sábado, 9 de maio de 2020

#SendoProsperidade




Olá gente linda que acompanha o #SendoProsperidade também aqui no blog da Taís Paranhos. Tudo bem? É fato que nesta quarentena estamos com os ânimos muito aflorados e nesta semana trago para vocês dois sentimentos que estão sendo comuns e estão, até, desgatando os nossos relacionamentos, assim como a nós mesmos. Estou falando da 😠raiva e da 😢 tristeza.

A raiva é sempre uma máscara. Raiva e tristeza fazem parte das emoções consideradas primárias. E, justamente, essa característica de sentimento primário que as tornam capazes de se esconder sob as mais variadas formas em nosso inconsciente. Nas suas formas mais amenas, a raiva pode se manifestar como sarcasmo, zombaria, fofoca ou mal humor. Na sua forma intensa, ela pode causar ressentimentos que se transformam em rancor, irritação que se transforma em fúria e agressividade. Em sua pior versão, a raiva não processada pode chegar a nos destruir por dentro. A raiva é uma emoção expansiva, implica em uma sobrecarga de energia no organismo, causando uma reação imediata no indivíduo e está quase sempre relacionada à frustração de uma expectativa ou desejo. Já a tristeza, é uma emoção reflexiva e que sinaliza que algo precisa ser processado para que possamos retornar a um estado total de satisfação. Mas apesar de serem duas emoções primárias, por vezes a raiva é mais fácil de ser externada que a tristeza. Por isso, se algo é muito doloroso para nós, ou se não encontramos formas de expressar o que sentimos, (como, por exemplo, quando não temos com quem conversar sobre o que nos deixa tristes), podemos "transformar" essa tristeza em raiva. É o conhecido "descontar em quem não tem nada a ver" (que pode ser, inclusive, em nós mesmos). Quando guardamos tristezas, o nosso inconsciente encontra uma forma de aliviara tensão causada por esta emoção, tornando-nos mais irritáveis e raivosos.


De certa maneira, a raiva é uma válvula de escape da tristeza que não conseguimos mais suportar dentro de nós. Toda arrogância mascara uma ferida emocional. Falar é terapêutico. O ideal é q tenhamos a possibilidade de externarmos o que sentimos, seja conversando com alguém em quem a gente confia e que não nos julgue, seja procurando um auxílio profissional. Assim, tristeza será tristeza e raiva será raiva, tornando a vida mais simples de ser vivida. Prestar atenção no que estamos sentindo pode nos revelar muitos segredos. Finalizo aqui com uma frase do alemão filósofo, filólogo, crítico cultural, poeta e compositor prussiano do século XIX, Friedrich Nietzsche que diz: "siga a tua angústia, ela é o caminho rumo a ti mesmo". 

Com ❤ amor e 🙏gratidão por mais este momento aqui com vocês, 

Mariângela Borba.

Um comentário: