terça-feira, dezembro 28, 2021

Cachaça pernambucana lança projeto com outros alambiques nordestinos

 

Cinco produtores de cachaça do nordeste lançaram a 3ª edição da Blend Nordestino de suas bebidas destiladas. A premiada cachaça orgânica Sanhaçu, de Chã Grande, no agreste de Pernambuco, é a única cachaçaria do estado a participar. Os produtores de Gogó da Ema (AL), Gregório (PB), Engenho Nobre (PB) e Matriarca (BA) também assinam o projeto.

 

De acordo com Max Barreto, produtor da Sanhaçu, o Blend Nordestino é composto por cachaças armazenadas em Freijó, Jequitibá Rosa e Inox. Suavidade e o frescor são as características principais. A bebida foi armazenada com a Jequitibá-rosa, Freijó e Inox. "O projeto nasceu em 2018, por iniciativa do insigne Murilo Coelho, da Cachaça Nobre, paraibano nascido em Minas Gerais e artesão, pela terceira vez a Sanhaçu está participando da iniciativa", revela Max.

SETOR:

O último levantamento do Anuário da Cachaça, em julho, mostrou que o número de estabelecimentos produtores de Cachaça e de Aguardente registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), cresceu 4,14 % no último ano. O número em 2020 foi de 1.131. Em 2019, de 1.086.

Premiações da Sanhaçu:

Responsável pela criação do rótulo há 13 anos, a família Barreto Silva, conta com 38 premiações entre nacionais e internacionais. No segundo semestre a Sanhaçu recebeu ouro em concurso nacional. Somente em 2021, o grupo recebeu três medalhas; neste mesmo ano, a Sanhaçu, que é a primeira cachaça orgânica certificada em Pernambuco, se tornou também, a primeira cachaça do Brasil a receber o Selo de Envelhecimento Sustentável (SES).

Nenhum comentário:

Postar um comentário