal. O grupo encena a intervenção performática Mortalha e realiza a oficina Mulher em Cena no Centro Cultural Grajaú e Casa de Cultura de Parelheiros em junho (confira as datas abaixo).

Mortalha, apresentada no dia 5 de junho, às 11h e às 15h, é uma intervenção urbana performática que, poeticamente, retrata as mulheres violentadas em nossa sociedade. O trabalho é realizado pelas atrizes Beliza Trindade, Juliana Aguiar e Liliam Menezes, que caminham pelo espaço carregando cinzas em suas mãos. A primeira, às 11h, acontece a partir do Centro Cultural Grajaú e a segunda, às 15h, a partir da Casa de Cultura de Parelheiros.

Quando uma mulher sofre alguma opressão, seja por meio de agressões, abusos, assédios, estupros etc., uma parte dessa mulher morre. “Mortalha” carrega as cinzas dessas mulheres e representa as milhares de vezes que estas são caladas, mortas.

Já a oficina teatral Mulher em Cena, ministrada por Érika Rocha, oferece uma vivência corporal e cênica de escuta para as mulheres da periferia. A atividade é gratuita e tem encontros nos dias 12, 19 e 26 de junho, das 10h à 14h.

A orientadora da atividade nasceu e cresceu no Grajaú, na Zona Sul de São Paulo. É atriz, historiadora, mestra em Artes Cênicas, poetisa, produtora e professora. Possui graduação e mestrado pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é Artista Educadora no Programa de Iniciação Artística da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo na linguagem Teatro.

Sobre o Coletivo Pedra Rubra

Coletivo Pedra Rubra é um grupo teatral formado por artistas mulheres que buscam dialogar com o público uma reflexão sobre a sociedade patriarcal que vigora. Investigam a cena teatral contemporânea considerando as questões da sociedade que estão em estado de urgência, tendo como protagonista a mulher.

O universo da mulher é o tema gerador do grupo não somente por ser constituído por integrantes mulheres, mas também por ainda termos em nosso cotidiano valores herdados de uma cultura machista e sexista. Tal cultura desencadeia violências físicas e psicológicas na mulher, como: feminicídios, estupros, abusos; de modo que as mulheres são constantemente oprimidas.

Formado em 2014 como um núcleo de estudos sobre “Mulher, Feminismo, Teatro e Performance”, e consolidado em março de 2015 com a intervenção cênica “MORTALHA”, o “Coletivo Pedra Rubra” possui em seu histórico trabalhos que buscam fugir da indústria cultural e de massa, trazendo um posicionamento político entre homens e mulheres sobre a sociedade patriarcalista que vivemos.

Embora o Pedra Rubra tenha realizado sua primeira ação cênica em 2015, as trajetórias das artistas do grupo se cruzam desde 2004; porém, somente em 2014, por desejo, necessidade e vontade, resolveram criar o próprio grupo, para assim poder abordar, discutir, pensar, articular um teatro que verdadeiramente acreditam e que as representam enquanto mulheres.

Serviço/Ficha Técnica

Mortalha
Criação e concepção: Coletivo Pedra Rubra
Atrizes/performers: Beliza Trindade, Juliana Aguiar e Liliam Menezes
Produção: Simone Carvalho
Quanto: grátis
Apresentação: 5 de junho, às 11h
Onde: Centro Cultural Grajaú (em direção ao Terminal Grajaú) - Rua Prof. Oscár Barreto Filho, 252, Parque América
Apresentação: 5 de junho, às 15h
Onde: Casa de Cultura de Parelheiros (em direção ao Terminal Parelheiros) - R. Nazle Mauad Lutfi, 169 - Parque Tamari

Oficina Mulheres em Cena
Orientadora: Érika Rocha
Quando: 12, 19 e 26 de junho, das 10h às 14h
Onde: Centro Cultural Grajaú - Rua Prof. Oscár Barreto Filho, 252, Parque América
Quanto: Grátis
Inscrições: por meio do link abaixo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário