segunda-feira, 1 de junho de 2020

Álcool isopropílico é opção para higienização de celulares

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, os celulares carregam dez vezes mais bactérias do que um vaso sanitário, já que esse ambiente é limpo com maior frequência. Em tempos de Novo Coronavírus, a limpeza dos aparelhos é fundamental no combate ao vírus, principalmente durante o isolamento, já que as pessoas passam mais tempo em contato com o telefone.

Mas como fazer a limpeza corretamente? Com álcool em gel? Água e sabão? O infectologista Gabriel Serrano, da rede de saúde de Olinda, esclarece que os equipamentos eletrônicos têm componentes que podem oxidar em contato com a água, é preciso usar o produto correto para evitar prejuízos.

"O aparelho conta com diversas bactérias, como fecais, de pus e vírus que são levados pela mão suja durante o uso do aparelho. O celular deve ser limpo com álcool isopropílico, que limpa melhor e evapora muito rápido, sem deixar resíduos", disse Serrano.

O álcool etílico vendido no mercado tem 70% de concentração, isso significa que os outros 30% são de água. Por isso, deve ser evitado para não danificar o equipamento. Da mesma forma, o álcool em gel não é indicado. Além ter água na composição, pode conter emolientes, produtos usados para hidratar a pele, e deixar vestígios de óleo. 

"Uma alternativa é utilizar os lencinhos umedecidos para bebês. O quaternário de amônia do produto limpa eletrônicos sem danificar", destacou o infectologista.

Imprensa Olinda

Nenhum comentário:

Postar um comentário