Sabores da Tia Val

Sabores da Tia Val
Encomendas pelo Direct do lnstagram

terça-feira, fevereiro 09, 2021

Fábrica de Fuxico, em Camaragibe, abre inscrições

 

Em Camaragibe, na região metropolitana do Recife, Carlos Alberto de Menezes inaugura a Fábrica de Tecidos na Vila da Fábrica em 1892, o maior estabelecimento industrial de Pernambuco. 129 anos depois, em 2021, Fabiana Souza inaugura a Fábrica de Fuxico., mostrando a tendência histórica da cidade no trabalho com tecidos.

A Fábrica de Tecidos vem fazendo o maior sucesso na cidade de Camaragibe, criando arte, qualificação profissional, mercado de trabalho, auto estima, qualidade de vida e gerando emprego e renda.

O Grupo de artesãs Fuxiqueiras da Vila da Fábrica, “Nós Fuxica, mas nós produz!”, foi contemplado pela Lei Aldir Blanc de incentivo à Cultura. Incentivo que tem como foco principal assegurar a permanência atuante de grupos de artistas que estavam ociosos em decorrência da pandemia da COVID 19.

Em contrapartida ao incentivo recebido planejamos a oficina “NÓS COSTURA FUXICANDO”, que possibilitou a concretização de um sonho do grupo: a realização do curso básico de corte e costura. Salientando que as idosas artesãs visualizam na arte de costurar a possibilidade maior de difundir o artesanato do fuxico.

A segunda parte do sonho será expandir o curso a outros bairros e diversificar o público alvo para além da “melhor idade”. Buscar atingir donas de casa, adolescentes e, por que não, idosos do sexo masculino. Bem como acrescentar os cursos de crochê, pintura em tecido, bordados e vagonite.

Velho conhecido das costureiras, o fuxico feito de sobras e retalhos de tecido tem muito tempo saiu do anonimato do artesanato e entrou para a glamurosa vida da alta costura. Essas trouxinhas de pano, feitas de tecidos variados e muita paciência, ganhou esse nome porque no interior do país as costureiras se sentavam para trabalhar juntas e automaticamente rolava muito mexerico.

É claro que o produto dessas reuniões só podia ter esse nome: fuxico. Só que o fuxico não é uma criação genuinamente brasileira. Pois é, os fuxicos correram soltos pelo mundo antes de chegar por aqui. Não se tem certeza de sua verdadeira origem, mas a técnica chegou ao Brasil pelas mãos dos portugueses e espanhóis no século 19 e fixou-se principalmente no Nordeste.

Muito se engana quem acredita que fazer um bonito fuxico é simples. As artesãs mais habilidosas afirmam que só depois de muito treino é que se consegue fazer um fuxico mais aberto e com bom acabamento. Além do que, uma peça mais elaborada usa centenas de fuxicos e dias de muito trabalho. E isso é só o começo. Depois de se conseguir a habilidade pode-se começar a customizar as peças e agregar outras técnicas ao fuxico. É só abusar da criatividade.

O curso “Nós costura fuxicando” atualmente está sendo realizado no espaço da Fundação de Cultura de Camaragibe, com carga horária de 20h semanais. Sendo ministrada por: Francis de Souza e Marleide Rocha. A Coordenação do projeto é de Fabiana Souza.

As inscrições são gratuitas, e podem ser feitas com Fabiana Souza pelo telefone/ zap: 81:98354- 5121.



Nenhum comentário:

Postar um comentário