domingo, abril 28, 2019

Caruaru e MP realizam seminário sobre sofrimento na infância e adolescência

Levar a temática das diversas formas de violência vivenciada por crianças e adolescentes para uma reflexão ampla do que acontece dentro e fora do contexto escolar foi o intuito do evento promovido nesta sexta-feira (26) pela Prefeitura de Caruaru, através das secretaria de Educação e Saúde, junto com o Ministério Público. O seminário “As novas formas de sofrimento na infância e adolescência: construindo possibilidades na saúde e educação” reuniu educadores da rede municipal de ensino na Unifavip-Wyden para debater o tema junto com representantes das secretarias municipais de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SDSDH) e de Políticas para Mulheres (SPM).

“Nosso grande propósito é promover essa reflexão junto com o Ministério Público, para que a gente possa, de fato, trazer a temática para uma reflexão ampla do que acontece dentro e fora do contexto escolar. Nós temos uma realidade em que os alunos vivenciam diversas formas de relações e como eles trazem esse retrato para dentro da escola. É uma forma da escola perceber onde estão esses problemas específicos relacionados com a saúde mental e social da criança e do adolescente para poder identificar e agir dentro de parâmetros científicos”, analisou a secretária de Educação, Marta Medeiros.

Segundo o secretário executivo municipal de Saúde, Breno Feitosa, que teve participação ativa no evento, o sofrimento infantil está cada vez mais precoce, trazendo consequências drásticas para a vida de crianças e jovens, e as secretarias de Saúde e Educação têm somado esforços para reverter esse quadro. “Esse trabalho já existe de forma intersetorial no município. O programa Aprender com Saúde, por exemplo, já trabalha essa integração com diversas ações sendo executadas nas escolas. O seminário faz com que a gente possa trazer essa temática do ponto de vista de qualificar ainda mais a nossa rede e os nossos profissionais”, pontuou.

O evento iniciou com a formação da mesa de honra com representantes das secretarias municipais. Pela Educação, esteve a secretária Marta Medeiros, pela Saúde, o secretário executivo Breno Feitosa, pela SDSDH, a gerente de Direitos Humanos, Joana Figueirêdo. Teve também a psicopedagoga e representante da pasta da Educação de Caruaru na SPM,Íris Jacyra e pelo Ministério Público, a promotora de justiça da Infância e Juventude de Caruaru, Silvia Amélia de Melo.

Contribuíram com o encontro os facilitadores: Thiago Rosa, psicólogo que desenvolveu o tema “Tirando a venda: se os alunos sofrem, a escola também”, com considerações sobre a saúde mental dos alunos, professores e acolhimento; Silvanilda Bezerra Florêncio, psicopedagoga especialista em educação especial inclusiva e gestão em organização escolar que discorreu sobre o tema “Reeducar: conversando sobre transtornos escolares”; Tarcísio Dutra, psicólogo do Ministério Público que trabalhou o tema “Comportamentos suicidas e automutilação: conceituação e características”; e com o psicólogo do TJPE, Robertson Ferreira, que promoveu a vivência “Colcha de Retalhos com equipe psicossocial: O que aspiro para minha escola?”.

A promotora de justiça da Infância e Juventude de Caruaru, Silvia Amélia de Melo, afirmou que o intuito da convocação foi o de unir forças para lidar com as situações que envolvam sofrimento de crianças e adolescentes. “Provocamos esse encontro para que a gente pudesse fazer um trabalho conjunto para discutir e aprender a enfrentar as novas formas de sofrimento na infância e adolescência, porque tem muitos casos de crianças e adolescentes com depressão, transtorno de ansiedade, se automutilando, e a gente precisa conversar e aprender sobre isso para enfrentar as situações que chegarem e poder acolher esse público para que eles possam transformar esse sofrimento em emoções mais saudáveis” Destacou a promotora. 

Imprensa Caruaru