quinta-feira, novembro 26, 2020

#Eleições2020 Povo Preto no Poder [2]

 

Mãe, negra, periférica, arquiteta e urbanista, ativista das lutas urbanas, especialista em Patrimônio Cultural pela Fundação Oswaldo Cruz e Mestra em Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tudo isso ainda é pouco para definir Tainá Reis de Paula Kapaz, de 37 anos. Ela tem como principais áreas de atuação o Feminismo, o Antirracismo e o Direito à Cidade,

A petista recebeu 24881 votos e tornou-se a nona colocada, a mulher de esquerda mais votada e por 28 votos de diferença foi a vice campeã dos petistas na Câmara do Rio (o campeão foi o ex-senador Lindbergh Farias). Ela trabalhou em vários projetos de habitação popular e urbanização de movimentos por moradia a exemplo do MTST e hoje presta assistência ao Movimento Bairro a Bairro.

 “Eu fui e sou cada mulher preta que tenta fazer política nessa cidade e não consegue. Agradeço a todas que andaram ao meu lado! Vamos construir mais candidaturas de mulheres pretas. Hoje o PT  tem uma feminista preta dentro do partido no Rio de Janeiro. Vamos com tudo”!


Mal se elegeu vereador de Curitiba com 5097 votos, Renato de Almeida Freitas Junior já se envolveu na luta antirracista, militando na rua protestando após a morte de João Alberto, o homem negro espancado até a morte no Carrefour em Porto Alegre. Freitas chegou a pichar um toldo do supermercado o termo “RAClSTAS”.

Aos 37 anos, o advogado nascido em Sorocaba, no interior de São Paulo, escolheu Curitiba para viver e lutar contra o racismo. Para ele, uma candidatura periférica se constrói pela diversidade, pois é nas comunidades onde se encontram espaços para mulheres, negros, LGBTs, portadores de necessidades especiais.

“Eu não disse que eles iriam se lembrar de nós? Agora serão, pelo menos, 5.097 de nós na Câmara Municipal. Sem palavras para agradecer todo mundo que de alguma forma nos apoiou. Fizemos uma campanha histórica, agora vamos em busca de um mandato histórico”.

Eleita com 6646 votos para o terceiro mandato na Câmara Municipal de Salvador, a professora Marta Rodrigues Sousa de Brito Costa, de 61 anos, é formada em Letras e especialista em Direitos Humanos e em Gestão de Cidades. Ela nasceu na cidade de Aiquara - a 414 km de Salvador e começou sua vida politica no movimento estudantil de Jequié, cidade vizinha à sua terra natal.

Na Câmara, ela tem como prioridades representar os direitos da população negra e pobre de Salvador, além de combater todas as formas de preconceito, como o racismo e a homofobia. Ela já apresentou 180 iniciativas - entre projetos de lei, resoluções, indicações e moções. Na sua trajetória, presidiu o PT na capital baiana onde sempre defendeu as bandeiras históricas do partido.

 “O povo de Salvador nos deu uma nova oportunidade e nosso mandato irá novamente honrar esse apoio e essa confiança. Só agradeço a cada uma e cada um que depositou seu voto de esperança em nós. Nossa luta na Câmara vai continuar e estaremos juntas e juntos”! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário